TikTok vs YouTube: o TikTok está tentando se tornar o YouTube?

O confronto entre o TikTok e o YouTube tomou um novo rumo, deixando-nos a pensar se o TikTok está se preparando para ser a próxima sensação do YouTube.

Apertem os cintos enquanto nos aprofundamos neste confronto de titãs do vídeo!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Preparando o cenário: um breve contexto histórico

Era uma vez (bem, em 2020, para ser exato), o TikTok entrou em cena com seus contagiantes clipes curtos de dança e comédia, desencadeando uma corrida armamentista de vídeos curtos.

De repente, todos, do Facebook ao YouTube, estavam correndo para acompanhar a popularidade do TikTok, especialmente entre o cobiçado grupo demográfico adolescente.

Avançando até hoje, o TikTok, que já foi o campeão em conteúdo curto, está se voltando para o lado mais longo do espectro do vídeo.

A evolução do TikTok: de 15 segundos a 30 minutos

A evolução do TikTok tem sido nada menos que uma viagem de montanha-russa. Tudo começou com um humilde limite de vídeo de 15 segundos, estendendo-se gradualmente para um minuto, depois três, cinco e, finalmente, dez minutos.

E agora há rumores de que o TikTok está testando o terreno com uma opção de upload de vídeo de 30 minutos. Sim, você ouviu certo – trinta minutos inteiros de bondade do TikTok.

Este movimento sinaliza a entrada ousada do TikTok no território do YouTube, desafiando as normas estabelecidas de conteúdo curto e rápido. Matt Navarra, o Sherlock Holmes das mídias sociais, percebeu isso na versão beta do iOS, e os rumores estão se espalhando também para o mundo do Android.

A Fúria de Titãs: TikTok chega ao YouTube

A jornada do TikTok em direção a vídeos mais longos não é apenas um salto aleatório; é um movimento estratégico competir de frente com o YouTube. As linhas de batalha estão traçadas e parece que o TikTok está acenando para os criadores que tradicionalmente chamam o YouTube de lar.

A questão é grande: o TikTok pode realmente destronar o YouTube como a plataforma ideal para conteúdo de formato mais longo?

Como disse com propriedade o analista do setor Krysten Stein: “O TikTok agora está pensando: ‘Precisamos mostrar aos anunciantes que podemos manter as pessoas assistindo a um vídeo por mais tempo’”. A estratégia parece clara: atrair criadores com vídeos mais longos, manter o público envolvido, e observe o fluxo de receita de anúncios.

Criadores pegos no fogo cruzado: felicidades e preocupações

Essa mudança, no entanto, deixou alguns criadores de TikTok coçando a cabeça. Antes celebrado por suas rolagens curtas e rápidas, o TikTok agora está incentivando os criadores a obterem conteúdos mais longos. Criadoras como Nikki Apostolou, conhecida como “recycldstardust”, expressam sua preocupação, afirmando: “Nem sempre tenho um minuto de conteúdo dentro de mim”.

A nova iniciativa do TikTok, o “Programa de Criatividade Beta”, substitui o “Fundo para Criadores” original, exigindo que os criadores abracem o mundo dos vídeos de mais de um minuto se quiserem um pedaço do bolo de monetização. Aly Tabizon, com um número significativo de seguidores, expressa seu medo, questionando se a capacidade de atenção da geração de hoje se alinha com vídeos mais longos.

A jogada empresarial: monetização e participação nas receitas

Do ponto de vista empresarial, essa mudança faz sentido. Vídeos mais longos significam mais possibilidades de anúncios e maior monetização. Scott Kessler, da empresa de pesquisa Third Bridge, observa: “É muito mais fácil monetizar conteúdo quando ele é de formato mais longo”.

A confiança da TikTok nesta transição é evidente nas promessas de salários mais elevados para os criadores no âmbito do novo Programa Criativo O incentivo para os criadores fazerem a mudança é real, pois alguns já relataram ganhar milhares de dólares nos primeiros meses.

O dilema do visualizador: rolar ou não rolar

No entanto, em meio a esse movimento estratégico, o TikTok deve navegar no delicado equilíbrio das preferências do usuário. TikTok sempre foi sinônimo de vídeos curtos e rápidos; conteúdo mais longo pode não repercutir em seu público.

O teste da plataforma de um modo de tela cheia horizontal e a opção de avançar rapidamente nos vídeos indica uma tentativa cuidadosa de atender a diversas preferências.

O futuro: o TikTok realmente rivalizará com o YouTube?

À medida que o TikTok expande seu tempo máximo de execução, a questão permanece: ele pode realmente competir com o YouTube? Os limites entre o conteúdo curto e o longo estão se confundindo e o TikTok parece determinado a redefinir sua identidade neste cenário em evolução.

Nas palavras do porta-voz da TikTok, Zachary Kizer: “Valorizamos o feedback e os insights diretos de nossa comunidade para ajudar a informar nossas decisões”. A batalha pelos minutos do seu vídeo continua, e TikTok vs. YouTube é uma saga que assistiremos com a respiração suspensa.

Então, seja você #TeamTikTok ou #TeamYouTube, uma coisa é certa: a batalha pela sua atenção está apenas começando! Fique ligado enquanto os titãs do vídeo lutam pela supremacia no mundo cada vez maior do conteúdo online.

Realidade aumentada nas redes sociais: como utilizar para crescer seu negócio?

A realidade aumentada nas redes sociais tem sido uma ferramenta promissora para o crescimento de negócios. A tecnologia consiste em integrar um conteúdo virtual dentro de um cenário real a partir de câmeras e outros sensores.

Um exemplo bastante conhecido é o Pokémon Go, jogo que se tornou referência pelo seu sucesso. Ao sobrepor informações digitais à vista do usuário, a realidade aumentada (RA) proporciona uma experiência enriquecida do mundo real e garante melhores resultados.

Para se ter ideia, um estudo publicado pela Meta apontou que anúncios com RA superam as campanhas em formato usual, com um custo 59% menor para gerar reconhecimento.

Este conteúdo visa explorar aplicações práticas da realidade aumentada no mercado, além dos benefícios potenciais para o crescimento dos negócios. Acompanhe!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Como se deu a evolução da tecnologia de realidade aumentada?

O conceito de realidade aumentada remonta a 1990. Foi o cientista norte-americano Thomas P. Caudell, que trabalhava na área de pesquisa da Airbus, quem primeiro explorou a ideia de “ver através” da realidade virtual.

A ideia foi desenvolvida a partir de uma necessidade: elaborar um manual de montagem de feixes de fios de uma aeronave.

Alguns anos depois, Louis Rosenberg teria criado o primeiro sistema de RA para o treinamento de tiro e pilotagem no Laboratório de Pesquisa da Força Aérea americana.

Como funciona a realidade aumentada?

Alguns componentes básicos são indispensáveis para o funcionamento dessa tecnologia. Como visto, a disponibilidade de câmeras pelo usuário é fundamental.

É por meio dela que os sensores podem fazer a leitura de objetos, determinar a localização e as características do ambiente.

O processamento de dados por meio da computação, desse modo, permite que objetos do ambiente real interajam com objetos do ambiente virtual dentro de um aplicativo.

Inteligência Artificial Generativa também pode auxiliar nesse processo, especialmente no desenvolvimento de tarefas mais complexas. A partir desses elementos, é possível proporcionar a melhor experiência do usuário imersiva.

Como a realidade aumentada está sendo incorporada nas principais redes sociais?

Nas redes sociais, a RA tem proporcionado uma nova experiência entre o cliente e a marca, e se tornado um recurso poderoso para engajar o público.

Um exemplo em destaque é a criação de filtros de RA no Instagram, que podem ser usados por toda a comunidade como uma oportunidade para reforçar o branding e manter os seguidores engajados.

Vídeos e imagens imersivas também têm permitido que clientes testem e interajam com o produto como etapa da jornada de conversão.

Por meio da RA, por exemplo, é possível experimentar roupas, maquiagens e visualizar mobiliários em sua casa antes de fechar o carrinho.

Um caso de sucesso é a reconhecida marca de cosméticos MAC. Essa é apenas uma das empresas que têm aderido ao “provador virtual”, como modo de simular a experiência em um balcão de maquiagem, sem que o usuário precise ser direcionado à loja física.

A ferramenta se popularizou, especialmente durante a pandemia, e permitiu que milhares de pessoas pudessem testar tons e produtos virtualmente para acertar na escolha.

Provador virtual do site MAC cosmetics

Provador virtual do site MAC cosmetics

Fonte: MAC Cosmetics

Quais os benefícios para negócios?

Entenda a seguir os benefícios que o seu negócio pode perceber a partir do uso da RA!

Impacto na visibilidade da marca

Diante de um oceano de ações publicitárias, fica cada vez mais difícil captar a atenção do público. A inovação nas ações de marketing, portanto, tem sido a chave para aumentar a visibilidade.

Nesse sentido, a realidade aumentada pode ser estratégia acertada para os negócios, proporcionando experiências únicas e memoráveis em vários pontos de contato.

Aproximação do cliente

Outro benefício notável é a aproximação entre a sua marca e o cliente final. A RA, afinal, consegue trazer elementos virtuais para a realidade do usuário.

Isso permite criar conexões mais profundas e, ainda, aumentar a percepção de valor sobre o seu produto. Imagine o seguinte cenário: uma dona de casa precisa substituir sua poltrona, mas não sabe qual estilo de mobiliário combina melhor com a sua sala de estar.

Uma empresa X, percebendo essa dor, disponibilizou um recurso de realidade aumentada para que ela pudesse testar diferentes produtos da loja, visualizando o móvel em sua sala por meio da lente.

Nessa hipótese, o teste virtual não só é capaz de gerar desejo no usuário como também conduz a uma decisão mais acertada. Isso, sem dúvidas, aumenta os níveis de satisfação com a marca.

Diferencial de marca

Quando a marca consegue inovar, rompendo de maneira positiva padrões que cercam os modelos de negócio tradicionais, a tendência é a superação da concorrência.

Como no último exemplo explorado, empresas pioneiras na adoção dessas tecnologias conseguem conquistar clientes fiéis, que percebem o produto ou serviço como único no mercado. Nesse sentido, a marca consegue não só atrair a atenção em ações de publicidade, como fidelizar, no longo prazo, o cliente final.

Experiência com o produto

Como visto, a possibilidade de experimentar e interagir com o produto é um dos recursos mais valiosos para as marcas. A tecnologia funciona como auxiliadora do processo de vendas, garantindo uma visualização completa do produto em todas as suas dimensões.

A RA ainda pode resolver de forma intuitiva dúvidas sobre especificações técnicas, problemas de usabilidade e escolha do produto de acordo com as necessidades específicas do usuário.

Por fim, a interação garante a coleta de feedbacks e dados relevantes sobre o cliente, criando oportunidades para abordagens mais certeiras pela empresa.

Agilidade e eficiência

Por fim, vale mencionar que o recurso também torna mais curto o tempo até a tomada de decisão pelo cliente final. Não é raro que, da descoberta à compra, as empresas invistam em ações distintas de publicidade, tendo em vista a curva de aprendizado necessária.

Recursos de realidade aumentada, por outro lado, podem agilizar e tornar mais eficiente esse processo. A interação real com a sua oferta pode ser aplicada para conduzir potenciais clientes, em diferentes estágios de consciência sobre a dor ou o produto, até a compra.

Quais algumas aplicações práticas para empresas?

Agora que você já conhece os benefícios, deve estar se perguntando como fazer realidade aumentada. Confira alguns casos bem-sucedidos de RA e inspire-se!

Mini

Com o desafio de aumentar a consideração nos EUA, a marca automotiva Mini aproveitou os recursos de realidade aumentada para apresentar uma versão realista do seu veículo para potenciais clientes.

Na campanha, foi desenvolvido um filtro que permitia visualizar o veículo em tamanho real onde o usuário quisesse e interagir com o produto.

Avon

A Avon foi outro caso de sucesso. Enquanto patrocinava um reality brasileiro, a marca de cosméticos buscou se diferenciar de outros patrocinadores ao apresentar seus produtos.

Para isso, utilizou um filtro de realidade aumentada que permitia aos usuários jogar com avatares similares aos participantes do programa. Além da diversão proporcionada, os pontos alcançados poderiam ser trocados por uma variedade de produtos da marca.

O resultado foi mais de 40 mil cadastros capturados durante a campanha.

Rak’n’Roll

Por fim, destaca-se a campanha criada por essa fundação oncológica na Polônia, divulgada por meio das redes sociais com a finalidade de arrecadar fundos.

Também por meio de filtros de RA, a organização teve um maior reconhecimento, o que estimulou doações. Para se ter ideia, a campanha alcançou 39,6 vezes mais doadores quando comparada com as campanhas em formato usual.

Alavanque as suas redes sociais com conteúdos de qualidade!

Sem dúvida, a realidade aumentada nas redes sociais constitui um recurso poderoso para marcas de todos os segmentos do mercado. Por meio dela, é possível chamar a atenção do usuário para a sua oferta de maneira única.

Isso aumenta o reconhecimento da marca e garante uma conexão profunda entre as dores do seu cliente e a sua proposta de valor. São inúmeras as possibilidades.

Por outro lado, sabemos que gerir a produção de diversos formatos de conteúdo, adaptados para diferentes públicos e objetivos, nem sempre é uma tarefa simples.

WriterAccess chegou para mudar o jogo! Nossa plataforma reúne em um único lugar tudo o que você precisa para produzir conteúdo de altíssima qualidade e conseguir mais conversões nas redes sociais.

Contamos com diversos recursos para você se destacar da concorrência. Nosso AI Content Ideal Generator, por exemplo, permite gerar centenas de ideias de conteúdos personalizados para a sua marca em poucos minutos.

Conheça nossa solução e ouse inovar nas redes sociais! Experimente grátis por 14 dias e ateste os resultados!

Pay-For-Play: As taxas de assinatura são o futuro de todas as plataformas de mídia social?

As principais mídias sociais do momento – Instagram, Facebook, TikTok e X – estão começando a desenvolver e testar modelos pagos de suas plataformas para remover anúncios publicitários. 

A rede social X, anteriormente popularizada como Twitter, já começou a testar esse modelo de cobrança com usuários do X na Nova Zelândia e nas Filipinas. O valor de US$ 1 é cobrado para novos usuários que querem ter acesso a plataforma.

De acordo com Elon Musk, em um post publicado em seu perfil na rede social, serão dois tipos de novos planos para usuários Premium, uma de custo mais baixo com todos os recursos, mas sem redução de anúncios, e a outra é mais cara, mas sem anúncios.

Desde a compra do Twitter no ano passado, Musk vem buscando formas de aumentar a receita da companhia de forma direta ou indireta, seja cobrando mensalidade dos usuários ou até mesmo gerando receita para os produtores de conteúdo que pagam pelas assinaturas da plataforma. 

Essas mudanças vêm gerando muitas insatisfações nos usuários mais antigos do antes conhecido Twitter, já que, de acordo com o site da empresa, os novos usuários que optarem por não assinar o serviço Premium estarão sujeitos a algumas restrições, como apenas ler publicações, assistir vídeos e seguir contas.

Enquanto isso, o TikTok…

De acordo com o site Android Authority, TikTok também está entrando na onda de adotar uma versão paga para remover anúncios para assinantes Premium da rede social, isso porque o site sugere que o código do app revela testes para adotar um sistema de assinaturas.

Esse serviço teria valor de US$4,99 (cerca de R$25,00 na conversão atual) e sua única função seria retirar as propagandas da plataforma, sem adição de nenhum recurso extra, pelo que parece. 

A TikTok confirmou ao TechCrunch que está testando este produto, mas apenas em um único mercado de língua inglesa fora dos EUA. De acordo com o blog, a assinatura irá cobrir apenas anúncios veiculados pelo TikTok e não campanhas de marketing de influenciadores. 

Fonte: Android Authority/2023

Uma enquete feita pelo Android Authority, mostra que a ideia de pagar para não ver anúncios no TikTok, ainda é impopular entre seus leitores – com 59% dos votos alegando que os leitores se “sentem bem” com os anúncios da rede social.

Um relatório divulgado pela empresa de pesquisa de mercado Cowen descobriu que o TikTok é adotado mesmo entre compradores de anúncios mais cautelosos, com 60% nomeando o TikTok como seu local preferido de vídeos curtos. O que reforça o fato da plataforma ser amplamente orientada por anúncios até o momento, ganhando a maior parte dos seus recursos através disso. 

O que resta saber é se uma assinatura sem anúncios conseguirá substituir significativamente uma parte dessa receita, seguindo os passos do X e do Youtube Premium, por exemplo.

Foco na Monetização

E claro que a Meta não iria ficar para trás nessa tendência de monetização das redes sociais, né? 

A empresa irá oferecer às pessoas na União Europeia e na Suíça, a opção de pagar por uma assinatura mensal para usar o Facebook e Instagram sem anúncios publicitários. Essa medida não prejudicará aqueles que optarem pelo não pagamento dos planos mensais das plataformas, podendo continuar a usar esses serviços gratuitamente enquanto veem anúncios relevantes para eles, da mesma forma acontece atualmente.

A Meta informa que para utilizar as redes sociais sem anúncios, as pessoas nesses países poderão se inscrever por uma taxa que pode custar €9,99/mês na versão web ou €12,99/mês no iOS e Android e até 1º de março de 2024, a assinatura inicial incluirá todos os perfis vinculados à Central de Contas de um usuário. 

No entanto, a partir de 1º de março de 2024, uma taxa adicional de €6 mês na web e €8/mês no iOS e Android será aplicada para cada conta adicional listada na Central de Contas do usuário.

De acordo com o divulgado no blog da empresa

“Essa iniciativa permite, também, que as pequenas empresas alcancem potenciais clientes, expandam os seus negócios e criem novos mercados, impulsionando o crescimento da economia europeia. E, como outras empresas, continuaremos a defender uma Internet apoiada por anúncios, mesmo com nossa nova oferta de assinatura na UE, no Espaço Econômico Europeu  e na Suíça. Mas respeitamos o espírito e o objetivo dos regulamentos europeus em evolução e estamos empenhados em cumpri-los.”

Quem optar por continuar usando os produtos da Meta gratuitamente, continuará sendo apoiado pelas ferramentas e configurações e não terá sua experiência afetada por conta dessas mudanças. 

Os anunciantes também poderão continuar a realizar campanhas publicitárias personalizadas na Europa para alcançar esses que optaram por continuar a receber um serviço online gratuito e com o suporte de anúncios.

E como isso afeta o mercado publicitário?

Enquanto os magnatas da tecnologia ganham com essas novas iniciativas, através de novas fontes de receitas, é possível que o mercado publicitário e as estratégias de marketing nas redes sociais sofram um recuo com as assinaturas Premium das redes sociais. 

A receita adquirida através de ADS nessas plataformas é bastante significativa e coloca em jogo se realmente a parcela de receita proveniente de assinaturas poderá substituir significativamente essa fonte de recursos. 

O que fica claro é que o mercado publicitário terá que investir mais em ações de marketing de influenciadores, já que esse tipo de “propaganda” continuará sendo permitido nas plataformas tanto para assinantes quanto para não assinantes. 

O ads continuará sendo um recurso muito importante, já que é possível que boa parte dos usuários das plataformas não adquiram os planos de assinatura mensal, porém, para atingir públicos de maior poder aquisitivo, possivelmente aqueles que optarão por uma assinatura Premium, será necessário partir para o investimento em influenciadores, sejam eles nano ou big influencers. 

Assim, será necessário pensar em campanhas mais criativas, que atinjam todos os tipos de usuários e que continue gerando engajamento e retorno sob o investimento de agências e empresas.

5 Marcas no TikTok que fazem sucesso com suas estratégias e o que seu negócio pode aprender

Com mais de 1 bilhão de usuários ativos em todo o mundo, é quase certo que você já tenha cruzado com várias marcas no TikTok. A menos que você se enquadre em uma das duas situações a seguir: 1 – Não possui uma conta na plataforma de mídia social chinesa que mais cresceu nos últimos anos; 2 – Viva em completo isolamento. 

No entanto, se você está lendo este artigo, é provável que seja um profissional de marketing, e sabemos que você não se encaixa em nenhum desses cenários. 

A verdade é que o TikTok se transformou em um terreno fértil para marcas inovadoras e criativas se destacarem por meio das redes sociais, graças à facilidade com que influencia conversas e constrói relacionamentos com o público.

Além disso, engana-se quem pensa que a rede social chinesa visa apenas o público jovem. Se até mesmo o The Washington Post consegue envolver seu público por meio de notícias na plataforma, por que sua marca não conseguiria?

A seguir, vamos explorar cinco exemplos inspiradores de marcas que fazem sucesso no tiktok  com suas estratégias de mídia social, e você certamente obterá algumas ideias para aplicar em sua própria estratégia.

O crescimento e relevância do TikTok para marcas

Antes de explorarmos as estratégias de sucesso das marcas no TikTok, é crucial compreender por que essa rede social se tornou tão fundamental tanto para o público quanto para os profissionais de marketing.

O TikTok experimentou um crescimento exponencial e se tornou um fenômeno global devido à sua capacidade de oferecer um vasto e diversificado conteúdo criativo e envolvente para um público ávido por entretenimento. Em sua essência, consiste em vídeos curtos, criativos e visualmente cativantes, frequentemente com ênfase na música, que são facilmente consumidos.

A oportunidade de se tornar uma tendência é altamente valiosa no contexto do marketing no TikTok, frequentemente ressuscitando músicas e vídeos antigos que, de repente, alcançam o topo das paradas mundiais no YouTube e no Spotify.

Além disso, a natureza de conteúdo de curta duração da plataforma se alinha perfeitamente com a atual era digital, onde a atenção das pessoas é limitada. 

Estratégias para se destacar na plataforma

De acordo com uma pesquisa conduzida em 2023 pela Opinion Box, 40% dos 1544 entrevistados relataram ter comprado produtos recomendados por influenciadores dentro da plataforma. Além disso, 36% destacaram que deixaram de efetuar compras após terem visto conteúdo negativo sobre um produto ou serviço na rede social.

Isso evidencia quão crucial se torna a estruturação de uma estratégia de marketing no TikTok, não é mesmo?

Agora, antes de analisarmos casos específicos, vamos explorar algumas estratégias eficazes para se destacar na plataforma TikTok:

Conheça sua audiência: Entender quem são seus seguidores é fundamental. Pesquise os interesses e tendências que ressoam com seu público-alvo.

Criatividade é a chave: O TikTok é um terreno fértil para criatividade. Use música, efeitos especiais e narração cativante para contar sua história.

Participe de desafios: Os desafios são uma parte fundamental da cultura do TikTok. Participar de desafios populares pode aumentar sua visibilidade.

Consistência: Poste regularmente para manter o engajamento da audiência. A consistência ajuda a construir uma comunidade leal.

Interaja com seus seguidores: Responda a comentários e mensagens, mostrando que você valoriza sua audiência.

Agora, vamos conhecer cinco marcas que fazem sucesso no tiktok ao aplicar essas estratégias. . 

Marcas sucesso no TikTok

Agora que entendemos a importância do TikTok como plataforma de marketing, vamos mergulhar nos casos de sucesso das marcas que estão conquistando a audiência. Vamos começar com o inspirador exemplo do Duolingo.

1: Duolingo

O Duolingo, conhecido por seu aplicativo de aprendizado de idiomas, conquistou o TikTok de maneira única. Criaram vídeos curtos, repletos de humor, incentivando os usuários a concluírem suas lições.

Outra grande vantagem da marca é seu mascote, Duo, uma coruja verde sempre presente nos conteúdos, gerando momentos divertidos ao adotar tendências e tópicos em alta.

Além disso, eles incentivaram os usuários a participarem, criando seus próprios vídeos de aprendizado.

O resultado? Um aumento significativo na conscientização da marca e no engajamento.

2: Fini – Carmed

A Fini – Carmed se tornou uma febre recentemente no TikTok. A marca já era famosa por promover receitas com seus doces e conteúdos gerados por influenciadores, mas tudo se intensificou com o lançamento de uma collab com a farmacêutica Cimed.

O produto, o hidratante labial Carmed Fini, foi literalmente caçado pelos fãs da marca em todo o Brasil. A empresa lucrou mais de 40 milhões em poucas semanas, e os vídeos com a hashtag #carmedfini já ultrapassam a marca de 200 milhões de visualizações.

Isso não apenas aumentou a visibilidade da marca, mas também mostrou como seus produtos podem ser usados de maneira criativa.

3: Salon Line

A Salon Line, uma marca de produtos capilares, aproveitou a popularidade do TikTok para criar tutoriais de beleza e mostrar o resultado de seus produtos em vídeos curtos.

Eles se tornaram uma fonte confiável de dicas de beleza para muitos usuários, aumentando a lealdade à marca, principalmente por meio dos conteúdos produzidos por seus embaixadores da marca, chamados de HUB Salon Line.

Ao todo, mais de 100 perfis de criadores de conteúdo fazem parte desse projeto, totalmente dedicados a dicas de beleza e conteúdos envolvendo seus produtos.

4. Netflix

A gigante do streaming, Netflix, não perdeu a oportunidade de se conectar com seu público no TikTok. Para isso, utiliza seu próprio catálogo como conteúdo, compartilhando cenas engraçadas, momentos memoráveis de suas séries e filmes, bastidores, memes, spoilers de lançamentos, entrevistas e outros conteúdos exclusivos.

A comunidade de fãs leais da marca ama e interage constantemente.

5. Guaraná Antarctica

O Guaraná Antarctica é literalmente o patrocinador oficial da torcida brasileira, ao lado do mascote Canarinho, e é um fenômeno no TikTok de engajamento com os fãs por meio de conteúdos cheios de originalidade e bom humor.

A marca também foi a primeira a integrar seu produto diretamente à rede do TikTok. Lançaram diversas latas temáticas com mensagens especiais ressaltando o Brasil. Todas as latas tinham um TikTok Code que direciona diretamente ao perfil da marca na plataforma.

O que a sua marca pode aprender com esses cases de sucesso?

Ao analisar esses casos de sucesso de marcas que fazem sucesso no tiktok, algumas lições importantes se destacam:

  • Criatividade e autenticidade são fundamentais.
  • O envolvimento da comunidade é essencial.
  • Aproveite os recursos exclusivos do TikTok, como música e efeitos especiais.
  • Esteja disposto a experimentar e participar de desafios.

A rede social é muito mais do que apenas uma plataforma de entretenimento. É um espaço onde marcas no tiktok podem se destacar, construir comunidades e contar suas histórias de maneira envolvente. 

Ao seguir as estratégias de sucesso de marcas como Duolingo, Fini – Carmed, Salon Line, Netflix e Guaraná Antarctica que citamos, você pode alcançar resultados notáveis no TikTok.

Aproveite o fenômeno TikTok e comece a criar conteúdo envolvente que ressoa com seu público. E se você precisar de ajuda na produção de conteúdo para o TikTok ou qualquer outra plataforma, a WriterAccess está aqui para ajudar. Experimente nosso trial de 14 dias! 

Tags Open Graph: tudo o que você precisa saber

Criar conteúdos compartilháveis e com bom alcance é o sonho de todas as empresas. Contar com recursos que facilitem a vida dos usuários na hora de enviar os materiais que acham interessante é crucial para atingir esse objetivo. É aí que o Open Graph pode ajudar nas estratégias de conteúdo da sua empresa.

Essas tags são úteis para aumentar as visualizações das redes sociais, além de auxiliar na hora de fazer os links aparecerem para os usuários.

Quer entender mais sobre como utilizar o Open Graph, quais as vantagens que ele oferece e quais são os principais elementos dele? Então, continue a leitura e confira o conteúdo especial que separamos para você!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

O que é Open Graph?

O Open Graph é um protocolo desenvolvido em 2010 pelo Facebook. O objetivo desse recurso era fazer a padronização do uso de metadados para representar os conteúdos. Com isso, torna-se mais fácil apresentar os detalhes da página.

Em suma, ele oferece a possibilidade dos usuários observarem com clareza os conteúdos compartilhados e os objetivos deles. Compreender como o Open Graph funciona e sua relação com as redes sociais vai ajudar a utilizá-lo de forma eficaz nas estratégias de Marketing de Conteúdo.

Funcionamento e sua relação com as redes sociais

Ao utilizar a API do Open Graph é possível realizar a conexão das aplicações com as redes sociais. Com isso, mostraM-se os dados de cada um dos conteúdos oferecidos.

Para o funcionamento desse recurso, recorre-se a dados de forma semelhante a outros metadados, como o XML ou RSS. Desse modo, os usuários conseguem compreender com mais clareza os materiais disponibilizados, além de ter facilidade de acesso aos conteúdos.

Além disso, o uso do Open Graph permite a inserção de imagem e títulos nos links compartilhados em suas redes sociais. Portanto, vale usar esse recurso para tornar os seus conteúdos mais atrativos e alcançar mais pessoas.

Vantagens e benefícios do uso do Open Graph

Existem algumas vantagens importantes que você pode obter ao começar a usar o Open Graph. A primeira delas diz respeito à possibilidade de acompanhar os resultados do seu conteúdo, como número de curtidas e de leitores.

Além disso, o uso desse recurso estimula a interação dos usuários das redes sociais com o que está sendo disponibilizado. Ainda é possível aumentar o número de compartilhamento entre os usuários das mídias, favorecendo o alcance da empresa.

Elementos do Open Graph

O Open Graph conta com meta tags HTML que podem ser utilizadas para contabilizar informações sobre uma página, facilitando as chances de ter sucesso no compartilhamento delas.

Esses elementos ajudam a definir quais informações serão exibidas no compartilhamento das URLs, podendo ser títulos, descrição, imagens, tipo de conteúdo e outros. Com isso, as mídias sociais apresentam informações relevantes aos usuários, incentivando a leitura dos materiais.

Descrição e exemplos de meta tags

Existem alguns exemplos mais comuns de meta tags que são utilizadas no Open Graph. Explicamos cada um, a seguir:

  • og:title — serve para fazer a indicação do título da página que será mostrada na mídia social;
  • og:description — é útil para descrever de forma abreviada. Aparece logo abaixo do título;
  • og:image — indica a imagem que será apresentada na hora de linkar o conteúdo na rede social;
  • og:type — descreve o tipo de site de web que está sendo compartilhado;
  • og:url — apresenta a url da página disponibilizada na rede social.

Essas são as principais tags utilizadas. Apresentamos exemplos de estrutura logo abaixo. Confira!

Tags principais: title, type, image, url, description

Saber como estruturar as meta tags é importante para compartilhar os conteúdos de maneira otimizada. Para isso, existe um padrão que deve ser usado para incluir os atributos e valores nos locais adequados. A seguir, apresentamos cada um dos 5 tipos destacados no tópico anterior:

  • <meta property=”og:title” content=”descrever o título do artigo” />
  • <meta property=”og:type” content=”tipo de conteúdo” />
  • <meta property=”og:image” content=”url da imagem”/>
  • <meta property=”og:url” content=”url do conteúdo”/>
  • <meta property=”og:description” content=”descrição do conteúdo”/>

Impacto do Open Graph nas redes sociais

Entre os impactos do Open Graph nas redes sociais, destacam-se a facilidade e interatividade que as meta tags oferecem, instigando a interação dos usuários com os conteúdos disponibilizados.

Além disso, esse recurso impacta na forma com que o seu material aparece nas redes sociais. Por meio dele, não será disponibilizado apenas uma url, mas sim um conteúdo com imagem, tornando muito mais atrativo aos usuários das redes.

Futuro do Open Graph

Conforme visto, essa tecnologia oferece diversas funcionalidades na hora de diversos tipos de site otimizarem as informações que são exibidas ou compartilhadas nas redes sociais.

Embora não haja como prever o futuro dessa tecnologia, com base nas previsões atuais e nas possibilidades que essa funcionalidade oferece é possível considerar alguns cenários com base em tendências atuais.

Otimização de metadados

Primeiro, pode-se considerar o aprimoramento dos metadados para que eles possam ser diretamente adicionados às páginas da web com o Open Graph. Hipoteticamente, será possível incluir mais informações, tais como o registro de produtos, eventos, localização, interações realizadas e também identificar a relevância do conteúdo.

Integração e padronização de diretrizes

Segundo, essa ferramenta tende a ampliar as possibilidades de integração, a fim de facilitar a captação de novos usuários que estão presentes em diversas redes sociais.

Terceiro, há previsões para a melhoria de padrões e diretrizes, em relação às práticas atuais. Isso significa a adaptação da tecnologia para atender as necessidades ou desafios da exibição de conteúdos, atendendo inclusive a diretrizes diferenciadas para cada tipo de mudança ou rede social utilizada.

Privacidade

Por fim, também espera-se que haja mudanças em termos de privacidade. Assim como em outros meios de comunicação, questões ligadas à privacidade estão se tornando cada vez mais relevantes, especialmente para se adequar a regulamentações governamentais e políticas mais rigorosas acerca desse assunto.

Viu como o Open Graph é uma tecnologia crucial para a visibilidade e acessibilidade de seus conteúdos? Por meio dele, você consegue otimizar a relevância dos resultados em pesquisas, traz mais tráfego para seu site e ainda cria uma excelente experiência para os usuários. Portanto, não deixe de se atualizar e acompanhar as possibilidades que esse tipo de inovação oferece.

Ainda está em dúvida sobre como utilizar essa tecnologia? Então faça um teste gratuito por 14 dias e tenha contato com profissionais que podem ajudar sua empresa nos processo com o Open Graph!

Saiba como aumentar o engajamento das suas redes sociais em 2023

Se você trabalha com marketing ou tem um negócio, então já deve saber a importância de aumentar o engajamento das redes sociais, não é mesmo? Criadas com o objetivo de entreter e simular ambientes de socialização para o usuário, essas mídias se transformaram em uma verdadeira mina de ouro para as empresas.

Porém, trabalhar com redes sociais pode ser exaustivo. Afinal, esse canal inaugura a comunicação multilateral, desconstruindo a imagem de que só a marca fala e o público pode apenas escutar. Agora o cliente também fala, e o mais importante, é ouvido por muitos!

Continue a leitura e descubra como fazer para que sua audiência tenha interesse em interagir com sua marca. Boa leitura!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Qual é a importância do engajamento nas redes sociais?

Imagine que você é um fazendeiro da idade média que cultiva deliciosas verduras e descobre que todas as manhãs, ajudantes de cozinha vão a uma feira para fazer as compras das famílias. Certamente, este é o lugar que você deseja aparecer.

Os tempos mudaram, mas aquele desejo do mercador medieval continua, aparecer na praça do seu público. Entretanto, para garantir o sucesso, é importante mais que isso, é preciso se relacionar! O engajamento nas redes sociais permite que o público fale da sua marca.

Isso é vantajoso de várias formas diferentes: aumenta a visibilidade, a autoridade da empresa e ainda fala para os algoritmos das redes sociais que seu perfil deve ser destacado organicamente mais vezes, pois cria interação com os usuários.

O engajamento nas redes sociais é uma porta para melhorar o relacionamento da marca com o público e fortalecer a personalidade do negócio.

Separamos aqui alguns artigos que podem te interessar:

Como aumentar o engajamento das suas redes sociais em 2023?

Separamos os principais pontos que ajudam no engajamento das suas redes sociais. Você não precisa seguir todas as dicas em um primeiro momento, o mais importante é entender quais são mais relevantes para a situação da sua empresa no momento e se dedicar a criar esse espaço de trocas com o público.

Conheça o seu público

Você provavelmente já sabe quem é a persona do seu negócio. Se ainda não sabe, pode usar nosso Fantástico gerador de Personas para entender melhor quem é seu público e como ele pensa, sente e interage nas diferentes mídias.

Uma vez levantados os dados, você já consegue ter ações mais eficientes para aumentar o engajamento nas redes sociais. Isso porque você fala para o seu público. Pode parecer óbvio, mas não é. 

Nem todo cliente que espera uma abordagem como a estratégia da Netflix. Por mais que seja um sucesso aquele humor ácido e irreverente, talvez um plano de saúde ou funerária precisem apostar em interações diferentes. Nessa hora, conhecer o público é fundamental.

Tenha uma linha editorial

Alguns assuntos surgem a partir de acontecimentos que impactam o público ou até mesmo o mundo. A pandemia, por exemplo, foi pauta da maioria das empresas que conseguiram sobreviver a esse evento. Entretanto, como cada uma delas se posicionou? Desenvolver a linha editorial é encontrar a essência daquilo que seu negócio pretende falar.

Isso não tem tanto a ver com o tema, mas com a visão de mundo, a postura diante dos fatos.

Imagine que instituições educacionais decidam criar engajamento em suas redes sociais, pode ser que a linha editorial de uma delas esteja mais focada no desempenho em testes de Enem, enquanto a outra quer olhar para o desenvolvimento saudável e humano de cada estudante.

Certamente as linhas editoriais das suas escolas serão completamente diferentes, mesmo que falem sobre os mesmos assuntos.

Escolha as mídias mais relevantes

Instagram, YouTube, WhatsApp, Twitter ou TikTok? Seu negócio conta com perfil em quais dessas mídias? Se você acompanha o surgimento de novas — e potenciais novas — redes sociais que estão bombando, deve saber que a lista não é pequena. Então, sua empresa deve estar presente em todas elas?

Ainda bem que a resposta é não. O ideal é focar nas mídias que fortalecem a personalidade da sua marca e, principalmente, nas quais seu público está presente. A proposta inicial das redes sociais não é fazer com que as pessoas interajam com marcas, então, quanto mais natural for o processo, melhores serão os resultados.

Estabeleça um calendário

Outro truque infalível para aumentar o engajamento é manter a frequência de publicações. Para isso, nada melhor que desenvolver um calendário editorial. Essa ferramenta ajudará você a definir qual será a frequência de publicação, tipo, formato, assunto e tamanho dos conteúdos.

Além disso, o calendário editorial também é importante, pois indica quem é responsável por cada conteúdo e qual é a data das entregas. Com isso, você garante consistência e esse processo cativa a audiência. Consequentemente, o engajamento será maior.

Confira as tendências

Cada rede social tem suas peculiaridades, além disso, cada época conta com um movimento diferente. Se você pretende se destacar e realmente criar uma história com a audiência, então é fundamental entender quais são as estratégias que estão funcionando melhor.

Acompanhar as inovações nas estratégias das redes sociais é algo importante e que fala não apenas sobre o que você deve fazer, como também sobre o que pode ser evitado.

Algumas práticas podem ser vistas como negativas e invasivas neste ambiente. Certifique-se de que seu negócio respeitará o espaço da audiência.

Interaja com o público

Criar diálogos reais com a audiência pode ser uma excelente estratégia para garantir mais engajamento. Para isso, você precisa contar com algumas ferramentas para redes sociais.

Além de responder aos comentários presentes nas suas postagens e mensagens enviadas pelos canais privados, você também deve acompanhar as menções ao seu perfil.

Mostre para seu público que sua marca realmente se importa com seus seguidores. Responda às postagens nas quais seu perfil for marcado. Vale lembrar também, que a forma de lidar com haters pode ser bem diferente de interagir com alguém que defende a sua marca.

Saiba como utilizar os melhores recursos

As contas comerciais ganham destaque no tratamento quando o assunto é as redes sociais. Cada mídia oferece recursos que contribuem para seu sucesso com o público. Afinal, quanto mais tempo um usuário gasta em uma rede social, mais valioso isso será para a mídia.

Estude as funcionalidades e recursos que você tem à sua disposição e entenda como isso pode contribuir para o engajamento nas redes sociais. Do engajamento ao acesso a informações relevantes da audiência.

Saiba como aproveitar as funcionalidades disponíveis para melhorar o relacionamento com o público. 

Diversifique os formatos de conteúdo

Enquetes, quizzes e materiais valiosos são muito mais compartilháveis que outros formatos de conteúdo. Além disso, algumas tendências podem contribuir para o engajamento. Por exemplo, vídeos e conteúdos interativos podem criar mais engajamento se comparados com as publicações em outros formatos.

Descubra os formatos de conteúdo favoritos do seu público, confira as tendências que surgem nas estratégias das redes sociais e aumente o engajamento.

Em 2022, por exemplo, o Instagram focou mais nos vídeos e promete uma atenção maior para as postagens no formato de fotos em 2023. Tenha atenção nesses detalhes para aproveitar os tipos de conteúdo que ganharão maior engajamento.

Invista em mídia paga

Imagine que você desenvolva um conteúdo interativo fantástico, mas não consegue fazer com que ele chegue até a persona da sua empresa. Os anúncios pagos nas redes sociais, ou social ads, são muito importantes para alavancar a visibilidade do perfil da empresa.

Lembre-se de montar estratégias que garantam maior engajamento do público e aposte na mídia paga para ter resultados de alta performance.

Vale destacar que, por mais que os anúncios apresentem taxas de conversão mais altas e resultados rápidos, é preciso alinhar esse trabalho com ações orgânicas para garantir consistência e engajamento também no médio e longo prazo.

Crie publicações de qualidade

Você apresenta um trabalho de boa qualidade nas redes sociais? Isso precisa ser observado em diferentes aspectos. Por exemplo, se os conteúdos são realmente relevantes para a persona do seu negócio, com textos bem escritos, mas, ao mesmo tempo, adaptados à linguagem mais informal, própria dessas mídias.

Além disso, no caso de vídeos e imagens, é importante observar a qualidade sonora e visual. Lembrando que além da coerência da imagem com o contexto, é importante que ela seja bonita e com boa definição.

Hoje existem vários bancos de imagens gratuitos que você pode usar, caso não consiga produzir as imagens para seus conteúdos.

Quais são os benefícios de investir nessas dicas?

Como você deve ter percebido, existem muitos caminhos para aumentar o engajamento da sua audiência nas redes sociais. Quanto mais dicas você conseguir implementar, maior será o engajamento do seu público.

Além disso, você consegue criar um padrão profissional para as suas mídias e perceberá:

  • maior visibilidade para sua marca;
  • vantagem competitiva em relação à concorrência;
  • fortalecimento da marca junto ao público;
  • aumento de indicações espontâneas do seu perfil feitas pela sua audiência;
  • escuta e coleta de dados relevantes sobre sua persona.

Como mensurar os resultados das redes sociais?

Outro ponto relevante para aumentar o engajamento é monitorar os resultados das suas campanhas nas redes sociais.

Afinal, com as métricas certas, você descobre como corrigir o curso e aproveitar oportunidades. Lembrando que a maioria das redes sociais apresenta dados relevantes para monitoramento.

Alcance do conteúdo

No início das redes sociais, bastava fazer uma postagem para garantir que todos seus seguidores a recebessem na linha do tempo. Entretanto, os algoritmos perceberam que quando o assunto não é relevante, isso reduz a permanência do usuário.

Portanto, o alcance do conteúdo indica o número de pessoas que recebem cada conteúdo postado e isso é extremamente relevante para entender o engajamento.

Engajamento do público

Fala sobre o engajamento em si. Ou seja, essa métrica revela quantos usuários curtiram, compartilharam, comentaram ou até mesmo clicaram na sua publicação.

Como a métrica de engajamento está relacionada à interação do público, ela só pode ser igual ou inferior ao alcance da postagem, ou seja, às pessoas que tiveram acesso à publicação.

Crescimento do perfil

Alguma vez você já viu ou até mesmo comemorou seu número de seguidores em uma determinada rede social? Os seguidores são como a lista de contatos, porém, restritos ao universo da rede social.

Dessa forma, essa métrica indica o quanto seu perfil tem crescido e, automaticamente, está sendo relevante para mais pessoas.

Tráfego de rede social

Essa é uma métrica importantíssima para monitorar o engajamento nas redes sociais. Ela conta quantas pessoas chegam no site da sua empresa ao clicar nas publicações das redes sociais.

Além de ter uma ideia de porcentagem, esse indicador também pode mostrar a performance individual de cada postagem. Assim, você tem insights de conteúdos que garantem um tráfego maior e com mais qualidade para seu site.

Taxa de cliques — CTR

Talvez uma das formas de engajamento mais cobiçadas para quem trabalha com marketing digital, a taxa de cliques indica a quantidade de usuários que interagem com suas postagens clicando na publicação e sendo redirecionados para outros domínios.

Normalmente calculada para os anúncios pagos, ela é fundamental para melhorar o monitoramento do tráfego da rede social.

Você deve ter percebido que para aumentar o engajamento nas redes sociais, é preciso entender sua persona, acompanhar tendências e inovações, além de apostar na produção de conteúdos em formatos que têm maior aderência da audiência.

O trabalho consistente nessas mídias pode ancorar toda sua estratégia de marketing digital, impulsionando os resultados.

Para garantir ações de sucesso, confira nosso artigo com as tendências para redes sociais e destaque o perfil da sua empresa em 2023!

Tendências para Social Media em 2023

As redes sociais são cada vez mais importantes para as empresas, especialmente no mercado brasileiro.

Afinal, dados mostram que 159 milhões de brasileiros usam algum desses canais diariamente. Por isso, é essencial para qualquer gestor ou equipe entender quais são as tendências de Social Media em 2023.

Na era da transformação digital, não só uma rede social deixa de ser relevante de um ano para o outro, mas também os formatos mudam e os usuários passam a buscar por outros tipos de conteúdo. Tudo muda rapidamente e é necessário acompanhar essas tendências.

Ao longo deste artigo, vamos falar sobre as principais delas para 2023:

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

O que acha, então, de conhecer as tendências de Social Media em 2023 e como colocá-las em prática na sua estratégia de Marketing Digital? Continue a leitura e confira todas essas respostas!

1. Vídeos verticais

O uso de smartphones já é uma realidade no Brasil e um dos seus usos preferidos é para acessar alguma rede social. Consequentemente, é natural que os formatos de exibição de conteúdo sejam alterados ao longo do tempo, o que torna os vídeos verticais uma tendência em diferentes canais.

Um motivo específico para fazer isso pode ser o suficiente para você mudar de ideia se tiver qualquer tipo de resistência: pesquisas mostram que 90% dos vídeos verticais têm mais chances de serem exibidos até o final do que conteúdos apresentados na horizontal.

Outra pesquisa reforça como os vídeos verticais também contribuem para que a sua marca alcance mais usuários. Em média, o uso de vídeos verticais pode ampliar o alcance das suas publicações em até 54%. Nada mal dentro de um cenário de extrema competitividade, não é mesmo?

E tudo isso acontece por um motivo simples: o comportamento do usuário final. Estudos mostram que menos 30% dos usuários giram os seus smartphones na hora de assistir um vídeo. E, pior, aqueles que fazem assistem apenas, em média, 14% do tempo total daquele conteúdo audiovisual.

Na prática, portanto, é essencial que a sua marca entenda mais sobre essa tendência e consiga se comunicar de maneira mais eficiente com os usuários. Se são poucos aqueles que vão virar seus smartphones, foque na produção de conteúdos verticais.

2. Diversificação de conteúdo

Sim, os conteúdos audiovisuais têm tomado conta da internet em geral e, é claro, das redes sociais em particular. Mas isso não é motivo para deixar tantas outras opções de lado: a diversificação de conteúdo é essencial para marcas que querem maior engajamento nesses canais.

Um feed de uma marca pode ser repleto de vídeos, o que é um ótimo sinal, mas por que não investir também em fotos e infográficos, por exemplo? São ações ainda mais simples e que podem captar a atenção de usuários em diferentes cenários e locais.

Imagine alguém que está em um local em que não pode assistir um vídeo com som alto. Por que não oferecer conteúdos em imagem que também transmitem a ideia principal que você deseja passar? Essa diversificação tende a tornar o seu feed muito mais atrativo e, consequentemente, impactar uma audiência maior.

3. Anúncios no TikTok

Muito conhecido como uma plataforma repleta de desafios virais, o TikTok deve começar a reformular seus anúncios. Conteúdos que focam em chamadas tendenciosas — e enganosas muitas vezes — devem ser deixadas de lado, e o foco passa a ser em vídeos mais relevantes e confiáveis.

As marcas, portanto, que utilizam os anúncios no TikTok devem pensar em formas mais eficientes de se comunicar na rede social. A agilidade ainda é essencial, mas a captação da atenção do usuário precisa ser feita a partir de outras técnicas e estratégias.

Separamos aqui alguns artigos que podem te interessar:

4. LinkedIn no marketing B2B

Uma mudança significativa no LinkedIn é a entrada de mais conteúdos audiovisuais na rede social. Por mais que essa plataforma já tenha passado por alterações no passado, como conteúdos em formato de carrossel, é preciso considerar que vídeos devem ser uma tendência no LinkedIn.

Além de mais publicações em formato de vídeo, uma das ideias do LinkedIn é transformar a sua rede em uma oportunidade para conexão entre profissionais ou até mesmo oportunidades de negócio, fazendo frente, por exemplo, ao Google Meet, Microsoft Teams ou Zoom.

Quando se pensa em LinkedIn, é natural focar em conteúdos B2B, não é mesmo? Mas também é importante lembrar das mudanças no B2C, ou seja, das marcas se comunicando com talentos e colaboradores em potencial, por isso também é esperada uma mudança no algoritmo para quem está em busca de vagas.

5. O ano do marketing viral

Algumas notícias indicam que os algoritmos das redes sociais vão se tornar mais decisivos na hora de escolher o que vai ser exibido ao usuário.

Ou seja, ainda é necessário estimular o compartilhamento de conteúdos que chamem a atenção dos usuários, o que transforma 2023 no ano do marketing viral.

A tendência é que cada vez mais recomendações de Inteligência Artificial sejam feitas nos diferentes canais e, por isso, a sua marca deve investir em alternativas que estimulem o compartilhamento orgânico, o famoso marketing boca a boca, para aumentar as chances de viralizar nas redes sociais.

6. Segmentação no Twitter

O Twitter é uma das redes sociais que mais deve sofrer com mudanças e alterações ao longo de 2023 e o motivo é simples: seu novo presidente, Elon Musk, já colocou algumas das suas ideias em prática e a tendência é que ainda venham muitas outras nos próximos meses.

Uma delas é o processo de segmentação das publicações no Twitter. Começando pelo entendimento mais claro de como os algoritmos funcionam, mas tendo já algumas mudanças realizadas, como a separação do feed entre “Para você” e “Seguindo”.

Na prática, você já começa a diferenciar fontes diferentes de conteúdo: um lado é direcionado muito mais pelo algoritmo e pelo que ele entende que você acha mais interessante de acordo com o seu comportamento. Enquanto a outra opção foca em conteúdos de quem você segue.

Mas por que essa é uma tendência relevante de Social Media em 2023? Simples: as marcas agora precisam se esforçar em entender melhor quem é o seu público e como se comunicar com ele, mas também identificar como o algoritmo funciona a partir de testes A/B para criar publicações com maior potencial de alcance.

7. Novidades no Pinterest

Apesar de já seguir uma tendência própria de ter muitos conteúdos visuais, o Pinterest perdeu muitos usuários nos últimos anos e, por isso, precisa encontrar formas de atrair mais pessoas para a plataforma. Uma delas é a utilização da tecnologia de Realidade Aumentada em suas publicações.

A ideia é que, dessa forma, mais marcas e empresas que utilizam a rede social consigam competir pela atenção do usuário. Um exemplo disso é um café ou um e-commerce de móveis e decoração que possam apresentar aos clientes em potencial como é aquele espaço na realidade.

Pode parecer ainda uma realidade muito distante para alguns segmentos, mas imóveis e decorações de alto padrão já podem considerar o Pinterest como um dos principais canais para adicionarem conceitos como RA em seus conteúdos e publicações.

8. Marcas mais próximas dos consumidores

Essa não é exatamente uma novidade para 2023, mas ela se torna ainda mais importante: aproximar a sua marca dos usuários. Isso significa que você não vai utilizar as suas redes sociais apenas para marcar uma posição naquele canal, mas sim para se relacionar e interagir com os seguidores.

Um post bonito é excelente, mas não vai ser ele que vai tornar a sua página mais atrativa para que mais seguidores — e clientes em potencial — se interessem pelos seus produtos ou serviços.

Por isso, utilize as redes sociais para criar um vínculo maior com quem está do outro lado, mesmo que de forma automatizada.

9. Integridade e autenticidade

Complementar ao item anterior, dois tópicos são ainda mais importantes: integridade e autenticidade. Sim, esses dois fatores já deveriam ser contemplados desde o início da sua experiência nas redes sociais, mas elas se tornam mais relevantes para criar maior conexão com seus seguidores em 2023.

Isso significa utilizar esses canais também como uma forma de manter a transparência e demonstrar a integridade da sua marca.

Além disso, é o momento de investir cada vez mais em conteúdos e materiais autênticos para as suas publicações, buscando inspirações, é claro, mas focando nas suas próprias criações.

10. Experiência do cliente

Aqui estamos falando de algo que você já deve ter lido inúmeras vezes, mas que se torna mais relevante ano após ano: experiência do cliente. E quando você leva esse conceito para a área de Social Media em 2023, é ideal entender como a sua oferta pode ser ainda mais completa para a jornada do usuário.

Na prática, isso significa, por exemplo, utilizar os canais disponíveis nas redes sociais para desenvolver uma experiência única e integrada aos usuários.

Mais do que isso, permitir que as mídias sociais sirvam como mais uma ferramenta para integrar a jornada do usuário e garantir que ele tenha a melhor experiência.

11. Aumento do s-commerce

No tópico acima, falamos sobre a experiência integrada e como ela é importante, certo? É exatamente por isso que o s-commerce, ou social commerce, tem tudo para ser uma das principais tendências quando se fala em Social Media em 2023.

Essa tendência é bem simples de ser compreendida: mais usuários fazendo compras e tomando decisões sobre produtos e serviços a partir do que eles veem nas redes sociais. As marcas precisam, portanto, oferecer saídas simples para que esses interessados consigam finalizar uma compra da melhor maneira possível.

Ou seja, o fluxo ideal deve ser: usuários são impactados por um post orgânico ou pago em uma rede social, se interessam pelo que está sendo oferecido e, em alguns cliques, conseguem finalizar a compra. A tendência é que o social commerce ganhe relevância nos próximos meses.

Mas também é importante entender que essa transição vai acontecer aos poucos, com 2023 sendo um primeiro passo relevante nessa direção. Um exemplo disso é a expectativa de que o s-commerce resulte em uma receita superior aos US$ 57 bilhões em 2025, enquanto no último ano esse setor movimentou US $20 bilhões.

Essa tendência não significa apenas ter um CTA direcionando o usuário para a compra, mas analisando toda a sua jornada até a decisão para aumentar as suas chances de conseguir um clique que resulte em uma conversão. É preciso, portanto, pensar em como estimular o usuário a tomar essa decisão naquele canal.

Em um cenário de tanta competição pela atenção do usuário, compreender essas tendências é essencial para que você consiga desenvolver uma estratégia mais eficiente e tenha resultados acima do esperado, especialmente no médio e longo prazos.

Uma rede social em particular passou por várias mudanças, mas você conseguiu acompanhar todas elas? Confira outro conteúdo em que indicamos que todas essas alterações vão além do algoritmo: Instagram lança série de novos recursos que dão autonomia aos usuários!

Instagram: pesquisas mostram as tendências da rede social para 2023

A pesquisa Instagram Trend Report traz uma visão única para o futuro do Instagram em 2023. Ela tem como objetivo auxiliar os criadores de conteúdo a se manterem atualizados com as tendências e construir relacionamentos mais profundos com seus seguidores.

Esse estudo é o primeiro a ser publicado pela rede social que aborda as tendências culturais e sociais dos usuários mais jovens, da Geração Z. Foi desenvolvido em outubro de 2022, e abrange diversos tópicos, tais como moda, beleza, justiça social, comida e música.

Veja, a seguir, mais sobre o assunto para que não fique de fora do mercado ou perca seguidores.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Por que é importante ter a atenção às tendências para o Instagram?

O Instagram é uma das redes sociais mais importantes e populares do mundo. Por isso, entender as regras que regem seu algoritmo é essencial para as empresas alcançarem um bom desempenho e se destacarem da concorrência com o marketing digital.

Logo, aprender como essa rede social funciona pode ser uma ótima maneira de aumentar o tráfego e gerar mais resultados para as empresas.

Com a lógica do algoritmo, é possível entender melhor como as publicações são exibidas para os usuários e como podem ser otimizadas para atingir o maior número de pessoas possível.

Quais são as tendências para o Instagram em 2023?

O Instagram é uma das principais plataformas digitais e, para 2023, prevê-se que ela seja palco de muitas tendências. Elas incluem alternativas sustentáveis para moda e beleza, apoio às mais diversas causas ambientais e alimentares, fortalecimento do metaverso, uso do digital como plataforma para ganhar dinheiro e, até mesmo, palco para raves.

Essa lista diversificada mostra um vislumbre do comportamento humano na rede social, que conta com uma base grande, de 1,44 bilhão de usuários. Entenderemos melhor cada ponto e, com isso, buscaremos saber como as marcas podem aproveitar as oportunidades que a rede social oferece como tendências para o ano.

Apoio às causas sociais

De acordo com o relatório de tendências do Instagram, o engajamento de jovens em causas sociais aumentará ainda mais em 2023, principalmente, nas questões ligadas à deficiência intelectual ou física. Assim, desejam seguir um influenciador com uma necessidade especial.

Essa tendência também foi incentivada pela chegada de Maxwell Frost, o primeiro político da Geração Z nos Estados Unidos. Espera-se que mais jovens se tornem conscientes e defensores dessas causas.

Preocupação com o meio ambiente

Os tempos estão mudando. Os consumidores não querem mais ouvir palavras como “sustentabilidade” ou “ecologicamente correto”. Eles desejam atitudes que criem impacto.

Além disso, 82% dos consumidores esperam que as marcas priorizem as duas forças: pessoas e planeta, em vez do lucro. Por isso, acredita-se que as empresas deverão agir para ter um melhor desempenho no mercado.

Monetização da rede

A Geração Z está cada vez mais consciente das finanças. Em 2023, 85% dos jovens planejam adquirir novas habilidades e 25% dos usuários de redes sociais buscam aumentar seu conhecimento em relação ao tema.

Nesse mesmo ano, muitos deles desejam transformar a paixão em projetos que gerem renda por meio da monetização de seu conteúdo.

Por outro lado, há aqueles que apenas buscam se expressar e se divertir na internet, de acordo com a “Creators in the Creator Economy: A Global Study” da Adobe, publicada em 25 de agosto de 2022.

Veja mais sobre o assunto nos links, a seguir:

Experiências presenciais

Até 2023, espera-se que quase um terço dos usuários dessa geração estejam interessados em participar de experiências presenciais. Isso deverá levar ao crescimento de comunidades formadas por criadores e fãs, ao se reunirem com influenciadores.

Além disso, são esperados conteúdos criados para diferentes plataformas, por exemplo, podcasts. O Trend Report 2023 mostra que os adolescentes se interessam por uma maior diversidade de mídias para aproveitar o conteúdo dos seus influenciadores favoritos.

Equidade no metaverso

A Geração Z está planejando criar mundos novos, por meio do metaverso, para expressar suas individualidades e promover a igualdade nos espaços digitais. Por exemplo, 67% desse grupo acreditam que os avatares devem refletir um maior número de variedades de corpo, roupas e tons de pele, até 2023.

Para além disso, o aumento de influenciadores virtuais pode proporcionar inspirações para o mundo real.

União de fronteiras por meio da gastronomia

68% dos usuários que utilizam o Instagram estão explorando a cultura por meio da gastronomia. Eles têm usado os conteúdos virais e os creators de nicho para descobrir comidas típicas de outras culturas e, consequentemente, desejam experimentar as mesmas.

Assim, a rede tem servido como uma porta de entrada para esses jovens se aproximarem de outras expressões culturais, sendo o paladar o caminho escolhido.

Crescimento do social commerce

No início da pandemia em 2020, o uso de compras ao vivo nas mídias sociais começou a se tornar mais comum. Lives no Instagram e no YouTube para compartilhar conteúdos comerciais passaram a fazer parte do dia a dia.

Embora o Instagram ainda não tenha um recurso próprio para o social commerce, o TikTok, o YouTube e o WhatsApp já oferecem ferramentas desse tipo. A tendência é que o Instagram também lance alguma novidade a esse respeito.

Em 2022, foi lançada, nos Estados Unidos, a compra por chat, que pode ser vista como parte de um teste para verificar a aceitação do público à ideia de comprar e pagar por produtos e serviços diretamente na plataforma.

Consumo de produtos para beleza e cuidados com a pele

Os jovens estão cada vez mais conscientes dos impactos das mudanças climáticas, e isso tem gerado um aumento na procura por produtos de cuidados com a pele. Para 2023, eles investirão em protetores solares e maquiagens que contenham ativos benéficos para a saúde.

Além disso, os produtos de beleza se tornam parte importante da autoexpressão para eles, que usam esses itens para mostrar a sua personalidade, criar looks experimentais e se sentir mais confortáveis.

Reciclagem, reutilização, reconstrução

A criatividade tem sido impulsionada para contribuir com o meio ambiente e, com isso, inspirar amigos e seguidores nas redes sociais. O DIY (faça você mesmo) tem se tornado uma tendência sustentável, pois incentiva o reaproveitamento de materiais e peças de vestuário antigas, bem como a produção de produtos que não prejudicam o planeta.

Um exemplo é adotar o DIY para as roupas em 2023.

IA nas recomendações de postagens

Em 2023, a Inteligência Artificial (IA) terá ainda mais destaque. O Facebook e o Instagram, por exemplo, vão aumentar seu uso para o engajamento dos usuários.

Essa plataforma de mídia social está adicionando recursos para exibir mais conteúdos recomendados no feed de notícias das pessoas. Assim, será possível desfrutar de uma experiência de descoberta bem similar ao que oferece o TikTok, com a seção “Para você”.

Mais integrações nas plataformas de mídia social

De acordo com Andrew Hutchinson, do SocialMediaToday, integrações estão se tornando cada vez mais populares em plataformas de mídia social. O Facebook, por exemplo, está trabalhando na criação de avatares digitais para estimular o engajamento, inclusive, no metaverso.

Já o Instagram também está se esforçando para criar distintas formas de conteúdo, a fim de apoiar os criadores e habilitá-los a criar para o mesmo universo. É possível que outras plataformas de mídia social sigam a mesma tendência.

Força para os anúncios interativos

As tecnologias de Realidade Aumentada (AR) e Realidade Virtual (VR) estão abrindo novas oportunidades para o envolvimento do usuário. Um uso popular dessas tecnologias são os filtros — mas também podem ser usados para oferecer experiências de compra ainda melhores ao público de uma marca, por meio de anúncios interativos.

Ao contrário da publicidade barrada por bloqueadores ou, simplesmente, ignorada, esses anúncios permitem que os usuários se envolvam com a experiência da propaganda. Isso aumenta a probabilidade de eles se engajarem com a marca ou produto.

Além de ampliar o tempo de visualização dos consumidores, o uso de anúncios interativos também ajuda a melhorar o reconhecimento da marca.

Marketing de nanoinfluenciadores e microinfluenciadores

Em vez de contar com grandes nomes nas mídias sociais, marcas e consumidores estão cada vez mais se voltando para nano e microinfluenciadores, que oferecem experiências autênticas, com um maior nível de engajamento.

Esses influenciadores têm um número relativamente pequeno de seguidores, mas costumam ter uma taxa de engajamento superior, ou seja, 8,7% em relação aos macroinfluenciadores. Como resultado, podemos esperar que nos próximos anos, as marcas adotem uma abordagem liderada pela comunidade, trabalhando com nano e microinfluenciadores.

Humanos promovendo marcas

Em 2022, algumas marcas, como a Dove, incentivaram seu público a criar conteúdo e participar de campanhas aumentando o envolvimento dos usuários. Para 2023, é possível que essa tendência cresça ainda mais, com as empresas usando a humanização para promover a autenticidade e o engajamento.

Ainda, podemos esperar que usem estratégias mais descontraídas para se relacionar com seus seguidores, por meio de um tom mais conversacional. O uso de imagens que representem mais proximidade aos usuários, em vez da usualmente estereotipada que costumamos ver, deve crescer.

Crescimento dos jogos como alternativa às plataformas de mídia social

O crescimento da indústria de jogos, projetado para alcançar US$321 bilhões, até 2026, é impulsionado por pessoas que buscam novas formas de se divertir. Além disso, a popularidade crescente dos jogos de realidade aumentada (AR) e realidade virtual (VR) também contribui para a melhora da indústria.

Devido à sua grandeza, as empresas desenvolvedoras de jogos oferecem amplas oportunidades para as marcas aproveitarem seu potencial para promover interações sociais e envolvimento da comunidade. Embora ainda não haja nada definitivo sobre isso, podemos começar a ver marcas explorando esse cenário para gerar relacionamento.

Possibilidades em redes descentralizadas

Os próximos anos trarão uma alternativa viável às principais plataformas de mídia social: as redes sociais descentralizadas. Isso é devido, principalmente, à falta de censura e controle dos usuários. Podemos prever que, a partir de 2023, teremos essas redes se popularizando ainda mais, pois as pessoas querem mais privacidade.

É possível perceber que já estão surgindo essas plataformas, como o Minds, que é de código aberto, em concorrência ao Facebook e ao Instagram. Há, ainda, o Mastodon uma alternativa ao Twitter, o LBRY, opção em relação ao YouTube, Diaspora, frente ao Facebook, e Signal, ante WhatsApp e Messenger.

Eliminação gradativa dos cookies de terceiros

Até 2023, prevê-se que veremos o fim dos cookies de terceiros. Apesar de eles terem permitido a personalização da experiência do usuário, existem preocupações crescentes sobre a privacidade, e os consumidores estão cansados das invasões.

Para as marcas e plataformas de mídia social, isso significa que deverão criar soluções próprias confiáveis, além de investir na privacidade e na transparência ao consumidor.

Uma vez que o GDPR e a LGPD já foram criados, podemos esperar que novas leis e regulamentos sejam desenvolvidos em todo o mundo.

Como elaborar bons conteúdos adequados às tendências do Instagram?

A previsão de que a maior parte do conteúdo online seja de vídeo nos próximos anos é muito relevante, já que 86% das empresas já usam essa ferramenta para marketing. Contudo, destaque deve ser dado ao conteúdo de formato curto.

Essa forma tem o potencial de gerar mais engajamento e é uma ótima ferramenta para educação. Segundo um relatório, 73% das pessoas preferem assistir a um vídeo curto para conhecer mais sobre um produto.

Diante dos tempos de atenção ágil, com o período médio humano de 8,25 segundos, a informação de tamanho reduzido, como vídeos curtos, permite que as marcas ainda consigam engajar o público.

A exemplo disso, o Twitter lançou o Fleets, semelhante ao Snapchat Stories, cujas postagens ou vídeos desaparecem após 24 horas. No entanto, as marcas não devem renunciar à qualidade ao produzir conteúdo pequeno.

Mesmo com a atenção mais curta, o conteúdo de alta qualidade ainda tem a força para prender a atenção do público. Para isso, é possível seguir as boas práticas para a criação de informação de qualidade que agrade ao público.

Agora, você sabe quais são as novidades do Instagram em 2023, e que haverá maior interação entre empresas e consumidores, bem como excelentes formas de divulgação. Portanto, é importante estar atento às mudanças que estão por vir e se preparar para elas!

Para ampliar seus conhecimentos, descubra as 5 dicas infalíveis que vão ajudar você a crescer as suas vendas no Instagram! Saiba como aumentar os seus resultados!

Tendências para Redes Sociais em 2023

Gerenciar o marketing digital exige estar sempre atualizado, acompanhando as tendências para as redes sociais e as ferramentas de inovação que surgem. De acordo com a pesquisa do Centro Regional de Estudos para a Sociedade da Informação 78% das empresas no Brasil têm presença nas redes sociais.

Os usuários passam, em média, mais de quatro horas por dia nesses canais. Para se destacar dos concorrentes, é preciso oferecer conteúdos relevantes e aproveitar os recursos disponíveis para aumentar o engajamento das pessoas e o alcance das campanhas. Confira mais a respeito, no post a seguir.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Veja como identificar novas oportunidades de marketing e vendas

Para aproveitar todos os benefícios que as mídias sociais podem oferecer, quem trabalha ou tem a intenção de atuar com elas deve saber que não se trata simplesmente de publicar conteúdos e esquecer.

É preciso criar uma fanpage, um planejamento e o cronograma para as postagens, monitorar e analisar as interações e o relacionamento com o público-alvo.

Somente dessa forma é possível usufruir das melhores oportunidades que as redes sociais oferecem.

Invista em conteúdos mais humanizados

Atualmente, tanto nas relações interpessoais quanto nas redes sociais, há um grande apelo por conexões mais humanizadas, em que o diálogo é mais próximo e autêntico.

Para criar conteúdos que reflitam essa busca por humanização, existem algumas dicas que podem ser seguidas, por exemplo:

  • optar por usar pessoas para ilustrar os conteúdos;
  • mostrar o dia a dia de sua equipe;
  • aproveitar vídeos e lives para demonstrar espontaneidade;
  • ter empatia sem se preocupar com produções muito elaboradas, pois às vezes, o mais simples é mais acolhedor.

Procure interagir sempre com a sua audiência

As redes sociais são uma ótima ferramenta para alcançar o seu público e estabelecer um relacionamento com ele. Assim, é necessário ter estratégias para cativá-lo.

Por isso, aproveite as interações que você tem com seus seguidores, conversando com eles de forma pessoal e procurando surpreendê-los. Aliás, confira algumas dicas que podem ajudar nesse processo:

  • anotar sugestões, críticas e elogios que os seguidores fazem nos comentários de suas publicações;
  • criar conteúdos que estimulem a interação, como perguntas nas legendas de seus posts;
  • fazer enquetes ou perguntas nos stories do Instagram ou do Facebook para saber as opiniões e sugestões dos seguidores.

Faça ajustes no planejamento

Apesar de as redes sociais oferecerem benefícios muito interessantes, elas também podem ser fontes de crises, se não forem cuidadosamente gerenciadas. Quando isso acontece, é importante que o gerenciamento esteja preparado para monitorar e lidar com elas.

Desse modo, é essencial que sejam seguidas algumas dicas, como ser educado, aceitar e corrigir os erros, identificar a causa do problema, procurar soluções rápidas, mas cautelosas, e levar discussões nos comentários para o privado. Por fim, é preciso aprender com a crise para garantir que ela não se repita.

Tenha boas práticas e realize testes

Para conseguir sucesso e aproveitar as oportunidades de negócio que as redes sociais permitem, é preciso estar atento às tendências e mudanças do mercado. Dessa forma, é importante sempre estudar e realizar testes para descobrir o que melhor se encaixa nas necessidades e desejos do seu público.

Aqui vão algumas dicas para ajudar você nessa jornada:

  • crie conteúdos relevantes que tragam soluções para as dores da persona;
  • interaja com o seu público, respondendo aos comentários ou apreciando-os;
  • seja verdadeiro e transparente com seus seguidores;
  • publique e compartilhe conteúdos de fontes sérias.

Use as funcionalidades gratuitas

As redes sociais continuam crescendo e oferecendo novas funcionalidades. Por exemplo, o Instagram tem recursos como stories, vídeos reels, lives, a possibilidade de usar links nos stories, hashtags e muito mais.

Dessa maneira, é essencial que você estude as redes que utiliza para o seu negócio e entenda como poderá aproveitá-las. Com isso, terá oportunidades para se conectar com o seu público, descobrir de que os seguidores gostam e o que funciona para eles. Logo, terá a chance de cativar sua audiência ainda mais.

Aproveite o conteúdo viral

Quando um post viraliza nas redes sociais e ganha alcance, curtidas, comentários e compartilhamentos, os profissionais de marketing precisam estar preparados para gerenciar essa situação. Eles devem aproveitar a oportunidade para aumentar a visibilidade e o reconhecimento da marca.

É claro que não existe uma receita pronta para isso, mas é possível testar, aplicar e monitorar os resultados para encontrar as melhores estratégias.

Descubra as principais tendências para redes sociais em 2023

Inteligência artificial, influenciadores, anúncios interativos, jogos, mídia multissensorial são algumas das tendências que vão impactar as redes sociais em 2023, assim como o comportamento dos usuários e das empresas. Entenda melhor, a seguir.

1. Ferramentas de áudio

O papel do áudio nas mídias sociais está passando por uma grande transformação, devido a plataformas voltadas para conteúdos de vídeo e ao crescimento de jogadores em todo o mundo.

Ferramentas como Facebook Soundbite Reactions, Tweets de voz e Twitter Spaces, assim como os eventos de áudio do LinkedIn, tornaram a estratégia de mídia social com voz mais importante do que nunca. Em 2023, as marcas devem considerar investir nesse tipo de estratégia para alcançar mais audiência e engajamento.

2. Aumento de jogos

A indústria de jogos deve atingir um valor estimado de US$200,8 bilhões, com publicidade no jogo avaliada em US$17,6 milhões. Isso significa que existem muitas chances empolgantes para marcas e empresas nesse setor.

Por exemplo, a Netflix está criando seu primeiro estúdio interno de videogame em Helsinque. Além disso, marcas de luxo têm usado jogos como forma de envolver a comunidade e preencher a lacuna entre realidade virtual e real.

Se você já jogou Candy Crush ou Wordle em seu trajeto diário, já é oficialmente um jogador. Será que esse ano será o momento certo para sua marca explorar o poder dos jogos?

3. Uso de tela cheia

O boom do TikTok não é mais novidade e sua influência na forma como outras plataformas de mídia social operam ainda é sentida. É esperado que se veja mais conteúdo em 9:16 (tela cheia na vertical) se espalhando. Não é surpresa que o Instagram tenha seguido o exemplo, mas também o YouTube e o Facebook estão se unindo ao movimento.

No Facebook, os vídeos verticais têm uma taxa de conclusão 90% maior do que os vídeos horizontais. O YouTube está testando um novo recurso de formatação para anúncios em vídeo, para que possam ser reproduzidos na vertical.

À medida que mais plataformas adotarem essa proporção, as pessoas poderão reutilizar seu conteúdo para alcançar uma audiência ainda maior. Ao fazer a troca, você obterá mais retorno sobre seus investimentos.

4. Mercado de influenciadores

Em 2023, o marketing de influenciadores tem um destaque ainda maior, pois muitas pessoas estão comprando de casa. Como resultado, as empresas buscam parcerias com esses profissionais da internet para promover suas marcas.

No entanto, isso pode ser caro, porque muitos influenciadores conhecidos cobram preços elevados. Desse modo, os negócios menores estão perdendo uma grande oportunidade.

5. Ascensão de nanoinfluenciadores

Por isso, é melhor buscar microinfluenciadores mais apropriados para seu nicho de mercado. Eles têm audiências menores, mas taxas de engajamento maiores.

Além disso, são mais baratos para fazer parcerias. Colaborar com vários influenciadores pequenos que são mais adequados para o seu mercado relevante pode ser uma ótima maneira de investir, já que oferecem um melhor retorno para o seu negócio.

6. Autenticidade das marcas

O comportamento do consumidor está mudando rapidamente. As pessoas estão exigindo que as marcas sejam autênticas e transparentes para nutrir conexões humanas e construir relacionamentos significativos com o público.

Uma das maneiras de fazer isso é capacitar seus líderes para serem mais ativos nas mídias sociais. Além disso, a transparência ajuda a estabelecer uma confiança de longo prazo nos consumidores.

Ao construir relacionamentos autênticos e conexões mais profundas, as marcas podem desfrutar de uma variedade de benefícios, como melhora na reputação e aumento das vendas.

7. Presença da Inteligência Artificial

A Inteligência Artificial (IA) é um software que automatiza tarefas. Entre elas, a produção de postagens de mídia social com eficiência e a descoberta de novos canais de publicidade, melhorando com a exposição a mais dados.

Se ainda não tem uma estratégia definida para implementar a IA, uma forma de começar é ajudar na redação. Você pode inserir alguns prompts e a IA retornará com sugestões de cópia.

No entanto, é importante lembrar que ela nunca substituirá o poder do conteúdo personalizado e autêntico. Mesmo que as ferramentas possam ajudar a ter novas ideias e a criar legendas, nunca serão capazes de capturar a personalidade e a voz únicas da sua marca, como você.

8. Integrações nas plataformas

As integrações tendem a se fortalecer em plataformas populares de mídia social. O Facebook, por exemplo, está implementando avatares digitais para aumentar o engajamento, especialmente, no metaverso.

Já o Instagram aposta em criar diferentes maneiras de se fazer conteúdos para auxiliar os criadores e permitir que façam também para o metaverso.

9. Anúncios interativos

As tecnologias de Realidade Aumentada (AR) e Realidade Virtual (VR) têm criado oportunidades para o engajamento do usuário. O uso de filtros é um dos casos populares, mas também podem ser aplicadas para melhorar a experiência de compra para o público de uma marca, por meio de anúncios interativos.

Esses, diferentemente dos tradicionais, permitem que o usuário se envolva na experiência do anúncio, aumentando assim a probabilidade de que eles se engajem com a marca ou produto. Além disso, também oferecem mais tempo de visualização pelo público do que os anúncios convencionais, e ajudam a aumentar o reconhecimento da marca.

10. Mídia multissensorial

A mídia social multissensorial será tendência, pois implica na integração de diferentes formatos, como áudio, vídeo, texto e ambientes totalmente imersivos, para proporcionar aos usuários novas experiências envolventes.

Como exemplo, o Instagram oferece a possibilidade de adicionar música às imagens estáticas e o Twitter tem uma página de podcast nos Estados Unidos. Na Meta, o investimento no metaverso é pesado.

Para navegar nessas tendências de 2023, é recomendável editar o conteúdo para incluir áudio, enquetes, GIFs, músicas, legendas e mais, mesmo que em pequena escala. Dessa forma, é possível introduzir a noção de mídia social multissensorial.

11. Experiências metaversas

Em 2023, as principais tendências em mídia social incluirão o uso cada vez maior de metaversos. O consumidor poderá experimentar criação e uso de avatares, foco em realidade virtual, aumentada e lojas virtuais, além de também poderem adquirir NFTs.

Saiba mais a respeito, nestes artigos:

A disputa entre empresas desse nicho também será cada vez mais evidente. Algumas marcas já estão aderindo, como a Bloomingdale’s, que lançou uma loja virtual durante a New York Fashion Week 2022.

A Nike, por sua vez, criou o NIKELAND, em que são oferecidos jogos esportivos, tênis NFT e acessórios de avatar. A Ferrari também se antecipou e lançou seu modelo 296 GTB para o Fortnite, antes de sua estreia física.

Por fim, a Starbucks oferece a seus membros o acesso a experiências imersivas de café por meio da compra de NFTs.

12. Vídeos curtos

O marketing está evoluindo e o vídeo segue como principal meio de conteúdo para marcas. Em 2023, os clipes fragmentados e não polidos serão os mais populares. O uso de celulares para gravar e editar conteúdos, como os Reels do Instagram, é uma excelente alternativa às campanhas caras com celebridades.

As marcas também podem contar com criadores de conteúdo nas plataformas de vídeo, como o TikTok, para gerar conteúdo de usuário (UGC) para suas campanhas. Para aproveitar bem a tendência, devem fazer parcerias com influenciadores de vídeo para amplificar mensagens relevantes para o público.

13. Marketing omnichannel

O omnichannel é uma tendência do varejo que visa a proporcionar uma experiência de compra única e inovadora ao consumidor. Trazendo todos os canais de uma empresa para um mesmo lugar, o objetivo principal é a integração entre o mundo digital e o mundo físico.

Isso possibilita que o usuário tenha acesso aos serviços da empresa em qualquer lugar, e a toda hora. Essa tendência é uma evolução do multicanal, pois é focada na experiência do cliente nos canais existentes de determinada marca.

Um exemplo prático são os aplicativos móveis, que combinam o layout do site com a temática interna das lojas físicas. Esse é o caminho certo para se alcançar a fidelização dos clientes: entender e executar corretamente o processo de omnichannel, pois dessa forma, é possível oferecer a eles uma experiência única e inovadora.

Descubra dicas importantes para navegar nessas tendências para redes sociais

Sua marca deve adotar práticas de negócios mais éticas, evitando alegações falsas ou exageradas. Dessa forma, compartilhe os bastidores de como seus produtos são fabricados ou mostre o que a empresa está fazendo para a sustentabilidade.

Demonstre o cuidado e o apoio que você oferece aos funcionários. Além disso, não tenha medo de se posicionar sobre questões importantes para seu público.

Ao usar seu alcance de mídia social para trazer à tona tópicos relevantes para seus clientes, você pode esperar elogios por sua atitude, bem como ganhar seguidores no Instagram, por exemplo.

Agora que você conhece as tendências para redes sociais em 2023, foque as mudanças dos algoritmos para priorizar a segurança dos usuários, tenha integração de recursos interativos que permitam a criação de conteúdo único, além de melhorias nos recursos de privacidade e controle de dados.

Espera-se que as plataformas de redes sociais continuem a inovar para oferecer ainda mais experiências gratificantes aos usuários, tornando-os mais conectados e criativos. Se deseja se aprofundar mais no assunto, sugerimos que baixe o Planejamento de Marketing para 2023.

O impacto do TikTok Shop para vendas online: tendências para 2023

O aplicativo chinês, que tinha como foco principal o mundo da música, mudou de nome em 2018 e começou a ameaçar grandes players das redes sociais. Em 2022, o TikTok tem mais de 1 bilhão de usuários e um dos seus principais diferenciais é que: você não precisa de uma enorme base de seguidores para viralizar conteúdos!

Por ser considerada uma das redes sociais mais democráticas da atualidade, logo começou a chamar a atenção das empresas. Por isso, o TikTok foi apontado como a plataforma digital com mais investimento de profissionais de Marketing em 2022.

Mas, além das possibilidades de promover uma marca, a rede social oferece integração com as melhores plataformas de e-commerce do mercado, oferecendo aos negócios virtuais mais um canal de vendas para ampliar as conversões.

Neste artigo vamos explicar o que é o TikTok Shop e como ele deve impactar as vendas digitais no Brasil em 2023.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

O que é o TikTok Shop?

O TikTok Shop permite que as lojas virtuais integrem sua infraestrutura com Open API e vendam seus produtos em todo o ecossistema da plataforma, como, por exemplo, o TikTok Shopping Ads, aumentando significativamente seu alcance e suas vendas.

Atualmente essa funcionalidade está disponível em mercados selecionados, como Reino Unido e a Indonésia, mas segundo informações do Neofeed o TikTok deve implementar sua estrutura completa de comércio eletrônico no Brasil. O país só fica atrás da China em números de usuários da plataforma, de acordo com a Statista.

O slogan do TikTok Shop — Where entertainment meets commerce — (onde o entretenimento encontra o comércio) já diz tudo, uma vez que mais de 37% dos usuários afirmam que estão dispostos a comprar no TikTok devido ao fator de entretenimento, segundo dados do Marketing Influence Factory.

Para os usuários, o TikTok é uma maneira divertida e fácil de matar o tempo, e com isso eles costumam fazer compras por impulso enquanto estão entretidos.

Além disso, como os usuários podem rolar rapidamente por um feed de conteúdo infinito (sem seguir necessariamente determinada página), as empresas podem se destacar e tornar seus produtos mais atraentes criando vídeos divertidos.

Mas essa não é a única vantagem de comprar no TikTok: veja abaixo.

Vantagens de comprar pelo TikTok

1. Personalização

A personalização, unida ao senso de comunidade e pertencimento, é outro trunfo do TikTok: por isso 21% dos usuários sentem que os produtos e conteúdos são feitos para eles ou alinhados com seus interesses. 

A plataforma oferece uma experiência de usuário altamente personalizada, e o algoritmo faz um ótimo trabalho de curadoria de conteúdo para cada usuário, mostrando exatamente o que ele quer ver. Isso torna mais fácil para as empresas atingir seu público-alvo com produtos e conteúdos relevantes. 

Assim, apostar em nichos é umas das estratégias mais recomendadas para usar o TikTok no e-commerce. Por exemplo, uma pessoa que gosta de cozinhar, ao ser impactada por um vídeo que ensina a fazer uma receita com determinado produto, pode se sentir instigada a comprá-lo para obter o mesmo resultado.

As empresas também podem participar de grupos referentes ao seu nicho. Foi graças ao BookTok, comunidade de leitores, bibliotecários e escritores, que em 2021 a indústria literária registrou um recorde de vendas, e para 2023 as comunidades de Receitas e Beleza prometem resultados similares.

2. Felicidade

Além de ser democrático, o TikTok é uma rede social feliz, sem o estigma da glamourização de outras redes sociais. Com isso, 20% dos usuários compram na plataforma porque os produtos e conteúdos simplesmente melhoram o seu dia. 

Essa é uma excelente aposta para marcas de beleza, por exemplo, que podem usar a plataforma para criar uma conexão emocional com os consumidores, além de obter simpatia do público.

Trabalhar com produtores de conteúdo que mostram como ficam felizes ao usar determinado produto pode ser uma estratégia certeira para aumentar as vendas. Mas a espontaneidade é fundamental!

Com todas essas vantagens você deve estar se perguntando: mas já é possível vender pelo TikTok no Brasil? E a resposta é sim, mesmo sem o TikTok Shop é possível usar o TikTok for Business para vender e promover os produtos da sua marca.

Como vender no TikTok For Business?

Em março de 2022, o TikTok disponibilizou integração com as plataformas Kyte, Loja Integrada, PrestaShop, Shopify, Tray e VTEX para facilitar as vendas online por meio do aplicativo.

Com isso, usando uma conta corporativa, as lojas virtuais conseguem integrar seus catálogos de produtos diretamente na plataforma e incluir esses produtos em seu conteúdos orgânicos.

Para 2023, serão disponibilizados links de produtos via TikTok Shopping, nos quais as marcas podem destacar um ou mais itens em um conteúdo orgânico, que direciona os usuários para as páginas de produto do e-commerce, da mesma forma que as tags de produtos no Instagram.

Por fim, as lojas virtuais podem usar o Live Commerce para se conectar com os usuários da comunidade em tempo real e compartilhar links dinâmicos para produtos e serviços enquanto o conteúdo é transmitido ao vivo. 

Mas tudo isso só vai funcionar se você souber como atrair a atenção dos usuários dessa plataforma, afinal eles recebem milhares de conteúdos por segundo.

Como atrair clientes no TikTok Shop?

Para se destacar no TikTok e atrair clientes para a sua marca é preciso:

  1. Apostar em um nicho específico e produzir conteúdos personalizados;
  2. Ficar de olho na concorrência e aprender com erros e acertos;
  3. Desenvolver um conteúdo criativo e que chame a atenção;
  4. Seguir as tenências de sons, músicas e hashtags;
  5. Ser parte da comunidade da rede social, consumir o conteúdo e conhecer a audiência,
  6. Apostar na criação de conteúdo dos usuários;
  7. Surfar a onda de um algoritmo que ainda está no auge de entrega de conteúdo;
  8. Experimentar e testar diferentes formatos de conteúdo;
  9. Combinar storytelling com as tendências por nicho e sons em diferentes tipos de conteúdo;
  10. Oferecer conteúdos com problemas que você pode resolver para o usuário.

Agora, se você ainda está se perguntando por que investir no TikTok em 2023, confira algumas novidades que a plataforma promete para melhorar a experiência dos usuários e das empresas no próximo ano.

Tendências para negócios no TikTok em 2023

O TikTok vai melhorar seu mecanismo de busca, então não é à toa que os especialistas em SEO já estão estudando como se destacar na plataforma.

Seguindo os passos do Google, a rede social já está testando a entrega priorizada de conteúdos locais, ou seja, os usuários já estão recebendo mais conteúdo de negócios locais ou criadores próximos.

A plataforma segue beneficiando pequenos e médios negócios, assim como micro-influenciadores, que ainda podem realizar parcerias de sucesso unindo marca, estilo pessoal, espontaneidade e criatividade. 

Como todas as redes sociais, a constância e a disciplina na produção de um conteúdo com foco no usuário são fundamentais para aumentar as vendas pelo TikTok, mas esse canal definitivamente deve estar no seu planejamento de 2023!

Artigo por Anna Carolina Neiva, especialista de conteúdo na edrone.