O poder do marketing de nicho para pequenas empresas B2B

O marketing de nicho para B2B se destaca como estratégia fundamental no mercado corporativo. Essa abordagem é especialmente crítica para pequenas empresas que visam solidificar sua marca e se posicionar com destaque em mercados mais específicos.

Ignorar o poder dessa estratégia é um passo para trás em um mundo onde o avanço contínuo é a norma. Afinal, sem ela, os negócios correm o risco de se tornarem obsoletos, deixando escapar o potencial de crescimento e a chance de se destacarem como líderes em seus respectivos nichos.

Neste artigo, vamos falar de marketing de nicho para transformar pequenas empresas B2B em líderes de mercado. Continue a leitura e veja como o seu empreendimento pode se destacar da concorrência!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Benefícios do marketing de nicho para B2B

Ao adotar essa estratégia no seu negócio, a sua empresa se foca em um segmento específico do mercado. Dessa forma, consegue atender de maneira precisa às necessidades únicas de um grupo bem definido de consumidores. A seguir, apresentamos algumas das principais vantagens de fazer esse investimento. Acompanhe!

Melhoria na segmentação e entendimento do público-alvo

Empresas B2B que adotam o marketing de nicho compreendem melhor as necessidades e preferências dos seus clientes. Com isso, conseguem criar experiências de compra personalizadas, que são cruciais nesse ambiente, em que as emoções e a conexão pessoal desempenham um papel significativo nas decisões de compra.

Aumento da relevância e autoridade no mercado 

Ao focar em um nicho específico, as empresas podem inovar e se diferenciar da concorrência, o que eleva sua relevância e autoridade no mercado.

Redução dos custos de aquisição de clientes

Com o marketing de nicho, as mensagens e ofertas podem ser adaptadas para atender às necessidades específicas do seu público-alvo. Isso leva a taxas de conversão mais altas, pois as campanhas são mais relevantes para a audiência. Com isso, o custo por aquisição de cliente tende a diminuir.

Personalização da mensagem e abordagem

Em um mercado saturado, onde a concorrência é intensa, a personalização da mensagem pode ser o diferencial que coloca sua empresa à frente. Esse processo envolve entender o seu público-alvo para criar companhas que ressoem diretamente com suas necessidades específicas e preferências.

Importância de mensagens personalizadas para nichos específicos

A personalização cada vez mais fundamental no marketing de nicho para B2B. E se você quer alcançar bons resultados com essa estratégia, é essencial oferecer conteúdo relevante e que ressoe com a sua audiência.

Para isso, algumas estratégias que podem ser utilizadas são:

  • uso de storytelling;
  • parceria com influenciadores do seu nicho;
  • fornecimento de conteúdos relevantes como webinars, ebooks e infográficos.

Dicas de como estabelecer conexões sólidas com stakeholders dentro de nichos

Essas conexões são essenciais para o sucesso de qualquer empresa B2B. Afinal, elas influenciam diretamente na construção de confiança e lealdade, pilares fundamentais para o crescimento sustentável dos negócios. Veja algumas dicas para fortalecer essas relações!

Entenda as necessidades dos seus stakeholders

O primeiro passo para construir um relacionamento sólido é entender profundamente as necessidades, desejos e desafios dos stakeholders no seu nicho de mercado. Dessa forma, você consegue oferecer soluções mais alinhadas com suas expectativas.

Estabeleça uma comunicação personalizada e consistente

Mantenha uma comunicação regular e personalizada com os stakeholders. Afinal, isso demonstra que você valoriza o relacionamento e entende as particularidades de cada um.

Construa relacionamentos de longo prazo

Foque em construir relações duradouras, em vez de buscar apenas transações pontuais. Isso envolve oferecer um valor contínuo e se mostrar disponível e receptivo às necessidades dos stakeholders ao longo do tempo.

Demonstre credibilidade e expertise

Para ganhar a confiança dos stakeholders, é crucial demonstrar sua competência e conhecimento no nicho. Isso pode ser feito por meio de conteúdo educativo, estudos de caso, e da apresentação de resultados que sua empresa já alcançou.

Marketing de conteúdo específico para nichos B2B

Na esfera B2B, especialmente em nichos específicos, o marketing de conteúdo assume um papel crucial. Além de ajudar a atrair clientes, solidifica a presença da empresa como uma autoridade confiável no mercado. Veja algumas dicas de como utilizar essa estratégia!

Desenvolva conteúdo relevante e valioso para o público-alvo

Primeiramente, é essencial identificar e absorver as particularidades do seu público. Afinal, saber o que move, interessa e desafia o seu nicho ajudará na criação de conteúdos que realmente ressoem com a sua audiência.

Aqui, a missão é criar conteúdos que vão além do superficial, oferecendo insights e soluções interessantes. Seja por meio de blogposts de qualidade, whitepapers detalhados ou webinars envolventes, o objetivo é nutrir os clientes com informações que os empoderem e os façam ver a sua empresa como uma autoridade no assunto.

Conheça o papel do marketing de conteúdo na educação e engajamento do nicho

O marketing de conteúdo atua como uma ferramenta para o engajamento estratégico do público B2B. Por isso, deve ser embasado em princípios de aprendizado e pedagogia empresarial, focando na aplicabilidade do conhecimento e no retorno sobre o investimento para o cliente.

Mas como medir esse engajamento? Por meio de alguns KPIs (Key Performance Indicators) como tempo gasto na página, interações com o conteúdo e conversões decorrentes de CTAs (Call to Action) educacionais.

Estabeleça sua marca como autoridade

Ao prover informações úteis e que trazem novas perspectivas e soluções, você eleva sua empresa a um patamar de liderança de pensamento. E é nesse ponto que a confiança e a credibilidade do seu negócio começam a se fortalecer.

Cultive relacionamentos duradouros

Por meio do conteúdo, a relação com o cliente ultrapassa a barreira da transação e se transforma em um diálogo contínuo. Afinal, quando você oferece conhecimentos de qualidade e relevantes, consegue manter a conversa viva e a fidelidade ao seu alcance.

Saiba mais sobre marketing de conteúdo nos artigos:

Dicas para se diferenciar da concorrência em cada nicho

Para desenvolver uma boa estratégia de marketing de nicho para B2B e se diferenciar da concorrência, é fundamental adotar uma série de ações estruturadas e baseadas em dados. A seguir, apresentamos algumas dicas. Acompanhe!

Analise os concorrentes

Utilize ferramentas analíticas para estudar a concorrência e identificar as lacunas no mercado que sua empresa pode preencher. Isso inclui a análise de palavras-chave, benchmarking de conteúdo e estudo dos canais de distribuição usados por concorrentes.

Os dados que a sua empresa possui junto à análises como estas, vão incrementar a sua busca para entender como seu negócio pode ser melhor e maior do que os concorrentes.

Ofereça conteúdo de qualidade

Crie e distribua conteúdo que demonstre expertise e visão de futuro. Blogposts, artigos técnicos, whitepapers e estudos de caso que abordam tendências emergentes ou oferecem novas perspectivas são essenciais para estabelecer sua liderança no mercado.

Invista em SEO e Marketing Digital

Otimize o seu site e conteúdo para os mecanismos de busca com foco em SEO para o seu nicho. Assim, o seu negócio consegue aparecer nas pesquisas relevantes direcionando especialmente para o público que deseja atingir.

Como você pode perceber, o impacto transformador do marketing de nicho para B2B é inegável. Afinal, ao focar em mercados específicos, o seu negócio pode se destacar da concorrência e solidificar a sua posição no mercado. Portanto, não perca tempo e busque se adaptar e inovar constantemente para alcançar resultados cada vez melhores no seu empreendimento.

Pronto para elevar seu negócio com estratégias que realmente funcionam? A WriteAccess é sua aliada ideal. Nosso time de freelancers está à disposição para potencializar seus conteúdos e diferenciar sua marca no mercado. Teste gratuitamente a nossa plataforma e dê o próximo passo em direção ao sucesso.

9 ferramentas essenciais para administrar uma equipe de freelancers remotamente

Trabalhar com uma equipe de freelancers oferece uma série de vantagens para as empresas, já que permite, por exemplo, ter excelentes profissionais localizados em qualquer local do mundo. Contudo, também há desafios, como a gestão desta equipe, o que torna fundamental conhecer ferramentas para administrar uma equipe de freelancers de maneira remota.

Afinal, qual é a melhor forma de administrar essa equipe? É possível mesmo gerenciar diferentes tarefas, delegar funções e controlar prazos com um equipe de freelancers remotos?

Neste artigo não apenas ressaltamos que tudo isso é possível e vantajoso, como também mostramos quais ferramentas ter em mãos para conquistar os melhores resultados com sua equipe.

Continue a leitura e descubra 9 ferramentas essenciais para administrar uma equipe de freelancers remotamente!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

1. Trello

Trello Logo

O Trello destaca-se como uma das principais ferramentas de colaboração online e gestão de projetos. Sua abordagem é baseada em cartões de tarefas dispostos em listas em um quadro que oferece uma excelente organização. O recurso de arrastar e soltar simplifica de maneira significativa o fluxo de trabalho.

Convidar colegas é uma tarefa fácil, podendo ser feita por nome de usuário, e-mail ou através de um convite via link. O painel oferece diversas opções de visibilidade, como privado, para a equipe, para a organização e público. A personalização da cor de fundo do painel também está disponível.

Os cartões no Trello podem ser designados a membros da equipe, categorizados e enriquecidos com checklists, prazos e arquivos. Além disso, a plataforma oferece a integração de power-ups ou add-ons, como Dropbox, Google Drive, Slack, entre outros.

Benefícios do Trello para equipes remotas

  • Possui interface intuitiva e é simples de usar;
  • Apresenta autenticação em dois fatores para todos os planos, incluindo o gratuíto. Ou seja, confere mais segurança para os seus projetos;
  • Tem templates prontas, que facilitam a otimização do fluxo de trabalho;
  • Possui versão web e apps, disponíveis tanto para Android como iOS;
  • É possível usar o Butler para automatizar tarefas, uma ferramenta própria disponível na plataforma.

2. WriterAccess 

Logo da WriterAccess

O WriterAccess é uma ferramenta completa, na qual é possível encontrar freelancers disponíveis, enviar tasks e se comunicar diretamente pela plataforma, seja por chamada de vídeo, e-mail ou mensagens de texto.

A plataforma possui uma caixa de mensagens que é bastante semelhantes com uma caixa de e-mail, o que permite a comunicação de forma simples, privativa e rápida, tudo dentro da própria plataforma.

Página de mensagens dentro do WriterAccess

Página de mensagens dentro do WriterAccess

O WriterAccess é uma plataforma de criação de conteúdo que proporciona não apenas os talentos (redatores freelancers, designers, revisores e outros), mas também as ferramentas e treinamentos essenciais para ampliar as estratégias de marketing de conteúdo

Com o suporte do WriterAcess, você pode expandir os horizontes do seu negócio ou agência, capacitando-se para dominar efetivamente o marketing de conteúdo e alcançar o sucesso definitivo online.

O WriterAcess é, portanto, um canal para empresas que desejam encontrar os melhores talentos para seus projetos e gerenciar tarefas de forma remota. Além disso, a plataforma também é ideal para freelancers, especialmente os que são especializados em conteúdo de nichos.

Conheça as vantagens

  • Plataforma completa, que proporciona não só gerenciar equipes, mas encontrar profissionais;
  • Comunicação privativa e profissional dentro da própria plataforma;
  • Gerenciamento de prazos;
  • Acesso aos melhores profissionais do mercado, incluindo redatores, revisores, designers e outros.

Acesse o site do WriterAcess e teste gratuitamente por 14 dias! Comece hoje mesmo a conquistar resultados com conteúdo autêntico, de qualidade e produzido por humanos e com o auxílio de IA.

3. Basecamp

Logo Basecamp

Logo Basecamp

Trata-se de uma plataforma abrangente de gestão de projetos que proporciona total colaboração e comunicação. É possível organizar o trabalho em projetos separados, incluindo informações sobre os participantes, tarefas, arquivos e discussões específicas.

A plataforma oferece ferramentas como um painel de mensagens para comunicados, um chat em grupo e um recurso de agenda, todos projetados para otimizar o fluxo de trabalho. Além disso, dispõe de funcionalidades como rastreamento de tempo e a capacidade de converter emails em listas de tarefas.

Conheça as Vantagens

  • Notificações personalizáveis;
  • Um painel de atividades para gestores e um menu de tarefas para usuários individuais;
  • Check-ins automatizados que facilitam a organização e detecção de problemas.

4. Google Drive

Ícone Google Drive

Ícone Google Drive

Integrante do G Suite, o Google Drive é um serviço de gestão de armazenamento em nuvem que permite aos membros da equipe armazenar, editar, compartilhar e acessar arquivos, especialmente documentos do Google como Docs, Planilhas e Apresentações.

Facilitando o monitoramento dos dados empresariais, o Google Drive concede aos administradores a capacidade de adicionar ou remover membros e personalizar permissões para arquivos específicos.

Além disso, o Google Drive oferece a sincronização de arquivos em diversos dispositivos, incluindo aplicativos para Windows, Mac, Android e iOS, com funcionalidades offline. Isso garante que a equipe possa acessar os arquivos de trabalho em qualquer lugar e a qualquer momento.

O plano Personal é gratuito e proporciona 15 GB de armazenamento, enquanto o G Suite Basic, com um custo de US$ 4,20 por usuário/mês, oferece 30 GB. Para o Drive Enterprise, o custo é de US$ 8 por usuário ativo/mês.

Conheça as Vantagens

  • Dados profissionais protegidos por meio de tecnologias atualizadas e confiáveis como Data Loss Prevention (DLP) e Google Vault;
  • Evita que a empresa utilize espaço em disco rígido para armazenamento;
  • Planos pagos são acessíveis;
  • A ferramenta de pesquisa permite encontrar arquivos rapidamente;
  • Compatível com mais de 100 tipos de arquivos.

5. Google Meet

ícone do google meet

ícone do google meet

O Google Meet é uma ferramenta de videochamadas que permite a realização de videoconferências com até 100 participantes. A plataforma é ideal para a realização de reuniões remotas e possui uma série de funcionalidades como legendas automáticas, compartilhamento de tela, agendamento de reuniões, chat, entre outras. 

Além disso, é possível agendar e participar de reuniões diretamente a partir de aplicativos do Google, como o Google Calendar, o que facilita a organização da rotina no dia a dia.

Também é possível gravar as videochamadas, incluindo o registro do chat. Este recurso está disponível para os planos premium.

Conheça as Vantagens

  • Permite o agendamento de reuniões e a criação de videochamadas instantâneas;
  • Compatível com outras funcionalidades Google, como Drive e Calendar;
  • Há pacotes que incluem recursos adicionais juntamente com outras ferramentas do Google, como armazenamento extra no Drive;
  • Interface simples e fácil de usar.

6. Slack

Ícone do Slack

Ícone do Slack

O Slack é uma das ferramentas mais amplamente reconhecidas no ambiente corporativo e entre equipes. Com recursos de mensagens instantâneas, permite a troca de mensagens em canais públicos dedicados a times e projetos, ou de maneira privada.

Embora a interface possa exigir um período de adaptação devido à abundância de opções e configurações, a navegação geralmente ocorre na barra lateral esquerda, onde estão listados os canais dos quais você faz parte, juntamente com a coluna de chat. Uma terceira coluna pode ser acionada para acompanhar conversas, explorar outros canais ou acessar detalhes adicionais.

O Slack oferece diversas opções de personalização para suas mensagens, permitindo a inclusão de links no texto, a criação de blocos de citação e a formatação de código, entre outras. Além disso, as mensagens no chat podem ser editadas conforme necessário.

A plataforma facilita o compartilhamento de arquivos, como imagens, documentos e vídeos, seja diretamente do seu computador ou do Google Drive. Além disso, é possível realizar chamadas de áudio ou vídeo com colegas de trabalho e compartilhar a tela durante as conversas.

Conheça as Vantagens

  • Integrado com diversos aplicativos, incluindo Gmail, Google Calendar, Office 365, Trello e mais de 2000 outros;
  • Oferece recursos de pesquisa, destaque e fixação de mensagens;
  • Disponível em versões para desktop, web e dispositivos móveis;
  • Garantia de segurança para suas informações e dados com autenticação de dois fatores e autenticação única (SSO) baseada em SAML;
  • Automatização de rotinas e comunicações através do Workflow builder.

7. GitHub

Ícone do Github

Ícone do Github

O Github é um serviço especializado em hospedagem de repositórios git, voltado principalmente para o controle de versão, especialmente no contexto de rastreamento de alterações em códigos. É uma das ferramentas de colaboração online mais amplamente adotadas por desenvolvedores.

Além disso, equipes de diversos setores podem empregar essa plataforma para a gestão de tarefas e monitoramento de sua execução. A disposição transparente dos projetos possibilita que gestores acompanhem o progresso de forma intuitiva.

A criação de “issues” para a equipe é uma funcionalidade importante, permitindo que sejam movidas para diferentes painéis e plataformas do projeto. Além disso, os colaboradores têm a capacidade de atribuir, comentar, adicionar links, inserir código ou encerrar uma “issue”.

Conheça as Vantagens

  • Oferece uma visão geral do repositório que apresenta tendências e dados de atividades;
  • Inclui recursos como marcos, páginas e wikis;
  • Repositórios privados e públicos sem limites;
  • Atualizações de segurança são automatizadas.

8. NextCloud

Ícone do Nextcloud

Ícone do Nextcloud

O NextCloud é uma plataforma de auto-hospedagem especialmente adequada para empresas que valorizam segurança adicional. Ao permitir o uso de dados em seu próprio servidor, minimiza vazamentos e outros riscos à segurança.

Essa ferramenta de colaboração online oferece a gestão centralizada de calendários, arquivos, e-mails, contatos, tarefas e uploads de mídia, proporcionando uma experiência unificada. Além disso, permite a criação, compartilhamento, comentários e edição de documentos em colaboração com membros da equipe.

Um painel de tarefas incorporado, semelhante ao Trello, possibilita a inserção de cartões de tarefas e sua atribuição a membros específicos. A integração de recursos de bate-papo e videochamada facilita a comunicação e a tomada de notas durante reuniões online.

Conheça as Vantagens

  • Interface intuitiva;
  • Possui versões desktop e mobile;
  • As funcionalidades também estão disponíveis nos apps;
  • Código aberto.

9. Canva

Logo do Canva

Logo do Canva

Graças à sua interface intuitiva de arrastar e soltar, repleta de modelos, o Canva possibilita que indivíduos não familiarizados com design ou iniciantes criem rapidamente gráficos de qualidade profissional.

Possui funcionalidades para equipes, como compartilhamento de projetos e atribuição de tarefas.

Conheça as Vantagens

  • Ferramenta de baixa complexidade para pessoas que não são familiarizadas com design;
  • Possui funcionalidades gratuitas e pagas, sendo que há planos disponíveis para equipes de até 5 membros;
  • Permite o uso de ferramentas de IA para criar imagens, editar e criar vídeos curtos;
  • É possível criar imagens, vídeos, gifs, pdfs, entre outros formatos.

Apesar da complexidade em gerenciar uma equipe de freelancers, seja ela remota ou não, o fato é que existem diversas ferramentas para tornar esse processo mais simples.

O WriterAccess é a plataforma mais completa para o gerenciamento de equipes remotas, principalmente com freelancers que irão ascender a sua estratégia de conteúdo ao máximo! Acesse o site e comece a criar conteúdo de alta qualidade hoje mesmo de graça por 14 dias!

O futuro do trabalho remoto: tendências e oportunidades para profissionais

O trabalho remoto é uma realidade desde antes do cenário pandêmico, que nos forçou a ficar em casa e explorar novas formas de trabalho. Contudo, após 2020, houve um boom nos números de trabalho remoto.

De acordo com dados do relatório sobre trabalho remoto da startup Revelo, essa modalidade de trabalho segue em alta mesmo após a pandemia. O estudo entrevistou 537 profissionais e 35 empresas e mostrou que houve um aumento de 434% no número de trabalhadores em home office.

Neste artigo, explicamos por que o trabalho remoto é importante, quais as tendências do home office para 2024 e as vantagens desse modelo. Mostramos também que ele tem sido o ideal pensando na entrada da geração Z no mercado. Continue conosco e saiba mais sobre o futuro do trabalho remoto!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Por que o trabalho remoto é importante?

Depois da experiência massiva com o trabalho remoto forçado por conta da pandemia, ficou nítido para os trabalhadores e empresas que há muitos benefícios em adotar o home office.

Estudos recentes mostram que ele vem contribuindo para a construção de uma relação mais saudável com o trabalho, aumentando os níveis de bem-estar e diminuindo o estresse.

Entre os benefícios para os funcionários, há um que é inquestionável: a economia de tempo. Especialmente em grandes cidades, nas quais o tempo gasto com o deslocamento é expressivo, a economia de tempo significa mais possibilidades de lazer, tempo de qualidade com a família e redução de gastos.

Para as empresas, além da marcante economia de recursos que são poupados com aluguel, vale-transporte e equipamentos, há um ganho com produtividade. De acordo com dados divulgados pela FGV, entre 2021 e 2022, a maior parte das empresas relata um crescimento na produtividade que fica entre 20 e 25%.

Apesar dos benefícios para empresas e funcionários, o Brasil e a América Latina no geral ainda não investem de forma expressiva no trabalho remoto. Ao contrário da Europa e dos EUA, países nos quais há uma abertura maior para o home office.

De acordo com dados recentes do IPEA, hoje, no Brasil, 20,5 milhões de trabalhadores estão em ocupações presenciais que têm potencial para o trabalho remoto ou ao menos híbrido. Isso significa que mais de 20% dos trabalhadores brasileiros poderiam desfrutar do home office.

Quais as tendências do trabalho remoto para 2024?

Como vimos, o trabalho remoto tem muito potencial e ele não está esgotado com a finalização da pandemia. O fato é que o cenário pandêmico acelerou uma tendência que já vinha crescendo antes de 2020 e mostrou aos trabalhadores e empresas os benefícios do regime home office ou híbrido.

A seguir, confira as tendências do trabalho remoto para 2024!

Geração Z entrando cada vez mais forte no mercado

De acordo com a Forbes, estima-se que a geração Z constituirá 23% da força de trabalho do mundo em 2024. Com ela em peso no mercado de trabalho, as empresas devem atentar às particularidades e aspectos geracionais desses trabalhadores.

Ainda de acordo com a Forbes, a geração Z é atualmente a que apresenta maior diversidade étnica, e mais de 50% tem origem não branca. Experimentando na pele os efeitos da discriminação étnica, essa geração chega ao mercado de trabalho com exigências de igualdade e bem-estar.

A geração Z também é amplamente relacionada ao potencial criativo. Como uma geração que cresceu conectada à internet e às redes sociais, são trabalhadores que estão familiarizados com a vida online e têm muito potencial para não apenas se adaptar ao trabalho remoto, como para propor soluções a possíveis problemas.

No geral, é uma geração pronta para encarar desafios e que já não se adapta aos modelos tradicionais de trabalho.

Experiências de trabalho cada vez mais humanizadas

A humanização do ambiente de trabalho tem estado em pauta há muitos anos. Com a oportunidade do trabalho remoto crescendo na pandemia, muitos trabalhadores e empresas perceberam uma melhora na produtividade justamente pelo bem-estar promovido por essa modalidade de trabalho.

Em 2024, essa tendência chega em peso às empresas. O foco é promover estratégias para equilibrar a vida profissional e pessoal. Com o trabalho remoto, o fato é que os trabalhadores têm mais autonomia para fazer seu horário, além de mais tempo para ter lazer, cuidar da saúde e realizar atividades prazerosas e saudáveis, como a prática de exercícios físicos.

As empresas têm percebido que funcionários satisfeitos, bem remunerados e com mais recursos de tempo reverberam esse bem-estar no ambiente de trabalho. Portanto, a cultura das empresas deve estar focada na qualidade de vida dos trabalhadores, respeitando os limites de cada um.

Na Rock Content consideramos as tendências de trabalho e observamos que o trabalho remoto é a modalidade com mais benefícios para nossos funcionários. Com isso, conseguimos expandir nosso time para o mundo todo, eliminando barreiras geográficas e gerando mais qualidade de vida para a nossa equipe. Hoje, todas as nossas vagas são remotas!

Semana de 4 dias de trabalho

A semana de 4 dias de trabalho já é uma realidade em algumas empresas no Brasil e no mundo. A ideia é construir um ambiente de trabalho livre de sobrecargas e potencializar a produtividade dos trabalhadores, que se tornam mais motivados nesses 4 dias.

Além disso, a semana de 4 dias de trabalho é uma resposta para a crise ambiental. Com menos veículos circulando e menor uso de recursos como energia elétrica, há uma redução no uso dos recursos naturais e diminuição da poluição.

Ambientes de trabalho com mais lazer

O trabalho remoto proporciona também o modelo híbrido, no qual os funcionários comparecem presencialmente alguns dias por semana ou apenas em momentos específicos.

Nestes encontros presenciais, o tradicional escritório com cores neutras e uma seriedade caricata perde espaço para ambientes com mais lazer. Novamente, o foco é o bem-estar dos trabalhadores, que podem descontrair durante intervalos e são motivados a estabelecer um clima amistoso com colegas de trabalho.

Flexibilidade

Por fim, a flexibilidade, seja de horário, seja eliminando as barreiras geográficas, também aparece como uma tendência.

Trabalhadores e empresas têm percebido que o rendimento no trabalho não é o mesmo todos os dias. É por isso que a possibilidade de fazer o próprio horário aparece como uma forte tendência. Além disso, a flexibilidade traz a possibilidade dos funcionários trabalharem de qualquer lugar do mundo, o que permite o nomadismo, uma tendência que existe há muitos anos.

Falando no futuro do trabalho remoto, a WriterAccess proporciona um modelo de trabalho que traz toda essa liberdade para os nossos freelancers, o que faz com sejam muito mais produtivos e entreguem trabalhos de qualidade. Faça um teste grátis da plataforma agora mesmo!

4 ferramentas essenciais para gerentes de marketing de conteúdo

Trabalhar como gerente de conteúdo requer não apenas habilidades estratégicas, mas também a capacidade de manter todas as engrenagens em movimento.

Dentro da equipe de conteúdo, enfrentamos o desafio de gerenciar vários projetos, acompanhar diversos KPIs e prestar suporte a várias equipes, tudo isso enquanto nos mantemos dentro do orçamento.

A boa notícia é que existem várias ferramentas à nossa disposição para ajudar a gerenciar tudo isso e garantir o desempenho da equipe. É exatamente isso que vou destacar neste artigo: 4 ferramentas que podem ser utilizadas na gestão de marketing de conteúdo.

Planilhas

Sim, a primeira ferramenta é uma das melhores aliadas de qualquer profissional de marketing.

É a plataforma onde realizamos backup e monitoramos nossos KPIs, elaboramos nosso calendário de conteúdo e conduzimos todas as exportações, auditorias de conteúdo e análises de dados.

Afinal, as planilhas são uma ferramenta incrivelmente versátil que pode resolver uma série de desafios.

É claro que elas não são a solução para tudo, e conforme o seu negócio evolui, é possível substituir o uso de planilhas por softwares mais avançados.

Mesmo assim, as planilhas continuarão sendo valiosas em muitas situações.

WriterAccess 

Não é nenhum segredo que o WriterAccess é a ferramenta fundamental na estratégia de marketing de conteúdo da Rock Content.

É a plataforma onde localizamos os melhores talentos para nos ajudar a escalar a nossa produção de conteúdo.

Além de ser uma ferramenta essencial para a produção de conteúdo, o dashboard que ela oferece simplifica consideravelmente a vida dos gerentes de conteúdo:

Em uma única tela, tenho acesso a informações valiosas sobre a produtividade da equipe e ao controle orçamentário.

Leia também: Escalando a produção de conteúdo na Rock Content

Google Analytics

Se você é um gerente de marketing que realmente se preocupa com o desempenho da sua estratégia, acompanhar os resultados do seu blog e site no Google Analytics deve ser algo que você faz quase automaticamente.

Por mais incrível que seja o conteúdo produzido pela minha equipe, no fim das contas, o que realmente importa é quantos resultados conseguimos gerar com nossa estratégia de marketing de conteúdo..

Leia também: Revelando insights: nossas primeiras experiências com o Google Analytics 4

Ferramentas de CRM e automação de marketing

Se no tópico anterior eu mencionei a importância de monitorar o desempenho da sua estratégia de conteúdo, aqui é onde você vai além.

O nível de relevância e impacto da sua equipe de conteúdo dará um salto significativo quando você começar a analisar não apenas o tráfego, mas também os resultados de negócios influenciados pela sua estratégia de conteúdo.

Quantas conversões o seu blog está gerando? Quantos leads qualificados (MQLs) estão surgindo? Quantos negócios estão sendo fechados? Qual é a contribuição do blog para o pipeline de vendas?

Trabalhar de forma próxima e colaborativa com a equipe de geração de demanda impulsionará você e sua equipe para o próximo nível.

Bônus: por que se tornar independente da equipe de TI e de desenvolvedores

Tudo bem, esse título pode ter sido um pouco exagerado, mas tenho um ponto importante a abordar.

Como gerente de conteúdo, é fundamental que você e sua equipe tenham a autonomia e agilidade para criar e lançar conteúdo novo e inovador.

Algo bastante comum nas empresas é a equipe de marketing depender de desenvolvedores que não fazem parte do departamento de marketing. Não me interpretem mal; eu gosto de desenvolvedores, mas se você não tem um desenvolvedor dedicado na sua equipe de marketing (o que é normal, já que isso pode ser custoso), as necessidades de marketing podem nunca se tornar uma prioridade.

É por isso que, se você deseja criar experiências de conteúdo na sua estratégia de marketing, a dica bônus é o Ion, a nossa ferramenta de criação de conteúdo interativo.

Antes de trabalhar na Rock Content, vi inúmeras ideias de conteúdo, como calculadoras e quizzes, acabarem no esquecimento devido à falta de priorização pela equipe de desenvolvimento.

Com o Ion, você pode capacitar sua equipe a criar e inovar na criação de um conteúdo rico sem precisar escrever uma única linha de código.

Leia também: Como criar conteúdos interativos mesmo sem saber HTML

Além disso, ao criar conteúdo interativo, você pode integrar perfeitamente a criatividade com a geração de demanda.

A dica bônus não é necessariamente uma ferramenta de gerenciamento, mas pode fazer diferença se você for um líder em busca de inovação na sua estratégia de conteúdo.

Converse com um de nossos representantes para descobrir como usar o Ion na sua estratégia de marketing.

O que é Legal Design, como funciona e quando utilizar?

O conceito de Legal Design tem recebido destaque nos últimos anos. Essa abordagem interdisciplinar consiste em aplicar conceitos do Design centrado em pessoas para tornar mais acessíveis, intuitivos e satisfatórios os serviços jurídicos, além de prevenir conflitos e melhorar a comunicação entre as partes. Não por acaso, o Legal Design também tem sido incorporado nas ações de marketing jurídico

Afinal, ao proporcionar melhores experiências aos usuários, permite construir autoridade na área e reter clientes. Mas, afinal, como aplicar o conceito na prática?

Neste artigo, abordaremos o que é Legal Design e como funciona. Não deixe de acompanhar o conteúdo!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

O que é Legal Design?

Em primeiro lugar, cabe esclarecer o conceito de Legal Design. Como visto, trata-se de uma abordagem interdisciplinar que visa criar e avaliar serviços jurídicos tomando como perspectiva a sua usabilidade, utilidade e eficácia. 

A partir da aplicação dos princípios do Design, busca-se melhorar a experiência do usuário em serviços jurídicos, tornando-os mais intuitivos, compreensíveis e personalizados. Em outras palavras, o conceito está totalmente relacionado à busca pela inclusão, acessibilidade e cidadania, temas caros ao Direito e cada vez mais valorizados pela sociedade. 

Recentemente, o próprio Conselho Nacional de Justiça (CNJ) tem adotado estratégias para promover uma linguagem mais simples nos órgãos do Poder Judiciário. Entre as iniciativas tomadas, está o incentivo para que os tribunais de justiça disponibilizem explicação do “juridiquês” em certas decisões judiciais. 

Quando utilizar o Legal Design?

Em linhas gerais, o Legal Design pode estar presente em todos os aspectos da vida jurídica. Ao contrário do que muitos pensam, embora aproveite os conceitos do Design, a abordagem não se restringe aos elementos visuais destinados ao usuário. Trata-se, muito além, de uma forma de perceber as necessidades do mercado e pensar como o serviço poderia ser melhor. 

Dessa forma, é possível garantir valor em cada entrega e engajar as partes envolvidas no compromisso com a relação jurídica. Nesse sentido, qualquer ferramenta capaz de simplificar processos e melhorar a usabilidade do serviço pode contribuir para a aplicação prática do Legal Design. 

Entre os exemplos cabíveis, estão a mudança nos padrões e modelos de contratos em grandes escritórios de advocacia e a reorganização do modelo de negócios em startups. A tendência é que, cada vez mais, o mercado abrace o conceito e busque tornar produtos e serviços jurídicos mais objetivos, concisos e claros. É claro, isso também pode envolver imagens e outros recursos visuais. 

Quais são os benefícios do Legal Design?

Um dos principais benefícios do Legal Design é, sem dúvidas, a melhoria da experiência do usuário. De certo modo, todos os aspectos da nossa vida são regulados pelo Direito. Do nascimento à realização de um inventário, todos precisaremos, em algum momento da vida, lidar com serviços jurídicos. Por outro lado, o que se observa é um grande abismo entre a sociedade e o Direito. Em grande parte, devido à tecnicidade da área de estudo. 

Com a aplicação dos princípios do Legal Design, por outro lado, o que se espera é trazer a sociedade para mais perto do universo jurídico. Quanto maior a compreensão sobre os serviços, mais sólidas se tornam as relações sociais e mais fácil é prevenir conflitos. Basta pensar em como contratos complexos podem gerar demandas judiciais por incompreensão dos termos.

Vale destacar que a aplicação do Legal Design não se limita aos serviços oferecidos por escritórios de advocacia, mas se estende às empresas que lidam com serviços relacionados. Por exemplo, organizações de tecnologia que precisam engajar usuários nos termos de uso ou varejistas que precisam fazer a gestão de fornecedores. Tudo pode ser revisto sob a ótica do Legal Design. 

Etapas do Legal Design

Agora que você já sabe como funciona Legal Design e quais os benefícios, acompanhe algumas etapas importantes para aplicar o conceito. 

1. Descoberta e Empatia

A etapa da descoberta é o começo da jornada, quando você se pergunta: “Qual problema preciso resolver?”. É o momento ideal para se colocar no lugar do usuário e entender como o produto ou serviço jurídico pode entregar maior valor. Sendo assim, explore possíveis dores das partes envolvidas na relação jurídica e defina os resultados que precisam ser alcançados. 

2. Interpretação e Definição

A segunda etapa pode ser entendida como uma extensão da primeira. Agora, a partir das informações e dores levantadas, você deve entender o problema sob todas as óticas possíveis e organizar os principais tópicos que serão aprimorados. Desse modo, é possível trabalhar com maior foco e gerar resultados efetivos. 

3. Ideação

Este é o momento em que você pode deixar a criatividade fluir e pensar como o problema identificado deve ser resolvido. Não há uma fórmula ou um caminho exato para propor soluções. Mas o resultado deve garantir uma melhor experiência ao usuário, promover praticidade e engajamento.

4. Prototipação

Após a fase de ideação, chega o momento de experimentar e construir um protótipo. A partir de então, é possível tornar a solução tangível e observar sua viabilidade. É importante lembrar que, assim como em outros projetos, o protótipo auxilia na redução de desperdícios, uma vez que permite corrigir erros e realizar ajustes em menor escala.

5. Testes e evolução

Por último, é preciso colocar à prova o protótipo. Aproveite para coletar feedbacks e perceber se o novo produto ou serviço jurídico resolve o problema identificado. Se necessário, opere melhorias e crie novos protótipos e testes para encontrar a melhor solução. 

Aplicações do Legal Design no setor jurídico

Muitos podem pensar em “Design” apenas como sinônimo de arte ou estética. Na verdade, o termo também se refere ao ato de pensar e propor soluções criativas. Não é por acaso que o Design Thinking é um processo que pode ser muito bem aproveitado no Legal Design.

Por meio dele, é possível estimular o pensamento crítico e olhar a solução pela perspectiva do consumidor ou do mercado para propor soluções dinâmicas. E, como visto, existem inúmeras formas e aplicações do Legal Design no setor jurídico. Confira a seguir alguns exemplos!

Visual Law

Como o próprio nome já indica, visual law faz referência à capacidade de visualizar, por meio de representações, dados e informações complexas. Para que isso seja possível, muitos profissionais se utilizam de recursos como:

  • ícones;
  • destaques;
  • linhas do tempo;
  • marcadores.

Essas e outras ferramentas permitem estruturar as informações e organizá-las, fazendo com que documentos densos e complexos sejam facilmente apreendidos. Mudanças simples de espaçamento e diagramação, por exemplo, têm o poder de tornar uma peça processual um documento de fácil leitura. Para ilustrar esse exemplo, considere as duas imagens a seguir. Imagine que ambas trazem as mesmas informações e abordam um mesmo conteúdo.

Qual deles você escolheria para ler?

Você certamente escolheu a imagem 1, não é mesmo? Não é por acaso. Recursos simples como infográficos, imagens e tabelas podem transformar completamente o serviço jurídico e torná-lo mais acessível e satisfatório.

Linguagem

A linguagem também pode transformar os serviços jurídicos em vários níveis. Desde o contato com o cliente até a elaboração de contratos ou a estruturação de peças jurídicas. É claro, nem sempre, é possível fugir de termos técnicos. Mas justificar conceitos complexos e prezar pela objetividade tende a ser benéfico tanto para os usuários quanto para os profissionais do Direito (juízes, promotores, defensores e assim por diante).

Isso porque a comunicação limpa e assertiva auxilia na promoção da confiança entre as partes, na agilidade da prestação de serviços e na prevenção de conflitos. Se necessário, utilize resumos, fluxogramas e outros recursos de suporte ao lidar com usuários que não compreendem termos técnicos. 

Veja, por exemplo, a página de Termos de Uso e Condições da Koin, que possui uma linguagem mais amigável e próxima dos usuários do site:

Recursos digitais

A tecnologia também tem sido grande aliada dos profissionais nas ações de Legal Design. Um exemplo bastante propagado no mercado são as plataformas de assinatura digital. Essas ferramentas proporcionam uma excelente experiência no fechamento de contratos a partir de tokens eletrônicos e certificações digitais.

Entre os benefícios trazidos pela solução, estão a agilidade no processo de documentação, a economia de recursos de deslocamento e a construção de interfaces intuitivas para gerenciar a relação jurídica. 

Gamificação

Por fim, entre os exemplos de Legal Design vale a pena mencionar a gamificação. Trata-se da integração de elementos lúdicos a fim de aumentar o engajamento com o serviço ou produto jurídico.

Por meio dele, é possível reter a atenção do usuário para informações importantes e estabelecer hierarquia na comunicação. A gamificação pode ser muito bem aproveitada nos produtos que se desenvolvem no ambiente virtual, uma vez que permite criar caminhos de interação contínua com o usuário.

Sem dúvidas, o Legal Design é uma abordagem capaz de transformar o mundo jurídico e torná-lo mais próximo do mercado e das necessidades dos usuários. A aplicação adequada do conceito tende a tornar os serviços mais ágeis e eficientes e proporcionar uma comunicação clara e precisa. Isso, é claro, melhora a experiência tanto para os profissionais do Direito quanto para o cliente final. 

Não é por acaso que o conceito tem sido cada vez mais explorado, não só por escritórios de advocacia mas também por departamentos jurídicos de grandes empresas. Afinal, o Legal Design também constitui uma importante abordagem para o marketing, capaz de trazer destaque para o produto ou serviço disponibilizado no mercado. 

Gostou do conteúdo? O que achou desse novo conceito no universo jurídico? Se você não quer ficar de fora dessa tendência, conheça os serviços de design especializado na área jurídica pela WriterAccess!

Looker Studio: Como utilizar a ferramenta para melhores análises no Google Analytics 4

O Google Analytics é uma ferramenta poderosa. Mas ela fica ainda mais poderosa quando você integra com outras plataformas que incrementam suas análises. Esse é o caso do Looker Studio, uma ferramenta que torna a análise de dados e a tomada de decisões mais eficientes.

Se você já está há mais tempo na área de métricas, deve lembrar do Google Data Studio. Se você não conheceu essa ferramenta, saiba que ela foi bastante útil para os profissionais de marketing na criação de dashboards e relatórios de dados mais atrativos e eficientes. Então, o Looker Studio nada mais é do que a atualização do Google Data Studio, com melhorias e novos recursos.

Neste artigo, vamos entender melhor o que é e como funciona essa ferramenta que pode se integrar ao Google Analytics 4 e potencializar suas análises. Acompanhe agora para saber como usar o Looker Studio.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

O que é o Looker Studio?

Looker Studio é uma ferramenta gratuita de business intelligence que oferece recursos para fazer análises de dados mais eficientes e criar dashboards atrativos, personalizáveis e interativos.

Nesta plataforma, é possível criar, analisar, explorar e compartilhar gráficos e relatórios, em colaboração com o seu time, com dados das mais diversas fontes e com atualizações em tempo real.

A ferramenta substituiu o antigo Google Data Studio, com atualizações e melhorias. Em 11 de outubro de 2022, o Google anunciou oficialmente: “Data Studio agora é Looker Studio”. A mudança ocorreu a partir da aquisição da ferramenta de análise de dados chamada Looker, concluída em 2020.

A partir daí, o Google trabalhou para unificar sua família de produtos de BI no guarda-chuva do Looker, entre eles o Data Studio, mas também tecnologias de inteligência artificial e aprendizado de máquina.

Dessa forma, o Google Looker Studio permite realizar análises de dados mais aprofundadas, principalmente com a possibilidade de integração com o GA4, que é a versão mais recente do Google Analytics.

Por que utilizar o Looker Studio no Google Analytics 4?

Na integração com o Google Analytics 4, o Looker Studio apresenta suas maiores potencialidades. Você vai perceber como as possibilidades de análises se potencializam com uma infinidade de recursos.

A seguir, vamos apresentar os principais benefícios de integrar o Looker Studio com o GA4:

Construir relatórios personalizados

O Looker Studio oferece diversos recursos para criar painéis personalizados, exatamente com os dados e a visualização que você desejar. Você pode adicionar dados, dimensões, filtros, funções, operadores e fórmulas personalizadas aos gráficos, além de tabelas dinâmicas, formas e controles para os visualizadores.

Dessa forma, você pode trabalhar livremente nos gráficos, de maneira menos engessada do que o Google Analytics apresenta. Além disso, os relatórios se tornam mais úteis e interessantes para quem interagir com eles, muito além dos gráficos do GA4.

Colaborar com pessoas do seu time no mesmo relatório

A ferramenta permite também a colaboração entre integrantes do time. Você pode convidar diferentes usuários para trabalhar junto nos dashboards e colaborar na criação e edição dos painéis.

As alterações feitas por qualquer usuário são salvas automaticamente, da mesma forma que ocorre no Google Docs, por exemplo. Dessa forma, as atualizações ocorrem em tempo real e ficam registradas no histórico de modificações. Além disso, toda a equipe tem acesso às informações em uma plataforma única e centralizada, que ajuda a evitar ruídos.

Integrar com outras ferramentas

O Looker Studio pode ser facilmente integrado com várias fontes de dados — são mais de 800 possibilidades de integração. Você pode integrar ferramentas de marketing digital que já utiliza e tornar os relatórios mais completos e úteis.

O Google Analytics 4 é uma dessas ferramentas que você pode integrar ao Looker Studio. Mas existem muitas outras plataformas para isso, não só da família do Google, mas também externas. Veja alguns exemplos:

  • Google Ads
  • YouTube
  • Planilhas do Google
  • BigQuery
  • Facebook Ads
  • Mailchimp
  • HubSpot
  • Semrush

Se a ferramenta que você utiliza não puder ser integrada ao Looker Studio, você ainda tem a opção de exportar os dados em um arquivo CSV e fazer o upload na plataforma. 

Obter uma visualização de dados mais atraente

Números e dados já podem deixar muita gente confusa… Se você apresentar relatórios estáticos, sem cor e sempre com os mesmos gráficos do Google Analytics, vai ser ainda mais difícil de entender e captar a atenção…

Então, o Looker Studio ajuda você a criar uma visualização de dados mais eficiente, atrativa e interessante. Você pode explorar diferentes tipos de gráficos, adicionar textos e imagens, customizar com a sua marca e dispor na tela como quiser.

Além disso, a ferramenta oferece uma visualização responsiva, que oferece uma boa leitura no celular ou qualquer outra tela, e permite que os visualizadores interajam com os dados, por meio de filtros e seleções personalizadas. Dessa maneira, os relatórios se tornam mais dinâmicos para visualização.

Como utilizar o Looker Studio?

Para começar a usar o Looker Studio, acesse o link da plataforma: lookerstudio.google.com. Você vai precisar de uma conta no Google, seja ela pessoal ou empresarial. Você vai perceber que a interface segue o padrão dos produtos do Google, portanto tende a ser bastante simples e intuitiva.

Vamos ver agora as principais ações que você pode realizar na ferramenta:

Criar relatórios

A principal ação do Looker Studio é criar relatórios. Não por acaso, está em destaque logo na visualização inicial da plataforma (imagem abaixo). Você pode criar um relatório em branco ou a partir de um modelo, ou ainda trabalhar nos painéis que foram compartilhados com a sua conta.

Interface do Looker Studio

Conectar fontes de dados

Para criar relatórios, você precisa coletar os dados de uma ou mais fontes. Então, outra ação importante no Looker Studio é conectar com fontes de dados que você utiliza. Ao clicar no botão “Criar” e, em seguida, “Fonte de dados”, você vai ver todas as opções de integração que a ferramenta oferece.

Transformar dados

Ao criar um relatório integrado a fontes de dados, você pode editá-lo de diversas maneiras. Apenas adicionar os dados não é suficiente — você deve trabalhar neles para transformá-los em informações interessantes para os visualizadores. Para isso, você pode aplicar funções, fórmulas, filtros e outros diversos recursos. 

Visualizar dados

Além de transformar os dados brutos em informações inteligíveis, você também pode explorar diferentes tipos de gráficos — tabelas dinâmicas, gráficos em barras, linhas, pizzas, mapas e outras diversas opções —, a fim de criar uma visualização mais interessante.

Compartilhar relatórios

Depois de criar o relatório, você pode compartilhar com outras pessoas do seu time, gestores, clientes e outros interessados. Assim como em outras ferramentas do Google, o convite pode ser apenas para leitor ou também editor do relatório. Além disso, você pode gerar um link de visualização, copiar o código de incorporação ou fazer download em PDF.

Interagir com relatórios

Com o link do relatório ou o código de incorporação, você pode publicar seu dashboard na internet ou compartilhar com quem quiser. Assim, as pessoas podem não apenas visualizar os dados, mas também interagir com eles e ter uma experiência mais interessante com o relatório.

Conecte o Looker ao GA4

Para integrar o Looker Studio ao Google Analytics 4, basta criar uma nova fonte de dados na ferramenta. Na página inicial da plataforma, clique no botão “Criar” e, depois, em “Fonte de dados”.

Nas opções de integração que aparecem, deve constar o GA4. Então, você deve autorizar o acesso do Looker à sua conta e propriedade no Google Analytics 4. Assim, os dados vão estar disponíveis para serem transformados em relatórios.

Você pode ver uma explicação mais completa neste vídeo do Métricas Boss, que traz mais detalhes sobre essa integração. Neste link do Suporte do Google, você também pode ver as orientações do Looker Studio para conectá-lo ao GA4.

[embedded content]

A extração e a análise de dados são atividades fundamentais no marketing atual. O Google Analytics sempre foi uma ferramenta aliada a quem trabalha com métricas. Mas você deve ter percebido que o poder das métricas e análises aumenta ao integrar a ferramenta com o Looker Studio.

Agora que você já sabe como usar o Looker Studio, é só integrar a plataforma às suas fontes de dados, incluindo o GA4, e começar a explorar os dados e relatórios.

Agora, conheça também o poder do WriterAccess, uma plataforma que reúne os melhores talentos freelancers — designers, redatores, copywriters, editores e tradutores — para a sua estratégia de marketing.

Mudar de carreira em 23 horas: as respostas que você precisava

Depois que divulgamos o artigo “Como conseguir emprego na melhor equipe de marketing do Brasil em 23 horas”, fomos surpreendidos por uma repercussão muito maior! Muitas pessoas entraram em contato comigo via LinkedIn, ou email, e recebi mensagens muito legais.

Poucos meses atrás, eu estava passando pela terrível fase de indecisão sobre mudar ou não o rumo da minha carreira. Agora, estou recebendo perguntas e mensagens dizendo que ajudei a renovar suas esperanças. Eu acreditava que fazer cursos online estava fazendo um bom papel em me manter motivado, mas não existe motivação maior do que essas mensagens!

Assim, em primeiro lugar, muito obrigado por todos os contatos que recebi! Agora, vou tentar retribuir respondendo as dúvidas e perguntas que me fizeram. Algumas foram tão boas e pertinentes, que resolvi tentar respondê-las no mesmo nível, escrevendo este post.

Antes de começar, quero deixar claro que estou muito, mas muito longe de ser especialista em carreira ou recolocação. Para isso, temos autores convidados como Matheus de SouzaMurillo LealTais Targa e Michel Lent.

Mas prometo que tenho alguns insights que irão te ajudar, caso você esteja na dúvida sobre mudar o rumo de sua carreira.

Então leia até o final, que vou te ajudar a definir se está na hora de buscar novos desafios!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Por que trabalhar numa startup?

Há algum tempo, eu vinha mirando e sonhando com um emprego em uma startup. Inicialmente na área de engenharia ou gestão de projetos e, posteriormente, em marketing. Isso porque a cultura dessas empresas é fascinante e inovadora!

É muito comum vermos diretores ou gestores de estabelecimentos tradicionais utilizarem o discurso de “vestir a camisa da companhia”. Em startups não. Sabe por quê? Porque essa ideia já é inerente à ideologia destas empresas e de seus funcionários. As pessoas se esforçam e se ajudam no dia a dia não para chamar a atenção do chefe e ser promovido, mas para aprender coisas novas, bater metas e evoluir profissionalmente!

Literalmente, você vai aprender algo novo todos os dias e isso não é mito nem exagero. O que é mito é a ideia de que startups são ambientes bagunçados, pouco sérios e instáveis. Muito pelo contrário, você assume muitas responsabilidades e seu trabalho causa impacto direto no desempenho dos seus colegas e da empresa!

Assim, faça seu trabalho bem feito que certamente ele será notado e recompensado. Ou seja, uma startup é o local ideal não apenas para começar uma carreira, mas também para você crescer profissionalmente!

Se você quer aprender a trabalhar em equipe de verdade, aprender e crescer na carreira, já sabe onde trabalhar, não é? Mas como saber se você está trilhando o caminho correto?

Como saber se estou na direção certa?

Essa é facilmente a pergunta mais difícil que já ousei responder.

Muitas vezes nos perguntamos se tomamos a decisão correta e, quando essa decisão pode afetar nossa carreira, o medo, a dúvida e a incerteza se tornam atormentadores! Mas a grande questão é não deixar a indecisão te impedir de agir.

A grande maioria dos especialistas em carreira e empreendedores nos orientam a traçar um grande objetivo e fazer o que for possível para alcançá-lo. Mas e se você não tiver um grande objetivo? O que fazer?

É exatamente nesse ponto que tudo se complica. Mudar o rumo da sua carreira pode representar um passo a frente, mas também pode ser um passo atrás. Como saber?

Para conseguir te responder, vou fazer um insight da melhor resposta que já encontrei sobre isso, que se encontra numa carta escrita por Hunter S. Thompson.

Em algum momento na vida, todos temos que decidir entre nadar rumo a um objetivo ou simplesmente ficar à deriva e ver para onde seremos levados. Conscientemente ou não, todos nós tomamos essa decisão.

E se você não tem um objetivo tangível muito bem traçado, pode ser melhor ficar à deriva e ver até onde o rio te leva. Se não for a direção certa, você ainda poderá apreciar uma jornada interessante e terá tempo de perceber e corrigir seu trajeto. Muito melhor que nadar cegamente rumo a um precipício, não acha?

Atenção! Não estou dizendo para você se acomodar e não fazer absolutamente nada, mas para você seguir o fluxo que lhe parecer mais interessante.

Além disso, você pode se beneficiar muito de seguir mais de uma carreira em aspectos como: desenvolver uma base de conhecimentos variados, ampliar sua rede de contatos e sua capacidade de inovação.

Por outro lado, nada é definitivo. Então, nada te impede de voltar para sua carreira anterior após alguns anos (ou meses). Na pior das hipóteses, você terá uma grande experiência de vida e algumas linhas incomuns em seu currículo. Você acha que um engenheiro especialista em marketing seria um aspecto positivo ou negativo?

Realização pessoal e profissional

Outra pergunta que também fizeram bastante foi: mas você está realizado profissionalmente? E pessoalmente?

Qualidade de vida não tem preço. Por mais óbvio, clichê e repetitivo que possa soar, essa é a mais pura verdade. De que adianta buscar a realização financeira e ser infeliz?

A realização pessoal está muito mais ligada ao estado de espírito e à felicidade. Trabalhe com algo que você goste e esteja cercado por pessoas boas que ela vem instantaneamente.

Já fiz estágio em algumas áreas da engenharia elétrica que me interessam demais, mas nunca havia me sentido tão bem quanto agora na Rock.

Por outro lado, a realização profissional vem com o tempo e, independente da área de formação, acredito que um recém-formado  que se sente realizado profissionalmente deve se preocupar. Pois isso se chama comodismo. Somente com vários anos de experiência e conquistas é que começaria a pensar nesse termo.

Porém, um aspecto válido a se levar em conta é a perspectiva de crescimento de carreira. E nesse ponto, eu não poderia estar mais satisfeito. Sabe por quê? Lembra da cultura das startups que te falei? Pois é, ela garante que você irá aprender algo novo todos os dias. E isso é fenomenal para evolução profissional e motivação.

Mas por que marketing?

O que o marketing tem de tão especial?

Em primeiro lugar, acredito que todas as pessoas deveriam aprender marketingpor ser uma área que estimula demais a criatividade, a capacidade de interação social e de se reinventar, já que é uma indústria em constante mudança.

Se apenas isso não te convenceu: atualmente, eu conheço três maneiras de revolucionar a receita e o desempenho de uma empresa. São eles:

  1. Gerenciamento de projetos (metodologias como Lean Manufacturing e Six Sigma);
  2. Consultoria estratégica;
  3. Marketing!

Todos os três apresentam pontos positivos e negativos, mas não pretendo entrar nesses méritos. Porém, você já tentou aprender sobre métodos de consultoria estratégica e gerenciamento de projetos?

Ok, é possível encontrar muitos materiais interessantes e aprender a partir deles. Mas o ponto crucial é que os maiores especialistas dessas áreas não têm interesse em te ensinar as principais técnicas que eles usam no dia a dia. Isso porque eles não se preocupam em educar a sua audiência, ao contrário do marketing de conteúdo!

Te desafio a encontrar um blog sobre consultoria estratégica tão rico e detalhado quando o Marketing de Conteúdo!

E se você ainda não acredita que o marketing pode transformar uma empresa…

Transformar o impossível em realidade

Não sei se você já conhece o blog Inteligência Rock Content. Ele foi criado em Abril de 2017, para fornecer informações e estatísticas de mercado, para que a Rock Content pudesse se transformar em referência de dados.

Sete meses depois, o blog passou de zero para 58.000 sessões! Agora imagine a autoridade e a divulgação de marca que isso poderia gerar para uma empresa que ainda não investe em marketing.

Espero que esse post tenha ajudado a esclarecer as suas dúvidas. Caso contrário, pode deixar um comentário que responderemos da melhor forma possível! Quem sabe com uma versão 2.0 deste texto.

Mas sem desespero. Buscar novos rumos é sempre um assunto bem difícil de lidar. Pode (ou não) ser uma escolha certa e você somente descobrirá com o tempo. Mas te garanto que vai contribuir demais com sua evolução profissional e sua capacidade de aprender coisas novas. Hoje já me sinto muito bem preparado para trabalhar com engenharia e marketing, mas também disposto a desbravar novas áreas de conhecimento. Por que não?

Mudar de carreira foi a solução ideal para mim e também pode ser para você. Mas caso ainda esteja inseguro para mudar completamente de área, temos um material excelente para te ajudar a se recolocar e avaliar suas opções. É só baixar o nosso ebook Pós-graduação e Recolocação Profissional.

Inteligência Artificial e o Mercado de Trabalho: como ter destaque na sua carreira?

A presença da inteligência artificial (IA) no mercado de trabalho está cada vez maior, e afetou vários aspectos da nossa vida profissional e causou insegurança nas pessoas. Afinal, a IA surpreende a sociedade com a sua potencial habilidade em substituir humanos em diferentes atividades, promovendo agilidade nas tarefas e minimizando erros que são comuns aos indivíduos.

Desse modo, um questionamento tem passado nos pensamentos de muitos profissionais sobre se a IA vai “tomar” o emprego deles? No entanto, para responder isso a consultoria McKinsey em 2017 trouxe uma previsão de que até 2030 de 8 a 9% da força de trabalho global terá novas ocupações. Sendo assim, para saber mais a respeito leia o artigo abaixo.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Veja o impacto da inteligência artificial no mercado de trabalho

A inteligência artificial apresenta um impacto significativo no mercado de trabalho, afetando diversos setores e profissões. De maneira geral, com a automação e a capacidade de processamento de grandes volumes de dados, inúmeras tarefas que antes eram realizadas por humanos, agora, são feitas por máquinas com mais agilidade e eficiência.

Por exemplo, a automação de processos de produção tem fabricado mais produtos com menos trabalhadores. Já nas áreas como atendimento ao cliente, chatbots e assistentes virtuais estão reduzindo a necessidade de atendentes humanos.

Entretanto, a inteligência artificial também pode criar oportunidades de emprego, principalmente os setores de análise de dados e desenvolvimento de soluções de inteligência artificial. Ou seja, o machine learning criou uma demanda crescente por profissionais capazes de desenvolver e gerenciar sistemas de aprendizado de máquina.

Embora a IA possa substituir algumas funções humanas, ela também abre oportunidades de trabalho e ajudar a aumentar a produtividade e a eficiência em diversas áreas.

Por isso, o importante é que tanto empresas quanto profissionais se preparem para lidar com as mudanças que a tecnologia tem trazido para o mercado de trabalho. Desse modo, confira a seguir outras transformações relevantes.

Ferramentas de contratação

Existem ferramentas inteligentes que estão sendo empregadas no processo de seleção de candidatos e que faz a diferença no processo. Por exemplo, botões de autopreenchimento e chatbots, que não precisam de interação humana e são controlados por um robô que responde às perguntas dos pretendentes ao cargo.

Isso significa que eles podem tirar suas dúvidas sobre a descrição da vaga, usando apenas um botão. Com a ajuda da IA, o sistema aprende com as perguntas e expande as possibilidades das respostas.

Avaliação de candidatos

Quando há muitos candidatos para avaliar, fica difícil a empresa realizar uma avaliação eficiente e adequada de cada um. Ainda mais se o processo for manual, pois ele é caro e demorado, o que significa que a empresa possa ter que realizar por partes em um período maior.

Inclusive, o julgamento do recrutador é fundamental para uma contratação adequada, entretanto, o uso da inteligência artificial auxilia nessa análise para evitar erros.

Visto que, analisa as habilidades dos candidatos e compara-as com os requisitos essenciais do perfil e da vaga requisitada. Também, o sistema cria simulações que comparam o perfil do candidato com aquele idealizado pela empresa. Além disso, utiliza tarefas como exercícios, testes e análises de formulários.

Essa gamificação é um conceito cada vez mais utilizado em Recursos Humanos porque envolve as pessoas, testa suas habilidades, resolve problemas e melhora o aprendizado. Sobretudo, propõe problemas cotidianos para cada cargo, a fim de avaliar as habilidades do candidato.

Processos seletivos

Mesmo que a inteligência artificial ofereça diferentes soluções tecnológicas para otimizar o processo de seleção e gerenciar o capital humano das empresas, ainda há a dependência do recrutador. Sendo assim, ele pode fazer uso das ferramentas para classificar melhor os candidatos, bem como, torná-los mais produtivos.

Plano de carreira

Conforme mencionado anteriormente, a inteligência artificial não se limita apenas ao processo de seleção. Há outras demandas de RH que exigem o uso de tecnologias inteligentes como demissão, promoção, capacitação e desenvolvimento, recolocação, estagnação, aposentadoria, entre outros.

Visto que, é comum que os profissionais mudem de emprego, empresa ou função ao longo de suas carreiras. Principalmente, a geração Millennial que tende a trocar de trabalho com mais frequência que as demais gerações anteriores.

Por isso, que os especialistas em recrutamento necessitam ter planos de carreira e mapear a trajetória de desenvolvimento profissional de seus colaboradores. Somente assim, oferecerão mais possibilidades para retê-los na empresa.

Nesse sentido, os algoritmos de IA auxiliam ao:

  • encontrar estratégias de planejamento de carreira;
  • avaliar o desempenho de cada um;
  • prever mudanças à medida que a empresa se desenvolve;
  • indicar a progressão de cargas e atendimentos;
  • usar os objetivos profissionais e visões de trabalho dos colaboradores para desenvolvimentos mais assertivos, etc.

Saiba como a inteligência artificial pode ajudar na sua carreira

Com o avanço da tecnologia, a inteligência artificial já faz parte do mundo corporativo. E não apenas no processo seletivo, mas em várias etapas da carreira profissional. Desse modo, vamos apresentar algumas formas de como a IA pode auxiliar na sua carreira.

Construção de um bom currículo com palavras-chaves

Saber fazer um currículo que chame a atenção dos recrutadores é fundamental para qualquer pessoa que está em busca de um emprego. Nesse caso, para destacar a carreira com a inteligência artificial ela deve ser sua aliada, especialmente quando se trata da escolha das palavras-chave corretas para cada área de atuação.

Isso porque ela consegue identificar os termos mais relevantes para cada função e adequar o seu currículo conforme as demandas do mercado.

Tarefas repetitivas

Outra maneira de ajudar é por meio da automação de tarefas repetitivas como organização de arquivos, preenchimento de planilhas e até mesmo envio de e-mails. Uma vez que você delega essas tarefas para a IA, economizará tempo e energia para se dedicar a outras mais complexas e estratégicas.

Análise de dados

A análise de dados é uma área que ganha muita relevância em todos os setores de atuação. Pois, analisa grandes volumes de dados em tempo recorde e identifica padrões que seriam impossíveis de serem encontrados manualmente. Essa habilidade é útil para diversas atividades, desde a elaboração de estratégias de negócios até a identificação de problemas em processos internos.

Personalização

A personalização é uma tendência forte, inclusive na carreira profissional. Porque personaliza diversos aspectos da sua carreira, desde o planejamento de treinamentos e capacitações até o desenvolvimento de habilidades específicas. A IA avalia seu perfil e cruza as melhores opções de acordo com seus interesses e objetivos.

Novos conhecimentos

Por fim, a IA também proporciona que você adquira novos conhecimentos e habilidades. Existem muitas plataformas de e-learning que utilizam a inteligência artificial para personalizar o aprendizado conforme as necessidades e objetivos de cada aluno.

Além disso, é aliada na identificação de oportunidades de treinamento e desenvolvimento, segundo as demandas do mercado e as habilidades de cada profissional.

Descubra o trabalhador de novas profissões

Como já foi anteriormente, a inteligência artificial no mercado de trabalho não apenas melhora a eficiência em tarefas cotidianas, porém abre portas para novas oportunidades de trabalho. Dentre elas, podemos destacar:

  • Especialista em IA – profissionais que desenvolvem algoritmos e sistemas de IA para solucionar problemas específicos;
  • Cientista de dados – especialistas que coletam, processam e analisam grandes volumes de dados para obter insights úteis para a empresa;
  • Engenheiro de dados – que projetam e implementam arquiteturas de armazenamento e processamento de dados para analisar e gerenciar informações relevantes;
  • Especialista em segurança cibernética – que cria sistemas de segurança para proteger informações importantes e evitar ataques cibernéticos;
  • Especialista em automação de processos – profissionais que desenvolvem soluções de automação de processos usando IA para reduzir o tempo e o custo de execução de tarefas;
  • Especialista em robótica – que projetam e desenvolvem robôs e sistemas robóticos para diversas aplicações, como manufatura, saúde e transporte;
  • Engenheiro de aprendizado de máquina – desenvolve algoritmos de aprendizado de máquina que permitem a elas aprenderem e se adaptarem a novos dados e informações;
  • Especialista em chatbot – que desenvolve sistemas de atendimento ao cliente baseado em IA para interagir com os clientes e fornecer suporte.

Deve-se lembrar que a IA já está impactando diversas áreas de trabalho e vai evoluir, portanto, é crucial se mantido atualizado e adaptável em um mundo cada vez mais tecnológico e controlado.

Enfim, a presença da inteligência artificial (IA) no mercado de trabalho tem afetado diferentes setores e profissões, o que tem causado insegurança nas pessoas e vários questionamentos. Embora, a IA possa substituir algumas funções humanas, também abre oportunidades de trabalho e auxilia numa maior produtividade e eficiência em diversos negócios.

A automação e a capacidade de processamento de grandes volumes de dados permitem que inúmeras tarefas sejam mais eficientes e ágeis.

Além disso, a IA está sendo usada em ferramentas de recrutamento, avaliação de candidatos, processos seletivos e plano de carreira. Nesse caso, tanto empresas quanto profissionais devem se preparar para lidar com as mudanças que a tecnologia traz para o mercado de trabalho, de forma a aproveitar as oportunidades e minimizar os efeitos negativos.

Por exemplo, confira as soluções de inteligência artificial da Rock Content para facilitar o seu trabalho de marketing de conteúdo e faça o seu negócio crescer cada vez mais.

Como fazer uma autoavaliação: 9 dicas imperdíveis para montar a sua

Pode parecer um clichê batido e repetitivo, mas alcançar nosso melhor diariamente é uma necessidade. Mais que isso, para muitos, é um desafio. Afinal, evoluir significa não só potencializar o que você já é bom, mas preencher suas lacunas e corrigir erros. Para isso, antes de tudo, é preciso saber como fazer uma autoavaliação.

Você, entretanto, já deve ter percebido que não é algo simples. Até sabemos nossos erros, falhas e pontos de desenvolvimento, mas qual é realmente o impacto de cada um desses fatores em nossas vidas profissionais? O problema pode ser ainda maior para freelancers. Afinal, sem uma liderança, não conseguimos ter feedbacks estruturados com frequência, e isso deixa tudo mais nebuloso.

Sabendo que esse é um assunto importante e de interesse de milhares de profissionais autônomos, vamos dedicar este post para falar sobre autoavaliação. O conteúdo passará pelos seguintes tópicos:

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Aproveite!

O que é autoavaliação?

Autoavaliação é uma prática que consiste em tecer uma análise sobre si próprio do ponto de vista profissional, apontando pontos positivos, melhorias a serem feitas e problemas a serem corrigidos.

Esse exercício pode ajudar pessoas a criarem planos de autodesenvolvimento para conseguirem ser ainda mais competentes em seus trabalhos por meio da autocrítica.

Naturalmente, a autoavaliação precisa estar acompanhada de um desejo genuíno de evolução. Isso passará por uma etapa pouco confortável para alguns, que é o momento de avaliar erros, dificuldades e problemas. Porém, é importante perceber que essa é a parte mais enriquecedora do exercício. Afinal, da análise sobre si próprio será possível buscar melhorias significativas.

A autoavaliação é constantemente solicitada em processos seletivos e até mesmo nas rotinas de avaliação do profissional dentro de empresas. No entanto, poucos profissionais podem aproveitar tanto de uma autoavaliação como os freelancers.

Sem liderança direta, essas pessoas precisam se autogerenciar, o que também deve incluir um entendimento sobre desenvolvimento profissional.

Por que é importante fazer uma autoavaliação?

Mais do que saber como fazer uma autoavaliação, muitas vezes precisamos saber o motivo de realizá-la. E isso é ainda mais relevante quando você está em um bom momento profissional. Afinal, é a hora de perceber quais pontos positivos estão impulsionando sua carreira para a profissionalização e, a partir disso, eliminar, corrigir e desenvolver os outros fatores um pouco mais problemáticos

De um modo geral, as autoavaliações podem nos trazer mais consciência sobre como atuamos profissionalmente, o que é ainda mais valioso para os freelancers. Por isso, listamos alguns bons motivos para você fazer a sua análise.

Maior consciência sobre si enquanto profissional

Como seres humanos, estamos constantemente interessados em saber quem somos, do que gostamos, como nossa personalidade influencia em nossos comportamentos, entre outros pontos. Já profissionalmente, é comum termos medo de encarar alguns fatos. E isso, naturalmente, não precisa ser algo na sua vida. Afinal, só podemos melhorar aqueles problemas que conhecemos.

Para o freelancer, ter maior consciência de si enquanto profissional ajuda a entender suas qualidades e habilidades, por exemplo, que vão determinar o preço do seu trabalho. Isso evita que essas pessoas entrem em contratos de prestação de serviços muito defasados. Da mesma forma, a autoavaliação traz a consciência sobre o que ainda precisa ser melhorado, algo totalmente normal!

Capacidade de ter um desenvolvimento autônomo

Nas empresas, os planos de carreira são ótimos medidores do momento atual de um profissional, uma vez que determinam projeções com metas a cumprir. Ou seja, para chegar ao próximo nível, o colaborador precisa desenvolver habilidades, alcançar metas, entre outras entregas. Mas isso nem sempre é claro para o freelancer, o que pode prejudicar sua trilha de desenvolvimento.

Com ajuda da autoavaliação, o horizonte de crescimento fica muito mais claro para quem não está numa estrutura corporativa como funcionário.

É sim muito possível e viável visualizar uma carreira enquanto freelancer, mas claro, desde que esse desenvolvimento seja planejado. A autoavaliação será de grande ajuda para entender seu momento atual e projetar o futuro.

Preencher possíveis lacunas na qualificação

Todos nós temos algo a melhorar na nossa qualificação profissional. Seja uma ferramenta que você não entende tanto como operar, seja seu comprometimento, cada um sabe onde o calo aperta. E isso não é algo que deveria fazer você sentir culpa. Mas claro, se você percebe a necessidade de melhorar nesses pontos, ótimo. Esse é um bom início para se desenvolver.

Neste contexto, a autoavaliação vai servir como uma ferramenta para que você pontue em quais questões precisa de mais atenção, esforços e preparo. Essas lacunas podem ser preenchidas no seu tempo, com os recursos que você tem, mas o importante é saber quais são e quanto geram de impacto. Depois disso, você precisa se organizar para buscar seu desenvolvimento nesses aspectos.

Leia também:

Corrigir hábitos ruins e erros enquanto profissional

Alguns hábitos também podem contribuir para que um profissional tenha uma avaliação pouco positiva sobre si próprio, mas o importante é que elas sejam pontuadas. Como ninguém é perfeito, você certamente conseguirá detectar esses comportamentos e práticas na sua rotina que vicie sabe melhor que ninguém que não são bons. Acontece, mas é importante lutar contra eles.

Aqui, mais uma vez, a autoavaliação é somente uma plataforma para que você consiga as informações que precisa. Tudo dependerá da sua capacidade de ter transparência, sinceridade e honestidade consigo. Esse é o caminho para identificar erros e traçar estratégias para corrigi-los.

Como fazer uma autoavaliação? Confira 9 dicas!

Quer saber como fazer uma autoavaliação? Ajudamos! Confira as 9 dicas essenciais que separamos para ter resultados concretos e um bom plano depois da análise!

1. Defina de quanto em quanto tempo

Primeiramente, você precisa determinar a periodicidade das autoavaliações que fará. Isso é importante para garantir que sempre trabalhará em prol da sua melhora enquanto profissional.

É comum realizar, minimamente, de seis em seis meses. Mas você pode também reduzir esse tempo para um período trimestral. Anualmente, talvez, seja um espaçamento muito grande, o que pode prejudicar a mensuração dos resultados e dar margem para relaxamento.

2. Liste pontos fortes

Primeiramente, comece pela parte mais confortável. Você vai listar todos os pontos positivos que enxerga em si enquanto profissional. Nesse caso, coloque tudo aquilo que você realmente enxerga como algo que faz a diferença no trabalho.

A partir desses pontos, você terá condições de analisar o que vem melhorando e aquilo que é a base das suas qualidades profissionais. Logo depois, você conseguirá identificar como direcionar esforços de desenvolvimento.

3. Liste os pontos fracos

Não há autoavaliação sem identificar os seus pontos fracos. Mas pense pelo lado bom: é melhor você fazer isso do que outra pessoa apontar suas falhas e problemas. Enquanto é transparente consigo, as chances de melhorar são muito maiores.

Lembre-se: este não é um exercício de culpa e não deve gerar frustração, raiva ou qualquer sentimento do tipo. A autoavaliação é o ponto de partida para sua melhora enquanto profissional. Portanto, aponte os pontos fracos de peito aberto e consciência limpa! Lidar com essas informações é também uma questão de inteligência emocional, então, estude também sobre o assunto.

4. Descreva como os pontos fortes ajudam você

Sabe seus pontos fortes? Agora é hora de mergulhar de cabeça neles! A ideia é entender como eles realmente fazem diferença no seu dia a dia. Portanto, é necessário descrever como ajudam você a realizar tarefas e a alcançar objetivos.

Assim, você consegue ter o real impacto de como suas qualidades podem ser importantes. Isso ajudará até mesmo na hora de vender seus serviços freelancer no futuro!

5. Descreva como os pontos fracos o prejudicam

Se você conhece seus problemas, consegue compreender como essas questões atrapalham você, seu cliente e todo o contexto de trabalho em que se encontra no dia a dia. Aqui, tente se lembrar como suas falhas e dificuldades têm gerado problemas para si no cotidiano profissional.

Mais uma vez, faça essa etapa sem peso na consciência e lembre-se de que esse é o primeiro passo para eliminar esses problemas da sua vida. Você fará o melhor possível por si!

Uma dica importante para quem é freelancer é conferir o nosso TREINAMENTO GRATUITO sobre comprometimento profissional:

[embedded content]

6. Defina objetivos de desenvolvimento

Em qual lugar você quer chegar? Quais conquistas deseja e acredita que a autoavaliação pode ajudar você a obter? Sempre tenha objetivos profissionais e entenda que eles estão atrelados ao cumprimento de algumas pequenas metas. E sem dúvidas, elas dependem do seu desenvolvimento profissional.

Seus objetivos podem ser ganhar mais, alcançar uma nova habilidade técnica, ter mais clientes, ou seja lá o que for. A ideia de descrever o que você quer é conseguir associar isso com as melhorias e correções que vai se propor por meio da autoavaliação.

7. Crie um plano de ação para melhorar os pontos fortes

Tudo que você tem de bom pode ser ainda melhor! E isso é fundamental para se destacar mais no mercado e ser um freelancer de primeira prateleira.

Portanto, determine um plano de ação para estudar mais, praticar suas habilidades e, gradativamente, conseguir melhorá-las. Defina em quanto tempo deseja isso e, lá na frente, faça uma nova autoavaliação para saber se chegou onde desejava!

8. Crie um plano de ação para corrigir os pontos fracos

Que tal trabalhar para melhorar nos pontos que ainda não estão tão bons? Só depende de você, mesmo que demore um pouco mais! Faça seu planejamento para conseguir, dentro de um calendário sólido, desenvolver suas habilidades e chegar no nível que você quer.

9. Faça uma avaliação geral sobre si próprio

Qual é a sua conclusão depois de fazer a autoavaliação? Daqui, esperamos que seja positiva, mas é claro, só você pode dizer se seu momento atual é animador e positivo.

É fundamental conseguir, ao fim da análise, ter um balanço que mostre seu status atual enquanto profissional. Esse “resultado” trará uma resposta rápida para si .

E aí, curtiu saber como fazer uma autoavaliação? Seu desenvolvimento, sobretudo se você é freelancer empreendedor, vai sempre depender da sua organização. Então, todo esforço valerá a pena!

E quanto ao seu portfólio, ele está em dia? Aproveite e confira este material incrível sobre como montar um e conseguir ainda mais clientes!

Como criar um dashboard de métricas para seu cliente e quais KPIs utilizar

Para melhorar o processo de tomada de decisão e ter mais clareza das condições atuais dos seus projetos, é necessário contar com algumas ferramentas de avaliação. Nesse quesito, montar um dashboard de métricas permite criar um recurso visual para analisar os principais dados da empresa.

Por meio dele, é possível visualizar indicadores importantes que vão auxiliar na condução do negócio. Da mesma forma, também são úteis para tomar decisões acertadas e direcionar o empreendimento ao sucesso. Com isso, é possível se diferenciar da concorrência e aumentar os lucros.

Quer saber quais são os principais passos para criar um dashboard de métricas de sucesso? Então, vale a pena continuar a leitura e conferir o conteúdo especial que preparamos.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

O que é um dashboard?

O dashboard é uma ferramenta que organiza em um painel informações importantes para acompanhar resultados de forma visual. Por meio dele, é possível visualizar métricas e indicadores que auxiliam na hora de tomar decisões acertadas na empresa.

Há diferentes tipos de dashboard e você consegue personalizá-los conforme a necessidade da empresa. Assim, é possível incluir indicadores que façam sentido e que ajudem em cada área do negócio.

Além de ser possível criá-los para os diferentes departamentos, também é possível fazê-los de modo individual. Assim, os colaboradores podem acompanhar suas próprias métricas para encontrar caminhos para melhorar a sua performance.

Vale salientar ainda que é possível incluir comparações de períodos diferentes e diversas métricas que sejam relevantes para o desempenho do negócio. Com isso, equipes deMarketing, Vendas, Redes Sociais e SEO, por exemplo, conseguem ter uma boa noção de como estão se saindo.

Que tal entender mais sobre os diferentes usos de dashboard na empresa? Então, confira os posts especiais que preparamos:

Para que serve um painel de dashboard?

O painel de dashboard serve para visualizar informações relevantes para os profissionais de diferentes áreas por meio degráficos, figuras e outros elementos. Assim, a equipe pode acompanhar métricas e dados de maneira simplificada e eficiente.

Ou seja, é um facilitador do monitoramento da performance da empresa, ajudando na automação do marketing e de outras áreas, além de auxiliar na hora de direcionar as ações do negócio. Com isso, pode-se encontrar soluções para problemas e ajustar estratégias que não estejam apresentando resultados.

Porém, é importante destacar que esse recurso precisa ser utilizado de maneira inteligente e estratégica. Caso contrário, servirá apenas para amontoar informações que não geram benefícios.

Assim, pense com cautela em quais são as melhores métricas para incluir no dashboard.

Quais são os tipos de dashboard?

Existem diferentes tipos de dashboard que podem ser usados em uma empresa. Compreender as diferenças entre eles é relevante para decidir qual é o mais adequado para reunir as métricas mais importantes no negócio.

Por isso, separamos abaixo as informações sobre cada um deles. Vale a pena continuar lendo e conferir!

Dashboard Estratégico

Esse tipo de dashboard é destinado ao alto escalão da empresa, ou seja, para profissionais que estão em um alto nível hierárquico de cada um dos setores.

Ele normalmente é utilizado com uma frequência menor que os outros dois tipos, porém, conta com métricas estratégicas que podem colaborar com o sucesso do negócio.

Normalmente, são utilizados dados de períodos diferentes para fazer comparações e pensar em meios de melhorar os resultados da empresa.

Além disso, é comum ter informações em nível macro, que são coletadas com maior mobilização, usando capital humano e material.

Dashboard Tático

Esse dashboard é focado no médio prazo e usa indicadores para compreender tais cenários. Para isso, é necessário ter mais informações e detalhes sobre as métricas que estão sendo coletadas. Isso ocorre porque os dados são correlacionados com as operações mais práticas da empresa.

Em geral, resultados ruins são identificados com maior facilidade, bem como as causas que estão gerando tal performance.

Com isso, é possível adotar ações para corrigir os erros e melhorar o desempenho do estabelecimento. Portanto, é importante fazer consultas ao dashboard com maior regularidade.

Dashboard Operacional

O último tipo de relatório está muito relacionado com o dia a dia da empresa e tem impacto direto nas atividades cotidianas. Nesse sentido, ele deve ter informações que ajudem a identificar erros de maneira ainda mais simples, além de ajudar a compreender quais são as ações que devem ser adotadas para corrigir os problemas.

Como sua relação com as tarefas diárias é direta, é necessário observá-lo com uma frequência muito elevada.

Além disso, é aconselhável fazer atualizações em tempo real, para que, se a empresa sair do caminho, seja possível ajustar a tempo de não ter prejuízos. Por isso, é necessário ter um grande detalhamento das informações contidas nele.

O que um dashboard deve conter?

O ideal é que o dashboard apresenta dados relevantes para a condução do negócio. Assim, pode-se incorporar métricas, indicadores e informações que ajudem nesse sentido.

Com isso, têm-se números à disposição que auxiliam na determinação de estratégias a fim de alcançar metas e objetivos da organização.

As métricas que estarão contidas no dashboard dependem do setor no qual ele vai ser utilizado. Abaixo, destacamos alguns deles:

  • marketing: pode ter informações como quantidade de leads gerados, tempo de permanência dos visitantes no site, taxa de conversão, entre outros;
  • vendas: nesse setor, métricas interessantes para colocar no relatório são receita gerada, custo de aquisição de clientes, ticket médio, entre outros;
  • financeiro: as finanças necessitam de indicadores que ajudem a entender a lucratividade, nesse sentido, pode-se incluir custos, receitas, recorrência, etc.

Esses são alguns dos exemplos do que pode conter no dashboard de métricas dos diferentes departamentos da empresa. Vale avaliar com cautela para definir quais outros indicadores podem ser acrescentados. 

Quais KPIs usar no dashboard de métricas?

Um dashboard de métricas precisa ter indicadores de qualidade que auxiliem na tomada de decisão do negócio.

Nesse sentido, apresentaremos, a seguir, algumas das melhores alternativas de KPIs que podem ser incluídos no seu painel. Porém, vale avaliar as necessidades de cada área e o que é necessário visualizar em cada dashboard.

Total de leads gerados

Essa é uma métrica importante para o setor de marketing. Por meio dela, é possível compreender se as campanhas desenvolvidas trouxeram bons resultados, quais são as possíveis mudanças para melhorá-los e, com mais alguns dados, o ROI das ações que foram adotadas.

Esse é um dos primeiros dados que um cliente vai querer ver. Isso porque, em geral, o objetivo do marketing égerar leads qualificados que possam ser direcionados para a equipe de vendas.

Assim, incluir esse indicador no dashboard de métricas para o seu cliente é muito importante para fornecer uma visão clara sobre os resultados das ações de marketing realizadas.

Leads por páginas

Outra métrica relevante para melhorar as estratégias é a de leads por páginas. Por meio dele, é possível compreender quais são as principaislanding pages, ou seja, quais delas estão coletando mais leads para direcionar para a negociação.

Assim, é possível entender quais são as páginas que estão fazendo o seu prospect tomar uma determinada ação. Desse modo, consegue-se identificar padrões e recursos que deram resultados atrativos nas campanhas.

Portanto, vale a pena incluir essa métrica no dashboard desenvolvido para o seu cliente. Nesse sentido, preze por incluir essa informação de maneira simples e que propicie fácil entendimento.

Valor da cotação por fonte

Entender os custos das ações adotadas também é necessário para fazer ajustes e garantir o bom andamento do negócio. Afinal, fazer bom uso do dinheiro é essencial para encantar os clientes e garantir novos serviços.

Nesse sentido, incluir no dashboard a métrica de valor da cotação por fonte é uma opção interessante. Ela ajuda a compreender quais são os canais mais baratos e o quanto de resultado cada fonte está gerando.

Além disso, esse indicador ajuda na hora de justificar ao seu cliente como o capital dele está sendo gasto. Assim, você pode tangibilizar os esforços feitos para aumentar o número de leads e, consequentemente, os lucros do negócio.

Templates de Fluxo de Nutrição

Como montar dashboards eficientes e produtivos?

Agora que você já entende qual a importância de contar com essa ferramenta em seu cotidiano, é hora de colocar essas ideias em prática e montar o seu próprio dashboard. Veja, a seguir, quais os principais passos para utilizar esse recurso na empresa.

Defina o tipo de dashboard

Antes de seguir para a montagem do seu dashboard, vale a pena avaliar qual a melhor alternativa para utilizar nos seus projetos. Nesse quesito, basta identificar qual o objetivo de sua criação, qual o horizonte de tempo considerado, quais os temas que serão tratados e quais as principais informações que ele deve conter.

Isso permite que você possa estabelecer se o seu dashboard será tático, operacional ou estratégico. Após realizar essa escolha, fica ainda mais fácil determinar as próximas etapas de construção desse painel.

Estude opções de ferramentas

Depois de estabelecer qual a estrutura ideal para o seu dashboard, é necessárioentender qual ferramenta será utilizada em sua construção.

O Excel é uma das mais populares para essa finalidade, visto que sua estrutura em formato de planilha facilita a organização dos dados e ainda permite a realização de diversas operações contábeis.

Mesmo que essa ferramenta seja muito comum, o mercado também desenvolveu vários softwares que são capazes de armazenar, filtrar e tratar os dados de uma empresa para que eles tragam informações relevantes.

Além disso, para empresas de grande porte ou projetos que envolvem várias etapas, vale a pena acionar o setor de TI e desenvolver uma ferramenta própria para a visualização dos registros mais relevantes para o time.

Também é necessário prezar pela facilidade no uso dessa ferramenta, além de permitir uma integração simples com ERP para ter acesso simplificado à base de dados.

Determine quais indicadores deseja acompanhar

Com uma estrutura básica montada e capaz de fornecer acesso a todos os dados da empresa, é hora de estabelecer quais os indicadores que serão incluídos neste painel. Portanto, vale a pena olhar para os objetivos que justificam a criação do seu dashboard e estabelecer quais métricas contribuem para realizar sua análise.

Antes de incluir diversos itens, vale a pena lembrar que existe uma limitação dos indivíduos quanto a capacidade de absorção das informações.

Isso significa que muitos indicadores podem causar mais confusão do que ajudar no processo de decisão. Portanto, vale se ater ao que é crucial em sua análise e determinar quais são as informações prioritárias.

Entre as métricas disponíveis, considere destacar aquelas que envolvem os dados mais importantes no contexto, livrando o painel de qualquer outra informação que não está diretamente ligada ao problema em questão.

Escolha bons recursos visuais

Mesmo que os dados estejam no centro de sua análise, é importante estabelecer de que forma as informações são dispostas no dashboard, visto que isso contribui para que os indivíduos possam relacionar determinados dados e inferir relações entre os indicadores.

Pondere trazer alguns dados de maneira gráfica, contribuindo para que todos compreendam a relação proporcional entre as variáveis, além de ter mais clareza sobre as dimensões das informações que são apresentadas.

Por fim, vale cruzar algumas unidades de medida antigas com as atuais para acompanhar a evolução do projeto ao longo do tempo.

Viu como vale a pena contar com um dashboard de métricas para dar suporte aos seus projetos? Por meio desse recurso visual, você consegue trazer diversos benefícios para o seu processo de tomada de decisão.

Além de ter mais clareza sobre os objetivos que devem ser alcançados, ainda é possível ter mais foco em suas estratégias.

Quer explorar os benefícios dessa ferramenta? Então continue com sua visita ao blog e entenda o que é um dashboard de vendas e como montar o seu!