De estático para interativo: como melhorar a performance do conteúdo que você já tem

A enorme quantidade de artigos, vídeos e conteúdo em geral sendo produzida atualmente está repercutindo em muitos círculos. Hoje em dia, além de termos muito material de qualidade escrito por humanos (e, com frequência, pelos seus concorrentes), também temos muito conteúdo zumbi sendo criado por AI. 

Em um mundo em que a atenção das pessoas é um bem precioso, todo mundo se faz a mesma pergunta: como fazer o meu conteúdo se destacar do resto?

E, mais do que isso, como achar tempo para criar experiências impactantes quando tanta coisa já foi feita?

Vou tentar responder essa pergunta com uma pílula mágica, também conhecida como conteúdo interativo. Mais do que isso, vou explicar como trazer interatividade para um conteúdo estático que você já tem. 

Começando do começo: pense no seu comportamento ao consumir conteúdo

Imagine um assunto que te interessa muito. Pode ser marketing, ou pode ser algo mais pessoal, como moda, carros, esportes, música. 

Quanto tempo você está disposto a passar lendo um artigo sobre isso?

Você prefere um post com bastante informação e detalhamento, mas cujo tempo de leitura é de 30 minutos, ou é mais provável que você bata o olho no conteúdo, procure os pontos mais relevantes e saia da página após 5 minutos?

Provavelmente você está no segundo time. De acordo com uma pesquisa da Adobe sobre consumo de conteúdo, cerca de 61% das pessoas sentem que têm menos atenção do que costumam ter. Cerca de 53% dos entrevistados disseram que preferem passar até 5 minutos engajando com um post ou vídeo. 

Nós precisamos fazer estes 5 minutos valerem a pena. 

A ideia é conseguir que seu cliente associe a sua marca a um sentimento positivo. Uma excelente forma de fazer isso é criando experiências, seja ao vivo (como eventos ou lojas pop-up) ou digitalmente. 

Há muito que pode ser feito. Desde tours digitais, demos, até a opção favorita da Rock Content: experiências interativas

Se você gosta de jogos, talvez tenha ouvido falar sobre o “marketing simulator” da Devolver Digital. Para promover seus produtos, eles criaram uma experiência imersiva em primeira pessoa, na qual o jogador pode explorar uma exposição de games e ter acesso à trailers, demos, e outros recursos de diferentes jogos. 

Enquanto a maioria das empresas não têm condições de criar um jogo do zero, e nem mesmo a necessidade disso, a interatividade pode trazer muito valor à maioria das campanhas de marketing. 

Imagine que, ao invés de um relatório em PDF com todas as iniciativas da sua empresa no último ano, você possa oferecer aos seus stakeholders um site interativo com as mesmas informações. Um lugar em que eles podem escolher quais capítulos querem ler, interagir com seus gráficos, e talvez até responder a um quiz ou dois sobre a performance da empresa no último ano fiscal. 

Além disso, você também poderia checar quanto tempo os leitores passaram em cada seção, e quais dados prenderam mais a atenção deles. 

Neste ponto, imagino que você tem uma pergunta para me fazer:

De onde tirar o tempo e o orçamento para criar uma experiência interativa do zero?!

A resposta rápida é: você não tira. 

Pode ficar tranquilo: essa não é uma notícia ruim! Você não precisa criar algo do zero, e pode reaproveitar algo que você já tenha. E, melhor ainda, não é necessário saber nenhuma linguagem de programação para isso.

Leia também: Como criar conteúdos interativos mesmo sem saber HTML

Como escolher qual conteúdo reaproveitar?

Esta não é uma decisão fácil, mas alguns critérios podem te ajudar. Primeiramente, eu recomendo procurar por um conteúdo que possua uma ou mais características listadas abaixo: 

  • Atende diretamente uma das dores da sua persona;
  • Não obteve os resultados que você esperava;
  • É longa (tempo de leitura de 8 minutos ou mais);
  • Possui informações que podem ser melhor exploradas de forma interativa;

Além disso, tenha em mente que conteúdos interativos podem ter diversos formatos. Desde um simples infográfico ou ebook, até um tour completo pelo seu produto. Então, para que você possa escolher o formato que vai utilizar, pense nos seus objetivos para este quarter: quais métricas são mais importantes para você?

Caso queira aumentar a geração de leads, escolha conteúdo focado no fundo do funil. Aqui, estudos de caso e calculadora são alternativas maravilhosas. Entretanto, infográficos são melhores caso você esteja buscando por brand awareness. 

Leia também: Como a Rock Content utiliza o conteúdo interativo na estratégia de marketing

A lógica aqui é simples: quanto menos o cliente sabe sobre você e suas soluções, menos ele vai querer ler a respeito, e menos informação ele irá te fornecer. É por isso que você precisa focar em ser didático e usar ferramentas visuais, tais como a interatividade, para mostrar que ele possui uma dor. 

Por outro lado, um cliente no fundo do funil de vendas já sabe quem você é, e como você pode ajudá-lo. Agora, você só tem que convencê-lo de que você tem a melhor solução do mercado.

Por fim, considere quanto tempo você tem para reaproveitar esse conteúdo, e quanto trabalho você teria para fazer isso. Se seu tempo é curto, considere escolher um material que não precisa de um ajuste completo. Ao invés disso, opte por incluir elementos interativos pontuais, como um gráfico animado, uma calculadora simples, ou quizzes ao longo do texto. 

Fazendo um ajuste completo: um estudo de caso

Nós fizemos um experimento interno e reaproveitamos um dos nossos materiais, o “Fantástico Gerador de Personas”, em sua versão para a Rock Content US. 

Como era antes da otimização?

A página inicial do gerador tinha este visual:

Bonita, mas uma página estática comum, para baixar um ebook estático comum. Normal. 

Como ela está após a inclusão de interatividade?

Este GIF é só um exemplo, então te recomendo clicar aqui para ver a experiência completa.

O Pedro, nosso Analista de Marketing Digital, detalhou todo o processo neste artigo. Ele descreve a escolha do material até os resultados finais, incluindo o processamento dos dados. Porém, quero ressaltar alguns pontos interessantes:

  • Nós escolhemos um material muito importante para a persona, mas que não estava performando como o esperado. Também estava alinhado ao nosso objetivo de geração de leads.
  • Olhamos para o material como um todo: como o copy funcionava, se precisava de ajustes, verificamos o design e os dados que queríamos coletar da experiência.

Os resultados foram claros: ao implementar os ajustes, atingimos um aumento de 178% no tráfego, e 421% nas conversões.

Só apimentar um pouquinho: adicionar micro-experiências

Se você não tem o tempo ou a necessidade de reformular seu conteúdo, micro-experiências podem ser uma boa ideia. É uma forma fácil e rápida de adicionar mais interatividade ao conteúdo. 

Se você quiser um exemplo, este artigo tem um ponto de interatividade criado via micro-experiência. Você sabe qual é?

Um dos nossos clientes fez o mesmo com alguns de seus artigos. Eles são uma grande empresa que trabalha com ensino superior, e embedaram quizzes interativos em blog posts visando ajudar os leitores a entender qual era a melhor graduação para eles. 

Dos 25 posts que receberam o update, 84% apresentaram melhora na taxa de rejeição, e 88% tiveram melhor engajamento. Não apenas isso, mas esses quizzes também permitem que essa empresa entenda quais são os cursos com maior demanda, e coletar dados sobre as respostas dos seus potenciais clientes. 

A criação da experiência: soluções no-code

Mais cedo, eu mencionei que você não precisa saber de programação para criar experiências interativas. Ferramentas como Ion permitem que você faça isso apenas clicando e arrastando elementos na tela. 

Se você está curioso para aprender mais sobre soluções no-code, te recomendo este artigo.

Melhora nos resultados com mínimo esforço

Neste ponto, espero ter convencido você de que adicionar interatividade ao seu conteúdo que você já tem é uma forma fácil, barata e rápida de melhorar seus resultados. Faça uma tentativa e depois me conta o que aconteceu! 

Algo como um mapa interativo, incluindo tooltips com informações, pode ser a diferença entre seu resultado atual e 100% mais engajamento. 

Check this page to see how interactive content can help your company meet your consumer’s expectations.

Como nos tornamos líderes globais usando uma rede de 15.000 freelancers

Se você conhece a Rock Content sabe que, sem nenhuma falsa modéstia aqui, somos líderes globais quando o assunto é criação de conteúdo.

Ao longo de 10 anos de casa estruturamos blogs em inglês, português e espanhol que ultrapassam 8 milhões de acessos mensais (e seguem crescendo mês a mês). 

O que talvez seja uma surpresa para você, é que produzimos muito pouco do conteúdo que publicamos em casa. 

Ao longo dos anos, ficou mais que claro para nós que seria um mal investimento de tempo e recursos produzir, na escala que produzimos, in-house

E é por isso que eu, planejadora de SEO responsável pelo blog da Rock Content Brasil, foco quase 100% do meu tempo em análises e táticas de crescimento orgânico, conversão e outras estratégias do blog, e deixo a produção de conteúdo com os mais de 15.000 freelancers que temos no WriterAccess, o marketplace de conteúdo da Rock Content.

Outra coisa que talvez te surpreenda, é que usar uma plataforma de conteúdo vai muito além de terceirizar a produção por aqui.

Além da base de talentos freelancers, a própria ferramenta facilita a construção de toda a estratégia do início ao fim — desde o desenvolvimento de sua persona até a publicação do conteúdo.

Hoje, eu te convido a vir comigo pelos bastidores da produção de conteúdo dos blogs da Rock Content de ponta a ponta.

Como planejamos e criamos nossos conteúdos no WriterAccess?

Antes de mais nada, quero reforçar que na Rock Content nós já temos nossas personas definidas, que norteiam nossa estratégia de conteúdo. Se este não for o seu caso, a IA de geração de personas pode te ajudar.

Bem, nosso processo começa com a criação do calendário de publicações

No final de cada mês, mapeamos quais assuntos estão em alta e quais são necessários para o momento do blog. Estamos investindo muito, por exemplo, em tópicos que tenham relação com inteligência artificial e como isso tem mudado o mercado de Marketing mundialmente.

Aqui, podemos contar com o auxilio do AI Content Wizard, outra ferramenta de IA disponibilizada no WriterAccess.

Ali é um dos primeiros pontos que observo ao buscar novos conteúdos para construir, já que a ferramenta mostra tendências em potencial ou aborda assuntos que pode ser que nunca tenhamos inserido no blog.

Leia também: Potencialize sua estratégia de conteúdo com o AI Content Wizard no WriterAccess

Após definirmos o calendário editorial do mês para o blog, começamos a construir os briefings

Todos os briefings são cuidadosamente pensados para a estratégia atual da Rock Content, com detalhes importantes.

Os nossos redatores freelancers possuem uma média de dias para essa produção, e todos os conteúdos passam pela revisão não só dos freelancers, mas também por uma revisão interna.

Na plataforma, ao clicar em “Fazer um pedido: Redator”, podemos selecionar um modelo salvo, já que normalmente os nossos conteúdos são entre 1000 e 2000 palavras. 

Dessa maneira, automatizamos um processo que poderia levar muito tempo, definindo o tipo de conteúdo, quem o produzirá, preço do conteúdo (já pensando nos descontos da plataforma), entre outras informações. 

No envio do briefing para o profissional, dependendo principalmente do tópico, enviamos para redatores que possuem maiores especificações em seus portifólios. 

Por exemplo, se precisamos falar mais sobre SEO, com certeza iremos solicitar esse texto para um profissional que já tenha experiência no assunto. E a mesma lógica é aplicada para outros nichos e temas.

E também podemos controlar estes “templates”, os modelos de pedidos que facilitam o dia a dia. 

Há um “Painel de Ferramentas” no menu superior que reúne não apenas os modelos, mas também os tipos de briefing, personas e muito mais. Aqui, o segredo é personalizar e definir os modelos de acordo com o que é importante para sua estratégia. 

Escolhendo os melhores talentos para sua estratégia

É importante para a sua empresa que escolha bem os seus profissionais para auxiliar na estratégia de marketing de conteúdo

Essa é a hora que você me pergunta: “Diana, como raios eu vou escolher um profissional dentre os 15.000 disponíveis na plataforma?!”

Bem, há duas ferramentas bem úteis para isso dentro do WriterAccess: a Busca Avançada e Recomendações Personalizadas.

Funciona assim: na hora selecionar para quais talentos você quer enviar a tarefa, você clica em “Selecionar de forma inteligente”. 

A partir daí, os algoritmos do WriterAccess irão enviar o seu pedido para talentos que combinem com o que o pedido precisa. 

Para que a ferramenta seja o mais assertiva possível, a dica é descrever o que você quer de maneira resumida e o país de origem do talento. 

Talento escolhido, é hora de ajustar o pagamento.

O valor do conteúdo é definido de acordo com o tipo de solicitação para os freelancers. Você pode fazer um pagamento por palavra ou por pedido. Para designers, o pagamento é apenas por pedido.

Agora, pense em um tipo de conteúdo que você quer para o seu site ou blog. 

O tipo de escrita, a linguagem e maneira como tudo é comunicado, faz muita diferença quando entregamos conteúdos pela web.

Nesse sentido, o WriterAccess possui uma ferramenta que pode nos ajudar bastante para definir quais serão os talentos que estarão ao nosso lado nessa estratégia. Por enquanto, essa ferramenta está disponível apenas para conteúdos em inglês.

Integrações para otimizar seus conteúdos

Por fim, a integração com algumas plataformas essenciais em nossa estratégia de SEO facilitam muito a otimização e finalização do processo. 

Por exemplo, para SEO, você pode integrar os dados do SEMRush, descobrir tendências com o BuzzSumo e criar listas de palavras-chave.

Para ilustrar, peguei um exemplo do SEMRush mostrando os resultados orgânicos para a palavra-chave “o que é seo”, mostrando os sites que estão na SERP para esse termo:

Você também pode ter acesso de até 250 milhões de imagens com descontos, variando de US$0 no Storyblocks, US$6 no Getty Images e US$7 no Shutterstock. 

Para ter acesso a estas integrações, tudo irá depender do tipo de plano que você escolherá para o seu negócio. Confira todas as integrações que o WriterAccess possui.

Todas as integrações podem ser vistas dentro do seu Painel de Ferramentas, você poderá ver no menu lateral como encontrar as suas integrações. Lembre-se de configurá-las para ter uma experiência melhor na hora de solicitar os seus conteúdos aos talentos do WriterAccess.

Outro ponto interessante para você explorar dentro da plataforma são os dados de inteligência que irão ajudar o seu conteúdo a performar ainda melhor. 

É possível identificar se a linguagem do texto produzido está de acordo com o Flesch Reading Ease, pontuação de sentimento, que analisa o tom de qualquer texto em um espectro de positivo para negativo.

Por último, também é possível avaliar as palavras-chave que você quer incluir nos artigos, verificando todos os dados dela nos mecanismos de busca.

Essas são apenas algumas particularidades que você pode utilizar no WriterAccess para construir a sua estratégia de conteúdo com sucesso — assim como fazemos aqui, na Rock Content. 

Se quiser ver por você mesmo, você pode testar a plataforma do WriterAccess por 14 dias de maneira gratuita. Assim, você checa tudo o que a plataforma oferece e garante que será um agregador de sucesso para o seu negócio.

Quer continuar se atualizando com as melhores práticas de Marketing? Então se inscreva na The Beat, a newsletter interativa da Rock Content. Nós cobrimos todas as tendências que importam no cenário do Marketing Digital. Vejo você lá!