Elevando o seu E-Commerce: Como Criar Páginas de Produto que Geram Lucros?

Você já pensou que uma das principais estratégias de um e-commerce é a criação de páginas de produtos que lucram? Afinal, é neste estágio que o consumidor realmente se decide.

Neste artigo, mostraremos os principais pontos que você deve considerar nas páginas de produto para e-commerce. Descubra como você pode criar soluções atrativas, com excelentes interfaces e experiências para o usuário.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

O Papel Crucial das Páginas de Produto

A jornada do cliente em um e-commerce tende a ser bem mais enxuta e objetiva. Afinal, o usuário normalmente chega no site quando já está pesquisando soluções para seus problemas, ou seja, determinados produtos.

Dessa forma, a página de produto é essencial para o ciclo de conversão e impacta diretamente na receita do e-commerce. Se o cliente não encontra as informações necessárias, não se sente seguro ou tem dúvidas sobre quais passos deve dar para finalizar as compras, isso pode significar a perda da venda também.

Sendo assim, podemos dizer que as páginas de produto são a virada de chave, onde o potencial cliente toma a primeira decisão: escolher aquele produto e colocá-lo no carrinho.

Está gostando deste artigo? Separamos alguns conteúdos que talvez possam te interessar:

Como criar páginas de produto que realmente impactam

A seguir, separamos os principais fatores que impactam nas conversões das suas páginas de produto.

Design intuitivo e experiência do usuário aprimorada

Faz tempo que o uso de telas se tornou comum para as pessoas. Mesmo que determinados públicos possam ter maior dificuldade ou resistência, a maioria das pessoas já consegue fazer uma pesquisa, escolher um produto e finalizar a compra em um ambiente online.

Ao contrário do que parece, isso não significa que você pode mudar a lógica das suas páginas de produto. Lembre-se, o design é quase como a sinalização de uma estrada, deve ser objetivo e facilitar o entendimento e tomadas de decisão do motorista, ou usuário.

Por isso, crie páginas com design limpo, intuitivo e que tenha uma boa experiência do usuário. Você também deve destacar suas páginas, mas faça isso de forma positiva:

  • use imagens bonitas e atrativas;
  • conte com decorações sazonais das páginas de produto conforme a época do ano;
  • acrescente vídeos do produto no carrossel de imagens.

Escreva descrições de produtos que convertem

A descrição do produto deve ser clara e objetiva, mas o ideal é que não seja a mesma que está nas páginas de produto da concorrência. Por este motivo, aposte em detalhar informações como dimensões, peso, voltagem, ingredientes, material usado, dentre outras qualidades relevantes, mas também crie sinopses únicas sobre o produto.

Existem várias plataformas de conteúdo que oferecem soluções para esse tipo de situação. Na Writer Access, por exemplo, é possível contratar profissionais que escrevem as descrições do produto de forma completa e diferenciada da concorrência. Além de olhar para aspectos que estejam ligados ao interesse do consumidor, eles também observam características de SEO.

Estratégias de SEO para Páginas de Produto

O SEO é um conjunto de técnicas usadas para ajudar as páginas de produto a se destacarem nos resultados de mecanismos de busca como o Google, Brave, Yahoo e Bing. Este é um dos fatores que ajudam a criar páginas de produto que lucram.

Para isso, existem diversas estratégias que você pode incluir, garantindo assim a visibilidade destas páginas. Por exemplo:

  • uso de palavras-chave relevantes — neste caso, é ainda mais fácil escolher as palavras-chave adequadas, pois elas estarão diretamente ligadas ao produto. Geralmente, uma das palavras-chave usadas nesse caso é o próprio nome do produto;
  • otimização de títulos — desenvolva títulos atrativos e otimizados para SEO;
  • descrições de produtos focadas em SEO — crie textos que levem em conta a expectativa de busca do usuário e também tenham orientações para otimizar o SEO como o uso das palavras-chave;
  • construções de URLs inteligentes — conheça as melhores práticas de SEO para montar sua URL e destaque suas páginas de produto. 

CTAs que funcionam

Convide seu público a tomar uma ação. Uma compra que vai acontecer depois tem grandes chances de nunca acontecer. Por isso, o CTA, ou chamada para ação, é fundamental para ter páginas de produto que lucram.

Crie botões visíveis, intuitivos e adaptáveis para os diferentes formatos de tela. Use chamadas simples e claras como “comprar” ou “adicionar ao carrinho”. Além disso, use testes A/B para descobrir quais são as melhores cores, tamanhos, dizeres e até mesmo localização das CTAs para aumentar as conversões das suas páginas de produto.

Integração de Avaliações e Depoimentos

Avaliações de clientes são fundamentais para aparecer na página de vendas. Afinal, existe uma influência das avaliações de clientes na decisão de compra, mostrando para o usuário se o produto realmente atenderá suas expectativas.

É importante desenvolver estratégias para destacar feedbacks positivos de forma convincente. O principal fator para gerar esse tipo de conteúdo é ter campanhas e incentivos para que os consumidores deixem suas avaliações sobre os produtos.

Viu como criar páginas de produto que lucram pode ser fácil? As páginas de produto para e-commerce são o momento no qual o cliente busca informações relevantes, credibilidade e aquele argumento para vencer qualquer dúvida e objeção. Por isso, lembre-se de investir em um design clean, responsivo e intuitivo, com descrições claras, fotos bonitas e depoimentos que convençam.

Para levar o público certo para essas páginas, o ideal é apostar em estratégias de conteúdo. Quer turbinar seus resultados? Então, experimente grátis a plataforma WriterAccess, solução da Rock Content com os melhores gênios criativos de planejamento, conteúdo e design, com features de inteligência artificial que irão alavancar sua produção de conteúdo!

Como otimizar a velocidade de carregamento de páginas para melhorar o desempenho do seu site

O tráfego de visitantes do seu site não está aumentando como deveria? O desempenho não está conforme o planejado? Então você precisa olhar para um dos motivos mais comuns para que isso aconteça: a velocidade de carregamento das suas páginas.

Um fator percebido pelo usuário logo nos primeiros segundos da sua jornada pode fazer uma enorme diferença nos seus resultados. O que acha, então, de descobrir como aumentar a velocidade de páginas e melhorar o desempenho do seu site?

Continue a leitura e confira!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Por que melhorar a velocidade do seu site é importante?

Antes de mais nada, é preciso entender as razões para se preocupar com a velocidade do seu site, não é mesmo? Aqui vão alguns motivos que tornam esse fator um dos Core Web Vitals 2023, ou seja, um dos elementos mais importantes para investir!

Experiência do Usuário (UX)

Quando falamos em navegação online, a primeira coisa que vem à mente é agilidade. Sites rápidos garantem que o usuário não se frustre e desista de acessar o conteúdo. Uma espera prolongada na experiência do usuário pode ser o divisor entre um cliente fiel e uma oportunidade perdida.

Posicionamento no Google (SEO)

A velocidade de carregamento é um fator que o Google leva em conta ao rankear sites. Páginas lentas podem ter sua posição comprometida nos resultados de busca, reduzindo a eficiência das suas técnicas de SEO. Em contrapartida, sites velozes são recompensados com melhores posições, atraindo mais visitantes.

Taxa de conversão

Imagine que você tenha um e-commerce, tudo bem? Se um cliente enfrenta lentidão, as chances de ele desistir da compra aumentam significativamente.

A velocidade é diretamente proporcional à satisfação do cliente, ou seja, otimizar o tempo de carregamento pode resultar em um aumento nas conversões.

Como calcular a velocidade de carregamento do seu site?

Mas como calcular a velocidade das suas páginas? Algumas ferramentas podem ajudar!

Google Analytics

O Google Analytics é uma ferramenta robusta que oferece insights profundos sobre o comportamento dos visitantes em seu site. Um dos muitos recursos que ele oferece é a capacidade de monitorar o tempo de carregamento das páginas. Como usar:

  • Instalação: primeiro, certifique-se de que o Google Analytics esteja corretamente instalado em seu site. Se você ainda não o fez, crie uma conta e adicione o código de rastreamento ao seu site;
  • Acesso aos relatórios: dentro do painel do Google Analytics, vá até “Comportamento” > “Velocidade do Site” > “Visão Geral”. Aqui, você encontrará uma média do tempo de carregamento das páginas do seu site;
  • Detalhamento: em “Páginas de Destino”, você pode ver os tempos de carregamento específicos para cada página. Esta é uma ótima maneira de identificar quais páginas podem precisar de otimizações específicas.

O Google Analytics disponibiliza uma Central de Ajuda para esclarecer mais dúvidas sobre seu uso.

PageSpeed Insights

O PageSpeed Insights é uma ferramenta gratuita do Google que analisa o conteúdo de uma página da web e, em seguida, gera sugestões para torná-la mais rápida. Como usar:

  • Inserção da URL: acesse o PageSpeed Insights e insira a URL da página que deseja analisar;
  • Análise: em poucos segundos, a ferramenta fornecerá uma pontuação de desempenho, com 100 sendo a mais alta. Essa pontuação reflete o desempenho da página para dispositivos móveis e computadores;
  • Sugestões de otimização: além da pontuação, você receberá recomendações específicas sobre como melhorar a velocidade da página (por exemplo, otimizar imagens, minificar CSS/JS, entre outros).

WebPage Test

WebPage Test é uma ferramenta online gratuita que permite avaliar o desempenho do site em diferentes navegadores e locais geográficos. Ele fornece uma análise detalhada do tempo que cada elemento da página leva para carregar. Como usar:

  • Configuração: acesse o WebPage Test e insira a URL da página que deseja testar. Selecione o navegador e a localização do servidor para simular diferentes cenários;
  • Execuçãodo teste: clique em “Start Test”. A ferramenta vai carregar sua página várias vezes para obter uma média do tempo de carregamento;
  • Análise dos resultados: após o teste, você receberá uma série de métricas. A mais notável é a “Waterfall View”, que mostra o tempo que cada recurso (como imagens, scripts e arquivos CSS) leva para carregar. Isso é útil para identificar gargalos de desempenho;
  • Recomendações: assim como o PageSpeed Insights, o WebPage Test fornecerá sugestões para otimizar o desempenho do seu site.

Como melhorar a velocidade de carregamento do seu site?

Você já tem as ferramentas em mãos, mas o que é preciso agora para melhorar o desempenho das suas páginas? Um dos principais indicadores de desempenho, especialmente para o Google, é o LCP (Largest Contentful Paint). Que tal descobrir como dominar essa métrica?

O que é LCP e como é calculado?

O LCP é o tempo que leva para a maior parte visível do conteúdo da sua página ser carregada na janela de visualização. Em termos simples, é o tempo necessário para o maior bloco de conteúdo da sua página, como uma imagem ou bloco de texto, ser exibido ao usuário.

Usando a ferramenta PageSpeed Insights, você pode facilmente verificar a métrica LCP do seu site. Esse é um ponto de partida fundamental para entender quão bem a sua página está performando em relação ao LCP.

Como melhorar o LCP do seu site?

Agora que você já entendeu o que é LCP, que tal algumas dicas para melhorar essa métrica?

Faça otimização de imagens

Grandes imagens são geralmente os maiores culpados por um LCP lento. Certifique-se de que suas imagens estejam no formato correto e comprimidas sem perder muita qualidade. Ferramentas como TinyPNG podem ajudar.

Evite carregamento de mídia desnecessária

Use a técnica de carregamento “lazy” para imagens e vídeos, garantindo que o conteúdo só seja carregado quando estiver prestes a entrar na janela de visualização.

Reduza o impacto de CSS e JavaScript

CSS e JS bloqueadores de renderização podem atrasar o LCP. Minimize e otimize esses arquivos e, se possível, inline o CSS crítico diretamente no HTML.

Quer conferir mais dicas para melhorar o LCP e a velocidade geral do seu site? Este vídeo aqui pode ajudar bastante:

[embedded content]

Qual a relevância do monitoramento contínuo e manutenção?

Fez tudo isso e a velocidade de carregamento do site está boa? Isso é ótimo, mas você não pode se acomodar: o monitoramento contínuo e a manutenção da sua performance é fundamental para que os usuários continuem satisfeitos por um longo período.

Afinal, um leve atraso no carregamento pode resultar na perda de um potencial cliente ou leitor. Com o monitoramento regular, é possível identificar e solucionar problemas antes que eles afetem seu público. E também busque alterações no algoritmo e regras que podem afetar a sua performance.

Em resumo, ao acompanhar e otimizar a velocidade de carregamento de páginas, você garante um site sempre ágil, pronto para encantar e reter seus visitantes. Na prática, isso significa melhores resultados para a sua empresa.

Por falar em bons resultados, outro fator importante para atrair tráfego qualificado é a qualidade dos conteúdos do seu site. Como fazer isso? O WriterAccess é a ferramenta ideal para você, faça um teste gratuito agora mesmo!

Como criar uma estratégia de marketing de conteúdo personalizada para Account Based Marketing

Account-based marketing (ABM) ou marketing baseado em contas é uma estratégia aplicada no mercado B2B, focada em potenciais clientes pré-definidos. As campanhas devem ser altamente personalizadas para atender às necessidades e ao perfil de cada lead.

Nesse cenário, criar uma estratégia de Marketing de Conteúdo para ABM se torna um desafio, já que a produção deve ser direcionada para as necessidades dessas contas. Em paralelo à estratégia de inbound marketing, você deve selecionar contas correspondentes ao perfil de cliente ideal (ICP) e trabalhar conteúdos especificamente com elas.

Neste artigo, vamos entender melhor qual a importância do Marketing de Conteúdo para o Account-based marketing e como traçar uma estratégia eficaz. Acompanhe a seguir!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Por que o conteúdo é relevante na estratégia de Account-Based Marketing (ABM)?

Em uma estratégia de inbound marketing, o Marketing de Conteúdo pode atender a todas as etapas da jornada de compra. Porém, o conteúdo tem um papel primordial na atração de clientes, como uma isca para captar a atenção de possíveis interessados no seu negócio.

Já na estratégia de Account-based marketing, o papel fundamental do conteúdo está na nutrição e conversão dos leads. Aqueles potenciais clientes que estão de acordo com o ICP são nutridos e estimulados com conteúdos especificamente pensados para eles.

Dessa maneira, o Marketing de Conteúdo contribui para que a empresa acompanhe a jornada de cada cliente, atenta às suas necessidades específicas. Posts de blog, emails personalizados, conteúdos interativos e outros materiais específicos podem ser criados para ajudar o lead a amadurecer sua decisão e encurtar o tempo de fechamento da venda.

Ao longo desse processo, a empresa também estreita sua relação com os leads e demonstra sua autoridade. Assim, constrói-se uma relação de confiança, que tende a facilitar a conversão dos leads e posteriormente aumentar o tempo de retenção dos clientes.

Qual é a importância da personalização no ABM para converter leads?

Account-based marketing é usado no mercado B2B, principalmente com produtos que envolvem vendas complexas. Esse tipo de venda envolve altos custos, diferentes níveis de decisão dentro da empresa e um processo mais longo de amadurecimento da compra.

Por isso, as vendas complexas exigem uma maior atenção a cada lead. Ao longo do processo, surgem muitas dúvidas e objeções dos diferentes decisores. A empresa precisa saber se aquela solução atende às suas necessidades e se a compra realmente vai valer a pena.

Por isso, a personalização é um elemento-chave para o ABM. A equipe de marketing se dedica especialmente a cada empresa, já que cada uma tem demandas e perfis diferentes. Assim, os leads se sentem mais bem atendidos, resolvem todas as suas dúvidas no processo de decisão e podem fazer melhor uso do produto.

As empresas podem se diferenciar, entre outros aspectos, por:

  • segmento de atuação;
  • localização;
  • número de funcionários;
  • faturamento anual;
  • maturidade no mercado;
  • estágio no ciclo de vendas.

De acordo com essas características, a empresa pode atender a seus clientes de forma personalizada. Existem também variados níveis de personalização:

  • 1 para 1, em que a estratégia é totalmente personalizada para cada lead;
  • 1 para poucos, em que a mesma estratégia é aplicada a um pequeno segmento de leads com características em comum;
  • 1 para muitos, em que a estratégia é aplicada, por meio de tecnologias de automação, a um segmento maior de leads com características em comum.

Por que personalizar o conteúdo na estratégia de ABM?

A produção de conteúdo é uma das estratégias de personalização que as empresas podem aplicar no Account-based marketing. A seguir, vamos entender melhor de que forma o conteúdo personalizado por contribuir.

Otimizar a geração de leads

A personalização do conteúdo ajuda a otimizar a geração de leads. Em vez de criar conteúdos de atração e depois ter que lidar com muitos prospects que não estão realmente interessados no negócio, você produz conteúdos que miram nas necessidades de cada lead. A tendência é ter uma estratégia mais certeira e inserir no funil apenas quem tem chances de converter.

Converter mais leads

No processo de nutrição de leads, você pode direcionar os conteúdos especificamente para as dúvidas e objeções de cada empresa.

A campanha é aplicada apenas àqueles que têm o perfil ideal de cliente (Ideal Customer Profile ou ICP) e mais chances de conversão. Dessa forma, a taxa de conversão de leads em clientes tende a aumentar.

Diminuir o CAC

O custo de aquisição de clientes também tende a diminuir, já que você não precisa dedicar investimentos e esforços para leads que não avançam no funil e podem desistir no caminho. Os conteúdos são produzidos apenas para leads que têm chances reais de conversão.

Reter mais clientes

Quando a empresa acompanha a jornada de compra do cliente com conteúdos relevantes, o lead se sente bem atendido e tende a tomar uma decisão bem pensada. Além disso, ele aprende a aproveitar melhor o produto nas suas demandas. Por isso, os conteúdos também contribuem para aumentar a satisfação com a compra e reter mais clientes.

Aumentar a confiança na marca

Ao longo do processo de decisão, a estratégia de Marketing de Conteúdo para ABM demonstra a autoridade da empresa no assunto. Além disso, mantém o cliente próximo da empresa e ajuda a fazer uma escolha melhor. Nesse sentido, os conteúdos também ajudam a aumentar a confiança na empresa.

Como criar uma estratégia de Marketing de Conteúdo para ABM: veja os 3 passos principais

O Marketing de Conteúdo para ABM segue a linha do que as empresas costumam adotar no inbound marketing. Porém, alguns detalhes fazem a diferença para a personalização do conteúdo e a construção de relacionamento com o lead.

Confira a seguir quais são os principais passos para criar uma estratégia de Marketing de Conteúdo para ABM.

Identificação de contas ideais e decisores-chave

Uma estratégia de ABM começa com a identificação das contas para quem você vai direcionar os conteúdos. Esses leads devem ser identificados conforme as características do seu cliente ideal, que você deve ter definido no ICP.

O cliente ideal é aquele que tem engajamento com a sua empresa, que extrai o melhor proveito do seu produto e que pode até indicar sua solução para outros negócios. Então, identifique no seu histórico de clientes quais são as empresas que cumprem esses requisitos e quais são as suas características de indústria, porte, localização, entre outros aspectos.

É a partir dessas características que você vai selecionar, no mercado, as empresas que devem entrar na sua estratégia de Account-based marketing. Ao fazer os primeiros contatos, procure identificar quem são os decisores na empresa e quais problemas os seus conteúdos podem ajudar a solucionar.

Criação de personas de compradores para ABM

A criação de conteúdo é mais eficiente quando foca em personas. Elas representam, por meio de um personagem fictício, a pessoa com quem os seus conteúdos devem se comunicar. Assim, você cria conteúdos que falam a língua de quem vai comprar o produto.

É importante saber, no entanto, que a persona de uma conta empresarial deve representar uma pessoa. É claro que é importante conhecer o perfil do negócio, mas você deve investigar as características dos compradores e decisores para criar a persona da estratégia de Marketing de Conteúdo.

Dessa maneira, os conteúdos se tornam mais pessoais, já que o relacionamento é B2B, mas as decisões são tomadas por pessoas que representam o negócio.

Mapeamento de conteúdo para cada estágio da jornada do comprador

Por fim, é necessário mapear a jornada de compra do lead para produzir conteúdos que respondam às dúvidas em cada etapa. A lógica segue a mesma do inbound marketing: no início do funil, o lead ainda está entendendo melhor a sua necessidade e, à medida que avança na jornada, precisa amadurecer sua decisão e conhecer melhor a solução da empresa.

A diferença, no ABM, é que você vai criar conteúdos focados nas contas selecionadas, usando os formatos e canais que forem mais eficazes para cada persona, em vez de traçar uma estratégia única.

Como os conteúdos são personalizados, os canais mais utilizados são aqueles que se comunicam diretamente com os representantes da empresa — email marketing e InMail do LinkedIn, por exemplo.

Você pode criar posts de blog, ebooks, vídeos, áudios, infográficos interativos e outros materiais para cada lead ou indicar esses conteúdos de acordo com o estágio do lead no ciclo de vendas. Nas etapas mais avançadas, um contato direto dos vendedores, embasado por conteúdos que você produzir, tende a ser mais eficiente.

Criar uma estratégia de Marketing de Conteúdo para ABM pode ser um pouco mais trabalhoso, já que você precisa personalizar as publicações. Porém, em paralelo à sua estratégia de inbound marketing, o Account-based marketing deve trazer mais clientes para o seu negócio B2B. Monitore os resultados e faça melhorias contínuas na estratégia.

Agora, entre em contato com redatores freelancers que podem ajudar a sua empresa na produção de conteúdos personalizados e humanizados e com o auxílio de ferramentas de SEO e inteligência artificial. A plataforma WriterAccess vai ajudar você nessa estratégia. Experimente a WriterAccess agora mesmo!

Tendências para retenção de clientes no seu e-commerce em 2023

Você tem ume-commerce, mas não sabe o que fazer para melhorar a retenção de clientes? Não se preocupe, esse é um problema muito comum, mas existem várias estratégias e táticas que podem ajudar você a não apenas atrair consumidores para a sua loja virtual, mas tambémfidelizá-los.

Como em qualquer assunto na era da transformação digital, os cenários se modificam rapidamente e, por isso, é importante acompanhar as tendências para que um e-commerce trabalhe na retenção de clientes. Ao longo deste artigo, vamos abordar os seguintes tópicos:

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Quer descobrir como cada uma dessas estratégias vai ajudar no trabalho de retenção de clientes para o seu e-commerce? Continue a leitura para saber mais!

1. Análise de dados do site

Um fator essencial para negócios em qualquer segmento é a tomada de decisão baseada em dados. Quando pensamos em um e-commerce, o cenário não pode ser diferente, com as informações e insights sendo utilizados para garantir que os melhores caminhos sejam tomados.

E esse é um trabalho que precisa ser feito em diferentes áreas: seja para entender se umCTA na página de pagamento funciona ou não, seja para descobrir qual é a melhor abordagem em relação aos consumidores que não finalizaram uma compra e abandonaram o carrinho.

Nenhuma dessas decisões deve ser tomada apenas por uma preferência ou achismo. Todas as escolhas precisam ser embasadas e, quando as informações ainda não forem suficientes, ferramentas como os testes A/B podem ser utilizadas para ter respostas mais diretas e eficientes.

Em resumo, o seu e-commerce precisa criar uma cultura de análise de dados do site para que a performance sempre possa melhorar. Assim, a tendência é que as suas ações e estratégias desenvolvidas sejam cada vez mais eficientes e os resultados da sua loja virtual também melhorem.

2. Atendimento humano

A automação é um fator muito relevante atualmente, não é mesmo? No momento, temas como Inteligência Artificial — especialmente por meio do ChatGPT — têm ganhado espaço em diferentes segmentos, mas o e-commerce ainda é um setor em que o atendimento humano é essencial.

Quando um consumidor tem uma dúvida sobre um produto ou quer saber qual opção é melhor para o que ele procura, nada melhor do que um conselho de uma pessoa que tenha essas respostas. O seu e-commerce pode oferecer duas opções, mas o atendimento humano precisa ser disponibilizado.

Quer um exemplo? Um chatbot pode ser utilizado na hora de tirar dúvidas mais básicas, como tipos de pagamento aceitos ou informações sobre entregas e seus prazos. Mas para uma dúvida sobre um tênis de corrida ser indicado para trajetos maiores ou menores, melhor ter um especialista.

O caminho ideal aqui é ter uma equipe especializada para dar esse suporte aos consumidores. Isso vai servir também para fortalecer o entendimento da sua loja como uma referência dentro do segmento, já que os clientes vão lembrar de quem os ajudou em um momento de dúvida com um atendimento humanizado e personalizado.

3. Interação nas mídias sociais

Asredes sociais fazem parte da realidade de qualquer brasileiro atualmente e, por isso, também devem ser vistas como um canal de vendas. Isso mesmo, as mídias sociais precisam ser uma das etapas da jornada de compra dos consumidores da sua loja virtual.

Cada loja deve respeitar o fluxo do seu segmento, mas as redes sociais devem ser uma etapa dessa jornada. O consumidor pode, por exemplo, conhecer um dos seus produtos por ali, certo? Mas por que não levar isso para um outro nível e estimular a conversão por ali mesmo?

O conceito desocial commerce tem se tornado cada vez mais popular por esse motivo: os consumidores estão o tempo inteiro nas redes sociais, por que não dar a oportunidade de compra nesse mesmo canal? Essa interação com as mídias sociais pode representar um aumento nas suas conversões.

A ideia é desenvolver umaexperiência mais completa e integrada para os seus consumidores. Com vários canais distintos, você consegue cobrir uma variedade de perfis e preferências, garantindo que a sua loja virtual aumente as possibilidades de conversão.

Separamos aqui alguns artigos que podem te interessar:

4. Recompensas por indicações

Uma forma de aproximar a sua marca dos consumidores e aumentar a retenção desses clientes é fazer com que eles se sintam valorizados por serem mais do que consumidores comuns. E a forma de se fazer isso é investindo, por exemplo, em recompensar por indicações.

Como o nome indica, a ideia é muito simples: quando um cliente indica a sua loja para um amigo, familiar ou conhecido, ele é beneficiado.

Pode ser um cupom, um desconto no frete ou até mesmo um produto específico. Tudo depende do perfil do seu cliente, mas as possibilidades são variadas.

5. Oferta de cupons

Essa estratégia pode parecer batida, mas poucas coisas são tão eficientes para conseguir estimular um cliente a fazer uma nova compra do que descontos, não é mesmo? A oferta de cupons de maneira segmentada pode ser um diferencial para a sua loja virtual.

Ou seja, não ofereça um cupom apenas por oferecer. Envie descontos para quem não finalizou uma compra, ofereça cupons para quem costuma fazer compras, mas está sem fazer há algum tempo, enfim, crie diferentes segmentações para que esses cupons sejam vistos como uma oferta exclusiva e pessoal.

Dessa forma, você aumenta a identificação do cliente com a sua marca e potencializa a chance de que quem recebeu o cupom realize a conversão.

6. Campanhas de e-mail

Oe-mail marketing não é tão popular e falado como as redes sociais, mas é inegável a importância desse canal para que as marcas se comuniquem com seus clientes de maneira mais direta e pessoal. Por isso, é importante desenvolver campanhas específicas a partir do e-mail.

Seja o envio de um e-mail ao identificar que um carrinho foi abandonado — por que não ofertar um cupom nessa situação, como indicamos no item acima? —, seja para apresentar um lançamento da sua loja com maior exclusividade.

Existem inúmeras alternativas para garantir que as suas ações de e-mail marketing tenham um efeito positivo nos consumidores.

Entenda o perfil de quem você está se comunicando e, a partir disso, desenvolva essas estratégias para não só vender mais, mas criar uma relação próxima com o cliente.

7. Entrega rápida

Apesar de muita gente pensar que administrar um e-commerce é simples por ser viável gerir boa parte das tarefas pelo computador, a logística é o que aproxima a loja virtual da loja física. Não adianta seu e-commerce ser eficiente em outras frentes e nas entregas, por exemplo, não apresentar a mesma qualidade.

Por isso, uma das formas mais eficientes de conseguir a retenção de clientes é investindo em uma logística eficiente e rápida. Lógico que é necessário avaliar os fluxos de distribuição para não criar uma operação que não seja viável, mas agilizar esse processo precisa ser uma prioridade.

Busque por fornecedores com reputação positiva no mercado e invista no planejamento logístico de tudo o que envolve o seu negócio. Além da agilidade, outro fator que ajuda a conquistar a confiança dos clientes é a transparência ao longo de todas as etapas até que o produto chegue ao seu destino final.

E o motivo para investir em uma entrega mais rápida é simples: pesquisas mostram que a demora na entrega de um produto é um dos principais motivos para insatisfação do consumidor. Segundodados do PROCON, 46% das reclamações sobre compras online estão relacionadas ao tema.

8. Experiência de unboxing

Lembra que mais acima falamos sobre a importância de pensar em todas as etapas da jornada de compra do seu e-commerce? Pois bem, uma delas que precisa ser considerada é o momento em que o consumidor abre o produto que chegou na sua casa, ou seja, a experiência de unboxing.

O objetivo aqui é muito simples: fazer com que o consumidor saiba que cada detalhe foi pensado para que ele tenha uma maior satisfação. E quer mensagem mais eficiente para contribuir com a retenção de clientes? Por isso, você deve investir nos mínimos detalhes para proporcionar esse sentimento.

A experiência de unboxing vai variar de acordo com o segmento da sua loja e o perfil dos seus clientes, mas as opções são inúmeras.

De uma carta escrita à mão para agradecer pela compra ou o envio do produto em uma embalagem que possa ser transformada em algo útil para o consumidor.

Quando reunir a sua equipe para pensar na experiência de unboxing, o mais importante é ter em mente que o objetivo deve ser criar um vínculo mais próximo com o seu cliente.

Uma decisão acertada pode transformar uma simples embalagem em uma estratégia de Marketing para a sua loja.

9. Foco na gestão de estoque

Como falamos em outros pontos, a retenção de clientes em um e-commerce não passa apenas pelo que acontece nos pontos diretos de contato com o público que vai comprar os seus produtos, mas também pelo backstage. Na prática, isso significa cuidar da gestão do seu estoque.

Em resumo, é o processo de organização dos seus produtos para assegurar que essa etapa não prejudique a experiência do cliente. Quando isso é bem-feito, não só esse problema é resolvido, mas também os seus custos se tornam menores e o desperdício — de tempo e recursos — também.

10. Logística reversa estratégica

Outro ponto que pode ser muito eficiente para a redução de custos operacionais quando o assunto é a logística do seu e-commerce é se planejar para realizar a logística reversa de maneira mais prática. Ou seja, como o consumidor pode devolver um produto com facilidade e de forma rápida?

Afinal, de acordo com o Código de Defesa do Consumidor (CDC), em compras não presenciais, o cliente pode desistir da transação sem nenhum custo. Além disso, o produto pode simplesmente chegar com algum defeito ou alguma diferença do que foi anunciado e o cliente pode exigir a troca.

Ao criar uma experiência simplificada para que o consumidor não tenha uma dor de cabeça ainda maior, você está investindo diretamente nas suas chances de retenção de clientes. Afinal, erros acontecem, mas o mais importante é oferecer todo o suporte para que eles não se tornem um problema maior.

Segundoinformações da Ebit|Nielsen, 3 em cada 10 compras realizadas online são devolvidas. Por isso, é essencial garantir uma política de devolução ou troca simples e clara, sem deixar dúvidas em relação ao procedimento que deve ser feito, além, é claro, de um fluxo logístico eficiente por trás.

A retenção de clientes não é uma tarefa simples e, por isso, você precisa investir em várias dessas estratégias e tendências para aumentar as chances de que os consumidores não parem apenas uma vez na sua loja, mas sim retornem mais e mais vezes para novas compras.

Mas para ter resultados efetivos, é importante pensar em todo o processo, não é mesmo? O que acha, então, de conhecer algumas dicas para potencializar as suas conversões?

Como posicionar seu e-commerce melhor que os seus concorrentes?

Por Bianca Paroqui do Promobit

Uma preocupação constante dos e-commerces é conseguir ficar a frente de seus concorrentes nos resultados das buscas e se conseguir fazer isso de maneira orgânica é melhor ainda.

Apesar de muitos quererem uma fórmula mágica para seguir, o que realmente dá certo é aplicar estratégias de acordo com a necessidade do seu e-commerce. Por isso, temos aqui algumas dicas que podem te ajudar a melhorar o posicionamento do seu e-commerce!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Destacando seu e-commerce dos demais

Os e-commerces que conseguem mostrar mais para o usuário são aqueles que se destacam e a melhor maneira de conseguir destaque na internet é entender quais ferramentas usar e onde despender mais energia.

Existem três pontos que devem ser levados em consideração, que são: SEO, performance e confiabilidade.

SEO e performance

Um critério básico de SEO para posicionamento é a performance do site e nos últimos anos o Google tem dado maior importância para este ponto, pode parecer repetitivo citar performance como dica, mas é por ser algo tão básico e importante que devemos sempre nos atentar a performance. 

Garantir que o site tenha boa performance representa uma vantagem competitiva para o posicionamento dos e-commerces. Ao mesmo tempo, não ter uma boa performance ou ter queda nos pontos de performance durante grandes atualizações do Google pode resultar em queda de posicionamento, deixando seu site atrás de concorrentes.

Também podemos destacar a importância de implementar o que o Google prioriza em suas atualizações, um exemplo disso, é a maneira como os dados estruturados têm sido priorizados em resultados de buscas com atualizações focadas em trazer conteúdo útil para o usuário.

O ideal é combinar o conteúdo em texto criado para postagens, categorias e produtos, com o máximo de marcações de dados estruturados que estiverem de acordo com a página que se quer destacar.

Foco no mobile sem esquecer o desktop

Há muito tempo se fala em mobile first e, por isso, temos hoje muitas plataformas para e-commerce que ressaltam sua otimização para o site mobile. Realmente houve uma grande melhora na otimização dos sites mobiles nas plataformas, contudo, ainda é comum ver muitos e-commerces que não aproveitam essa melhora ao máximo.

Precisamos dar atenção ao mobile sem esquecer o site no desktop, sempre verificando a performance e o posicionamento nos dois, identificando as diferenças de posicionamento e as oportunidades. 

Às vezes algo que seria aplicado apenas no mobile para melhorar performance ou a interface, pode ser replicado para o desktop, assim como também existem pontos que não serão replicados para o desktop.

Está tudo bem ter pontos de diferenças na exibição do site em diferentes dispositivos, já que o Google e os outros buscadores veem os sites no desktop e no mobile de maneiras diferentes. 

Os resultados de busca em diferentes dispositivos mostram a diferenciação, se pegarmos por exemplo, a palavra-chave “tv 50 polegadas” e comparar o posicionamento do Promobit no mobile e no desktop, veremos que nos resultados em computadores o site posiciona na terceira página, enquanto na página de busca mobile, o Promobit aparece na primeira página:

Posicionamento para “tv 50 polegadas” no desktop segundo dados do Semrush.
Posicionamento para “tv 50 polegadas” no mobile segundo dados do Semrush.

Temos a mesma página, exatamente o mesmo link para computadores e dispositivos móveis aparecendo em posições diferentes para a mesma palavra-chave. Ainda podemos destacar mais diferenças:

  • No mobile a palavra-chave “tv 50 polegadas” tem sua dificuldade de posicionamento estimada em 24% (fácil), enquanto para computadores ela é estimada em 36% (possível), uma diferença de 12% na dificuldade de posicionar esta palavra nos resultados em aparelhos diferentes;
  • Temos o mesmo title nos resultados de ambas as buscas, contudo nos é mostrado duas descrições completamente diferentes nos dois resultados, inclusive, há diferentes rich snippets (dados estruturados) sendo mostrados: o desktop tem apenas title e description enquanto o mobile tem uma imagem complementando seu resultado.

Também vale lembrar que não é porque posicionamos mal para uma palavra nos resultados em diferentes dispositivos, que iremos posicionar mal em todas as palavras naquele dispositivo.

Há a possibilidade de posicionar melhor com variações da palavra principal e até mesmo ter mais destaque com os rich snippets de acordo com a busca que for feita pelo usuário.

Variações da palavra-chave principal que posicionam bem no desktop, segundo dados do Semrush.

Benchmarks aprofundados

Precisamos sempre nos atualizar quanto ao que os buscadores querem dos nossos sites e muito além disso, acompanhar o que nossos concorrentes fazem de certo e de errado, afinal, não é porque um concorrente fez algo em seu site que aquilo é correto e dará certo para nós.

Os estudos de benchmarking são extremamente importantes e úteis para mantermos o site em constante atualização, ter insights e até mesmo aprender com erros que os outros cometeram sem correr o risco de replicá-los em seu site.

Uma dica importante para ficar a frente de seus concorrentes é ir além da análise básica, vá mais fundo, comece no básico com uma análise dos resultados da página de busca do Google e se aprofunde dedicando mais tempo à análise completa do site do seu concorrente.

Além disso, vale ficar de olho nas redes sociais e utilizar ferramentas que identificam o que a concorrência utiliza. Monitore palavras posicionadas e backlinks em comum, verifique mudanças no comportamento de atualizações para identificar testes e tente entender a estratégia deles.

Um exemplo de benchmark que pode trazer bons insights é a comparação dos dados estruturados nos resultados de busca, com a análise dos rich snippets e olhando quais marcações seu concorrente usa. Dessa forma, podemos entender o que está sendo priorizado para esses resultados.

Lembrando que as últimas atualizações do Google focaram muito nesse ponto, sendo perceptível a intenção do Google melhorar a exposição de informações importantes para os usuários.

Exemplo de experiências com informações de produto do comerciante

No final, o mais importante é utilizar os resultados da análise de benchmarking para implementar testes e mudanças que trarão impacto para o crescimento do site frente aos concorrentes.

Como um e-commerce pode aumentar sua confiabilidade?

Aumentar a confiabilidade do seu e-commerce além de fortalecer sua credibilidade e força de marca também é um fator de ranqueamento importante, pois o Google sempre dá destaque a importância de um site ser confiável.

A confiabilidade de um e-commerce vai desde quesitos técnicos para posicionamento e segurança online até onde seu site é citado e como os usuários o veem.

Quando falamos de confiabilidade de um site nos preceitos básicos de SEO e como o usuário vê seu site, veremos sempre alguns fatores como:

  • Domínio;
  • Qualidade e clareza do conteúdo do site;
  • Selos e certificados de confiabilidade;
  • Backlinks de qualidade;
  • Redes sociais;
  • Sites onde é citado: portais de notícias, comparadores de preço, sites de cupons, fóruns, etc.

Domínio,confiabilidade e performance

O tempo de domínio continua sendo relevante e segurança quanto ao uso do HTTPS e certificado SSL já é um padrão, por isso tê-lo no site não seria um diferencial e não tê-lo seria prejudicial, com isto em mente a possibilidade de estar a frente de concorrentes neste quesito seria acompanhar as novidades referentes a segurança e quais vantagens elas trazem.

Pensando em “novidades”, temos o HTTP/3 pode representar um diferencial, afinal ele não é um protocolo oficial ainda – atualmente o HTTP/2 é o protocolo recomendado e reconhecido pelos navegadores.

Contudo, podemos ver um movimento de algumas empresas como o próprio Google e o Facebook implementando esse novo protocolo que pode diminuir o tempo de carregamento das páginas, tendo mais velocidade e estabilidade de conexão do que a versão atual, como atestado no lançamento do HTTP/3 em 2020 e posteriormente por artigos do Google sobre Cloud CDN, balanceamento HTTPS e QUIC.

Temos aqui um meio de aumentar a confiabilidade e a performance do site, podendo sair na frente da concorrência dependendo apenas da possibilidade de implementação deste protocolo.

Neste ponto a limitação das plataformas onde o site se encontra, ou mesmo a equipe internamente responsável pelo seu domínio, determinarão a viabilidade do HTTP/3 trazer mais confiabilidade e performance para o seu e-commerce.

A confiabilidade afirmada por outros sites

Em SEO temos a confiança passada por outros sites através de backlinks de qualidade apontando para um determinado site. No entanto, podemos identificar que a citação de um site por outro vai além do backlink, passando autoridade de uma página para outra, por exemplo.

Mesmo os links que não passariam autoridade para seu site (links nofollow) contribuem de maneira indireta para o fortalecimento dele. É possível entender que o site que cita seu e-commerce e a maneira como é citado, está afirmando para o usuário o nível de confiabilidade.

Ter a confiabilidade do seu e-commerce afirmada por outro site confiável pode colocá-lo à frente dos concorrentes e aumentar o reconhecimento da sua marca.

Trazendo um exemplo além do padrão de sites de notícias e gestores de reputação, temos o Promobit e a explicação para tal exemplo é simples: o Promobit é uma comunidade que divulga ofertas e cupons enviados por seus usuários e apenas e-commerces com confiabilidade atestada podem ser compartilhados. 

Mesmo que os backlinks que o e-commerce recebe do Promobit não passem diretamente a autoridade de um para o outro, seu e-commerce ainda é beneficiado pela afirmação de confiabilidade ao ser exposto em um site que:

Confirma a idoneidade dos e-commerces com uma análise criteriosa da reputação deles, verificando pontos de segurança, confirmando a veracidade de ofertas e cupons para o usuário e ainda tem uma comunidade ativa comentando e conferindo tudo.

E pensando na data mais importante para o comércio, os e-commerces que aparecem no Promobit durante a Black Friday conseguem mais destaque sendo mostrados através de promoções confiáveis e aumentando seu alcance de usuário.

Este conteúdo foi produzido por Bianca Paroqui do Promobit

O impacto do TikTok Shop para vendas online: tendências para 2023

O aplicativo chinês, que tinha como foco principal o mundo da música, mudou de nome em 2018 e começou a ameaçar grandes players das redes sociais. Em 2022, o TikTok tem mais de 1 bilhão de usuários e um dos seus principais diferenciais é que: você não precisa de uma enorme base de seguidores para viralizar conteúdos!

Por ser considerada uma das redes sociais mais democráticas da atualidade, logo começou a chamar a atenção das empresas. Por isso, o TikTok foi apontado como a plataforma digital com mais investimento de profissionais de Marketing em 2022.

Mas, além das possibilidades de promover uma marca, a rede social oferece integração com as melhores plataformas de e-commerce do mercado, oferecendo aos negócios virtuais mais um canal de vendas para ampliar as conversões.

Neste artigo vamos explicar o que é o TikTok Shop e como ele deve impactar as vendas digitais no Brasil em 2023.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

O que é o TikTok Shop?

O TikTok Shop permite que as lojas virtuais integrem sua infraestrutura com Open API e vendam seus produtos em todo o ecossistema da plataforma, como, por exemplo, o TikTok Shopping Ads, aumentando significativamente seu alcance e suas vendas.

Atualmente essa funcionalidade está disponível em mercados selecionados, como Reino Unido e a Indonésia, mas segundo informações do Neofeed o TikTok deve implementar sua estrutura completa de comércio eletrônico no Brasil. O país só fica atrás da China em números de usuários da plataforma, de acordo com a Statista.

O slogan do TikTok Shop — Where entertainment meets commerce — (onde o entretenimento encontra o comércio) já diz tudo, uma vez que mais de 37% dos usuários afirmam que estão dispostos a comprar no TikTok devido ao fator de entretenimento, segundo dados do Marketing Influence Factory.

Para os usuários, o TikTok é uma maneira divertida e fácil de matar o tempo, e com isso eles costumam fazer compras por impulso enquanto estão entretidos.

Além disso, como os usuários podem rolar rapidamente por um feed de conteúdo infinito (sem seguir necessariamente determinada página), as empresas podem se destacar e tornar seus produtos mais atraentes criando vídeos divertidos.

Mas essa não é a única vantagem de comprar no TikTok: veja abaixo.

Vantagens de comprar pelo TikTok

1. Personalização

A personalização, unida ao senso de comunidade e pertencimento, é outro trunfo do TikTok: por isso 21% dos usuários sentem que os produtos e conteúdos são feitos para eles ou alinhados com seus interesses. 

A plataforma oferece uma experiência de usuário altamente personalizada, e o algoritmo faz um ótimo trabalho de curadoria de conteúdo para cada usuário, mostrando exatamente o que ele quer ver. Isso torna mais fácil para as empresas atingir seu público-alvo com produtos e conteúdos relevantes. 

Assim, apostar em nichos é umas das estratégias mais recomendadas para usar o TikTok no e-commerce. Por exemplo, uma pessoa que gosta de cozinhar, ao ser impactada por um vídeo que ensina a fazer uma receita com determinado produto, pode se sentir instigada a comprá-lo para obter o mesmo resultado.

As empresas também podem participar de grupos referentes ao seu nicho. Foi graças ao BookTok, comunidade de leitores, bibliotecários e escritores, que em 2021 a indústria literária registrou um recorde de vendas, e para 2023 as comunidades de Receitas e Beleza prometem resultados similares.

2. Felicidade

Além de ser democrático, o TikTok é uma rede social feliz, sem o estigma da glamourização de outras redes sociais. Com isso, 20% dos usuários compram na plataforma porque os produtos e conteúdos simplesmente melhoram o seu dia. 

Essa é uma excelente aposta para marcas de beleza, por exemplo, que podem usar a plataforma para criar uma conexão emocional com os consumidores, além de obter simpatia do público.

Trabalhar com produtores de conteúdo que mostram como ficam felizes ao usar determinado produto pode ser uma estratégia certeira para aumentar as vendas. Mas a espontaneidade é fundamental!

Com todas essas vantagens você deve estar se perguntando: mas já é possível vender pelo TikTok no Brasil? E a resposta é sim, mesmo sem o TikTok Shop é possível usar o TikTok for Business para vender e promover os produtos da sua marca.

Como vender no TikTok For Business?

Em março de 2022, o TikTok disponibilizou integração com as plataformas Kyte, Loja Integrada, PrestaShop, Shopify, Tray e VTEX para facilitar as vendas online por meio do aplicativo.

Com isso, usando uma conta corporativa, as lojas virtuais conseguem integrar seus catálogos de produtos diretamente na plataforma e incluir esses produtos em seu conteúdos orgânicos.

Para 2023, serão disponibilizados links de produtos via TikTok Shopping, nos quais as marcas podem destacar um ou mais itens em um conteúdo orgânico, que direciona os usuários para as páginas de produto do e-commerce, da mesma forma que as tags de produtos no Instagram.

Por fim, as lojas virtuais podem usar o Live Commerce para se conectar com os usuários da comunidade em tempo real e compartilhar links dinâmicos para produtos e serviços enquanto o conteúdo é transmitido ao vivo. 

Mas tudo isso só vai funcionar se você souber como atrair a atenção dos usuários dessa plataforma, afinal eles recebem milhares de conteúdos por segundo.

Como atrair clientes no TikTok Shop?

Para se destacar no TikTok e atrair clientes para a sua marca é preciso:

  1. Apostar em um nicho específico e produzir conteúdos personalizados;
  2. Ficar de olho na concorrência e aprender com erros e acertos;
  3. Desenvolver um conteúdo criativo e que chame a atenção;
  4. Seguir as tenências de sons, músicas e hashtags;
  5. Ser parte da comunidade da rede social, consumir o conteúdo e conhecer a audiência,
  6. Apostar na criação de conteúdo dos usuários;
  7. Surfar a onda de um algoritmo que ainda está no auge de entrega de conteúdo;
  8. Experimentar e testar diferentes formatos de conteúdo;
  9. Combinar storytelling com as tendências por nicho e sons em diferentes tipos de conteúdo;
  10. Oferecer conteúdos com problemas que você pode resolver para o usuário.

Agora, se você ainda está se perguntando por que investir no TikTok em 2023, confira algumas novidades que a plataforma promete para melhorar a experiência dos usuários e das empresas no próximo ano.

Tendências para negócios no TikTok em 2023

O TikTok vai melhorar seu mecanismo de busca, então não é à toa que os especialistas em SEO já estão estudando como se destacar na plataforma.

Seguindo os passos do Google, a rede social já está testando a entrega priorizada de conteúdos locais, ou seja, os usuários já estão recebendo mais conteúdo de negócios locais ou criadores próximos.

A plataforma segue beneficiando pequenos e médios negócios, assim como micro-influenciadores, que ainda podem realizar parcerias de sucesso unindo marca, estilo pessoal, espontaneidade e criatividade. 

Como todas as redes sociais, a constância e a disciplina na produção de um conteúdo com foco no usuário são fundamentais para aumentar as vendas pelo TikTok, mas esse canal definitivamente deve estar no seu planejamento de 2023!

Artigo por Anna Carolina Neiva, especialista de conteúdo na edrone.

Embalagens para E-commerce: quais são as mais comuns e qual escolher para seu negócio?

Mais do que ter bons preços e produtos atrativos para os clientes da sua loja, é preciso pensar em maneiras de aprimorar a experiência dos consumidores, não é mesmo? Em um mercado tão concorrido, os mínimos detalhes podem fazer uma enorme diferença, como as embalagens para e-commerce.

Afinal, durante a jornada de compra virtual, o consumidor perde um pouco do contato físico com o produto, certo? Pensar em como estruturar embalagens mais atrativas e diferenciadas pode ser uma maneira de compensar essa ausência de contato e, assim, contribuir para uma experiência melhor e mais completa.

Pensando nisso, preparamos um conteúdo completo com tudo o que você precisa saber sobre embalagens para e-commerce:

Continue a leitura deste artigo e entenda como esse acessório pode ser um diferencial competitivo relevante para a sua loja virtual. Confira!

Qual é a importância de escolher boas embalagens para e-commerce?

A qualidade de um produto ou até mesmo os preços mais atrativos são fatores muito relevantes para a tomada de decisão de um cliente em uma loja. Mas dados mostram que as embalagens para e-commerce também devem ser consideradas importantes nesse processo de escolha.

Um estudo da Dotcom Distribution mostra que 4 em cada 10 consumidores estão mais propensos a comprarem em uma loja que ofereça uma embalagem de qualidade premium. Isso significa que é fundamental considerar o investimento nessa questão para ter bons resultados.

E a importância desse acessório não se reduz apenas ao processo de venda, mas também ao desafio de fidelizar mais e mais clientes. Quando a sua marca oferece uma experiência positiva, são maiores as chances de encantar esse consumidor e fazer com que ele retorne mais e mais vezes para a sua loja.

Sendo assim, qualquer e-commerce deve pensar não só na relação com seus fornecedores ou na criação de ofertas dos seus produtos.

É necessário colocar em perspectiva toda a experiência do cliente e isso passa diretamente pela embalagem e o momento de apresentar o que você está vendendo.

Separamos aqui alguns artigos que podem te interessar:

Quais são as embalagens para e-commerce mais comuns?

Uma boa notícia para quem quer investir mais em embalagens para e-commerce é a variedade de formatos e opções que existem atualmente. Confira!

Caixa de papelão

Caixa de papelão para embalagens de e-commerce - Freepik

Exemplo mais básico de embalagem para e-commerce, as caixas de papelão são muito úteis por conta do seu custo-benefício. Não é preciso investir muito dinheiro para adquirir esse material e elas são muito eficientes para transportarem diferentes tipos de produto, especialmente aqueles mais leves.

Mas isso não significa que você deva apenas entregar o produto ali sem nenhuma preocupação. Uma caixa de papelão sem nenhum efeito ou adereço pode passar uma imagem negativa para o cliente, afetando a sua experiência de compra.

Embalagem de madeira

Different chocolate candies in wooden box

Uma opção mais robusta de embalagem que tem ganhado espaço no mercado são as feitas de madeira. O custo de aquisição pode ser um pouco mais elevado para o lojista, mas ela oferece uma estrutura mais forte e caprichada, passando uma mensagem positiva para o cliente.

Esse tipo de embalagem é muito utilizada para lojas que querem fornecer experiências mais completas. Ou seja, o consumidor não vai receber o produto e já descartar tudo o que está ali, com a embalagem servindo como opção para outro uso.

Laminadas

Considerada um meio termo entre as duas opções acima, as embalagens laminadas oferecem uma experiência mais delicada sem aumentar seus custos. É o caminho ideal para quem quer melhorar a jornada do cliente, mas sem gastar muito mais.

O mais interessante desse tipo de embalagem é a possibilidade de personalizar e brincar com as cores e o efeito que a laminação pode criar. Para marcar mais criativas, isso pode abrir uma série de oportunidades para tornar a experiência ainda mais diferenciada.

Artesanais

Embalagens para e-commerce: artesanais são ótimas opções para seu negócio entregar melhores experiências

Por fim, muitos lojistas apostam também em embalagens artesanais, utilizando suas próprias habilidades para desenvolverem embalagens personalizadas. A ideia aqui é criar uma conexão ainda mais única e personalizada com cada cliente, desenvolvendo embalagens bastante peculiares.

Essa é a opção mais adequada para quem quer se diferenciar dos concorrentes, proporcionando uma solução customizável e, em muitos casos, fornecendo as embalagens únicas, já que uma nunca vai ser igual a outra. Aqui também é interessante conectar ainda mais produtos e embalagem.

Como escolher a embalagem adequada para o e-commerce?

Mas, na prática, como desenvolver embalagens para e-commerce que ajudem o seu negócio a vender cada vez mais? Tire suas dúvidas aqui!

Conheça o seu público

Independentemente de qual seja a estratégia, conhecer o seu público-alvo e a sua persona é essencial e não é diferente quando falamos na criação de embalagens.

O foco são crianças, por exemplo? Apostar nas cores talvez seja melhor. O importante é que a embalagem seja adequada ao perfil de quem você quer conquistar.

Analise o mercado

Conferir as opções de quem está disputando os mesmos espaços com você também é importante. Portanto, analise a concorrência, entenda quais são as estratégias adotadas por eles e, é claro, o que você pode fazer para superá-los.

Escolha os materiais certos

Em relação às embalagens, não é só o design que importa e você precisa pensar também na utilização dos materiais certos. Por isso, pense em alguns fatores como resistência e praticidade, além de pontos que podem contribuir para uma experiência mais inovadora para o cliente.

Faça personalizações

Outro aspecto importante que vai ajudar a sua loja a vender mais e criar conexões com seus clientes é personalizar as embalagens.

Especialmente de negócios que não exigem um fluxo muito grande de vendas, pode ser interessante construir essa comunicação mais direcionada para cada cliente.

Mais do que pensar em uma carta, por exemplo, colocar adereços que você sabe que podem ser interessantes para aquele consumidor. Isso pode ter um valor muito alto na hora de conquistar esse cliente.

Crie valor agregado

Escolha pela opção que atenda aos itens acima, porém, não se esqueça de tentar criar uma embalagem que passe um valor agregado, ou seja, que não se resuma apenas ao produto.

Já pensou em conseguir criar um vínculo emocional com o consumidor ou uma opção que se torne útil e faça parte do dia a dia do cliente?

Entenda como proteger sua mercadoria

Outro aspecto importante que precisa ser levado em consideração ao longo desse processo é entender como proteger a sua mercadoria. Afinal, não adianta nada realizar um planejamento completo de como criar uma embalagem e, na prática, isso acabar afetando a experiência do seu cliente.

Por isso, é muito importante juntar o útil ao agradável: o cliente precisa ter uma experiência visual bonita, mas também ser eficiente. A primeira missão de uma embalagem deve sempre ser garantir a proteção do seu produto.

Em um mercado tão competitivo, é muito importante que a sua loja esteja sempre procurando por alternativas para proporcionar uma experiência ainda mais completa para os seus clientes. Cuidar das embalagens para e-commerce é uma das etapas que você deve considerar para fazer isso.

Parte do trabalho de quem quer melhorar a experiência do usuário é entender exatamente o que ele está pensando. O que acha de se aprofundar no assunto e vender cada vez mais? Conheça as 7 etapas do processo de decisão de compra e como guiar o consumidor!

Como vender na Internet para Iniciantes: veja passo a passo

Um guia sobre como vender na internet para iniciantes é algo que todo mundo que deseja alavancar os seus negócios deveria procurar. O motivo é simples: os brasileiros são os que mais compram online.

Isso se deve ao fato da transformação digital e ao acesso cada vez maior da população a dispositivos conectados à rede. Por isso, cada vez mais empresas dos mais diversos segmentos, inclusive pessoas físicas, estão apostando nas vendas online para lucrar.

Mas para se destacar nesse mercado tão concorrido, é preciso contar com as estratégias certas. Para ajudar você, preparamos este artigo sobre como vender na internet para iniciantes. Acompanhe!

Saiba se vale a pena vender pela internet

Os números não mentem! Sim, vale muito a pena vender online. De acordo com pesquisa da CupomValido, o Brasil lidera o ranking de crescimento dos e-commerces, com 22,2% nos primeiros meses do ano de 2022. Mas não para por aí!

 O levantamento ainda revela que o país tem uma expectativa de crescimento quase duas vezes maior que a média mundial (11,35%). Isso significa que o Brasil está à frente de países, como:

  • França (11,68%);
  • Estados Unidos (14,55%);
  • Japão (14,7%).

Devido a essa grande procura por compras online, as plataformas de e-commerce e marketing digital estão se adequando para atender às demandas da forma mais eficiente possível. A ideia é conseguir atrair, criar relacionamentos e converter leads em clientes.

No entanto, para aproveitar esse bom momento, é necessário ter atenção ao mercado digital, o que requer contar com uma eficiente estratégia de marketing.

Assim, para vender na internet, além de plataformas próprias de e-commerce e redes sociais, ainda é possível aderir a marketplaces, como Shopee, Magazine Luiza, Mercado Livre e Amazon, e realizar a chamada venda sem estoque, também conhecida como dropshipping.

Siga nosso guia de como vender na internet para iniciantes

Se você está começando, é preciso seguir um passo a passo para vender na internet. Detalhamos tudo para você, a seguir. Acompanhe!

Defina o público-alvo

Para quem está começando a vender pela internet, uma ação tão importante quanto definir o produto é ter bem determinado o público-alvo. Isso vai otimizar os seus investimentos em marketing e evitar que você fique atirando para todos os lados. 

É indicado que você escolha um produto ou nicho que detenha um amplo conhecimento. A prática garantirá mais segurança nas suas tomadas de decisão, o que inclui assegurar ações de marketing mais efetivas.

Defina os produtos

Com o público-alvo bem definido, é hora de refinar a escolha do seu produto para vender na internet. É com base nele que você vai criar a persona do seu negócio.

Aqui, será necessário estudar com critério as preferências do seu público. É preciso entender as dificuldades, quais são seus sonhos, canais de compra favoritos, formas usadas para pagamentos e outros dados que ajudarão na construção de um negócio online eficiente.

Crie um site

Para começar a vender na internet, você vai precisar de um bom site. A boa notícia é que você mesmo pode fazer sua página de venda.

Para tanto, é importante que você saiba que a plataforma deve ser visualmente agradável e fácil de usar. Isso porque a sua loja online também representa como os clientes enxergam o seu negócio, então, é bom caprichar!

Além disso, com as vendas crescendo nos dispositivos móveis, é importante investir em um site responsivo e garantir que tanto o desktop quanto o mobile tenham carregamentos rápidos. Dê atenção especial ao detalhamento dos produtos, pois isso é essencial na hora de o cliente fechar uma compra.

Você encontra modelos prontos de sites em plataformas como Wix, Zyro e Hostgator. Se preferir contar com apoio de profissionais especializados, que trarão maior suporte e apoio a suas estratégias de marketing, pode conferir o Stage.

Use as redes

As redes sociais devem fazer parte das suas estratégias de marketing para vender na internet. Elas representam uma ótima oportunidade para a sua marca se relacionar com os usuários, apresentando os produtos e serviços, além de gerar valor para eles.

Para você ter uma ideia, o Instagram, que conta com mais de 1 bilhão de usuários ativos por mês, divulgou que 50% dos perfis da sua rede estão mais focados em comprar de marcas após visualizar um de seus anúncios no aplicativo. Além disso, o Instagram tem recursos como a Loja do Instagram, para você direcionar o usuário diretamente para a página do produto no seu site.

Gere tráfego

Quando o assunto é venda online, gerar tráfego é fundamental para obter leads e transformá-los em clientes. Para investir nessa estratégia, é importante fazer a coleta de dados sobre o seu público para entender em que lugares eles consomem mais informações e como é possível chegar até eles, incentivando o clique para o seu site de compra.

Com isso, apostando em estratégias de tráfego no Google, redes sociais e outras plataformas, você consegue atrair visitas qualificadas para suas páginas, melhorando as taxas de conversão.

Invista em mídia paga

Quando o assunto é tráfego, não podemos deixar de falar em mídia paga, que nada mais é do que investir na divulgação de anúncios para que eles apareçam em buscadores como o Google, redes sociais e outros sites. Com isso, é possível alcançar um grande número de pessoas, e ainda segmentar de acordo com as características do seu público-alvo.

Para que as ações sejam mais efetivas, é recomendado contar com a ajuda de profissionais especializados na área. Afinal, existem diversas particularidades a serem analisadas para que você possa ter os melhores resultados.

Pense na logística

Quando o assunto é vender na internet, você precisa contar com um processo logístico eficiente. Afinal, preço e entrega dentro do prazo são os requisitos mínimos esperados pelos consumidores. Por isso, é preciso adequar as suas estratégias para garantir a boa experiência dos clientes.

Assim, é essencial contar com transportadoras que sejam capazes de oferecer um serviço rápido e com ótimo custo-benefício.

Mas se você acha que esse é um processo muito complicado, saiba que já é possível contar com plataformas que facilitam o gerenciamento logístico das lojas online, como a Melhor Envio.

Você pode pesquisar por outras plataformas logísticas na internet e contratar aquela que melhor atenda às suas necessidades.

Analise as suas métricas 

Para que você possa analisar o crescimento do seu negócio online e aprimorá-lo, é necessário criar um planejamento que envolve a definição de indicadores de desempenho da sua empresa

Esses indicadores têm o objetivo de mensurar pontos-chave do negócio, como:

  • volume de vendas;
  • produtos mais vendidos;
  • região onde existe maior demanda;
  • ticket médio;
  • de onde vem o tráfego de clientes (redes sociais, buscadores, plataformas diversas), entre outros.

Assim, esses dados podem ser usados para melhorar a tomada de decisão do negócio, aumentando as suas chances de obter lucro.

Separamos aqui alguns artigos que podem ser interessantes para você:

Confira as vantagens de vender pela internet

Apesar de não ser uma tarefa das mais fáceis, já que é preciso contar com um bom planejamento financeiro e de marketing para alcançar o sucesso, vender pela internet possibilita diversas vantagens. Acompanhe, a seguir!

Autonomia

Para quem não gosta de trabalhos “engessados”, vender pela internet pode ser uma boa solução. Isso porque você pode conciliar suas atividades do dia a dia e reservar um tempo, por exemplo, à noite, para gerenciar as atividades do seu e-commerce.

Com isso, além de uma maior autonomia de tempo, você ainda tem a liberdade de tomar as decisões sobre o seu próprio negócio, sem estar preso às limitações do comércio offline.

Investimento reduzido 

Se você está com o orçamento apertado, não se preocupe! É possível vender no comércio online com baixo investimento.

Isso porque, ao contrário do que acontece com lojas físicas, que precisam de um espaço físico para atender aos clientes, com a loja online, grande parte da sua operação de venda fica hospedada no meio digital.

Ou seja, você não precisa arcar com custos como aluguel de loja, IPTU, luz, condomínio, funcionários de frente e tantos outros custos.

Em vez disso, você pode apostar em boas plataformas para criar o seu site, investir em tráfego pago, e-mail marketing, redes sociais e outras estratégias online de divulgação da sua marca.

Ainda há casos em que você pode vender pela internet sem mesmo precisar de um estoque, utilizando o modelo de negócio da venda sem estoque.

Maior alcance 

Ao contrário das lojas físicas, que limitam as vendas às proximidades do seu público-alvo, as lojas virtuais tornam possível que você alcance o mundo todo, já que a internet não tem fronteiras.

Você pode estar pensando que essa é uma estratégia muito ambiciosa, mas saiba que essa já é uma realidade vivenciada por diversas empresas. Para tanto, você vai precisar contar com uma boa estratégia de logística.

Horários flexíveis para trabalhar

Já pensou em poder trabalhar de qualquer lugar, sendo dono do seu próprio tempo? Quando você se dedica a vender pela internet, isso é possível.

Nessa modalidade, você conta com ferramentas de automação, que diminuem muito o trabalho manual. Além disso, é válido lembrar que as lojas virtuais ficam abertas 24 horas por dia e, já que nenhum ser humano é capaz de acompanhar esse ritmo, contar com a ajuda da tecnologia é mais do que necessário.

Viu nosso guia sobre como vender na internet para iniciantes não é algo tão complicado quanto você imaginava? Para isso, você vai precisar seguir esse passo a passo, ter um planejamento de marketing digital efetivo e estar aberto para inovar, o que garantirá a permanência do seu negócio no mercado.

Se você gostou deste artigo, confira também o que vender para ganhar dinheiro.

E-commerce quebra recordes de vendas: 4 coisas que podemos aprender com a temporada de Natal 2021

Com a temporada de festas chegando ao fim, é comum que as empresas olhem para as maiores tendências do ano que passou e pensem em como podem melhorar suas estratégias para o próximo ciclo.

Para ajudar o mercado de e-commerce nesse sentido, a Adobe acaba de lançar o Holiday Shopping Trends and Insights, um relatório sobre as tendências de compras de fim de ano de 2021.

Mas por que razão a temporada 2021 foi tão especial para as compras online? Bem, foi o ano em que o e-commerce bateu o recorde de vendas online; os americanos gastaram US$ 204,5 bilhões entre novembro e dezembro.

Aqueles que já compravam na Internet estão se tornando mais exigentes a cada ano. Ao mesmo tempo, há uma nova base de consumidores que surgiu como resultado da pandemia de COVID-19.

Portanto, se você quiser descobrir como expandir sua participação nesse mercado próspero, continue lendo enquanto te guiamos por alguns dos pontos-chave deste relatório da Adobe.

#1. Planeje com muita antecedência

A pesquisa mostrou que os consumidores começam a fazer as compras para a temporada de festas no início de novembro, o que pode significar que muitos já estão procurando o que pretendem comprar em setembro e outubro.

Se você quer se destacar em 2022, não comece sua campanha 20 dias antes do Natal.

Além disso, ao iniciar mais cedo e acompanhar os resultados de suas estratégias de marketing, você terá mais insights sobre o comportamento do seu público-alvo e poderá criar projeções de vendas mais confiáveis.

#2 SEO

Provavelmente muitos dos seus clientes virão do Google ou de outros motores de busca. Portanto, preste atenção à velocidade de sua página e à qualidade das imagens dos seus produtos.

Você também pode usar a pesquisa de palavras-chave para analisar quais produtos estão sendo mais pesquisados ​​em seu nicho e, em seguida, concentrar sua estratégia nessaslong tails.

E só um lembrete: sua página não vai ranquear nas primeiras páginas do Google da noite para o dia, certo? Este é um processo de médio/longo prazo. Então, novamente: vá em frente e comece a pensar agora em suas estratégias para a temporada de festas de 2022.

Aqui você pode ver como realizar uma auditoria de SEO para explorar mais sobre esse tema e garantir que seu site esteja atualizado com as táticas mais eficazes para atrair novos clientes com tráfego orgânico.

#3. Experiência do cliente

Conforme o relatório da Adobe, os desktops continuam sendo os dispositivos mais utilizados para comprar online, com as melhores taxas de conversão. No entanto, os telefones celulares representaram 43% das vendas totais no período.

De fato, os dados mostraram que, sem contar o tempo do sono, passamos um terço do nosso dia em nossos dispositivos móveis em 2021. Isso é algo que precisamos considerar.

Portanto, junto com o SEO, é importante proporcionar uma boa experiência do usuário nas suas páginas para ambos os dispositivos, tornando-os responsivos para qualquer tipo e tamanho de tela que seus clientes usem.

A personalização também é fundamental para melhorar a experiência do cliente: usando questionários e avaliações que orientam os visitantes pelos seus produtos e serviços, você pode conduzi-los pelo processo de compra mais rapidamente.

#4. Curbside Pick-up

Este sistema, que consiste em comprar online e levantar no local indicado pelo vendedor sem ter de sair do carro, representou quase um quarto de todas as vendas online na época natalina de 2021.

Sem dúvida, você poderá impulsionar suas vendas na Internet e se diferenciar dos competidores utilizando abordagens diferentes, como:

  • Curbside Pick-up;
  • BOPIS — “buy online pick up in-store”, em português “compre online, retire na loja”;
  • BNPL — “buy now, pay later”, em português “compre agora, pague depois”;
  • comércio nas redes sociais;
  • entre outros.

Lembre-se de educar sua base de clientes sobre cada uma dessas soluções e identificar quais realmente se encaixam na estratégia do seu negócio.

Então, pronto para agitar o seu e-commerce em 2022?

Mesmo com 6 bilhões de mensagens de “produto esgotado” enviadas aos compradores, as vendas de e-commerce atingiram um novo recorde em 2021, mostrando que as pessoas estão realmente engajadas com as compras online.

No entanto, podemos esperar que as empresas estejam mais preparadas em 2022, com uma cadeia de suprimentos melhor planejada e prontas para vender ainda mais este ano.

Então, não se esqueça:

  • estude as tendências,
  • fique atento ao que está mudando no comportamento do consumidor,
  • comece seus planos mais cedo e, claro,
  • meça tudo o que você faz para saber o que funciona e o que precisa ser melhorado.

Inscreva-se na nossa newsletter para receber todas as sextas-feiras na sua caixa de email uma compilação de tudo o que está em alta no mundo do Marketing, Tecnologia e Negócios (e a perspectiva dos nossos especialistas sobre como usar essa informação a favor da sua marca).

Aproveite esse crescimento nas compras online para gerar bons resultados de receita na sua empresa.