Microblogging explicado: entenda o que é e como funciona

Em um cenário no qual o nível de atenção é cada vez menor, conseguir repartir um conteúdo mais completo em pequenas partes pode ser uma tática eficiente para conquistar uma audiência online. 

E é exatamente por isso que você precisa conhecer mais sobre o microblogging e como essa estratégia é útil para marcas e profissionais.

Mas não se trata apenas de publicar conteúdos menores: é preciso ter interação com a audiência, integração com outros canais e fit com cada plataforma. 

Quer entender como colocar essa estratégia em prática? Continue a leitura e confira!

O que é microblogging?

O microblogging é uma estratégia de compartilhamento de conteúdo focada em trechos mais curtos e diretos, criando uma comunicação mais eficiente para os canais digitais. 

Em vez de uma longa página sobre um assunto, quem escreve pode dividir o texto em pequenas partes para explicar aquela ideia ou conceito.

Na comparação com blogs tradicionais, por exemplo, os microblogging focam em atualizações mais frequentes e rápidas, permitindo que os usuários respondam rapidamente sobre tendências ou eventos que aconteceram há pouco tempo, criando uma relevância maior no espaço online.

Outro ponto importante é que o microblogging reforça uma interação social entre quem escreve e quem lê, já que é um conteúdo simples para ser comentado ou compartilhado. 

E essa interatividade pode ajudar uma marca, por exemplo, a criar conexões orgânicas com a sua audiência e se posicionar como autoridade.

Por que o microblogging é importante para marcas e profissionais de marketing?

Tudo bem, mas por que a sua marca (ou você) precisa investir no microblogging? Os motivos são estes aqui!

Engajamento rápido e imediato

No universo do marketing digital, o microblogging ganha destaque por proporcionar um engajamento ágil e direto com o público-alvo. Canais como X (ex-Twitter) permitem que marcas interajam quase instantaneamente com seus seguidores, o que é essencial para manter a relevância no ambiente online.

Além disso, a capacidade de responder rapidamente às dúvidas e comentários dos clientes, por exemplo, não apenas aumenta a satisfação do consumidor, mas também melhora a percepção de um serviço ao cliente mais eficiente.

Para ilustrar, imagine uma companhia aérea, que consegue usar o X para responder ao vivo qualquer pergunta dos passageiros sobre um voo atrasado, uma dúvida sobre as políticas de bagagem ou até mesmo para informar novas atualizações sobre o serviço oferecido pela companhia. 

Certamente essa empresa conseguirá um bom destaque ao oferecer esse recurso, não é mesmo?

Promoção e divulgação de conteúdo

Se o microblogging não vai ser, necessariamente, o resultado do seu conteúdo, isso não significa que ele não sirva para promover esses materiais. 

Por que não fazer uma espécie de teaser, destacando as partes mais interessantes de um blogpost, um vídeo no YouTube ou um e-book?

Com posts curtos que chamam a atenção, as marcas conseguem gerar um tráfego maior para os seus sites ou blogs. No final das contas, é uma forma de aumentar o alcance desses conteúdos ricos e, ao mesmo tempo, potencializar a visibilidade das suas páginas em uma SERP, por exemplo.

Uma empresa de artigos esportivos pode compartilhar no Threads — ou mesmo no próprio Instagram com as adaptações necessárias — algumas ideias sobre como fazer exercícios físicos em casa. 

As dicas em imagens ou posts curtos conseguem chamar a atenção e, em seguida, um CTA direcionando para uma landing page.

Identidade da marca e autoridade

A combinação dos dois pontos acima e o uso estratégico do microblogging ajuda a fortalecer a identidade da marca e a construir autoridade no mercado. 

Ao se posicionar sobre temas relevantes e atuais — sempre com velocidade —, as empresas passam a ser vistas como referências naquele assunto.

Na prática, essa visibilidade fortalece a confiança e a fidelidade do consumidor, criando uma base de seguidores mais engajados. 

E o melhor é que essa plataforma pode ser ainda mais eficiente para abordar assuntos que nem sempre são vistos como uma prioridade pelos consumidores de uma marca.

Por que uma fabricante de cosméticos não utiliza o microblogging para falar sobre sustentabilidade e dar mais detalhes sobre as suas iniciativas ecológicas? 

Por mais que o foco não seja vender, é uma maneira de reforçar esse compromisso e, quem sabe, conquistar ainda mais clientes no futuro.

Exemplos de plataformas de microblogging

Mas quais são os canais que podem ser utilizados?

X (ex-Twitter)

O X é o exemplo mais clássico de microblogging, sendo desenvolvido justamente para essas discussões mais simples e diretas, com conversas sobre assuntos em alta naquele momento. Afinal, a própria limitação da quantidade de 280 caracteres por publicação já é um exemplo disso.

Threads

Concorrente direto do X, o Threads foi desenvolvido pelo Instagram com o mesmo propósito: criar conversas rápidas e interações mais diretas entre os usuários. 

O principal diferencial é justamente a integração com o Instagram, permitindo a promoção de conteúdos das diferentes plataformas.

LinkedIn

Exemplo de microblogging para o mercado B2B, o LinkedIn ajuda empresas e profissionais que querem falar sobre determinados assuntos e serem vistos como autoridade em suas áreas de atuação. Uma plataforma ideal, considerando que o marketing no segmento B2B tem se tornado cada vez mais importante.

Quais são as melhores estratégias para um microblogging eficiente?

Mas não adianta apenas replicar essa estratégia e esperar os resultados de uma hora para outra. Por isso, é importante seguir algumas táticas que vão ajudar a conseguir melhores resultados.

Planejamento de conteúdo

Para maximizar a eficácia do microblogging, é fundamental desenvolver um calendário editorial detalhado. 

Na prática, esse plano precisa ter a frequência e o tipo de conteúdo que será compartilhado, garantindo uma presença constante e em diferentes plataformas de microblogs.

Dependendo do seu objetivo, você pode variar entre dicas rápidas, notícias urgentes, insights de mercado e até mesmo atualizações da empresa para manter o interesse e engajamento dos seguidores. 

A regularidade e a diversidade de conteúdos são essenciais para manter os usuários interessados e engajados, enquanto fortalecem a imagem da marca.

Quem tem um e-commerce de moda, por exemplo, pode publicar dicas de estilo, novidades e bastidores sobre as novas coleções da loja e até mesmo um conteúdo interativo com enquetes para engajar com o público e até mesmo gerar novos insights para o seu negócio.

Uso de hashtags e tópicos populares

Outro ponto importante é utilizar hashtags relevantes para participar de tópicos populares que podem ampliar a visibilidade dos seus conteúdos. 

Ao incluir hashtags em alta, a marca ganha exposição com um público mais amplo que segue esses temas específicos.

Além disso, participar de discussões relevantes na área de atuação da empresa pode estabelecer a marca como participante ativo no setor, aumentando sua autoridade e reconhecimento. 

Por exemplo, companhias do setor de tecnologia podem lançar seus produtos ou avisar de atualizações utilizando hashtags que façam sentido no nicho.

Integração com outros canais

Como falamos mais acima, o microblogging não pode ficar isolado, ele deve fazer parte de uma estratégia de marketing digital integrada. 

Por isso, nunca se esqueça de fazer CTAs que encaminhem os seguidores para outros canais, como blog, canal do YouTube ou landing pages.

O chamado “cross-promotion” potencializa o alcance de todas as suas plataformas, garantindo que o seu público sempre veja a sua marca presente. 

Por que não publicar um vídeo no YouTube e, em seguida, compartilhar alguns dos cortes e destaques desse conteúdo no Twitter para atrair mais usuários interessados?

Conteúdo visual

Por falar em vídeo no YouTube, uma dica aqui é apostar em conteúdos visuais para se destacar nas redes sociais de microblogging. 

Imagens bem diretas, GIFs e até vídeos curtos são ideais para serem compartilhados e capturarem a atenção de quem está scrollando por uma rede social.

Além disso, é uma forma eficiente de fortalecer a sua mensagem, garantindo que o conteúdo visual sempre faça sentido para o que está sendo escrito. 

Em vez de só divulgar dados sobre o sucesso de um novo produto, fazer uma imagem bastante simples de ser interpretada pode tornar aquele conteúdo muito mais relevante.

Engajamento com a comunidade

Também é importante não se distanciar do seu público: o foco do microblogging é justamente a proximidade com a audiência, e isso significa não apenas postar e esperar pelos resultados, mas também engajar e participar das conversas. E um exemplo disso é até mesmo fazer o atendimento dentro dessa estratégia.

Publicou algo sobre um produto e muitos comentários vieram com dúvidas dos seus seguidores? 

Sem problemas, tenha uma equipe disponível para fornecer todas as respostas necessárias, com uma troca mais natural e orgânica para se comunicar com o público-alvo da sua marca.

FAQs sobre microblogging

Ainda tem dúvidas? Não se preocupe. É só acompanhar as nossas perguntas e respostas sobre o tema.

Qual é a diferença entre blog e microblog?

Blogs são plataformas focadas na publicação de artigos longos e detalhados, permitindo um maior detalhamento dos temas. Já os microblogs contam com conteúdos mais breves, limitando o tamanho do texto, incentivando atualizações rápidas e frequentes, ideal para comunicação mais dinâmica.

Quais são os benefícios do microblogging para profissionais de marketing?

O microblogging oferece a vantagem de permitir interações rápidas e diretas com o público, aumentando a visibilidade da marca e o engajamento do consumidor. Além disso, facilita o monitoramento de tendências e a resposta imediata a eventos ou discussões relevantes.

Quais são as melhores plataformas para microblogging?

  • Twitter: ideal para postagens rápidas, interações diretas com seguidores e acompanhamento de tendências por meio de hashtags;
  • Tumblr: combina características de blog e microblog, permitindo posts mais longos além do uso de mídias variadas e repostagens;
  • Instagram: focado em conteúdo visual, é perfeito para estratégias de branding visual e microblogging por meio de legendas curtas e stories;
  • LinkedIn: excelente para microblogs profissionais, especialmente para compartilhar insights da indústria e estabelecer autoridade no setor.

Como criar uma estratégia eficaz de microblogging?

Para desenvolver uma estratégia eficaz de microblogging, é crucial manter um calendário editorial, utilizar hashtags de forma estratégica para aumentar a visibilidade e se engajar constantemente com o público desses canais.

No final das contas, fica claro como o microblogging é uma ferramenta cada vez mais importante para marcas e profissionais de marketing que querem engajar com as suas audiências de maneira orgânica e eficiente. Mas essa estratégia só vai gerar resultados com planejamento e, é claro, conteúdo de qualidade.

O que acha, então, de conhecer mais sobre o WriterAccess, uma plataforma para encontrar freelancers especializados e criar estratégias de microblogging eficazes para a sua marca?

O que faz um copywriter e por que contratar esse profissional?

Você confia no marketing digital para divulgar seu negócio e conquistar novos clientes, mas quem está escrevendo os seus conteúdos hoje? Pode ser que seja você ou uma ferramenta de inteligência artificial gerativa como o ChatGPT, mas será que isso é suficiente para educar e persuadir o seu público? Provavelmente não é.

A qualidade dos textos usados para fins de marketing e vendas depende da capacidade de usar estratégias de copywriting e da sensibilidade de um profissional. Então talvez tenha chegado a hora de saber como contratar um copywriter.

Elaboramos um guia básico para você que deseja contratar esse profissional, incluindo quais são os preços, onde procurar e como escolher um copywriter qualificado.

O que um copywriter faz?

Um copywriter é alguém que escreve textos persuasivos para vender produtos ou serviços. É o responsável por criar palavras e frases que convencem as pessoas a tomar uma ação específica, como se inscrever em um site ou clicar no botão de “Comprar”.

O copywriter Robert Bly, autor do livro “The Copywriter’s Handbook: A Step-By-Step Guide to Writing Copy That Sells”, explica o que faz um profissional da área:

“O copywriter cria uma imagem do que o produto pode fazer pelo leitor, promete que a imagem se tornará realidade se o leitor comprar o produto, prova o que o produto fez por outros e pressiona para uma ação imediata.”

Uma das lições do autor para os futuros copywriters nos ajuda a entender qual é o papel desse profissional na estratégia de vendas de uma empresa:

“Lembre-se, como copywriter, você não é um artista criativo; você é um vendedor. Seu trabalho não é criar literatura; seu trabalho é persuadir as pessoas a comprar o produto.”

Pense nos anúncios que você vê nos sites, nos e-mails que recebe das marcas ou nos posts nas redes sociais que te fazem querer comprar algo. Um profissional provavelmente escreveu essas palavras para te convencer.

Entendido o conceito, veja os principais tipos de “copy” (formatos de conteúdo) escritos por um copywriter:

Então, basicamente, um copywriter é como um vendedor, mas, em vez de usar o rosto e a voz, eles usam as palavras escritas para vender produtos e serviços.

É melhor contratar um copywriter ou redator SEO?

Um redator SEO é especializado em escrever artigos de blog para ranquear nos mecanismos de busca, como o Google, enquanto um copywriter se concentra em criar textos persuasivos que incentivem ações específicas, como comprar um produto ou se inscrever em um serviço. 

É muito importante que você, contratante de um copywriter, entenda essa diferença para encontrar o profissional certo para o seu projeto.

Embora muitos redatores que escrevem para SEO também sejam copywriters, as habilidades necessárias e o estilo de escrita são diferentes. O redator SEO está focado em garantir que o conteúdo seja encontrado online, enquanto o copywriter se concentra em persuadir as pessoas a agirem.

Por que contratar um copywriter?

Toda empresa deveria contratar um copywriter porque o trabalho desse profissional traz resultados tangíveis: aumenta conversões, alinha o conteúdo com objetivos da marca, economiza tempo e atrai o público com gatilhos mentais.

Entenda mais sobre os reais benefícios do trabalho do copywriter a seguir.

Aumento da conversão

Textos persuasivos levam a uma maior conversão de vendas ou ações desejadas. Segundo pesquisa da HubSpot, mais de 60% dos profissionais de marketing medem o sucesso de seu conteúdo por meio das vendas.

E um copywriter é parte importante desses resultados, pois ele é treinado para entender os desejos do público-alvo e traduzi-los em palavras que os levem a tomar uma atitude.

Além disso, os copywriters sabem como usar as palavras certas para convencer as pessoas a comprar um produto, assinar uma newsletter, fazer um download ou qualquer outra ação que você queira que elas realizem.

Estratégia de conteúdo coerente

Quando se trata de conteúdo, não basta apenas escrever palavras bonitas. É necessário que cada landing page, e-mail ou post nas redes sociais esteja alinhado com os objetivos da marca. Aqui é onde entram os copywriters.

Eles trabalham em estreita colaboração com você para entender a essência da sua empresa, sua missão e valores, e depois traduzem esses elementos em mensagens que ressoam com o seu público-alvo.

Expertise em gatilhos mentais

Por trás de cada texto persuasivo está uma compreensão de como é a psicologia humana. É por isso que bons copywriters são especialistas em gatilhos mentais — técnicas psicológicas usadas para influenciar o comportamento do consumidor.

Estamos falando de padrões de pensamento e impulsos emocionais que levam as pessoas a tomar decisões de compra, como escassez, urgência, autoridade, exclusividade, prova social e reciprocidade.

Os copywriters sabem como usar palavras que despertam emoções e incentivam a ação, tornando mais provável que os leitores ajam de acordo com o que está sendo oferecido.

Economia de tempo

Os profissionais que conhecem as técnicas de copywriting podem agilizar o processo de produção de conteúdo.

Eles são treinados para escrever de forma rápida e sem comprometer a qualidade do texto. Isso significa que você economiza tempo que pode ser dedicado a outras áreas do negócio.

Pedro Yamamoto, Senior Copywriter da Hotmart

Pedro Yamamoto, Senior Copywriter da Hotmart

Pedro Yamamoto, Senior Copywriter da Hotmart

Ainda não está convencido? Talvez você mude de ideia com a fala de Pedro Yamamoto, Senior Copywriter da Hotmart:

“O Copywriter é, sem sombra de dúvida, o profissional mais estratégico do marketing digital. Tudo porque ele é a ponta que começa todo o processo, que tem capacidade técnica de direcionar toda a comunicação de um lançamento ou campanha, além de ser o profissional que precisa, obrigatoriamente, ser direcionado por dados e resultados. Ou seja, toda empresa que deseja crescer e escalar seus resultados precisa ter um Copywriter no time. Em todos os lugares que passei, o Copywriter assumia um importante papel estratégico nas ações de marketing e estava diretamente relacionado com as vendas e o resultado da empresa.

Complementando, acredito que todo Copywriter precisa ter uma visão completa do projeto, empresa ou especialista para o qual ele está escrevendo, porque isso ajuda muito a ser eficiente, assertivo e preciso na hora de escrever, além de torná-lo uma peça estratégica para o sucesso de qualquer ação de marketing“.

Quanto custa contratar um copywriter?

No mercado brasileiro, é escasso encontrar dados específicos sobre os custos de contratar um copywriter. Geralmente, os valores são definidos por projeto ou conteúdo. Isso significa que o redator é recompensado pelo resultado esperado, não pelo tempo gasto.

Plataformas como a WriterAccess, que têm uma comunidade de freelancers, adotam esse modelo, cobrando de acordo com a complexidade e exigências de cada projeto, podendo variar conforme o prazo de entrega ou o nível técnico requerido.

Além de plataformas, também é possível contratar diretamente um copywriter freelancer. Nesse caso, os valores variam dependendo da reputação, experiência e especialização do profissional, bem como da complexidade do projeto.

Por exemplo, um projeto de redação de artigos de blog pode variar de R$ 200,00 a R$ 800,00, dependendo da extensão do texto, do prazo de entrega e do nível de especialização do copywriter necessário.

Já para a criação de textos persuasivos para landing pages longas, os valores podem variar entre R$ 300,00 e R$ 1.500,00, considerando fatores como a complexidade da mensagem, o público-alvo e o objetivo da campanha.

Você também pode se interessar pelos seguintes conteúdos:

Como escolher um bom copywriter?

O mercado brasileiro tem muitos copywriters talentosos e qualificados, mas não contrate um profissional para o seu projeto sem antes seguir os seguintes passos:

  • procure profissionais em plataformas de freelancers, agências de marketing, grupos no Facebook e LinkedIn;
  • escolhe um copywriter com experiência no seu nicho de mercado ou na indústria em que você atua;
  • peça recomendações e feedback de clientes anteriores para validar a reputação e a confiabilidade do copywriter;
  • analise o portfólio do copywriter para verificar a qualidade e variedade do trabalho;
  • discuta prazos e cronogramas de entrega claros com o copywriter;
  • esteja aberto ao feedback do copywriter e seja claro sobre suas expectativas desde o início.

Em relação aos preços cobrados pelos copywriters, escolha um profissional cujo valor esteja alinhado com a qualidade e o valor que eles oferecem. 

WriterAccess: encontre copywriters, redatores e outros talentos

Encontrar o profissional perfeito para sua estratégia de conteúdo pode ser um desafio, mas, com a WriterAccess, essa tarefa se torna mais simples. A plataforma reúne mais de 15.000 talentos qualificados, incluindo redatores, editores, estrategistas e copywriters, todos prontos para contribuir com suas habilidades e experiência.

Se você fizer uma pesquisa dos perfis dos talentos da WriterAccess, poderá ver todas as boas práticas que foram indicadas para escolher o melhor profissional. Cada perfil fornece informações sobre a experiência do profissional, especializações e competências, o que você precisa para escolher o copywriter certo para o seu projeto.

A WriterAccess também se destaca pela variedade de especializações, pois os copywriters da plataforma são especializados em diversas indústrias. Ou seja, você encontrará o profissional perfeito, independentemente do nicho de mercado.

E não para por aí. A WriterAccess também oferece ferramentas de IA exclusivas que facilitam o processo de criação. São ferramentas que podem ajudar a otimizar seu conteúdo, tornando-o mais atraente e alinhado aos seus objetivos.

Então, deixo o convite especial para experimentar a WriterAccess com um trial gratuito e encontrar o melhor copywriter para o seu projeto!

FAQ: outras dúvidas comuns sobre copywriter

Ainda ficou com alguma dúvida sobre o trabalho dos copywriters? Confira abaixo respostas para algumas das perguntas mais comuns sobre esses profissionais e suas funções.

Qual é a função de um copywriter?

A função principal de um copywriter é participar da produção de textos persuasivos que incentivam ações específicas das pessoas, como comprar um produto, assinar um serviço ou se inscrever em uma newsletter.

O que é preciso para ser um copywriter?

Para ser um copywriter, é necessário ter habilidades de escrita criativa e copywriting, entender o básico de marketing digital e psicologia do consumidor e conseguir adaptar sua linguagem para diferentes públicos. Ter curso superior não é um pré-requisito, embora seja desejável. 

Qual o salário de um copywriter?

O salário de um copywriter senior contratado por tempo integral varia entre 7 e 13 mil reais, conforme o levantamento atualizado da plataforma Glassdoor. No entanto, a remuneração varia dependendo da experiência, habilidades e localização geográfica.

O que um copywriter estuda?

Um copywriter profissional estuda uma variedade de tópicos relacionados à escrita persuasiva, marketing, neuromarketing, psicologia do consumidor, técnicas de vendas e tendências do mercado. Eles também podem se especializar em áreas específicas, como SEO, marketing de conteúdo ou copywriting para redes sociais.

Quanto custa o serviço de copywriter?

O custo do serviço de copywriter pode variar dependendo da complexidade do projeto, prazo de entrega, nível de especialização e reputação do profissional. Em média, os preços podem variar de algumas centenas a alguns milhares de reais por projeto.

Como contratar um copywriter?

Você pode contratar um copywriter por meio de plataformas online de freelancers, agências de marketing, grupos no Facebook e LinkedIn. Certifique-se de analisar o portfólio, experiência e habilidades do profissional antes de contratá-lo.

Quais os benefícios de contratar um copywriter?

Contratar um copywriter garante que seu negócio use textos persuasivos para impulsionar as vendas, tenha uma economia de tempo na produção de conteúdo, use gatilhos mentais para aumentar a conversão e construa uma estratégia de conteúdo alinhada com os objetivos da marca.

Conclusão

Agora que você já sabe o que faz um copywriter, espero que tenha ficado claro que contratar esse profissional pode fazer a diferença na qualidade dos conteúdos produzidos para suas estratégias de marketing.

Então, conte com uma plataforma que conecta clientes a uma base de freelancers talentos para atender às necessidades específicas do seu projeto.

Na WriterAccess, você encontra redatores SEO e copywriters para ajudar com e-mail marketing, copy de anúncios, landing pages e muito mais. Descubra como fazer um teste grátis por 14 dias!

Como gerar mais leads no TikTok? Melhores dicas para turbinar seu perfil na plataforma!

A geração de leads é uma parte importante de qualquer estratégia de vendas, pois nem todas as pessoas que visitam um site ou veem um conteúdo estão prontas para comprar imediatamente. Muitas vezes, elas precisam de mais informações ou tempo para considerar a compra. É aí que entra a geração de leads.

No TikTok, uma das redes sociais mais usadas no Brasil, a geração de leads também é possível.

Milhões de pessoas acessam o TikTok todos os dias em busca de entretenimento e inspiração. E, com as estratégias certas, você pode transformar esses visitantes em potenciais clientes.

Mas como funciona exatamente a geração de leads no TikTok? É isso que veremos aqui. Continue e descubra tudo sobre como usar o TikTok para gerar leads qualificados!

Por que o TikTok é relevante para geração de leads?

Se você não tem certeza se vale a pena criar uma estratégia de marketing no TikTok para aumentar sua base de leads, queremos provar aqui que chegou a hora de dar esse passo.

O TikTok é uma das redes com crescimento mais rápido desde que foi criada. E, ao contrário do que alguns pensam, tornou-se um ambiente fértil para negócios.

71,2% dos usuários do TikTok disseram que fizeram compras quando encontraram algo no feed ou Stories e 58% dizem que já usaram o TikTok para se inspirar nas compras.

E o crescimento não deve parar por aí. A média de vendas no TikTok nos próximos anos deverá aumentar em 67% até 2026.

Existem muitas razões que podem explicar esse sucesso do TikTok para relações comerciais, especialmente entre as gerações mais jovens.

Dos membros da Geração Z que usam o aplicativo, 2 em cada 5 são atraídos por conteúdo que parece mais adaptado aos seus gostos, segundo pesquisa da Adobe.

O algoritmo do TikTok coleta dados sobre o comportamento de cada usuário, desde os vídeos que assistem até as interações que têm, para entender exatamente o que os mantém grudados na tela e entregar um fluxo personalizado e interminável de vídeos.

Os baby boomers também adoram o aplicativo, com mais de 1 em cada 4 expressando gosto pelos vídeos curtos e baseados em narrativas do TikTok.

Com duração geralmente entre 15 e 60 segundos, esses vídeos podem ser compartilhados, comentados e reproduzidos milhões de vezes.

Segundo relatório State of Marketing 2024, os profissionais de marketing estão usando o TikTok para abordar o público mais jovem que prefere ir atrás de vídeos nas redes sociais para interagir com as marcas:

“Entre os diferentes formatos de conteúdo, o vídeo continua a gerar um ROI superior – por isso, cada vez mais profissionais de marketing estão mergulhando nisso. Os profissionais de marketing estão apostando no TikTok, no YouTube e no Instagram para abordar o público mais jovem, que vai direto às plataformas de vídeo social para pesquisar e interagir com as marcas, ainda mais do que os mecanismos de pesquisa. O vídeo curto é o formato nº 1, oferecendo o maior ROI e terá o maior crescimento em 2024.”

Com um formato atrativo no core das relações dentro do aplicativo, o TikTok cresceu e agora é essencial para marcas que desejam se conectar diretamente com os clientes.

Como começar a gerar leads no TikTok?

Embora o seu objetivo final possa ser gerar leads, o caminho para alcançá-lo começa com o aumento da visibilidade e a construção de confiança com seu público-alvo.

As próximas dicas podem ajudar a trilhar esse caminho para construir confiança com o público e iniciar o processo de geração de leads. Vamos lá!

Mude para uma conta corporativa

Para começar a gerar leads no TikTok, um dos primeiros passos é mudar seu perfil pessoal para a opção de conta corporativa.

Similar à transição para um perfil comercial no Instagram, essa mudança desbloqueia uma série de funcionalidades que pode impulsionar as estratégias de marketing no aplicativo.

Você terá acesso a relatórios que identificam quais vídeos têm mais popularidade, quais são os melhores horários ou dias para postar e até mesmo insights demográficos que ajudam a entender melhor quem são seus seguidores no TikTok.

Se você quer acesso a essas informações, primeiro será necessário criar uma conta pessoal e depois mudá-la para a conta corporativa. Veja o passo a passo:

  1. baixe o aplicativo TikTok e crie uma nova conta;
  2. acesse seu perfil e toque no menu de hambúrguer no canto superior direito;
  3. toque em Configurações e privacidade;
  4. toque em Gerenciar conta;
  5. toque em Mudar para conta corporativa;
  6. escolha a categoria que melhor corresponde ao tipo de negócio.

Seguindo essas etapas, qualquer usuário do TikTok pode mudar sua conta pessoal para uma conta corporativa. Da mesma forma, é possível retornar a uma conta pessoal sempre que for necessário ou alternar entre os modelos de perfil quantas vezes quiser.

Deixe o seu perfil completo e confiável

Uma boa primeira impressão é tudo que você precisa para dar início a um vínculo com os usuários que chegam ao perfil. Toque em Editar perfil e preencha os seguintes campos.

  • foto ou vídeo do perfil: o TikTok permite adicionar um vídeo ao avatar do perfil;
  • nome: o nome da sua empresa;
  • nome de usuário: esse também deve ser o nome da empresa (se possível), sem espaços;
  • bio: você tem 80 caracteres para fornecer um resumo do que sua empresa faz;
  • e-mail: insira o endereço de e-mail de contato da empresa;
  • sem fins lucrativos: se sua empresa trabalha ou apoia uma organização sem fins lucrativos, você pode marcá-la diretamente em seu perfil.
  • categoria: você já deve ter feito isso ao criar sua conta comercial, mas, caso não tenha feito isso, selecione a categoria que melhor representa seu setor.
  • social: conecte suas contas do Instagram e/ou YouTube.

Quando todos os campos estão preenchidos, sua conta tem mais chances de aparecer nos resultados de pesquisa dentro do TikTok e atrair mais leads potenciais.

Defina o seu público do TikTok

O TikTok é conhecido por sua base de usuários jovem, mas, para gerar leads e converter engajamento em vendas, é necessário ir além dessa noção básica sobre quem está seguindo a sua marca.

O próprio app oferece insights sobre a demografia dos seguidores, como idade, localização geográfica e gênero. Essas informações podem ajudar a construir uma visão inicial do seu público-alvo.

Observar o que sua concorrência está fazendo no TikTok também pode trazer insights sobre as preferências e os comportamentos do seu próprio público.

Analise os tipos de conteúdo que estão produzindo, quem está interagindo com eles e como estão envolvendo o público-alvo.

Com essa noção de quem é seu público-alvo, você pode segmentar anúncios pagos, personalizar conteúdos e selecionar hashtags.

Saiba como usar hashtags no TikTok

As hashtags no TikTok funcionam exatamente como no Instagram e X (antigo Twitter).

São palavras-chave ou frases indicadas pelo símbolo de hashtag (#). Elas são usadas para categorizar o conteúdo e permitir que ele seja encontrado por outros usuários.

Os usuários não precisam seguir um perfil para visualizar os conteúdos com determinada hashtag quando fazem uma pesquisa dentro do aplicativo.

Por ter esse potencial de tráfego orgânico para os perfis, o uso de hashtags já é considerado uma estratégia de SEO no TikTok.

Por exemplo, alguém que pesquisa a hashtag #jardinagem pode descobrir vídeos de inúmeras contas que têm essa hashtag adicionada à descrição:

Vale lembrar que muitos desafios e tendências que viralizam no TikTok são impulsionados por hashtags específicas.

Participar das tendências relevantes para sua marca pode aumentar a visibilidade e o engajamento no app, o que pode contribuir com uma maior geração de leads.

Marque a localização nas publicações do TikTok

O TikTok permite ativar a localização para mostrar conteúdo popular na área do usuário e, quando aplicável, exibir anúncios que podem ser mais relevantes para ele.

Isso pode ser interessante para a geração de leads, afinal, você aumenta a visibilidade do conteúdo para usuários que estão na mesma área geográfica.

No caso de uma loja física ou prestadora de serviços em uma determinada cidade, marcar a localização nas publicações pode ajudar a atrair clientes potenciais que estão próximos.

Para adicionar um local à sua publicação no TikTok, o passo a passo é simples:

  1. no TikTok, crie uma publicação;
  2. na tela de publicação, busque a opção “Localização” e toque nela;
  3. em seguida, você pode pesquisar um local específico digitando na barra de pesquisa, ou escolher entre os locais sugeridos abaixo da barra de pesquisa;
  4. depois de selecionar o local desejado, basta tocar em “Publicar”. O local marcado será exibido na publicação.

Feito isso, o seu conteúdo tem uma maior probabilidade de ser descoberto por pessoas que estão interessadas no que sua empresa está fazendo em determinada localização.

Quais estratégias de conteúdo convertam leads no TikTok?

O próximo passo é aprender a usar estratégias que ajudem a converter o público fiel em potenciais clientes no TikTok.

Primeiro, você pode começar fazendo um pouco de pesquisa prática. Se passar algum tempo conhecendo a plataforma e observando os tipos de vídeos que aparecem na sua página “Para você”, pode captar estratégias que concorrentes estão usando.

Dito isso, confira algumas formas populares de gerar leads no TikTok.

Colaborações com influenciadores

Os influenciadores do TikTok têm uma forte presença no aplicativo e são capazes de influenciar as decisões e opiniões de outras pessoas em seu nicho de interesse.

Uma das formas mais comuns de colaboração com influenciadores é o conteúdo patrocinado. Nele, a marca paga ao influenciador para criar uma #publi, um vídeo promovendo determinado produto e serviço.

As marcas também podem criar campanhas específicas e convidar influenciadores para divulgar materiais, códigos promocionais ou ferramentas relevantes para o público.

Para garantir a geração de leads, a descrição dos vídeos pode explicar o que os visitantes devem fazer para aproveitar o que a empresa tem a oferecer.

Criação de landing pages

Existe a possibilidade de criar landing page para uma campanha de marketing dentro do TikTok.

São feitas para converter visitantes em leads ou leads em clientes, sem exigir que os usuários saiam do aplicativo.

Você pode direcionar os usuários para sua página de destino por meio de anúncios pagos.

Uma vez na página, eles podem consultar mais informações sobre um produto ou serviço, além de se inscrever em uma lista de e-mails ou realizar uma compra.

Para criar uma landing page no TikTok, é preciso antes criar uma conta no TikTok Ads Manager, a plataforma na qual você pode criar e gerenciar anúncios no aplicativo.

Consistência na rotina de publicações

Se você publica com frequência no TikTok, o algoritmo entende que sua conta é ativa e suas postagens têm mais chances de serem entregues para os seguidores.

O algoritmo interpreta períodos de inatividade como falta de interesse ou relevância, o que pode resultar em menos distribuição orgânica para suas postagens.

Mas vale ressaltar que consistência não significa postar muitas vezes em um curto período e depois desaparecer. Isso pode confundir o algoritmo e desencorajar a audiência. Em vez disso, é melhor manter um ritmo constante de publicações.

Confira outros materiais que podem ser do seu interesse:

Quais as táticas para amplificar o alcance no TikTok?

Além de todas as estratégias que você viu até aqui, ainda é possível aproveitar as funcionalidades específicas que o próprio TikTok oferece para marcas que desejam melhorar seu marketing dentro do aplicativo.

Uma dessas estratégias é o uso do já mencionado TikTok Ads Manager, ferramenta que permite criar, publicar e gerenciar anúncios na plataforma.

O TikTok Ads Manager oferece uma visão geral de todas as campanhas, métricas e ferramentas de orçamento disponíveis.

Uma opção dentro do TikTok Ads é o uso de Spark Ads, um formato de anúncio nativo que aproveita postagens orgânicas do TikTok para criar anúncios.

Com os Spark Ads, você pode utilizar suas próprias postagens ou postagens orgânicas de outros criadores (com a autorização deles) para promover a marca de forma mais autêntica.

Ao contrário dos anúncios não Spark, os Spark Ads usam postagens de contas reais do TikTok, o que pode aumentar a credibilidade e o engajamento com o público.

O pixel do TikTok é outra que pode ser usada em conjunto com qualquer ferramenta do TikTok for Business para ampliar o alcance e a eficácia das suas campanhas

É um código que você pode inserir em seu site e identificar ações como visualizações, cliques e até conversões que acontecem depois que alguém viu um anúncio no TikTok.

Com essas informações, você consegue entender de onde vêm suas conversões e saber quais anúncios estão funcionando melhor.

Conclusão

O TikTok é uma plataforma competitiva, e se destacar requer consistência. Portanto, não se desanime se a sua conta não se tornar uma sensação da noite para o dia.

Mesmo que a fama instantânea possa não ser alcançada, vimos que há uma série de estratégias e ferramentas para criar uma confiança com o público e, consequentemente, iniciar a geração de leads.

Aprenda mais sobre redes sociais! Confira a edição especial do webinar gratuito da Rock Content, Jam Session, com Rafael Kiso, fundador e CMO da mLabs.

Instagram para advogados: confira o guia de conteúdo completo!

O Instagram continua entre os canais mais eficientes para o marketing. É o que aponta o relatório State of Marketing 2024, da HubSpot em parceria com Litmus, Rock Content e Search Engine Journal. A rede social é a segunda mais utilizada no Brasil e se destaca por oferecer um dos maiores retornos sobre investimento (29%). Não por acaso, o desenvolvimento de conteúdo no instagram para advogados tem sido estratégia indispensável no marketing jurídico.

Mas, afinal, quais os primeiros passos e como ter resultados efetivos no seu Instagram jurídico? Acompanhe o conteúdo e saiba como utilizar este canal para aumentar a visibilidade no meio digital e alcançar clientes em potencial!

A importância e os cuidados necessários no uso do Instagram jurídico

O Instagram é uma ferramenta poderosa para construir uma marca sólida. Com seus recursos dinâmicos, esse canal viabiliza o alcance de um público vasto com velocidade e qualidade sem precedentes.

Entretanto, é preciso observar que a presença online do advogado é regulamentada e, portanto, não deve ser orientada por estratégias de outros setores. Há limites para a exposição dos serviços prestados que devem ser respeitados, conforme orientações do Conselho Federal da Ordem dos Advogados.

Recentemente, o Provimento 205/2021 estabeleceu diretrizes mais claras para a atuação do profissional, previstas no Código de Ética e Disciplina.

Cada vez mais, consolida-se a ideia de que os profissionais podem explorar as ferramentas disponíveis, desde que de maneira ética e compatível com o exercício da advocacia. Com isso em mente, é possível aproveitar ao máximo o potencial do Instagram com segurança para crescer.

Primeiros passos no Instagram para advogados

Confira agora um passo a passo para começar no Instagram, a segunda rede social mais usada no país!

Perfil profissional x pessoal

Em primeiro lugar, é importante considerar um perfil profissional dedicado ao seu escritório, com identidade e objetivo próprios. Isso não quer dizer que aspectos da sua vida pessoal não possam ser contemplados.

Essa, inclusive, pode ser uma estratégia interessante para reforçar a autoridade e, portanto, a credibilidade frente aos serviços oferecidos. Por outro lado, é fundamental que exista intencionalidade na produção de conteúdo para que os resultados sejam percebidos, o que nem sempre ocorre em perfis pessoais.

É importante lembrar que, embora a separação entre os perfis seja recomendada, os limites éticos se estendem a qualquer manifestação do advogado pelo meio digital, e não apenas aos conteúdos em páginas profissionais.

Ementas aprovadas pelo Tribunal de Ética e Disciplina da OAB SP, nesse sentido, seguem no Guia de utilização das redes sociais.

Criando uma bio impactante

A bio é o primeiro contato que o usuário tem com a sua marca. Daí a importância de ter uma atenção especial na sua elaboração. É importante que a descrição reflita exatamente o propósito do seu perfil e converse com o seu público de maneira efetiva.

Muito além de referências a especializações e títulos, a bio deve apresentar o valor que o perfil jurídico pode trazer ao usuário, instigando-o a acompanhar.

Neste artigo da Rock Content para transformar o seu perfil do Instagram, exploramos alguns princípios básicos para uma bio bem construída. Pergunte-se sempre: Qual é a promessa da sua marca? O que torna o seu serviço único no mercado?

Entendendo sua persona

Não há marketing que se sustente sem uma compreensão clara do perfil da persona. Saber a quem é direcionado o seu serviço e os aspectos essenciais da persona são indispensáveis para entender o tom de voz, tipos de conteúdo a serem abordados e até mesmo o formato ideal para a sua audiência (stories, feed, reels etc.).

Uma das maneiras efetivas de entender a sua audiência e direcionar o seu marketing de conteúdo é a busca de palavras-chave relevantes dentro do seu nicho.

Ferramentas como Keyword Planner do Google, Semrush ou Ahrefs podem apontar as dúvidas comuns da sua audiência, dores ou necessidades específicas. Outra opção interessante é o Answer the Public, que fornece insights valiosos ao mostrar perguntas e frases mais pesquisadas pelos usuários em torno de um tópico específico. 

A importância de um planejamento de conteúdo consistente

Os resultados nas mídias sociais dependem, sem dúvidas, de regularidade e consistência. Manter uma agenda de publicações regular, com temas recorrentes, é fundamental para aumentar o engajamento e promover um relacionamento efetivo com a sua audiência.

É importante que você consiga inserir isso na sua rotina, construindo um calendário de publicações previamente planejado. 

Aqui na Rock, disponibilizamos um kit planilha de planejamento para redes sociais perfeito para você que está começando e precisa se organizar.

É só clicar no link, preencher alguns dados e baixar o seu!

Tipos de posts e conteúdos estratégicos para advogados

O Código de Ética e Disciplina prevê, em seu artigo 39, que

“Art. 39. A publicidade profissional do advogado tem caráter meramente informativo e deve primar pela discrição e sobriedade, não podendo configurar captação de clientela ou mercantilização da profissão.”

Nesse sentido, alguns conteúdos estratégicos podem ser abordados em posts para instagram de advogados sem ferir a ética profissional. Acompanhe!

Posts educativos

Explicação de leis e direitos básicos que impactam a vida do seu público-alvo. Por exemplo, um post de advogado trabalhista pode contemplar: “Direitos do trabalhador: o que todo empregado deve saber”, enquanto um post de advogado criminalista poderia abordar garantias processuais do acusado, possibilidades de atenuação de pena e assim por diante.

Rafael Kiso, fundador e CMO da mLabs, em sua entrevista para a Jam Session, série de webinars da Rock Content, argumenta que:

“Tem uma lógica que facilita o entendimento do que seria um bom conteúdo no qual as plataformas de mídias sociais vão viralizar mais. E essa lógica é sinônimo de uma palavra que chama a atenção, porque todas as plataformas têm como modelo de negócio a entrega de anúncios. Dentro de um modelo de negócios que entrega anúncios, é preciso ter em primeiro lugar audiência, usuários – você precisa ter uma audiência para entregar e essa audiência precisa estar passando mais tempo dentro dos canais justamente para ter mais janelas de inserção de anúncios – é uma lógica simples.

[…]

Se eu criar um conteúdo que ajuda a reter mais usuários nessas plataformas, provavelmente, é o conteúdo que essas plataformas vão gostar de distribuir mais. Portanto, se eu fizer um post de propaganda pura, eu não vou ajudar a reter o usuário, ele vai querer pular aquela propaganda.

Agora, se eu criar um conteúdo, um post de conteúdo legal, relevante, útil, que vai ajudar alguém na sua carreira, na sua empresa, vai dar uma dica, vai transformar alguma coisa, aquilo retém, de fato chama a atenção e obviamente a plataforma vai querer distribuir mais, porque retém.”

Cases de sucesso

É preciso ter muito cuidado com casos notáveis resolvidos, especialmente em posts ou anúncios para advogados cuja finalidade é autopromoção. O Conselho Federal veda o compartilhamento de decisões favoráveis nas redes ou divulgação de sentenças com finalidade de captar clientela, ainda que os dados do cliente sejam omitidos.

Análises de casos públicos, compartilhamento de artigos e comentários sobre alterações na legislação podem ser abordados, desde que com a devida cautela. O conteúdo deve ter finalidade meramente informativa, de educação do público.

Dicas legais

Conselhos rápidos sobre questões comuns ou dicas legais também podem dar origem a conteúdos atrativos para o seu Instagram. Por exemplo, um post de advogado previdenciário pode abordar “5 dicas para preparar sua documentação previdenciária”.

Esses ganchos rápidos, focados em uma dor ou necessidade urgente do seu cliente potencial, podem apontar para o seu serviço sem que seja necessária qualquer forma de autopromoção ou chamada direcionada.

Maximizando o uso dos stories para engajamento

Para quem está começando, os stories podem ser uma ótima ferramenta para aumentar o alcance do conteúdo produzido e o engajamento com a sua audiência.

Lembre-se de que estratégias que promovam a interação e a educação do público são essenciais para construir uma conexão sólida. 

É possível, por exemplo, realizar enquetes sobre leis recentes ou atualizações legislativas para gerar discussões relevantes e manter o público atualizado. Além disso, sessões de Q&A sobre direitos civis oferecem uma plataforma para esclarecer dúvidas e educar os seguidores, estabelecendo o perfil como uma referência confiável e acessível no campo jurídico.

Além, é claro, de proporcionar uma boa organização do conteúdo para usuários que acessam o perfil pela primeira vez.

Ferramentas e recursos para criar e gerenciar conteúdo

Sabemos que a criação e o gerenciamento de conteúdo em redes sociais para advogados vai muito além da concepção e redação. Desde o planejamento até a criação de artes visuais, há uma série de etapas a serem cumpridas para que o Instagram possa crescer organicamente.

Nesse sentido, algumas ferramentas podem ajudar, como:

  • Canva: Uma plataforma online que oferece design simples e acessível, permitindo a criação de peças gráficas, apresentações e outros materiais visuais com facilidade, graças à sua vasta biblioteca de templates e recursos intuitivos.
  • Mlabs: Uma ferramenta de gerenciamento de redes sociais que centraliza os recursos, facilitando o agendamento, publicação e análise de conteúdos em diversas plataformas a partir de um único painel.

De todo modo, vale explorar as ferramentas que o próprio Meta Business disponibiliza, especialmente para avaliação do desempenho do seu perfil e ajustes na estratégia de conteúdo de acordo com o que funciona melhor para você.

Embora as dicas que trouxemos sejam indispensáveis para orientar o seu marketing jurídico, a avaliação individual e o trabalho de descoberta do que torna o seu perfil único é o que fará a diferença no longo prazo.

Sobre o processo de descoberta no marketing jurídico, Marina Duda, advogada e estrategista digital, observa:

“Marketing é imprevisível. Especialmente em um campo permeado por dilemas éticos, é preciso ter em mente que o histórico positivo não assegura resultados futuros. A melhor abordagem é persistir nas táticas com maiores chances de sucesso, mas estar preparado para resultados variados. O importante é continuar testando, manter-se aberto às mudanças do mercado e evitar alterações bruscas na estratégia sem antes esgotar as possibilidades.”

Diante dessa perspectiva, é importante considerar, também, o próprio feedback do público, sem perder de vista o propósito do seu negócio e as expectativas em relação ao marketing jurídico.

Estar aberto à adaptação de estratégias, sempre que necessário, observando as regulamentações éticas vigentes, é a diferença entre o sucesso e o fracasso no marketing digital para advogados.

Contar com parceiros especializados, da mesma forma, pode garantir a otimização da sua estratégia de conteúdo no Instagram. A WriterAccess conta com freelancers especializados em Direito para te dar todo o suporte, do planejamento à criação dos conteúdos.

Experimente grátis a nossa plataforma com ferramentas poderosas e simplifique o seu fluxo de trabalho hoje mesmo!

Como o Google SGE Está Redefinindo o Tráfego Orgânico em Diversos Setores

A Search Generative Experience (SGE) do Google está mudando a forma como as pessoas interagem com os resultados de pesquisa. Esse novo recurso impulsionado por IA, parte do Search Labs, reúne informações de várias fontes para fornecer respostas detalhadas diretamente na página de resultados, reduzindo a necessidade de os usuários clicarem nos links.

Como profissionais de marketing da Rock Content, estamos acompanhando de perto essa mudança para entender como ela impacta o tráfego orgânico e as estratégias de marketing em diferentes setores.

Após ler materiais de várias autoridades do mercado, incluindo o artigo do Search Engine Journal, vamos compartilhar nossa visão sobre como a SGE está remodelando o comportamento de pesquisa em vários setores. Aqui está um resumo com nossas percepções.

O Que é a SGE do Google?

A Search Generative Experience (SGE) do Google é um recurso impulsionado por IA que oferece resultados de pesquisa abrangentes ao integrar informações de várias fontes. Aqui vai um resumo simples:

  • Respostas Contextuais e Abrangentes: Integra informações de várias fontes para fornecer respostas completas e contextualizadas às consultas dos usuários.
  • Menos Cliques Necessários: Oferece respostas diretamente na página de resultados, reduzindo a necessidade de clicar em links para obter informações.
  • Respostas Mais Relevantes e Personalizadas: Usa aprendizado de máquina para fornecer respostas relevantes e personalizadas com base na intenção do usuário.

Como Funciona a SGE do Google?

A SGE aparece no topo da página de resultados com respostas geradas por IA para sua consulta. É como perguntar algo ao Google e receber uma resposta detalhada na hora.

Vamos usar um exemplo de viagem para mostrar como a SGE funciona. Imagine perguntar algo como “Quais são as melhores coisas para fazer em Roma?” Em vez de listar apenas links, a SGE combina dados de blogs de viagem, sites governamentais de turismo e avaliações de usuários para criar um guia conciso. Este resumo visa responder diretamente à sua pergunta, eliminando a necessidade de clicar em vários sites.

Principais Características e Benefícios da SGE

  • Modo Conversacional: Após ver a resposta inicial gerada por IA, os usuários podem fazer perguntas complementares para refinar os resultados de pesquisa. Por exemplo:
  • Experiência de Navegação: O Google integra visuais relevantes (imagens, mapas, vídeos) para melhorar a experiência de navegação diretamente na página de resultados.

  • Atribuição de Fonte: O Google busca transparência atribuindo cada resposta à fonte original. Por exemplo, se um resumo sobre Roma incluir informações de algum blog de viagens, mostrará um link para o artigo.
  • Otimização da Intenção de Pesquisa: Entendendo melhor a intenção de pesquisa, o Google busca responder não apenas consultas informativas, mas também comerciais, como compras ou serviços locais.

Impacto no Comportamento do Usuário

A SGE impactou significativamente o comportamento do usuário:

  • Respostas Mais Abrangentes Levam a Menos Cliques: Usuários estão mais satisfeitos com as respostas detalhadas fornecidas pela SGE e não sentem a necessidade de clicar em sites externos.
  • Mudança para Respostas Mais Rápidas: Agora, os usuários preferem obter suas respostas diretamente na página de resultados em vez de explorar vários sites.

Impacto da SGE no Tráfego Orgânico por Setor

A Search Generative Experience (SGE) do Google impactou o tráfego orgânico em diferentes setores. O gráfico abaixo mostra um resumo do declínio no tráfego orgânico em diversos setores:

Impacto da SGE no Tráfego Orgânico por Setor

Viagens:

Os sites de viagens viram uma queda de 9,8% nos cliques. Isso ocorreu porque os resumos detalhados da SGE reduzem a necessidade de os usuários clicarem em blogs e sites de viagem. Ao fornecer informações abrangentes sobre destinos, os viajantes obtêm muitas informações antecipadamente, resultando em menos cliques.

Essa mudança está levando os profissionais de marketing de viagens a focarem mais em tópicos de nicho ou guias exclusivos que não podem ser facilmente resumidos pela SGE.

Local:

As pesquisas locais experimentaram uma redução de 14,9% nos cliques. As listagens e os resumos de empresas locais do Google, como horários de funcionamento, avaliações e endereços, atendem diretamente às consultas dos usuários sem que eles precisem visitar os sites das empresas.

Por exemplo, ao pesquisar “Melhores cafeterias perto de mim”, o resultado da SGE pode listar cafeterias com avaliações, horários e localizações, facilitando a escolha.

Os negócios locais devem garantir que o perfil no Google Meu Negócio esteja totalmente otimizado, pois é sua principal interface com os clientes potenciais.

Saúde:

Os sites de saúde registraram uma queda significativa de 41% nos cliques. A SGE fornece respostas diretas de fontes confiáveis, limitando os cliques.

Por exemplo, uma pesquisa por “Sintomas da gripe” pode resultar em um resumo listando sintomas comuns, fatores de risco e links para fontes confiáveis.

Para os sites de saúde, é crucial serem vistos como fontes confiáveis, fornecendo informações precisas e bem estruturadas.

Tecnologia:

Os sites de tecnologia tiveram uma queda de 9,5% nos cliques. As consultas tecnológicas são frequentemente atendidas por meio de resumos gerados por IA, reduzindo os cliques em blogs e análises de tecnologia.

Por exemplo, consultas como “Melhores smartphones econômicos” agora podem mostrar resumos selecionados.

Os profissionais de marketing de tecnologia devem focar em análises e comparações detalhadas que se destaquem, oferecendo insights exclusivos ou comparações práticas.

Finanças:

As consultas financeiras mostraram uma queda menos dramática de 2,3% nos cliques. Os usuários ainda confiam em artigos completos para obter insights financeiros detalhados.

Embora a SGE forneça informações básicas sobre termos e tendências financeiras, os investidores geralmente querem insights mais profundos sobre movimentos de mercado, estratégias de investimento e previsões econômicas.

Os sites financeiros podem permanecer relevantes oferecendo análises detalhadas e dados exclusivos, ajudando a reter tráfego apesar dos resumos da SGE.

Declínio Geral do Tráfego Orgânico

Em média, os cliques em todos os setores caíram 6% devido à SGE. Embora a SGE tenha como objetivo oferecer melhores experiências aos usuários, acaba reduzindo o tráfego de muitos sites.

Da nossa perspectiva na Rock Content, esse declínio geral é um alerta para os profissionais de marketing diversificarem suas fontes de tráfego. 

Confiar apenas no tráfego orgânico não é mais uma aposta segura, especialmente com a mudança no comportamento dos usuários e a evolução dos algoritmos de pesquisa.

Mudanças no Comportamento do Usuário Devido à SGE

A SGE mudou o comportamento dos usuários ao fornecer respostas mais rápidas e abrangentes diretamente nos resultados de pesquisa. Os usuários estão cada vez mais satisfeitos com os resumos gerados por IA, levando a menos cliques nos resultados orgânicos.

  • Redução da “Intenção de Navegação”: As pessoas agora querem respostas rápidas, em vez de gastar tempo navegando por diferentes sites.
  • Maior Confiança nos Resumos de IA: Usuários estão confiando cada vez mais nos resumos fornecidos pela SGE, especialmente para consultas informativas simples.

Para se adaptar, os criadores de conteúdo devem focar em fornecer conteúdo profundo e de alta qualidade que agregue valor além do que a SGE pode resumir. E isso é algo que sempre temos em mente na Rock Content ao criar novos conteúdos.

Impacto da SGE nos Anúncios de Pesquisa

A SGE também afeta a taxa de cliques (CTR) dos anúncios de pesquisa. Os resumos de IA geralmente incluem informações disponíveis nos anúncios, reduzindo sua eficácia. Se o resumo já fornecer informações suficientes para atender à consulta, os usuários terão menos probabilidade de clicar nos anúncios, impactando a visibilidade dos anunciantes.

Redução na CTR dos Anúncios de Pesquisa: 

Os anunciantes notaram uma queda na CTR dos anúncios devido à SGE.

Impacto na Visibilidade dos Anunciantes

Como a SGE visa fornecer respostas mais detalhadas diretamente na página de resultados, os usuários muitas vezes encontram o que procuram sem clicar nos anúncios.

Os anunciantes podem precisar repensar suas estratégias, focando em uma copy mais atraente e direcionando intenções específicas dos usuários.

Principais Insights para Profissionais de Marketing

Como profissionais de marketing, identificamos algumas conclusões importantes:

  • Otimize para a SGE: Garanta que o conteúdo do seu site esteja incluído nos resumos da SGE fornecendo informações precisas, valiosas e estruturadas. O uso de schema markup (marcação de dados estratuturados) pode ajudar, pois facilita a interpretação e o resumo do conteúdo pela IA.
  • Diversifique Fontes de Tráfego: Não dependa apenas do tráfego orgânico; foque também nas redes sociais, e-mail marketing e outros canais.
  • Adapte Estratégias de SEO: Foque mais em palavras-chave longas e tópicos de nicho, onde os resumos da SGE são menos frequentes.
  • Melhore a Experiência do Usuário: Melhore seu site para reter visitantes que clicam. Tempo de carregamento rápido, otimização para dispositivos móveis e navegação intuitiva são fundamentais.
  • Refine o Texto do Anúncio e Explore os Diferenciais Competitivos (USPs): Torne o texto do anúncio mais atraente e direcione a intenção do usuário para se destacar nos resumos da SGE. Destaque os diferenciais competitivos que não podem ser facilmente resumidos pela IA.
  • Otimize Landing Pages: Certifique-se de que as landing pages estejam otimizadas para reter e converter os usuários que clicam nos anúncios de pesquisa.

Conclusão

A Search Generative Experience (SGE) do Google é um divisor de águas no cenário de buscas, e seus efeitos variam significativamente entre os diferentes setores.

Ao fornecer respostas abrangentes diretamente na página de resultados, a SGE mudou o comportamento dos usuários, impactando o tráfego orgânico e os anúncios de pesquisa.

Na Rock Content, estamos priorizando a otimização para a SGE, diversificando as fontes de tráfego para permanecer competitivos nesse cenário de busca em constante evolução.

Entender como a SGE impacta o tráfego orgânico e os anúncios de pesquisa entre os diversos setores pode ajudar os profissionais de marketing a adaptar suas estratégias e continuar entregando conteúdo valioso.

Neste ambiente em rápida mudança, o conteúdo continua sendo o coração de toda marca. Por isso, trabalhar com profissionais qualificados é crucial.

Conheça o WriterAccess:

Com uma rede de mais de 15.000 redatores, designers e estrategistas, além de recursos avançados de IA e integração com bancos de imagens, o WriterAccess oferece as ferramentas e a expertise necessárias para criar estratégias, produzir conteúdo excepcional e alcançar um crescimento estratégico.

Acesse hoje mesmo um mundo de profissionais, ferramentas de IA de ponta e recursos de imagens.

Inicie agora o seu teste gratuito de 14 dias e descubra o poder de criar conteúdo de alta qualidade!

Vale a pena investir em palavras-chave com baixo volume de buscas no Google em SEO?

Desde os tempos das propagandas nos jornais, o marketing das empresas sempre esteve atrelado à necessidade de alcançar o maior número possível de olhos e ouvidos.

Com o Google, isso de certa forma não mudou muito.

Quando olhamos para o uso de palavras-chave, os termos com alto volume de busca ainda são uma prioridade em estratégias de tráfego orgânico e anúncios pagos.

Se uma palavra-chave tiver alto volume, alta conversão e baixa concorrência, ainda melhor.

Mas essa ânsia de atrair um alto fluxo de tráfego pode acabar, por outro lado, nos fazendo esquecer das palavras-chave com baixo volume de buscas no Google.

Pode até soar como um paradoxo, mas há marcas que estão perdendo tráfego orgânico e leads por desconsiderar termos de baixo volume de buscas em suas estratégias de SEO.

Neste artigo, vamos explicar por que isso acontece e como os termos de baixo volume podem, na verdade, ser uma mina de ouro escondida para o sucesso digital.

O potencial oculto das palavras-chave de baixo volume

Uma palavra-chave de baixo volume de busca é aquela que atrai um número relativamente pequeno de pesquisas no Google, em comparação com as palavras-chave de alto volume.

Aqui está uma definição de palavras-chave de baixo volume de busca segundo o Google:

“As palavras-chave marcadas como ‘Baixo volume de pesquisa’ são associadas a um tráfego de pesquisa muito baixo no Google, indicando que não são relevantes para a maioria das pesquisas dos clientes”.

A noção de palavras-chave de baixo volume muitas vezes se entrelaça com o conceito de long tail (cauda longa), que é uma palavra-chave maior, mais específica e menos competitiva.

São termos que geralmente apresentam baixo volume de busca no Google, mas ainda assim são valiosos, porque podem representar uma oportunidade para alcançar um público segmentado.

Para exemplificar o potencial oculto dessas palavras-chave de baixo volume no Google, quero mostrar um caso que aconteceu comigo.

Estava fazendo uma pesquisa de palavras-chave para uma empresa de serviços de limpeza de estofados que atua no estado de São Paulo. Meu objetivo era identificar termos que poderiam impulsionar o tráfego do blog da empresa e, eventualmente, converter visitantes em clientes.

Mas, devido ao nicho pequeno e único, não havia muitas palavras-chave de alto volume disponíveis.

O que encontrei, na verdade, foi uma série de termos de baixo volume associados ao serviço da empresa, como “higienização de sofá são paulo”, “lavagem de sofá em SP” e “sofá & colchões são paulo sp””.

Todas essas palavras-chave tinham um volume entre 10 a 100 pesquisas por mês. Mas isso não significa que eu deveria ignorá-los.

Mesmo que apenas uma fração dessas poucas pesquisas resultassem em visitantes do site, havia uma chance considerável de converter os visitantes em clientes devido ao interesse no serviço oferecido.

Para entender melhor o potencial impacto financeiro, vamos fazer um cálculo simples.

Suponha que a empresa de limpeza converta apenas um visitante por mês para a palavra-chave “higienizacao de sofa sao paulo”.

Se o valor médio de uma transação for R$ 300, isso significa uma receita adicional de R$ 300 por mês.

Multiplicando isso por 12 meses, a receita adicional é de R$ 3.600 por ano — proveniente apenas dessa única palavra-chave de baixo volume (!).

Portanto, se negligenciarmos palavras-chave de baixo volume, estamos deixando dinheiro na mesa e dando aos concorrentes a chance de capturar esse tráfego pronto para conversão.

Mais tarde, podemos nos arrepender de não ter direcionado esses termos desde o início.

Os motivos para investir em palavras-chave de baixo volume

Você já reconhece o potencial das palavras-chave de baixo volume de buscas no Google, mas agora é hora de descobrir os benefícios tangíveis que elas podem oferecer.

Acesso a nichos específicos

Termos genéricos nem sempre satisfazem nossas demandas de pesquisa.

Muitas vezes, temos uma intenção de compra clara e pesquisamos por termos de busca mais específicos e longos para encontrar resultados precisos na SERP.

Uma palavra-chave genérica como “produtos para cabelos” pode atrair uma variedade de usuários para uma loja online, enquanto uma long tail keyword como “creme para cabelos cacheados sem sulfato” acaba sendo mais direcionada a um nicho de usuários.

Nesse exemplo, a long tail keyword atende a uma necessidade de um segmento particular do mercado: pessoas com cabelos cacheados que procuram por produtos sem sulfato.

O volume de busca para essa palavra-chave pode até ser menor, mas o tráfego que ela atrai é mais qualificado, pois os usuários estão em busca de resultados específicos.

Menos concorrência, maior possibilidade de ranking

As palavras-chave de alto volume atraem dezenas ou até centenas de empresas competindo pelo mesmo espaço nos resultados de busca, enquanto as palavras-chave de baixo volume muitas vezes têm apenas algumas concorrendo diretamente por elas.

Essa baixa concorrência é uma vantagem estratégica para quem sabe aproveitar.

Com menos concorrentes disputando pelas mesmas palavras-chave, as chances de uma página conquistar posicionamento de destaque na SERP aumentam.

O Google valoriza páginas que oferecem conteúdo relevante e de alta qualidade para os usuários, e quando há menos competição, essas páginas têm uma vantagem.

Essa baixa concorrência em palavras-chave de baixo volume também pode facilitar a conquista de autoridade para uma página.

Quando uma página começa a classificar consistentemente bem para uma determinada palavra-chave de baixo volume, ela começa a atrair mais tráfego orgânico e ganhar reconhecimento no campo específico em que se destaca.

O destaque pode levar a um aumento na autoridade da página aos olhos do Google, o que por sua vez impulsiona seu posicionamento em uma variedade de consultas relacionadas.

Maior ROI em SEO e maior taxa de conversão

Usar palavras-chave específicas e de nicho é uma das maneiras de contribuir para o retorno sobre investimento (ROI) das estratégias de SEO, pois as empresas podem alcançar um público que está mais próximo do ponto de conversão.

O ROI em SEO refere-se ao valor gerado a partir dos esforços de otimização de mecanismos de busca. Isso pode incluir o aumento do tráfego orgânico, a melhoria nas classificações de pesquisa e a conversão de visitantes em clientes.

O relatório State of Marketing 2024, do Hubspot, em parceria com Litmus, Rock Content e Search Engine Journal, consultou mais de 1.400 profissionais de marketing ao redor do mundo, e mostrou a relevância do ROI em SEO.

Segundo o relatório, 16% dos profissionais de marketing que responderam à pesquisa do HubSpot afirmaram que estratégias de SEO resultaram no maior ROI do ano se comparadas a outras estratégias de marketing.

Contudo, para aumentar esse ROI, é importante considerar não apenas o volume de tráfego, mas também a qualidade desse tráfego e sua capacidade de converter clientes.

Os usuários que buscam por termos específicos e com baixo volume de busca no Google estão geralmente mais avançados no processo de tomada de decisão e estão procurando por soluções precisas para suas necessidades.

Como resultado, o tráfego gerado por essas palavras-chave tende a ter taxas de conversão mais altas do que o tráfego gerado por palavras-chave mais genéricas.

Construir interesse

As palavras-chave de baixo volume também podem oferecer oportunidades para construir interesse em um nicho de mercado pequeno ou novo.

A agência espanhola Marketing Paradise, em post no LinkedIn, compartilhou um caso de sucesso envolvendo o Grupo Gamboa que ilustra isso na prática.

O Grupo Gamboa, cliente da Marketing Paradise, é uma rede de concessionárias automotivas que atua na Comunidade de Madrid (Espanha).

Em novembro de 2023, eles decidiram trabalhar com uma nova marca de automóveis, a Omoda, que ainda não havia chegado à região.

Para o lançamento da marca, a agência tinha o desafio de captar tráfego orgânico e pago do Grupo Gamboa para a empresa ainda desconhecida e, mais importante, converter leads em clientes potenciais quando eles chegassem aos revendedores.

A agência assumiu o desafio e desenvolveu várias estratégias de SEO para o lançamento, como otimizar URLs, títulos e metadescrições do site, criar e atualizar conteúdos do blog e implementar uma estratégia de linkbuilding.

Antes mesmo do lançamento oficial da marca, a agência conseguiu posicionar a Omoda nas primeiras posições dos resultados de busca para pesquisas locais relevantes.

E após o início das campanhas publicitárias, o Grupo Gamboa conseguiu manter-se na primeira posição para buscas relacionadas ao principal modelo da marca por 2 meses e nas três principais palavras-chave da marca por 3 meses consecutivos.

Isso gerou um aumento de 6 vezes no número de cliques e o tráfego orgânico passou a representar 75% do tráfego total da empresa.

Essa estratégia de antecipação, aliada ao trabalho com palavras-chave específicas que atendiam às demandas locais, permitiu que o Grupo Gamboa criasse interesse e curiosidade no público pela nova marca, mesmo antes de seu lançamento oficial na região.

Você também pode se interessar:

As formas de integrar palavras-chave de baixo volume na estratégia de SEO

Deu para perceber que, embora o uso de palavras-chave de baixo volume de busca no Google seja uma estratégia de nicho, é uma estratégia que funciona.

Confira agora algumas dicas de como fazer o mapeamento desses termos e usá-los na otimização para mecanismos de busca.

Identificação e seleção de palavras-chave

As ferramentas de pesquisa de palavras-chave permitem que você defina um filtro de volume de busca para exibir apenas os termos com baixo volume.

Alguns exemplos de planejadores de palavras-chave populares são o Google Keyword Planner, Ubersuggest e SEMrush.

É uma maneira rápida de identificar as oportunidades de baixa concorrência que podem ser exploradas em sua estratégia de SEO.

Aqui estão outras dicas para identificar se a palavra-chave de baixo volume de busca é boa:

  • escolha termos diretamente relacionados aos conteúdos e às necessidades dos potenciais clientes;
  • selecione variações da mesma palavra-chave para aumentar seu potencial de tráfego orgânico;
  • busque por palavras-chave que incluam o nome da sua marca ou de marcas específicas;
  • se você tem um produto exclusivo, segmente palavras-chave relacionadas ao problema que seu produto resolve.

Nem todas as palavras-chave menos buscadas são boas opções. Escolha aquelas que sejam relevantes e que tenham potencial para atrair clientes reais para o negócio.

Otimização e uso estratégico

Você pode usar as palavras-chave com baixo volume de buscar de várias maneiras, como criar conteúdos que ranqueiam para falar sobre os assuntos desses termos.

Digamos que o proprietário de um site sobre jardinagem queira atrair pessoas interessadas em plantas raras. Ele pode criar conteúdos sobre palavras-chave como “cuidados com plantas raras” e “como cultivar espécies raras”.

Assim, quando alguém procurar por esses assuntos no Google, esses conteúdos provavelmente aparecerão nos primeiros resultados de busca.

Outra maneira é usar as palavras-chave menos populares com outras que tenham maior volume de busca. A ideia, nesse caso, é fazer os conteúdos aparecerem em pesquisas sobre os termos menos populares.

Confira outras dicas de uso estratégico de palavras-chave com baixo volume de busca:

  • utilize palavras-chave de baixo volume em títulos e subtítulos em conteúdos publicados no blog da empresa;
  • use essas palavras-chave em postagens e campanhas pagas nas redes sociais;
  • inclua palavras-chave de baixo volume em seções de FAQ do site principal da empresa;
  • personalize páginas de destino com palavras-chave para campanhas específicas.

Conclusão

Fica claro que, sim, vale a pena investir em palavras-chave com baixo volume de busca, sobretudo com uma estratégia bem planejada. Ao considerar esses termos, as empresas podem alcançar nichos específicos, enfrentar menos concorrência, aumentar o ROI em SEO e construir interesse em seus produtos ou serviços. Ignorar essas oportunidades pode resultar em deixar dinheiro na mesa e perder a chance de converter leads qualificados.

Portanto, em vez de descartar aqueles termos com apenas 10 ou 20 pessoas pesquisando por eles por mês, que tal adaptar suas estratégias de SEO? O resultado pode ser surpreendente. 

Perguntas frequentes

O que são palavras-chave de baixo volume?

Palavras-chave de baixo volume são termos associados a um tráfego de pesquisa relativamente baixo no Google. Isso indica que são menos buscadas pelos usuários, mas podem ser valiosas para alcançar públicos segmentados.

Por que investir em palavras-chave de baixo volume?

Investir em palavras-chave de baixo volume permite acessar nichos específicos, enfrentar menos concorrência, aumentar o ROI em SEO e alcançar uma maior taxa de conversão de leads.

Como identificar palavras-chave de baixo volume relevantes?

Use ferramentas de pesquisa de palavras-chave, como Google Keyword Planner, Ubersuggest ou SEMrush, para filtrar termos com baixo volume. Escolha aqueles diretamente relacionados aos conteúdos e necessidades do seu público-alvo.

Como integrar palavras-chave de baixo volume na estratégia de SEO?

Utilize esses termos em títulos e subtítulos de conteúdos, campanhas nas redes sociais, seções de FAQ do site e páginas de destino personalizadas. Ao diversificar o uso e a integração dessas palavras-chave, você aumenta a visibilidade e a relevância do seu site nos mecanismos de busca.

Quer aprender mais sobre estratégias que funcionam no marketing digital? Aproveite para conferir a edição especial do webinar Jam Session com Rafael Kiso, fundador e CMO da mLabs.

Google Core Update de Março oficialmente terminou. E agora?

Se você trabalha com marketing de conteúdo e SEO e não esteve numa ilha deserta sem internet nos últimos dois meses, provavelmente leu e ouviu bastante sobre o Core Update de março de 2024 do Google. 

Ele marcou um ponto significativo nas atualizações algorítmicas do mecanismo de busca mais relevante do mundo. 

A atualização foi concluída em 19 de abril de 2024 e, de acordo com Elizabeth Tucker, Product Management da Google, a iniciativa resultou em uma redução de 45% no volume de conteúdo considerado de baixa qualidade ou pouco útil nos resultados de pesquisa — a previsão inicial era de 40%. 

Após essa finalização oficial, talvez você tenha notado queda de tráfego, posicionamento e palavras-chave no seu site, ou simplesmente esteja um pouco perdido. O que fazer agora? 

Vem entender as principais consequências desse update e o que você deve focar no momento! 

Google Core Update de Março de 2024: o que rolou mesmo?

Lançado em 5 de março de 2024, este update abrangeu uma série de mudanças complexas, visando aprimorar a qualidade dos resultados de pesquisa e combater práticas de spam e conteúdo de baixa qualidade — e deu o que falar, sobretudo com ações anti-spam manuais  que resultaram na remoção completa de sites de baixa qualidade dos resultados de pesquisa do Google.  

Após um período de 45 dias de implementação em larga escala, a atualização foi finalizada em 19 de abril de 2024, mas o Google avisou apenas dia 26 de abril. 

A ideia da atualização foi entregar informações mais úteis e relevantes para os usuários, priorizando páginas da web com conteúdo original e uma experiência do usuário positiva, enquanto reduzia o conteúdo não original nos resultados de pesquisa. 

Além disso, foram implementadas políticas anti-spam novas e aprimoradas, focadas em áreas como abuso de domínios expirados, abuso de conteúdo em escala (como aqueles feitos com IA sem edição humana) e abuso da reputação do site. 

Essas medidas tiveram como objetivo reduzir o volume de conteúdo de baixa qualidade e spam nos resultados de pesquisa — o que foi alcançado, como comentei na introdução, com redução de 45% desse tipo de conteúdo. 

Com esta atualização, o Google encerrou a prática de anunciar novas atualizações de Helpful Content Update, uma vez que o sistema de conteúdo útil foi incorporado ao sistema de atualização principal. 

A última atualização de conteúdo útil, lançada em setembro de 2023, teve um impacto significativo em vários sites. 

Leia tudo sobre o Google Core Update de Março em nosso artigo especial sobre o assunto: Atualização do Google de Março Remove Sites de Baixa Qualidade

Outras mudanças

Além das mudanças substanciais na avaliação e classificação de conteúdo, o Google Core Update de Março de 2024 também trouxe ajustes importantes em outras áreas. 

Primeiramente, a página do centro de ajuda foi atualizada, fornecendo orientações detalhadas para proprietários de sites sobre como solucionar quedas no ranking de pesquisa do Google. 

Além disso, a empresa introduziu um novo formulário de feedback para as mudanças de classificação do site, permitindo que os proprietários de sites enviem comentários diretamente à equipe de pesquisa do Google. Ele ficará disponível apenas até 31 de maio 2024.

No próprio formulário, o Google indica que o feedback não é utilizado para fazer alterações em consultas específicas, listagens específicas ou para sites específicos. Ele é usado apenas para considerar melhorias gerais que possam funcionar em toda a experiência de pesquisa no futuro. As equipes do Google não responderão a essas submissões. 

O core update de março de 2024 representa uma evolução na forma como o Google avalia a relevância e utilidade do conteúdo exibido aos usuários, evidenciando o foco em fornecer uma experiência de busca mais satisfatória e informativa para as perguntas das pessoas usuárias e ainda mais ancorada às boas práticas EEAT. 

EEAT é a sigla para Experience, Expertise, Authoritativeness, and Trustworthiness. Representa os critérios que o Google usa para avaliar a qualidade de conteúdo, enfatizando experiência, conhecimento especializado, autoridade e confiabilidade.

Espera-se que alguns sites afetados vejam alívio com esta atualização de março de 2024, embora, como tudo em SEO, seja difícil afirmar isso neste momento. 

Leia também: 

Impacto do Google Core Update: o caso da HouseFresh

Ao acompanhar posts no LinkedIn, Reddit e em sites especializados, não faltaram relatos de sites sendo afetados pelo update. Um exemplo interessante foi o site HouseFresh, presente em reportagem do Search Engine Land

Após o Google Core Update de março de 2024 e depois de denunciar repetidamente a prática de ser constantemente superado por grandes editores, a HouseFresh viu uma queda abrupta de 91% em seu tráfego do Google.

Gisele Navarro, a Managing Editor da HouseFresh, destacou no artigo HouseFresh has virtually disappeared from Google Search results. Now what? como essas mudanças favoreceram “conteúdo SEO focado em afiliados” de grandes marcas de mídia. 

Este caso ilustra um fenômeno mais amplo de desafios enfrentados por sites menores em um ambiente de busca dominado por grandes marcas e práticas de SEO agressivas.

Além disso, a HouseFresh revelou a magnitude da perda de tráfego desde outubro de 2023, passando de 4.000 visitantes diários do Google Search para pouco mais de 200 ao final de abril de 2024.  

A situação ressalta a vulnerabilidade dos sites menores a mudanças nos algoritmos de busca, afetando significativamente sua visibilidade e, claro, sua viabilidade financeira.

Embora Navarro reconheça que o Google não deve nada à HouseFresh em termos de tráfego, ela reitera a importância de abordar as preocupações legítimas sobre a equidade nos resultados de pesquisa. 

O que fazer agora?

Nas palavras do Google

“Não há nada novo ou especial que os criadores precisam fazer para essa atualização [de março 2024], desde que eles tenham criado um conteúdo satisfatório feito para as pessoas”.

Viu o seu tráfego cair e não sabe o que fazer? Ou ainda não tem muita certeza se está produzindo esse tipo de conteúdo? Vamos ver o passo a passo do que fazer agora. Sem pânico! 

Análise de tráfego e desempenho

Comece do começo. Não vá correndo fazer atualizações, mexer no seu calendário e alterar tudo. É hora de analisar dados! 

Faça um checklist do que você precisa ter para obter uma visão geral da situação. Verifique o número de palavras-chave ranqueadas, o posicionamento na SERP e o tráfego orgânico antes e depois da atualização. 

Utilize o Google Search Console para comparar, por exemplo, quantidade de cliques antes e depois do update, e verifique as páginas mais clicadas. No Google Analytics, compare o tráfego orgânico antes e depois do update. Em ferramentas como Ahrefs e SEMRush, veja o posicionamento dos seus conteúdos na SERP e as principais palavras-chave. 

Houve uma queda significativa de posições? Conteúdos que estavam no top 5, por exemplo, caíram de posição? Esses conteúdos são os mais relevantes para o seu negócio e a sua audiência? Talvez a queda tenha sido em conteúdos mais distantes do interesse da sua pessoa e do seu negócio e essa queda não seja, exatamente, um problema urgente. 

Aqui entra a importância de analisar dados de forma contextualizada. Número por número não significa muita coisa. 

Como esses conteúdos em queda estão estruturados? Analise também como estão os concorrentes atuais da SERP. O que eles estão fazendo que você não está? 

Plano de ação

Com base na análise dos dados, é hora de criar um plano de ação. A partir dos dados, faça uma lista dos conteúdos mais importantes para seu negócio e sua persona e nos quais você precisará mexer.

Dessa lista, identifique os conteúdos que precisam ser otimizados com updates mais robustos, utilizando dados e apoio de especialistas na área, por exemplo. Esses vão ser mais demorados, então, precisam ser mapeados o quanto antes.

Além disso, busque por quick wins, ou seja, atualizações mais simples, especialmente com conteúdos que perderam poucas posições. Analise a linkagem interna (todos os links estão funcionando e estão bem contextualizados?) e verifique se há atualizações mais ágeis que possam ser feitas.

Exemplos são a inserção de um novo tópico curto, de um vídeo da sua empresa que encaixa com o tema e pode ser inserido, ou de um FAQ ao final do conteúdo, mudança de CTA etc. 

Organize suas ações por prioridade, dando foco especial às palavras-chave que perderam o posicionamento, mas que são importantes para sua persona e o seu negócio. 

Lembre-se de que o foco deve estar na experiência do usuário. Pense na sua persona como o centro, não no Google.

Análise de resultado

Após implementar seu plano de ação, é fundamental analisar os resultados. Faça isso de forma mensal ou bimestral, dependendo da quantidade de conteúdo que você produz regularmente. 

Avalie o impacto das suas ações e ajuste seu plano conforme necessário. Esteja preparado para fazer adaptações contínuas à medida que monitora e compreende melhor o impacto do update em seu site e no seu público-alvo.

Reflexão sobre o atual cenário do SEO: caso The Verge 

Em meio a essa atualização importante do Google, o site The Verge chamou atenção com um artigo bem peculiar chamado “Best Printer 2024”, que foi basicamente uma “trollagem” para testar o algoritmo de busca do Google. Em resumo, eles queriam ver até onde a autoridade de domínio poderia levar no ranking dos resultados de pesquisa. 

Se você não conhece, o site The Verge é bastante conhecido, abordando desde tecnologia até cultura, entretenimento e ciência. Com um alcance amplo e uma base de leitores diversificada, o site conseguiu construir uma boa reputação online. Seu alto Domain Authority mostra o quão influente é na internet, com uma pontuação de 93 de 100, bem perto da pontuação máxima.

Apesar de algumas táticas de SEO duvidosas, como a sobrecarga de links e o uso de conteúdo gerado por IA (feito via Gemini do Google) para ridicularizar o próprio conteúdo, o artigo da “trollagem” conseguiu uma classificação impressionante nos resultados de busca, alcançando a primeira posição orgânica para a kw ‘best printer’.

Print do artigo. Fonte: The Verge 

Data da SERP: 6/5/2024

Apesar de toda a brincadeira envolvendo as estratégias de SEO e o artigo troll da The Verge, é interessante notar que, no meio disso tudo, o artigo ainda oferece informações úteis para os usuários. 

Ao destacar a Brother laser printer como a melhor opção para 2024, o autor fornece argumentos baseados em sua experiência pessoal com o produto e acrescenta uma camada extra de informações sobre os pontos fortes e fracos das impressoras a laser da Brother, ajudando os leitores a tomar uma decisão informada sobre suas necessidades de impressão.

No final das contas, não é sobre isso, responder da melhor forma à dúvida do usuário, mesmo que não de uma forma perfeita?

Esse caso ressalta como a autoridade de domínio pode ser crucial para o sucesso de uma página nos resultados de pesquisa, mas também levanta questões sobre a integridade dos resultados de busca e a importância de seguir boas práticas de SEO. 

Enquanto alguns podem ser tentados a usar estratégias de SEO duvidosas, lembre-se de que 1) Você não é a The Verge, 2) a criação de conteúdo de qualidade e relevante para os usuários é a chave para uma estratégia de SEO bem-sucedida no longo prazo. 

Invista em conteúdo de qualidade. Ponto.  

Brincadeiras à parte, essas estratégias de tentar burlar o algoritmo do Google existem praticamente desde que os mecanismos de busca foram criados. É uma espécie de jogo de gato e rato, no qual algumas pessoas tentam encontrar atalhos para alcançar os primeiros lugares nos resultados de pesquisa. 

E, sim, essas táticas podem até funcionar por um tempo, mas o Google está sempre atualizando seus algoritmos para detectar e penalizar práticas enganosas.

Acreditamos que essas estratégias de “ranquear rápido” não são sustentáveis ​​a longo prazo. O Google valoriza a autoridade, relevância e qualidade do conteúdo. Construir autoridade significa ter um histórico sólido, fornecendo conteúdo valioso e ganhando a confiança dos usuários ao longo do tempo. É sobre se tornar uma fonte confiável em seu nicho.

Isso significa entender as necessidades e interesses de sua audiência e criar conteúdo que responda às suas perguntas e resolva seus problemas. É sobre ser útil e valioso para seus usuários.

Em vez de tentar enganar o algoritmo, achamos muito mais construtivo construir relacionamentos com sua audiência e fornecer conteúdo de alta qualidade que os mantenha engajados. 

Isso não só ajudará você a se destacar nos resultados de pesquisa, mas também a construir uma base sólida de seguidores leais e clientes satisfeitos. Dá trabalho e leva tempo. 

Muito longo, Larissa, dá pra resumir?

O Google Core Update de março de 2024 trouxe mudanças significativas visando melhorar a qualidade dos resultados de pesquisa. 

Focando em conteúdo original e experiência do usuário, a atualização combateu práticas de spam e conteúdo de baixa qualidade, reduzindo-os em até 45%. Além disso, foram implementadas políticas anti-spam mais rigorosas.

Após a atualização, é essencial realizar uma análise de tráfego e desempenho do seu site, identificando quedas no ranking e no tráfego orgânico. 

Com base nessa análise, desenvolva um plano de ação, otimizando conteúdos ligados a palavras-chave mais relevantes para o seu negócio e priorizando a experiência do usuário. Monitore os resultados regularmente e ajuste o plano conforme necessário. 

Em vez de tentar burlar o algoritmo, concentre-se em fornecer conteúdo valioso e relevante para sua audiência. 

Eleve sua estratégia de SEO pós-Core Update com especialistas em conteúdo do WriterAccess. Encontre redatores, editores, designers e copywriters qualificados para impulsionar seu sucesso online! Faça o teste grátis

A evolução do SEO: por que o Google não dá mais tanta importância aos links?

O Google não valoriza mais os links como antes, o que representa uma mudança significativa nas estratégias de SEO. Por muito tempo, obter backlinks foi visto como a regra de ouro do SEO e, enquanto especialista em SEO da Rock Content, posso afirmar que essa atividade ocupa muito tempo da nossa agenda mensal.

Além disso, os profissionais de marketing digital têm trabalhado duro para construir links, já que muitas vezes eles eram considerados a moeda principal do algoritmo de classificação do Google.

Então, vem a grande notícia: em uma recente conferência de marketing de busca, Gary Illyes, do Google, compartilhou que o gigante não depende tanto de links para julgar a qualidade e relevância de um site quanto imaginávamos. Isso coloca em xeque as antigas estratégias de SEO e nos obriga a repensar o que realmente importa para chegar ao topo dos resultados de busca.

A natureza evolutiva do SEO

Os links costumavam ser a espinha dorsal das estratégias de SEO. Tradicionalmente vistos como votos de confiança, o pensamento geral era associar uma maior quantidade de links no conteúdo à possibilidade de alcançar posições mais altas na SERP.

Isso levou os profissionais de marketing a trabalhar cada vez mais em campanhas de link building, tentando reunir o maior número de links possível.

Mas a situação está mudando, já que Gary Illyes, do Google, apontou recentemente que os links não são o aspecto mais importante na avaliação de um site.

Na verdade, em uma recente conferência sobre o marketing de busca, o executivo ressaltou que, atualmente, o Google prioriza os elementos que afetam diretamente a experiência online do usuário.

Tradução: Barry Schwartz — Presidente e proprietário de RustyBrick Inc.

Gary Illyes, do Google, disse novamente que os links não são tão importantes para o Google e que as páginas precisam de poucos links para ranquear https://lnkd.in/eYBb3s3t

#google #googleseo #seo #links

Fonte: LinkedIn.

O que isso significa para o SEO? Que o Google está refinando seus algoritmos para avaliar melhor a qualidade do conteúdo e a intenção por trás das pesquisas dos usuários.

Esse novo olhar busca avaliar como o conteúdo responde às dúvidas dos usuários, a usabilidade dos sites e a eficiência com que as informações são apresentadas. Os algoritmos do Google são cada vez mais sofisticados, sendo capazes de entender o contexto e a qualidade do conteúdo — e não apenas padrões de links.

Segundo especialistas e discussões em plataformas como Reddit e LinkedIn, essa transição sugere uma mudança significativa em direção a estratégias holísticas de conteúdo. Assim, as novas abordagens devem priorizar um conteúdo relevante, que atenda de fato às necessidades do usuário, em vez de táticas de SEO baseadas em manobras como o link building excessivo. 

Em termos resumidos, considerando os novos critérios, os conteúdos profundos, embasados, bem escritos e genuinamente úteis provavelmente terão um desempenho melhor sob os novos critérios.

Tradução: Robert Tapia

Gerente de Marketing Digital — Estrategista SEO líder, VisioncourseLLC/PShelper.com

Que bom que não focamos nos backlinks desde 2018.

“O que Gary Illyes disse sobre os links em 2024?

Em uma conferência recente na Bulgária, o Gary Illyes, do Google, comentou que o Google não precisa realmente de tantos links e que tem tornado esses links menos importantes.”

Patrick Stox tweetou sobre o que ele ouviu na SERP Conf.: “Precisamos de poucos links para ranquear páginas… Ao longo dos anos, tornamos os links menos importantes” — @methode #serpconf2024.

Gary Illyes, do Google, ainda fez tweet confirmando as suas palavras:

“Eu não deveria ter dito isso… Eu definitivamente não deveria ter dito isso”.

Com isso, o Google confirma de forma explícita que os links são menos importantes.

Em 2023, Gary Illyes compartilhou na PubCon em Austin que os links sequer estavam nos 3 primeiros fatores de ranqueamento. Em março de 2024, junto com o Core Update do Google de março de 2024, o motor de pesquisa atualizou a sua política de spam para minimizar a importância dos links no ranqueamento.

Conforme Mueller explicou:

“Atualmente, há elementos mais importantes para os sites, e a supervalorização dos links muitas vezes fará você perder tempo com aspectos que não necessariamente melhorarão o seu site de modo geral.”

Por fim, Gary Illyes disse explicitamente que o Google precisa de poucos links para ranquear páginas web e ainda confirmou essa afirmação.

Fonte: LinkedIn.

Tradução:Segundo Gary Illyes, Google confirma que os links não são tão importantes

O que Gary Illyes disse sobre os links em 2024?

Em uma recente conferência na Bulgária, Gary Illyes, do Google, comentou que o Google não precisa realmente de tantos links e que tem tornado esses links menos importantes.

Patrick Stox tweetou sobre o que ele ouviu na SERP Conf.:

  • “Precisamos de poucos links para ranquear páginas… Ao longo dos anos, tornamos os links menos importantes” — u / methode #serpconf2024.

Gary Illyes, do Google, ainda fez tweet confirmando as suas palavras:

  • “Eu não deveria ter dito isso… Eu definitivamente não deveria ter dito isso”.

Fonte: Reddit.

Além disso, com a ênfase na experiência do usuário, fatores como velocidade do site, compatibilidade com dispositivos móveis e navegação intuitiva são mais importantes do que nunca. 

Um conteúdo interativo e que engaja, de forma a manter os usuários na página por mais tempo, é outro elemento que pode contribuir para as classificações de SEO.

Fonte: Google.

Essa evolução na abordagem do Google está alinhada com tendências mais amplas de marketing digital, enfatizando a autenticidade e satisfação do usuário. 

Ela desafia os profissionais de marketing a criar conteúdos que não sejam apenas informativos, mas que também promovam o engajamento e sejam fáceis de consumir. Ao focar esses aspectos, os sites podem melhorar suas classificações nos mecanismos de pesquisa e, ao mesmo tempo, construir conexões mais fortes e significativas com seu público.

Core Update do Google de março 2024: leia o nosso post completo sobre o assunto

O que é mais importante que os links atualmente?

À medida que os algoritmos do Google se tornam mais sofisticados e capazes de compreender o contexto por trás do conteúdo, fica evidente que outros fatores ganham destaque.

Os estrategistas de SEO e criadores de conteúdo devem ficar de olho nessa evolução. Para ajudar, exploramos a seguir alguns elementos prioritários em relação aos links:

User Experience (UX)

Uma experiência do usuário intuitiva e fluida não é apenas agradável, ela é essencial! O Google favorece cada vez mais os sites que oferecem facilidade para navegar e interagir, como mostram métricas como “tempo médio na página” e “taxa de rejeição”.

Uma experiência positiva do usuário incentiva os visitantes a permanecer no site, explorar outras páginas e interagir mais profundamente com o conteúdo, o que sinaliza ao Google que seu site é valioso.

Qualidade do conteúdo

Já se foi o tempo em que repetir inúmeras vezes a palavra-chave poderia garantir uma classificação superior. Hoje, o que importa é a relevância, autoridade e abrangência do seu conteúdo. 

Ou seja, o Google prioriza conteúdos de alta qualidade, que respondam às perguntas dos usuários com clareza, forneçam insights exclusivos e cubram os tópicos de forma completa. 

Esse tipo de conteúdo não apenas tira as dúvidas do usuário, mas classifica seu site como um recurso confiável. Esse conceito de qualidade do conteúdo também é conhecido pela sigla EEAT, que em inglês significa Experience, Expertise, Authority & Trustworthiness — isto é, Experiência, Especialização, Autoridade e Confiabilidade.

Design mobile-first

Como a maioria dos usuários acessa a Internet usando dispositivos móveis, o Google aposta na indexação mobile-first, que prioriza sites com bom desempenho nesses dispositivos. 

Essa otimização para mobile passa por um tempo de carregamento rápido, design responsivo e interfaces de fácil navegação.

[embedded content]

Velocidade de carregamento

A velocidade nunca foi tão importante! Um site com carregamento rápido melhora a experiência do usuário, diminui a taxa de rejeição e aumenta a probabilidade de os visitantes interagirem com seu conteúdo por mais tempo. 

Ferramentas como o PageSpeed Insights do Google podem ajudar você a identificar maneiras de tornar o seu site mais rápido e eficiente.

Engajamento e autoridade: como aplicar esses conceitos?

Como vimos, a experiência do usuário e a qualidade do conteúdo dependem muito da capacidade de um conteúdo gerar engajamento e autoridade sobre um assunto. Confira a seguir como trabalhar esses dois conceitos:

Engajamento do usuário

As estratégias modernas de SEO valorizam muito as métricas de engajamento do usuário. Peças de conteúdo interativas e envolventes, como enquetes, vídeos e infográficos interativos, são capazes de aumentar o tempo passado no seu site. 

Com esses elementos, o seu site é mais do que uma fonte de informação, tornando-se um espaço em que os usuários usufruem de novas experiências e interagem com seu conteúdo.

Autoridade e profundidade do conteúdo

Com a mudança do Google nos requisitos de densidade de palavras-chave, você precisa ser um especialista — ou pelo menos parecer um — para criar um conteúdo que seja entendido como profundo e abrangente. 

O conteúdo que atrai os usuários e mecanismos de busca contém informações que vão além de explicações superficiais, aprofundando-se em análises detalhadas sobre o tema abordado. 

Essas peças costumam ter o formato de guias detalhados, artigos longos ou estudos de caso que agregam valor aos leitores.

Veja um exemplo de conteúdo interativo que pode ajudar a aumentar o tempo passado em uma página:

Implicações para profissionais de marketing e empresas

Considerando a menor importância dos links, as empresas precisam expandir suas estratégias de SEO. É importante priorizar a criação de conteúdos de alta qualidade, que atendam aos interesses e expectativas do seu público, além de tornar o seu site fácil de usar e responsivo, para que funcione corretamente em dispositivos móveis. 

Vale ressaltar que essa abordagem mais ampla não visa apenas acompanhar as regras mais recentes do Google, mas também contribuir para a construção de uma presença online mais forte e sustentável.

Opiniões de especialistas e reações do setor

Os comentários recentes de Gary Illyes pegaram muitas pessoas de surpresa no mundo do SEO. Mas essas afirmações também fizeram sentido para diversos especialistas, que há muito tempo vêm dizendo que é melhor focar a criação de conteúdo de qualidade e a melhoria da experiência do usuário em vez de apenas tentar obter um máximo de links. 

Toda a comunidade SEO está começando a concordar mais com essa ideia, vendo tudo isso como um passo em direção a uma abordagem mais transparente, que facilita a vida do usuário.

Se você ainda tem dúvidas, dê uma olhada no que o Google fala sobre o assunto:

O que os criadores de conteúdo da Web precisam saber sobre a atualização principal de março de 2024 e as novas políticas contra spam

Terça-feira, 5 de março de 2024


Hoje
anunciamos a atualização principal de março de 2024. Isso foi criado para melhorar a qualidade da Pesquisa, mostrando menos conteúdo que parece ter sido feito para atrair cliques e mais conteúdo que as pessoas consideram útil. Também compartilhamos novas políticas contra spam para lidar melhor com as práticas que podem afetar negativamente os resultados da pesquisa do Google. Nesta postagem, vamos conferir mais detalhes sobre as políticas de atualização e de spam para criadores de conteúdo.

Fonte: Google

Impacto global e previsões

Qual é o impacto global da mudança nos algoritmos do Google nas práticas de SEO e no futuro do setor? Confira:

  • Práticas globais de SEO: a redução na importância dos links deve gerar mudanças nas estratégias de SEO em todo o mundo. Entre elas, espera-se um foco maior nas estratégias de SEO local, o que significa personalizar o conteúdo com base nas características e especificidades culturais do público local.
  • Futuro do SEO: olhando para o futuro, o SEO provavelmente usará mais recursos de Inteligência Artificial (IA) e aprendizado de máquina. Essas tecnologias podem ajudar a compreender e prever o que os usuários desejam de uma forma mais eficiente. Assim, aos poucos, as empresas deixarão de priorizar o número de cliques para concentrar os esforços em realmente compreender e responder às necessidades do usuário.

Dicas práticas para se adaptar ao novo cenário de SEO

Para acompanhar essas mudanças no SEO, você, como profissional de marketing, pode seguir alguns passos simples. Veja a seguir:

  • Crie conteúdo de valor: concentre-se em elaborar conteúdos que realmente ajudem o seu público, abordando seus problemas e interesses.
  • Melhore a experiência do usuário do site: certifique-se de que seu site seja fácil de usar e tenha carregamento rápido. Isso aumenta a probabilidade de os visitantes ficarem mais tempo e explorarem mais páginas.
  • Use ferramentas de analytics: lance mão recursos especializados de analytics para observar como os visitantes se comportam em seu site e use o que você aprende para melhorar suas estratégias.
  • Construa relacionamentos genuínos: em vez de apenas tentar obter o máximo de links possível, concentre-se em construir relacionamentos reais dentro do seu setor, considerando o seu público. Isso, naturalmente, leva a colaborações e links mais orgânicos.

Vamos resumir?

O recente anúncio do Google de que os links não são tão importantes quanto antes é um grande alerta para estrategistas e profissionais de marketing de SEO. 

Isso aponta para a necessidade de acompanhar as mudanças no mundo digital, em que criar conteúdos de qualidade e proporcionar uma boa experiência aos usuários se tornaram aspectos prioritários.

Ao prestar mais atenção a esses elementos, as empresas conseguirão melhorar seu posicionamento nos resultados de pesquisa, assim como poderão construir relacionamentos mais fortes e verdadeiros com as pessoas que visitam seus sites.

À medida que você se adapta às novas prioridades de SEO do Google, tenha em mente que o segredo está em aliar conteúdo de qualidade a uma excelente experiência do usuário. A boa notícia é que o WriterAccess pode ajudar você e sua equipe nessa missão!

Com acesso a profissionais de primeira linha, incluindo redatores, designers e estrategistas, além de recursos avançados de IA e um banco de imagens, nossa plataforma foi projetada para agilizar a criação do seu conteúdo. 

Além disso, experimente o poder do conteúdo otimizado com o WriterAccess Humanizer, em que o conteúdo gerado por IA é refinado com a criatividade humana para garantir que fique natural tanto para seu público quanto para os mecanismos de pesquisa.

Comece a produzir melhores conteúdos para obter resultados incríveis desde já! Inscreva-se hoje mesmo para um teste gratuito de 14 dias no WriterAccess!

Testei o AI Content Idea Generator: Veja Minhas Impressões

Muito vem sendo dito sobre como a IA impactou (e ainda impacta) os resultados de SEO. No entanto, ainda não temos uma visão ampla e clara de como isso afetará a qualidade geral do conteúdo disponível e o futuro dos motores de busca no longo prazo.

Tanto como criadora quanto consumidora de conteúdo, está bastante claro para mim que as perspectivas são nebulosas: depois que o ChatGPT surgiu, o volume de conteúdos disponíveis diariamente cresceu muito além do esperado.

O problema agora é que está mais fácil do que nunca escalar a produção, ao mesmo tempo em que é cada vez mais difícil criar algo original e relevante. Isso faz com que muitas postagens em blogs e mídias sociais sejam de baixa qualidade e baixo valor.

Eu não culpo os criadores que seguem esse caminho. Embora possamos questionar a ética por trás disso, o termo bloqueio criativo foi criado em 1947 e, já no início de 1800, Samuel Taylor Coleridge descreveu algo muito semelhante ao que muitos de nós sentimos hoje quando tentamos ter novas ideias.

Alguns de nós podem até ter muito a dizer, mas não sabem como aplicar uma estrutura a essas ideias. Outros simplesmente precisam seguir um calendário editorial rigoroso.

Então, surge a questão: como ter uma produção de conteúdo escalável sem sacrificar a qualidade? Vem comigo descobrir a resposta!

O que afinal significa “conteúdo de qualidade”?

Posso sentir alguns olhos revirando com esse título, mas calma! Vem comigo que dou mais detalhes.

À medida que me aprofundo no espaço da “produção de conteúdo”, algumas coisas ficam claras: consistência é a chave para ter resultados. O que é interessante e relevante para os usuários muda com frequência e explorar novos temas é extremamente desafiador.

Muitos critérios de SEO bem estabelecidos, que especialistas usaram para prever o desempenho de seu conteúdo, mudaram desde que a IA generativa se tornou mais popular.

Alguns critérios ainda são importantes, mas os resultados se mostram cada vez mais imprevisíveis. No entanto, uma coisa não mudou: a questão mais importante por trás de cada conteúdo é “O que é mais importante para o meu cliente?”.

Na maioria das vezes, os criadores de conteúdo se concentram no que querem dizer, e não no que suas personas precisam ouvir.

Embora isso possa até fazer sentido para os influenciadores, é uma estratégia perigosa quando se trata de empresas. Se você não sabe quem é sua persona, o que ela precisa e como você pode ajudar, não conseguirá se posicionar como um parceiro confiável. Em uma era em que as informações são abundantes, mas nem sempre genuínas, ser capaz de se conectar com seus clientes é inestimável.

Não é surpresa que o conteúdo gerado por meio de IA careça de originalidade e da essência da sua marca. Esses mecanismos são alimentados por extensos bancos de dados e visam compilar informações para solucionar problemas e dúvidas. Consequentemente, o conteúdo criado por meio de IA não será original por definição.

Então, para responder à pergunta do título: o que é conteúdo de qualidade? É um conteúdo que proporciona conhecimento ou entretenimento para sua persona, segundo o que ela precisa e pensa em cada etapa do funil.

É por isso que é tão difícil gerar qualidade por meio da IA. Embora seja escalável, compartilhar informações não é tão importante quanto compartilhar experiências. É por isso que tantas empresas contratam profissionais mais novos para acompanhar os seniors. A teoria é ótima, mas somente alguém que passou por um problema semelhante será capaz de sentir empatia por uma pessoa na mesma situação.

No entanto, isso não significa que devemos descartar a IA de nossas estratégias de conteúdo. Em vez disso, precisamos ser inteligentes sobre como usá-la.

IA e estratégia de conteúdo

Como esses modelos têm acesso a muitos dados, sejam eles demográficos ou relacionados ao consumo de conteúdo, as ferramentas de IA podem ser uma grande ferramenta na hora de criar sua estratégia de conteúdo.

Usando a mim mesma como exemplo, não tenho uma grande base de conteúdo que me permita construir uma persona baseada em dados. Ao mesmo tempo, queria algo mais certo do que uma protopersona.

É por isso que usei o AI Persona Builder para criar algumas que me guiassem nos primeiros passos da produção de conteúdo. Se você estiver interessado em fazer o mesmo, recomendo este artigo sobre o assunto – Germano faz um ótimo trabalho explicando as vantagens de usar IA para criar uma persona.

Isso me deu o norte que precisava: agora sei quem são meus seguidores, o que eles gostam de ver e como abordá-los.

A IA generativa também pode ajudar você a mapear as perguntas mais frequentes que essa persona tem em cada etapa do funil, se você fornecer os prompts corretos.

Agora, enfrento outro desafio: como mostrar aos mecanismos de busca que forneço conteúdo de qualidade? Embora alguns critérios sejam importantes – como engajamento, tempo gasto na página, compartilhamentos e curtidas –, não se esqueça da autoridade no assunto.

À medida que o spam parece inundar a Internet, fica cada vez mais difícil encontrar oportunidades de backlinks de qualidade. A IA também pode te ajudar com isso. Por meio de ferramentas como o AI Backlink Matcher, esses modelos podem entender seu nicho, suas palavras-chave e seu conteúdo e combiná-lo com potenciais parceiros com autoridade semelhante na área.

Outro dos meus usos favoritos para IA é tornar o SEO mais fácil para mim. Eu trabalho com marketing de conteúdo e estratégia de conteúdo, mas estou longe de ser uma profissional de SEO. É muito trabalhoso e não acho que quem entra no Marketing Digital considere este um tema fácil de dominar.

Ao ler o relatório sobre o estado da IA da HubSpot, vi que 84% dos profissionais de marketing dizem que a IA é muito eficaz no alinhamento do conteúdo com a intenção de pesquisa.

Por isso testei por conta própria e agora uso duas ferramentas em minha estratégia de SEO: o SpyFu me ajuda a analisar outros criadores e mapear possíveis palavras-chave para usar, enquanto Surfer SEO me ajuda a entender os melhores títulos, subtítulos e perguntas frequentes associadas aos temas sobre os quais desejo produzir conteúdo.

No entanto, acredite ou não, estes não são os meus principais problemas hoje. Como estou no início da minha trajetória como produtora de conteúdo, ainda luto para implementar um calendário editorial devido a um problema simples: não tenho ideias de conteúdo suficientes.

Numa era em que o conteúdo é ilimitado, existe algum tema que é relevante e original?

Usando IA para descobrir novos temas

Conforme discutimos, os modelos de Inteligência Artificial têm acesso a muitos dados e são bons em combinar conteúdo e intenção. Então, recentemente, venho tentando aproveitar isso e usá-la para listar possíveis ideias de conteúdo.

No momento, estou testando 80% dos tópicos recomendados pela IA e 20% focados nas tendências das mídias sociais. Não posso dizer se funciona, pois ainda não tenho dados suficientes – fique de olho no futuro. O que posso dizer é que isso tirou um peso das minhas costas: não ter que me preocupar com 80% do meu conteúdo me permite focar em garantir que 100% dele tenha qualidade.

A IA pode criar o conteúdo para mim? Claro, pode. Porém, não será original e não será meu.

Utilizo seu banco de dados para me orientar e ganhar tempo. Em vez de pesquisar por horas para definir os melhores tópicos possíveis, posso simplesmente dar uma passada no AI Content Idea Generator. Com o tempo extra, foco na produção: roteiro, luz, cenários, etc. Posso ter a garantir de que o que entrego sempre fala com meu público – e terei orgulho de dizer que o criei.

AI Content Idea Generator: o que é e por que usá-lo?

O AI Content Idea Generator é uma ferramenta focada em ajudar os profissionais de marketing de conteúdo a encontrar os melhores tópicos e temas para seus conteúdos, de forma personalizada e baseada em dados.

Para mim, a melhor parte é não ter que me preocupar em incluir o prompt certo. Como ele requer apenas meu e-mail e URL, não preciso ter medo de usar termos ou frases que possam afetar a veracidade dos resultados.

Com base no seu domínio, esta ferramenta entende quais temas e palavras-chave são mais relevantes para a sua persona e fornece ideias de conteúdo e resumos para que você possa escrevê-los, ou peça a um redator que faça isso por você.

Minha maneira favorita de usar a solução até agora tem sido para me ajudar na criação do meu calendário editorial. Constância e frequência são muito importantes para a criação de conteúdo e, quando não precisamos nos preocupar em criar algo inovador várias vezes por semana, fica muito mais fácil mapear e explorar oportunidades nesse período.

Versão Gratuita x Versão Premium: qual a diferença?

O meu tipo de notícia favorita: existe uma versão gratuita do AI Content Idea Generator que está disponível para todos.

Se você nunca trabalhou com esse tipo de ferramenta ou deseja experimentá-la antes de se comprometer, pode acessar este link e inserir seu e-mail e domínio.

Uma lista com sugestões de temas, resumos e palavras-chave será enviada para sua caixa de entrada e você poderá escolher o que melhor se adapta a você. No meu caso demorou quatro minutos e consegui uma lista com cinco recomendações.

Caso você tenha interesse em saber mais sobre o assunto, ou queira ter sugestões ilimitadas, você pode acessar a versão premium dentro do WriterAccess e ter acesso a vantagens adicionais:

  • Ter a ferramenta sempre disponível na página inicial do console
  • Ter a capacidade de interagir com a ferramenta e dar feedback positivo e negativo

Ao seguir as sugestões que o AI Content Idea Generator oferece, você terá a opção de “Gostei” ou “Descartar”. De acordo com a sua seleção, a IA fornecerá mais (ou menos) recomendações como essa. Isso permitirá que o modelo entenda suas preferências e sugira tópicos relevantes para você.

  • Recomendações ilimitadas

O botão “Atualizar” permitirá que você peça novas sugestões quantas vezes forem necessárias.

  • Encomende o conteúdo com um clique

Se gostar de uma sugestão, você pode clicar em “Solicitar” e ser direcionado diretamente para a tela Fazer Pedido. Lá, você poderá selecionar talentos humanos para escrever o conteúdo e fornecer detalhes sobre sua marca, sua persona e outras customizações que gostaria de fazer no conteúdo. O briefing criativo será preenchido para você conforme o tema escolhido.

  • Dê mais detalhes à ferramenta para que ela seja mais precisa

A versão premium do AI Content Idea Generator permite que você escolha se deseja dar mais detalhes sobre sua empresa, ou até mesmo solicitar tópicos baseados em seus pedidos recentes dentro da plataforma. Ambas as opções darão acesso a sugestões melhores e mais relevantes.

Conclusão

A IA generativa não precisa, nem deveria, se limitar à produção de copy. Isso suga a essência da sua marca e apaga quaisquer diferenças entre você e seus concorrentes.

Em vez disso, opte por ferramentas que ajudarão a trazer identidade ao seu conteúdo. Use IA para ajudar na criação de estratégias e na automatização de tarefas repetitivas. Ou mesmo para mapear quais conteúdos explorar.

Quando a criatividade humana precisa de um empurrãozinho, sempre é possível usar dados para nos ajudar a enxergar novos caminhos.

Como utilizar e-books interativos na sua estratégia de conteúdo

Utilizar e-books em uma estratégia de conteúdo não é novidade. Por anos, o marketing digital tem empregado esse tipo de material rico para educar e demonstrar seu valor dentro das estratégias de Inbound Marketing. Aqui mesmo, no blog da Rock Content, você encontrará dezenas de posts recomendando o uso desse recurso em sua estratégia de marketing.

No entanto, com leitores cada vez mais exigentes, o tradicional PDF já não é tão atrativo como já foi um dia. Ao utilizar apenas PDFs estáticos, sem interação ou personalização, você corre o risco de perder o interesse do seu leitor e ver o desempenho do conteúdo ficar aquém do esperado.

Então, como transformar um conteúdo estático em algo que engaje a audiência? Apresentamos a você os e-books interativos.

Neste artigo, vou mostrar como utilizar e-books interativos em sua estratégia de conteúdo e todas as possibilidades que eles oferecem. Vamos lá!

O que é conteúdo interativo?

Antes de abordarmos especificamente os e-books interativos, acredito importante darmos um passo atrás e alinharmos o conceito de conteúdo interativo, para que possamos começar do mesmo ponto. Scott Brinker, chefe do MarTech Blog e fundador do Ion, a plataforma de conteúdos interativos da Rock Content, oferece uma definição de conteúdo interativo que eu gosto bastante:

“Conteúdo interativo é aquele em que o público participa ativamente, ao invés de apenas ler, assistir ou ouvir passivamente. Exemplos de conteúdo interativo incluem: quizzes, ferramentas de avaliação, calculadoras.”

Alguns dados de mercado destacam o poder dos conteúdos interativos:

  • Páginas interativas recebem 3x mais likes e compartilhamentos. (Fonte: Hubspot)
  • Experiências interativas convertem 2x mais. (Fonte: Demand Metric)
  • 84% dos consumidores esperam que as marcas produzam conteúdo que entretenha, forneça soluções e produza experiências. (Fonte: Meaningful Brands Report 2009)

Usando o conteúdo interativo na prática

A partir dessa definição de Scott Brinker e do que aprendi aqui na Rock Content, percebo que no cotidiano de um profissional de marketing, o conteúdo interativo é aquele que possibilita uma conversa com a audiência enquanto coleta dados por meio dessa interação, sem necessariamente ficar preso ao tradicional formulário. É a oportunidade de ir além ao obter informações que auxiliam na estratégia de marketing e na conexão de vendas.

Você provavelmente está se perguntando: “ok, mas como assim, uma conversa?”. Imagine um diálogo, na qual eu, em minha estratégia, busco descobrir informações como:

  • Quem você é?
  • O que você está tentando resolver?
  • Por que você precisa resolver esse desafio?
  • Onde você está em sua jornada de compra?
  • Como a Rock Content pode te ajudar?

E para descobrir essas respostas, posso, por exemplo, criar um quiz que ajudará a determinar a maturidade da sua estratégia de conteúdo. As informações geradas nesse quiz serão importantes não apenas para o resultado em si, mas também para minha estratégia de marketing, pois me permitem identificar quais outros conteúdos posso recomendar para auxiliá-lo em sua jornada de inbound. 

Na outra ponta, o time de vendas poderá conhecer melhor esse lead antes de fazer a primeira abordagem, uma vez que todos os dados relevantes coletados estarão disponíveis no CRM.

E-books Interativos

Os e-books interativos transformam o conteúdo estático de um PDF em algo mais envolvente e divertido. Eles não apenas entregam o conteúdo, mas também estimulam a interação com o material, o que faz com que as pessoas absorvam melhor as informações que você deseja transmitir.

Uma estratégia muito eficaz para aumentar a conversão com os e-books interativos é disponibilizar alguns capítulos desbloqueados e outros bloqueados. Dessa forma, as pessoas podem perceber o valor do seu conteúdo ao ler o que está desbloqueado e ficarem curiosas sobre o conteúdo bloqueado, tornando-se mais propensas a preencher um formulário.

Diferentes tipos de elementos interativos para e-books

Clique para expandir

Frequentemente usado para mostrar perfis de usuários ou recursos sobre um tópico. Esses elementos geralmente estão em lightboxes.

Sliders ou Flows

São usados para mostrar depoimentos ou para condensar textos pesados ​​em algo mais digerível.

Conteúdo em tab ou acordeões

Um ótimo recurso para dividir conteúdos densos, e também ajuda a identificar qual informação chama mais atenção do usuário.

Perguntas de engajamento

Usado para coletar informações sobre o seu público ou para ajudá-lo a encontrar um produto ou serviço certo para resolver seus desafios.

Benefícios dos e-books interativos

Agora que você já entendeu as possibilidades infinitas de um e-book interativo, quero te explicar alguns benefícios desse tipo de experiência que um PDF estático simplesmente não entrega com a mesma eficiência.

Brand awareness

A versão interativa de um e-book é uma excelente oportunidade para criar um “momento uau” e fazer com que os leitores se lembrem da sua marca. Além disso, é um material ideal para ser compartilhado.

No e-book “O impacto da Inteligência Artificial no Marketing de Conteúdo”, aproveitamos a oportunidade para discutir um tema em alta, educar nossa audiência e incentivar o compartilhamento do material.

Educação

O e-book é uma ferramenta eficaz para gerar leads qualificados, fornecendo informações valiosas para o público-alvo. Além disso, pode ser utilizado para aumentar a autoridade da marca ao demonstrar o conhecimento e a expertise da empresa sobre determinado assunto. No “Guia Completo de Conteúdo Interativo na Jornada de Compra“, os leitores aprendem sobre a importância de uma jornada de compra bem estruturada e são apresentados aos tipos de conteúdos interativos que podem ser utilizados.

Engajamento

E-books interativos encorajam os leitores a interagir com os elementos na página. Mais tempo na página =  mais exposição ao conteúdo apresentado a eles.

No “Guia Completo do Conteúdo Interativo”, utilizamos diversos recursos de animação e interatividade para prender a atenção dos leitores. 

Conteúdo personalizado

A personalização está se tornando cada vez mais importante para os profissionais de marketing. 

“A personalização pode reduzir os custos de aquisição em até 50%, aumentar as receitas em 5–15% e aumentar a eficiência dos gastos com marketing em 10–30%”. McKinsey

A Telerik, empresa global de desenvolvimento de softwares, aproveitou os recursos de lógica do Ion para fornecer conteúdo para suas diferentes personas. O e-book é personalizado para o cargo e as metas do usuário, com uma pergunta de qualificação feita no início do material.

Geração de lead

Os e-books bloqueados são uma excelente maneira de capturar informações sobre seus leitores, despertando inicialmente o interesse deles em seu conteúdo. Em uma parceria de co-marketing com a Magalu, criamos o “Guia: Como Usar as Redes Sociais para Alavancar as Vendas“. Este e-book interativo foi desenvolvido a partir de um PDF já existente, e dos 5 capítulos do material, optamos por deixar apenas o primeiro capítulo desbloqueado, visando incentivar a conversão no conteúdo.

Levantada de mão

Ao finalizar a leitura de um e-book, o lead pode estar pronto para dar o próximo passo no processo de compra. Por isso, adicionar um formulário no final do material pode ser uma ótima oportunidade para gerar levantadas de mão de leads qualificados.

Análise

Por fim, os e-books interativos podem coletar dados valiosos de seus leitores para auxiliar nos objetivos da empresa e em insights futuros. Independentemente do objetivo, do modelo de atribuição e dos KPIs (indicadores chave), o e-book interativo fornece informações suficientes para compreender o impacto dele na jornada dos seus clientes.

Aqui na Rock Content, após o lançamento de um conteúdo interativo, realizamos a análise das interações e compreendemos como nossa audiência está se comportando, a fim de pensar em melhorias para o conteúdo.

Exemplo de um relatório de análise de um e-book interativo

Melhores práticas para o seu e-book interativo

Por fim, se você está considerando testar e-books interativos em sua estratégia, temos algumas boas práticas para garantir que você explore todo o potencial possível.

Potencialize os conteúdos estáticos

Para construir um e-book interativo, não é necessário começar do zero. Inicie transformando e-books estáticos existentes em formatos interativos, incorporando elementos como quizzes, vídeos e links. Isso não apenas revitaliza o conteúdo antigo, mas também oferece uma nova maneira de envolver seu público.

Se você tiver uma ferramenta como o Ion, que oferece uma variedade de templates, esse processo será muito mais fácil e rápido.

Faça testes

Infelizmente, não existe uma fórmula infalível para o sucesso. O que funciona na estratégia de e-books interativos da Rock Content pode não funcionar com o seu público; por isso, estamos aqui para orientar e oferecer dicas sobre como fazemos, mas é fundamental que você sempre faça testes para entender o que funciona melhor com a sua persona.

Com o Ion, você pode duplicar uma experiência inteira com apenas um clique, fazer adaptações no layout, cores ou navegação do seu e-book para atender às necessidades do seu teste, e a plataforma cuidará de executar o teste para você.

Versão “A”

Versão “B”. Nesse e-book, criado para nossa audiência nos Estados Unidos, estamos testando a conversão com e sem a dobra “First things first!”

Defina um objetivo para o seu conteúdo

Ao construir um e-book interativo, defina um objetivo claro para esse material – seja para engajar o time de vendas, incentivar o download do material estático ou promover o compartilhamento em redes sociais – e inclua CTAs (chamadas para ação) ao longo de todo o conteúdo interativo. Não espere apenas pelo capítulo de conclusão do e-book para mencionar seu produto ou solução.

Se estiver utilizando uma ferramenta como o Ion, você poderá facilmente adicionar tags personalizadas em cada CTA para descobrir qual CTA de qual capítulo tem o melhor desempenho.

Com Ion você facilmente configura e acompanha os objetivos do seu criativo

E-books interativos representam uma forma inovadora de apresentar conteúdos e são um ótimo aliado para sua estratégia. Eles não apenas enriquecem a experiência do usuário, mas também oferecem novas oportunidades para coletar dados, personalizar conteúdos e, é claro, gerar conversões.

Ao incluir e-books interativos em sua estratégia de marketing de conteúdo, você não está apenas acompanhando uma tendência, mas também posicionando sua empresa como uma marca inovadora e engajada com as necessidades e preferências do seu público.

Está pronto para dar o próximo passo? Conheça o Ion, a plataforma interativa da Rock Content, e crie e-books interativos que vão ajudá-lo a alcançar seus objetivos de marketing.

[embedded content]

Este post foi inspirado no evento “Bastidores do Marketing: Como Utilizar E-books Interativos na Sua Estratégia de Conteúdo“, conduzido por Nayara Medeiros e William Gomes, que compartilharam insights valiosos sobre a utilização de e-books interativos no marketing de conteúdo. Esperamos que este conteúdo inspire você a explorar novas formas de engajar seu público e levar sua estratégia de marketing para o próximo nível.