Como Otimizar a Experiência do Usuário em Aplicativos

Para qualquer negócio que trabalhe no ambiente digital, pensar na experiência do usuário é fundamental, certo? E quando se fala na experiência dos usuários em aplicativos, isso se torna ainda mais importante, afinal, se trata de uma plataforma proprietária, mas como colocar esse conceito em prática?

Aplicar o UX em apps é essencial para atrair, converter e fidelizar mais e mais usuários. Imagine só: você investiu em várias estratégias para fazer com que aquele usuário baixasse o seu aplicativo, por que perder essa oportunidade? O cuidado precisa ser focado nos mínimos detalhes para ter melhores resultados.

Pensando nisso, preparamos um conteúdo completo com todas as dicas que você precisa para otimizar a experiência dos usuários em aplicativos. Continue a leitura e descubra como o UX em apps pode ser um diferencial!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

A importância da experiência do usuário em aplicativos (apps)

Se quando um cliente está navegando pelo site da sua empresa no desktop já é importante pensar em como a jornada dele precisa ser positiva, imagine quando estamos falando da experiência do usuário em aplicativos. Ao olhar todos esses pequenos detalhes, isso pode ser a diferença para a atração e retenção de clientes.

Quando os usuários encontram aplicativos intuitivos e fáceis de usar, eles estão mais propensos a seguir com esse app e, mais importante, recomendarem para outros usuários em potencial. Afinal, a boa usabilidade significa que o usuário tem acesso à todos os benefícios e funcionalidades do seu app.

Um aplicativo que tenha o diferencial X está, de fato, oferecendo esse diferencial para os seus usuários. E como uma das consequências de uma experiência positiva do usuário em aplicativos, a tendência é que o app tenha um desempenho ainda melhor nos rankings de pesquisa e na sua visibilidade.

Princípios fundamentais de experiência do usuário para aplicativos

Dentro do conceito de UX em aplicativos, é importante levar em consideração alguns dos princípios fundamentais dessa estratégia.

Usabilidade, acessibilidade e design centrado no usuário

A usabilidade é essencial para a experiência do usuário em aplicativos e, por isso, é preciso se certificar de que seu aplicativo seja intuitivo e fácil de usar. Para alcançar isso, faça testes de usabilidade para identificar áreas de melhoria e ajuste a interface com base no feedback dos usuários.

Além disso, a acessibilidade é vital, ou seja, ele precisa ser acessível a todas as pessoas, independentemente de suas habilidades ou necessidades. Isso inclui fornecer alternativas para conteúdo visual, como descrições de imagens para deficientes visuais, e tornar os controles e botões acessíveis por meio de teclado ou leitor de tela.

Dicas para criar interfaces intuitivas e atraentes

Uma interface intuitiva e atraente é fundamental para uma boa experiência do usuário. Mas como construi-las em seu aplicativo? Além de utilizar elementos de design consistentes, como ícones claros e rótulos descritivos, é interessante evitar sobrecarregar a tela com informações.

Mas, além disso, outros fatores podem ser relevantes.

Personalização da experiência do usuário

Dentro desse trabalho, o primeiro passo é permitir que os usuários personalizem o aplicativo de acordo com suas preferências. Um cuidado que inclui desde a escolha de temas, configurações de notificações até mesmo para a personalização de widgets. Assim, eles tendem a se sentir ainda mais valorizados.

Cuidado com os formulários

Outro ponto de atenção é entender que os formulários são componentes muito úteis em aplicativos, mas também podem ser fontes de frustração.Por isso, uma dica é simplificar os formulários no seu app, removendo campos desnecessários e fornecendo dicas contextuais que ajudem no seu preenchimento.

Contraste e cores

O uso adequado de cores e contraste é essencial para garantir a legibilidade e a acessibilidade. Escolha esquemas de cores que não causem cansaço visual e garanta que o texto tenha contraste suficiente em relação ao plano de fundo. E não se esqueça de que cores podem transmitir significados, então tenha cuidado ao utilizá-las.

Acessibilidade

Como falamos acima, a acessibilidade é um fator fundamental para qualquer aplicativo. Por isso, além de pensar em como criar conteúdos alternativos para elementos visuais, é importante seguir diretrizes de acessibilidade, como padrão WCAG, para garantir que seu aplicativo atenda aos requisitos legais e éticos.

Estratégias para garantir velocidade e eficiência no carregamento

Outro aspecto essencial para que o aplicativo seja interessante é a velocidade de carregamento. Otimize os recursos do seu aplicativo, como imagens e scripts, para garantir tempos de carregamento rápidos e não frustrar os usuários. Um dos exemplos aqui é utilizar a compactação de arquivos e técnicas de cache para reduzir a sobrecarga do app.

A importância da otimização para diferentes dispositivos e redes

Alguns tópicos acima falamos sobre personalização, certo? De nada adianta pensar nisso se o seu aplicativo não for desenvolvido para funcionar perfeitamente em uma variedade de dispositivos e condições de rede. Lógico que você precisa criar a primeira versão em algum modelo específico, mas considere todas as versões possíveis.

Navegação intuitiva

O usuário foi impactado por um anúncio do seu app, clicou, baixou e… está com dificuldades? Esse erro acontece muito e pode ser resolvido com uma navegação intuitiva. O aplicativo deve ser desenvolvido para que a jornada do usuário seja clara e intuitiva, com menus e botões que facilitem a mudança entre seções, por exemplo.

Hierarquia de informações e arquitetura de informação

Como complementar ao tópico acima, é importante organizar o conteúdo de forma lógica e hierárquica. O que é a funcionalidade principal, por exemplo, deve ser a mais fácil de ser acessada e assim por diante. Além disso, utilize categorias e subcategorias para otimizar a navegação e criar uma jornada simples.

Como simplificar a navegação e orientar o usuário de forma eficaz com personalização?

Um dos pontos que falamos nos tópicos acima foi a importância da personalização, certo? Mas como fazer isso na prática e quais empresas já conseguem colocar esse conceito em ação? Tire suas dúvidas agora mesmo!

Utilização de dados do usuário para personalização

Personalizar a experiência do usuário em aplicativos é fundamental para melhorar a satisfação e a retenção. Uma das formas mais eficaz de fazer isso é coletar e utilizar dados dos usuários para oferecer conteúdo e recursos relevantes. Afinal, com tantas informações em mãos, por que não utilizá-las?

Assim, ao compreender o comportamento, preferências e histórico de uso de um usuário, você consegue adaptar os recursos e funcionalidades do aplicativo para atender às suas necessidades específicas. Por mais que você tenha a persona do seu negócio, cada usuário tem as suas preferências.

Por exemplo, se um usuário em um aplicativo de notícias sempre lê artigos sobre tecnologia, o app pode destacar mais conteúdos relacionados à tecnologia em sua página inicial. Isso torna a experiência mais relevante e envolvente para o usuário, incentivando a permanecer no aplicativo.

Já em um aplicativo de um e-commerce de artigos esportivos, entender quais são os esportes mais praticados por cada usuário vai facilitar, por exemplo, a indicação de novos lançamentos ou promoções. Afinal, descontos em itens de corrida para alguém que joga tênis não faz tanto sentido, certo?

Exemplos de aplicativos que oferecem uma experiência personalizada de sucesso

Nada melhor do que alguns exemplos de empresas que conseguem aplicar o UX em apps a partir da personalização da experiência dos seus usuários, não acha? Então vamos lá!

Amazon

A Amazon é um excelente exemplo de personalização bem-sucedida. Ela utiliza dados de navegação e histórico de compras para recomendar produtos relevantes para cada usuário. Além disso, a Amazon personaliza a página inicial do usuário, mostrando produtos com base em suas preferências anteriores.

Spotify

Já o Spotify é conhecido por sua personalização em relação à música. Ele usa algoritmos para analisar o gosto musical de um usuário com base nas músicas que ele ouviu anteriormente e cria playlists personalizadas, como o “Descobertas da Semana”, mantendo os usuários envolvidos e interessados.

Nubank

Enquanto isso, o Nubank elevou o conceito de UX em apps no setor bancário, personalizando a experiência do usuário em vários aspectos. Para começar, o aplicativo já é intuitivo e simples, mas a empresa também utiliza dados de transações para categorizar automaticamente os gastos dos usuários e oferecer insights sobre seus hábitos.

Estratégias para monitorar e melhorar a UX ao longo do tempo

Mas um ponto de atenção quando se fala em experiência do usuário em apps: é um trabalho constante! Isso mesmo, o UX em aplicativos precisa ser otimizado regularmente, mas você sabe como fazer isso?

Coleta de dados de usuário

Para monitorar e melhorar a experiência do usuário (UX) ao longo do tempo, é essencial coletar dados de usuário de forma contínua. Isso pode ser feito por meio de análises de comportamento, feedback direto dos usuários e pesquisas, além de ferramentas de análise, como Google Analytics, para rastrear métricas que ajudem a otimizar.

Análise de dados

Após coletar os dados, é importante analisá-los para identificar tendências e áreas de melhoria. Avalie quais partes do aplicativo estão funcionando bem e onde os usuários podem encontrar dificuldades. A análise de dados permite uma compreensão mais profunda do comportamento do usuário e das preferências.

Testes A/B

Os testes A/B envolvem a criação de duas versões diferentes de um elemento ou recurso do aplicativo e a comparação do desempenho de ambas. Isso pode ajudar a determinar qual versão gera uma melhor experiência para os usuários, facilitando encontrar, por exemplo, versões mais eficientes para a conversão.

Acompanhamento das mudanças

À medida que você faz alterações com base em análises e testes, é importante acompanhar o impacto dessas mudanças na UX. Portanto, fique de olho nas métricas relevantes após a implementação de melhorias para garantir que elas tenham o efeito desejado.

Feedback contínuo dos usuários

Além disso, mantenha canais abertos para receber feedbacks contínuos dos usuários. Isso pode ser feito por meio de pesquisas regulares de satisfação, análise de avaliações e comentários nas lojas de aplicativos, ou até mesmo comunidades online dedicadas aos usuários.

Tendências e inovações em UX para aplicativos

Como falamos acima, esse precisa ser um trabalho constante, certo? Então já é hora de olhar para as tendências e inovações de UX em apps!

  • Design escuro: a adoção de temas escuros em aplicativos tem ganhado popularidade, pois reduz a fadiga visual e economiza energia em dispositivos com tela OLED;
  • Inteligência Artificial: a IA está sendo usada para personalizar ainda mais a experiência do usuário, oferecendo recomendações mais precisas e assistentes virtuais mais inteligentes;
  • Navegação por gestos: cada vez mais aplicativos estão adotando gestos de navegação, eliminando botões físicos ou virtuais para proporcionar uma interface mais limpa e intuitiva;
  • Design minimalista: a simplicidade continua sendo uma tendência, com aplicativos optando por designs limpos, menos desordem visual e foco no conteúdo essencial;
  • Microinterações: pequenas animações e interações microsutilizadas em botões ou elementos de interface para fornecer feedback imediato aos usuários;
  • Conteúdos interativos: a inclusão de elementos interativos, como quizzes, questionários e histórias, em aplicativos para envolver os usuários de forma mais profunda e tornar a experiência mais participativa.

Em resumo, levar o usuário para um ambiente proprietário e perdê-lo porque a sua jornada não foi bem planejada é um erro que pode prejudicar qualquer negócio. Por isso, é importante adotar as melhores práticas de UX ao desenvolver o seu app e garantir a melhor experiência para quem utiliza.

Agora que você já entendeu como o UX em apps é fundamental, que tal começar a melhor a experiência do usuário no seu aplicativo agora mesmo? Utilize o Ion e comece a desenvolver conteúdos interativos que ajudam a melhorar a experiência do usuário!

Como construir uma estratégia de Experiência do Cliente B2B que supera expectativas

Oferecer soluções personalizadas segundo as necessidades individuais dos clientes deixou de ser uma simples opção e tornou-se um recurso essencial nas estratégias comerciais contemporâneas. Assim, as empresas que dão prioridade à experiência do cliente B2B ganham mais que um desempenho sólido.

Essas empresas já perceberam que, ao construir uma estratégia de experiência do cliente, se deparam com amplas oportunidades para conquistar uma posição proeminente em seus setores, além de atrair mais compradores futuros. Afinal, no topo da lista de metas de qualquer empreendimento está a superação das expectativas dos consumidores. E, como é amplamente conhecido, um cliente satisfeito é um poderoso catalisador para o marketing boca a boca.

De acordo com um levantamento de 2023 da Genesys, cerca de 80% dos clientes estão dispostos a investir mais em empresas que oferecem uma experiência de cliente excepcional, especialmente quando envolve personalização do serviço, reforçando a ideia de que os negócios devem se empenhar em atender plenamente às expectativas dos consumidores.

Neste artigo explicamos como construir uma estratégia de experiência do cliente B2B que realmente supera as expectativas. Continue a leitura e saiba como elevar a percepção do seu cliente sobre a sua empresa! 

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

A Experiência do Cliente B2B e sua importância

Cada vez mais as marcas contemporâneas dedicam investimentos significativos para aprimorar a experiência do cliente, especialmente no contexto do cliente B2B moderno, que está bem informado e busca nada menos que uma experiência de compra rápida, conveniente e memorável para estabelecer parcerias duradouras.

O fato é que com a ascensão da transformação digital, houve o advento da “Era da Experiência”, na qual os negociadores atravessam múltiplos pontos de contato ao interagir com as empresas. Esses pontos de contato permeiam toda a jornada de compra dos clientes, sendo cada um deles fundamental na entrega de uma experiência do cliente B2B memorável e significativa.

Em qualquer desses pontos de contato, uma única experiência negativa pode comprometer todos os esforços para proporcionar um excelente CX B2B. No entanto, ao adotar a abordagem correta, diversos benefícios podem ser percebidos, como aumento da lucratividade, retenção de clientes, maior engajamento dos funcionários, estabelecimento de parcerias duradouras entre empresas e muitos outros pontos positivos.

Outro ponto importante para entender a relevância da experiência do cliente B2B é a abundância de oferta e concorrentes. Graças a este cenário, localizar produtos online tornou-se fácil, colocando o controle nas mãos dos compradores. A jornada até o checkout nunca foi tão intrincada, parcialmente devido à crescente necessidade de pesquisa utilizada para embasar uma decisão final de compra.

Considerando a experiência do cliente B2B, os compradores estão inclinados a investir mais em experiências que consideram superiores. O impressionante percentual de 86% dos compradores estão dispostos a desembolsar mais por experiências do cliente mais refinadas e personalizadas.

Além disso, estão dispostos a pagar, em média, 13% a mais por funcionalidades adicionais e itens de luxo quando a experiência do cliente é de alta qualidade. Esses padrões de compra B2C estão influenciando os hábitos de compra B2B, tornando a experiência do cliente o ponto crucial para o sucesso nas transações comerciais B2B.

Uma análise sobre as expectativas do cliente B2B

A jornada de compra B2B é muito mais complexa que a B2C, já que se somam a ela variáveis importantes como o ROI (Retorno sobre o Investimento) e o tempo gasto. Dessa forma, empresas que atuam no B2B devem atentar-se às expectativas do cliente para oferecer uma boa experiência.

A seguir, elencamos alguns dados que mostram o quanto a jornada de compra B2B é complexa e o que deve ser considerado na experiência do cliente.

  • 80% dos compradores B2B esperam uma jornada de compra personalizada como a de um B2C;
  • 77% dos clientes relatam que a jornada de compra leva muito tempo. Esse dado mostra quanto o tempo é uma variável importante para este público;
  • 77% dos compradores, antes de decidir, fazem uma análise de ROI detalhada;
  • Mais de 50% dos clientes B2B leem, ao menos, oito conteúdos dos fornecedores antes de fechar a compra;
  • a experiência do cliente já é mais importante do que o valor do produto ou serviço no ramo B2B, sendo que 86% dos consumidores aceitam pagar mais por uma experiência significativa.

De acordo com estes dados, percebemos que a venda é apenas o primeiro estágio do que pode ser uma grande parceria. Assim, é fundamental conhecer as expectativas do seu cliente, considerando também as especificidades do seu público e do seu nicho de atuação.

Atualmente, o melhor meio de conseguir essa informação é perguntar ao seu cliente: conhecer a realidade da experiência do cliente B2B na sua empresa por meio dos feedbacks deve fazer parte da rotina. Leia nosso material e saiba como coletar feedbacks corretamente.  

Integração de departamentos para uma experiência consistente

Nos últimos anos, diversas empresas passaram a apostar em departamentos específicos para a experiência do cliente. Contudo, ainda que seja válido ter um departamento e profissionais focados na experiência, vale lembrar que a colaboração entre diversas áreas como vendas, marketing e atendimento é crucial para elevar a satisfação do seu público.

Afinal, de nada adianta a equipe de vendas e marketing prometer um suporte que não existe no pós-venda. Ou então, o produto ou serviço não cumprir com o prometido. Dessa forma, é fundamental que a empresa tenha processos bem definidos e uma comunicação interna eficaz para implementar a estratégia efetivamente.

Em outras palavras, quando uma empresa é focada em experiência do cliente, seja ele B2B ou B2C, todos os setores devem falar a mesma língua. Portanto, a comunicação interna da empresa deve ser fortalecida.

Uma equipe treinada, com objetivos estabelecidos e integrada é capaz de oferecer uma experiência sólida ao cliente em todas as etapas da jornada de compra. 

Construindo uma estratégia de experiência do cliente B2B

Há diversas técnicas que podem ser implementadas para a construção de uma estratégia de experiência do cliente B2B. A seguir, entenda a importância de cada uma das etapas e técnicas, além de saber como começar a construir.

Personalização como foco central

Em muitos dados apresentados neste artigo, a personalização aparece como um fator central na decisão de compra. Mas, afinal, o que é a personalização? Personalizar consiste em oferecer uma experiência única conforme as necessidades do cliente B2B.

Estratégias como recomendar produtos de acordo com suas compras anteriores e incluir o nome da empresa no e-mail e em outras comunicações são algumas ideias. O objetivo é personalizar a experiência, mostrando que o seu negócio se importa individualmente com cada cliente.

A personalização pode ser feita com o auxílio dos dados corretos, como:

  • principais dados sobre o mercado B2B;
  • coleta de feedbacks;
  • mapeamento de tendências gerais;
  • relacionamento próximo pelas redes sociais;
  • acompanhamento das tendências de compras dos seus clientes.

A personalização é a chave para atender às demandas específicas do cliente B2B. 

Utilizando tecnologia para aprimorar a experiência

A exploração de ferramentas e tecnologias pode ser empregada para otimizar a experiência do cliente B2B. Há uma série de empresas que alcançaram sucesso na implementação de soluções tecnológicas, as quais podem inspirar quem está construindo uma estratégia. Confira!

Adobe

A Adobe é reconhecida por suas soluções de software para design, marketing e documentação. Eles implementaram estratégias eficazes de CX B2B, proporcionando aos clientes uma experiência fluida e integrada em todos os seus produtos e serviços.

Amazon Business

A divisão B2B da Amazon transformou a maneira como as empresas fazem compras online. Eles oferecem uma plataforma intuitiva, com opções de personalização, preços competitivos e um processo de compra eficiente, proporcionando uma experiência positiva aos compradores empresariais.

Zendesk

Especializada em software de atendimento ao cliente, a Zendesk é um exemplo de sucesso em CX B2B. Suas soluções ajudam as empresas a oferecer um suporte eficiente, criando interações positivas e duradouras com os consumidores. É um case de sucesso com mais de 150 mil clientes, entre eles C&A, Magalu e Uber.

Gupy

A Gupy é uma empresa de software como serviço (SaaS) que disponibiliza, como seu produto principal, uma plataforma de recrutamento e seleção projetada para atender a empresas de diversos setores e tamanhos.

No âmbito de sua estratégia de marketing B2B, a Gupy apresenta um site abrangente, caracterizado por uma boa usabilidade. Esse site é equipado com recursos como um chatbot para atendimento ao cliente e um blog informativo, proporcionando uma experiência completa aos usuários.

Slack

O Slack é uma plataforma de mensagens corporativas voltada para empresas que operam em ambientes híbridos ou remotamente. Em sua atual carteira de clientes, inclui empresas renomadas como o Mercado Livre e a Rappi.

Destaca-se no B2B por sua linguagem leve ao se comunicar com o público, além de ter uma presença forte nas redes sociais, especialmente no LinkedIn.

EBANX

A EBANX é uma empresa brasileira de tecnologia cujo foco principal é o processamento de pagamentos internacionais. Sua plataforma é adotada por ecommerces de renome global, incluindo marcas como Shein e Shopee, além de ser utilizada pela plataforma de streaming Spotify.

Ela é destacada como um case B2B devido à sua notável consolidação como uma plataforma de pagamento preferida por empresas globais de tecnologia. Essa reputação expressiva a coloca na vanguarda dos fornecedores de serviços de pagamento para grandes players do setor.

Invista no time de Customer Experience

Por fim, toda empresa que deseja se destacar em customer experience deve investir em um time qualificado para essa atuação. Portanto, contratar e treinar os profissionais garantirá um retorno positivo à empresa.

Aliando todas as técnicas aqui apresentadas, sua empresa conseguirá alcançar os melhores resultados em satisfação do cliente!

Quer encantar e engajar sua audiência durante a jornada de compra do cliente? Conheça o Ion, a estratégia de conteúdo interativo das marcas mais famosas do mundo. Acesse nosso site e saiba mais!

Como Aplicar a Interatividade em Cada Etapa do Funil de Marketing [+ Exemplos para se Inspirar]

Criar ebooks, whitepapers, infográficos e outros conteúdos úteis tem sido uma prática fundamental para os profissionais de marketing ao longo dos anos. Esses recursos são excelentes para gerar leads, educar a audiência e alcançar diversos KPIs.

No entanto, já faz um tempo que as pessoas estão dividindo a atenção entre a enorme quantidade de conteúdo disponível em diversos formatos. Foi aí que o engajamento se tornou fundamental para entender o quão relevante são esses ativos.

Profissionais de marketing se viram em um paradigma: como fornecer o valor desejado e manter a audiência envolvida ao mesmo tempo?

Os elementos interativos têm sido uma ótima opção para ajudar a responder essa pergunta. Um estudo recente da Mediafly mostra que o conteúdo interativo envolve 52,6% mais do que peças estáticas, e esses dados devem ser levados em consideração ao planejar uma estratégia.

Eu sei que uma preocupação comum para os profissionais de marketing em relação à interatividade é a percepção de dificuldade em sua aplicação, exigindo habilidades de codificação e frequentemente faltando expertise interna. Bem, não mais.

Neste artigo, você aprenderá que não é mais necessário usar codificação para criar experiências interativas e envolventes. Você também aprenderá como aplicá-las em cada etapa do seu funil de marketing e verá ótimos exemplos para se inspirar.

Ao criar ativos como quizzes, calculadoras e avaliações, é possível atender a outra necessidade do público: a personalização. Mais uma vez, esse é um ponto crucial quando se trata de engajamento, persuasão e experiência.

A quantidade de formatos interativos que você pode aplicar à sua estratégia é imensa; tudo depende da sua criatividade. Além disso, eles podem ser criados para apoiar empresas em diferentes objetivos ao longo da jornada do comprador, desde a conscientização até a conversão, da visibilidade à receita.

Vamos ver como.

Como aplicar a interatividade em cada etapa do funil de marketing?

Etapa de Conscientização

Nesta fase, o leitor pode não saber que possui um problema ou necessidade para as soluções que você oferece. De acordo com a Mediafly, o conteúdo interativo proporciona uma visualização de conteúdo 94% maior em comparação com peças estáticas, sendo uma ótima oportunidade para gerar reconhecimento de marca.

Um ebook interativo sobre a área deles pode ser uma excelente oportunidade para apresentar sua marca e destacá-la como uma autoridade no assunto. Essa também é uma oportunidade excelente para converter leitores em leads e coletar dados relevantes enquanto interagem com o ebook.

Webinars também oferecem uma ótima oportunidade para chamar a atenção das pessoas, responder a perguntas básicas e se conectar com a audiência. Na Rock Content, temos as Jam Sessions, onde utilizamos páginas interativas como uma galeria de conteúdo e para transmitir webinars ao vivo.

Você também pode transformar os visitantes em leads e coletar feedback adicionando CTAs e outros elementos interativos dentro dessas páginas.

Como exemplo, você pode conferir nosso ebook interativo: “O impacto da Inteligência Artificial 

no Marketing de Conteúdo.

Etapa de Consideração

Neste momento, as pessoas estão cientes da necessidade de uma solução e começam a avaliar maneiras potenciais de resolver seus problemas. Enquanto os ebooks interativos podem fornecer informações mais específicas, explorar outros formatos também é válido.

Infográficos interativos oferecem a maneira perfeita de simplificar informações complexas—um aspecto essencial durante o estágio de consideração. Eles são eficazes em apresentar dados e números, oferecendo suporte valioso às suas narrativas e ajudando os visitantes a tomar decisões baseadas em dados.

Quizzes e calculadoras desempenham um papel significativo nesta fase. Os visitantes podem fornecer respostas detalhadas e receber recomendações e resultados personalizados, aprimorando sua experiência geral e aproximando suas soluções deles.

Por último, mas não menos importante, os formatos mencionados acima também são excelentes fontes de informação, permitindo que você colete dados de primeira mão com base em suas entradas. Isso possibilita às equipes de marketing e vendas personalizar sua abordagem ao lead, aumentando assim as chances de fechar negócios.

Exemplo de quiz: Qual é o nível de maturidade da sua estratégia de conteúdo?

Etapa de Decisão

Neste momento, o visitante já está familiarizado com seus desafios, seus produtos e serviços. Ele apenas precisa de garantias de que sua empresa é exatamente o que está procurando.

Um ebook interativo pode parecer superficial para esses contatos. No entanto, um whitepaper interativo, com uma estrutura semelhante aos ebooks interativos, fornece informações mais aprofundadas e técnicas sobre o seu assunto. Pode ser um ponto de virada para ajudar a pessoa a avançar com a compra.

Infográficos interativos são úteis para fazer comparações, permitindo que você destaque seus benefícios em relação aos concorrentes. Calculadoras também são uma opção viável; você pode oferecer uma calculadora de desconto ou até mesmo calcular o ROI que seu contato terá ao adquirir sua solução.

Durante o estágio de decisão, casos de sucesso, estudos de caso e depoimentos de clientes são cruciais. Entregar esses ativos por meio de uma experiência interativa cativa o leitor e adiciona mais credibilidade às suas narrativas.

Clique aqui para ver o exemplo de uma calculadora interativa.

Como criar experiências interativas?

Os exemplos que mencionei acima são, obviamente, da Rock Content, e foram também feitos usando nossa própria plataforma de conteúdo interativo: Ion.

Com o Ion, você pode criar infinitos tipos de experiências interativas do zero ou utilizando os modelos da nossa Quickstart Gallery. A melhor parte é que você pode fazer tudo isso sem a necessidade de programação.

Como mencionado anteriormente, é uma ótima oportunidade para gerar resultados desde a conscientização até as conversões e capacitar as equipes de vendas com as informações fornecidas à medida que o visitante consome o conteúdo.

Você é mais do que bem-vindo(a) para visitar nossa página de Galeria de Clientes e conversar com um de nossos especialistas para entender como aplicar conteúdo interativo à sua própria estratégia: Clique aqui e agende uma Demonstração Gratuita!

Do estático a experiências interativas: evoluindo a produção de conteúdo

No vasto e sempre em expansão cenário de conteúdo online, onde cada clique leva a uma nova descoberta, o desafio para empresas e profissionais de marketing é claro: capturar e manter a atenção.

O conteúdo estático convencional, que um dia foi o alicerce da comunicação digital, evoluiu para o conteúdo interativo.

Nesta análise, vamos mergulhar nas complexidades dessa evolução de conteúdo, trazendo dados, insights e um guia para navegar por esse cenário em constante mudança.

O poder da interatividade na estratégia de marketing

Vamos fundamentar nossa discussão em dados.

Pesquisas recentes revelaram uma mudança significativa nas preferências dos consumidores. De acordo com uma pesquisa realizada pelo Content Marketing Institute (CMI), impressionantes 79% dos profissionais de marketing relataram que o conteúdo interativo melhora a retenção da mensagem.

Essa mesma pesquisa também revela que o conteúdo interativo proporciona um notável aumento de 52,6% no engajamento, reforçando que as pessoas estão realmente interessadas nesse formato.

Os números não apenas sugerem uma preferência; eles estão deixando claro que há uma demanda por engajamento, e as marcas estão percebendo isso. Em outra pesquisa, 88% dos profissionais concordaram que o conteúdo interativo desempenha um papel vital em destacar suas marcas.

Aliás, muitas grandes marcas já incorporaram o conteúdo interativo em suas estratégias, como a Apple com suas páginas interativas do iPhone, como mencionado neste post.

Claro, você não precisa estar no nível da Apple para aproveitar a interatividade em sua estratégia de marketing. Ao simplesmente transformar um e-book estático em uma experiência interativa, por exemplo, você pode impulsionar suas métricas de retenção, engajamento, conversões e até mesmo rastreamento de dados.

Vamos aprofundar um pouco mais nesse tópico a seguir.

Benefícios do conteúdo interativo que o conteúdo estático não oferece

É importante reconhecer os méritos e os obstáculos do conteúdo estático. De forma confiável, o conteúdo estático oferece estabilidade; é fácil de criar, controlar e promover. Além disso, ele costuma ter um custo mais baixo, tornando-o uma opção atraente.

No entanto, o calcanhar de Aquiles dele está em sua inflexibilidade.

Uma vez criado, ele permanece inalterável, carecendo da dinâmica que as audiências contemporâneas exigem. Quando comparado à diversidade de formatos de conteúdo disponíveis em sites e redes sociais, o conteúdo estático pode parecer desinteressante para os usuários que têm contato com excesso de conteúdo a partir do momento que pegam o celular ou laptop.

O conteúdo estático é como um retrato congelado, enquanto o cenário digital exige uma abordagem mais dinâmica.

Além disso, há certas coisas que o conteúdo estático simplesmente não pode realizar. E é aí que as coisas começam a ficar interessantes.

Leia também: Como a Rock Content utiliza o conteúdo interativo no marketing

A mudança de consumir informações para vivê-las

Imagine um cenário no qual a sua audiência não é apenas uma observadora passiva, mas sim uma participante entusiasmada. Isso é o foco do conteúdo interativo.

O conteúdo interativo exige engajamento, estimula a curiosidade e oferece liberdade. A mudança de simplesmente consumir informações para vivenciá-las é o diferencial dessa evolução.

Não dá para adicionar uma calculadora a um site estático, por exemplo. Ou incluir mais informações em seu infográfico conforme o seu cliente clica e explora o conteúdo.

O conteúdo interativo não é apenas um meio; é uma jornada interativa. Ele não apenas chama a atenção, mas também entrega mensagens de forma eficaz e educa a audiência ao torná-la parte da narrativa.

O tesouro por trás do conteúdo interativo: a coleta de dados

Não podemos esquecer o verdadeiro tesouro por trás desses elementos envolventes em seu conteúdo: a coleta de dados.

Quando os usuários participam ativamente da experiência do conteúdo, eles compartilham voluntariamente informações essenciais sobre seu comportamento digital, preferências e áreas de interesse. Tudo isso é consideravelmente mais desafiador de alcançar com conteúdo estático.

Adotar essa estratégia nos capacita a criar conteúdo que gera informações cruciais, beneficiando não apenas os resultados de marketing, mas também os seus processos organizacionais.

Levando a otimização personalizada a outro nível

Ferramentas interativas, como quizzes e testes, redefinem a maneira como os profissionais de marketing entendem seu público. Ao coletar informações sobre preferências, gostos e expectativas, essas ferramentas permitem a criação de estratégias de marketing altamente personalizadas.

Não se trata apenas de alcançar seu público; é sobre se conectar com eles em um nível pessoal.

Devo abandonar o conteúdo estático?

Se o conteúdo interativo é algo que todo profissional de marketing deve usar, agora você deve estar se perguntando se ainda vale a pena continuar usando o formato estático.

O conteúdo estático, com sua confiabilidade, certamente tem o seu lugar, mas o cenário moderno exige mais. A coexistência harmoniosa de conteúdo estático e interativo não é apenas uma sugestão; é uma necessidade estratégica.

Conforme navegamos por essas possibilidades, encontrar o equilíbrio certo se torna crucial para o sucesso.

Você pode estar pensando: “Tudo bem, eu entendo a importância, mas me faltam os recursos para fazer a transição para o conteúdo interativo.”

Gostaria de dar duas dicas valiosas para te ajudar nisso:

  • Considere explorar plataformas de conteúdo interativo. Eu recomendo o Ion.

Ela fornece todas as ferramentas necessárias aos profissionais de marketing para criar experiências de conteúdo interativo memoráveis e eficazes. Entre seus muitos benefícios, o Ion oferece aos usuários:

  • Uma experiência de criação acessível, sem a necessidade de saber programação
  • Mais de 180 modelos dinâmicos que você pode personalizar e deixar com a sua cara
  • Um conjunto de serviços gerenciados para ajudar você a tirar o máximo de suas experiências de conteúdo

Você pode solicitar uma demonstração gratuita aqui.

  • Leia este artigo sobre como criar conteúdo interativo, mesmo se você não entenda de HTML. Ele pode oferecer uma nova perspectiva sobre recursos interativos, e você descobrirá que é muito mais alcançável do que poderia imaginar.

Conclusão

O conteúdo interativo não é uma revolução; é um renascimento.

Ao concluirmos esta análise, lembre-se de que o futuro não é binário: não é estático ou interativo; é uma integração perfeita de ambos.

Abrace a interatividade, transforme seu conteúdo de um monólogo em um diálogo e observe como sua audiência não apenas consome, mas se envolve ativamente.

Para embarcar em sua jornada na criação de conteúdo interativo, considere descobrir as possibilidade do Ion: uma ferramenta versátil projetada para capacitar você na criação de experiências envolventes e interativas.

O meio da produção de conteúdo é vasto; siga com os benefícios da interatividade ao seu lado e descubra as possibilidades ilimitadas que aguardam.

O futuro é interativo; agora, só falta você moldá-lo.

Como criar conteúdos interativos mesmo sem saber HTML

Antes de ingressar na Rock Content, eu nunca havia tido qualquer contato com marketing digital – ou, pelo menos, era o que eu pensava.

Na época, eu não tinha uma compreensão completa da abrangência do marketing digital e da quantidade de trabalho envolvido nele. Para você ter uma ideia, eu costumava acreditar que toda equipe de marketing precisava contar com um desenvolvedor habilidoso a bordo. Afinal, como empresas como a Apple conseguiam criar experiências interativas incríveis para cada lançamento de novo produto, certo?

Agora, após ter gerenciado mais de 50 projetos de criação de conteúdo interativo, dou risada (e até sinto vergonha) quando penso naquela época. Acontece que eu não sou um expert em programação, não domino o HTML e ainda estou tentando entender exatamente o que significa CSS.

A jornada desde o momento em que eu não sabia absolutamente nada sobre marketing ou programação até chegar onde estou hoje foi longa, mas tudo começou com uma simples pergunta:

Por que usar conteúdo interativo em vez de materiais estáticos?

Quando dei meus primeiros passos na criação de conteúdo, confesso que encarei o conteúdo interativo com uma certa dose de intimidação e não conseguia enxergar seu real propósito. Afinal, por que se esforçar tanto quando materiais estáticos pareciam capazes de transmitir as mesmas informações?

Minha base de conhecimento em design era extremamente limitada, e tudo o que sei sobre o assunto foi adquirido aqui mesmo, enquanto trabalhava como gerente de projetos na Rock Content. Portanto, inicialmente, me pareceu muito mais simples não me preocupar em criar um design elaborado ou programar uma página completa, quando poderíamos usar o mesmo conteúdo em um simples ebook.

No entanto, à medida que aprendi mais e consumi uma variedade maior de conteúdo, comecei a perceber o aspecto estratégico por trás do conteúdo interativo: ele se assemelha mais a uma conversa do que a uma palestra.

Enquanto o conteúdo estático simplesmente entrega informações ao usuário esperando que ele reaja de alguma forma, o conteúdo interativo convida o público para uma conversa. Isso nos permite observar como eles interagem com cada parte do conteúdo, compreender suas áreas de maior interesse e identificar os assuntos de melhor desempenho, mesmo que o usuário nunca se dê ao trabalho de escrever uma única palavra.

Se o seu foco está em métricas, o conteúdo interativo geralmente resulta em maior engajamento, taxas de conversão mais elevadas e um tempo de permanência maior na página.

Leia também: Como aumentei em 20,7% a Taxa de Conversão de um E-book por meio da Interatividade

Além disso, ao considerar a experiência do usuário, isso fica bastante intuitivo: a interatividade prende muito mais a atenção do que simplesmente ler um bloco de texto.

Nesse ponto, eu ainda tinha uma dúvida: mesmo levando tudo isso em consideração, valeria realmente a pena investir na codificação de uma página interativa completa?

Afinal, dá para criar conteúdo interativo sem programação?

Estamos vivendo em uma época em que praticamente todo mundo já ouviu falar de pelo menos um desses termos: CSS, JavaScript, HTML, Python, entre outros.

Aprender a programar nunca foi tão relevante. Não é à toa que eu costumava pensar que todo departamento de marketing tinha um desenvolvedor em sua equipe.

No entanto, foi uma surpresa descobrir que a maioria dos departamentos de marketing não só não conta com um desenvolvedor, mas também costuma enfrenta escassez de pessoal.

Considerando esse cenário e o fato de que a maioria das pessoas não possui conhecimentos de programação ou simplesmente não deseja aprender, algumas plataformas incríveis agora oferecem soluções sem a necessidade de código para criar sites, blogs e até mesmo experiências interativas.

A ideia é que você possa criar sem precisar escrever código do zero, ou mesmo qualquer código. Em vez disso, basta clicar e arrastar diferentes elementos para onde deseja que eles estejam, e está pronto.

Soluções sem código para conteúdo interativo

As soluções sem código já conquistaram bastante popularidade quando se trata de criar sites e blogs. Se você é um ávido espectador do YouTube, provavelmente já ouviu falar do Wix ou do Squarespace.

Mas e se você não quiser construir um site completamente novo? E se o seu objetivo for apenas criar conteúdo interativo para dar um toque diferenciado à sua campanha?

Minha ferramenta favorita para isso é o Ion. Sim, eu sei, sou suspeita para falar, mas também testemunhei repetidamente o poder desta plataforma em ação.

Como gerente de projetos, um dos aspectos mais cruciais para mim é estabelecer um bom relacionamento com meus clientes, de forma a compreender verdadeiramente suas necessidades. Posso garantir que não há maneira mais eficaz de se conectar com alguém do que compartilhar algo que você não domina completamente; no meu caso, esse “algo” é a programação. A maioria dos meus clientes também não tem afinidade com essa área.

Levando tudo isso em consideração, aqui estão algumas das principais vantagens que vejo no Ion:

Aplicar facilmente sua marca ao conteúdo

Antes de utilizar a plataforma pela primeira vez, será necessário carregar os materiais da sua marca. Não se preocupe, não é necessário saber programação para fazer isso.

Depois disso, todos os recursos necessários estarão prontamente disponíveis toda vez que você criar uma nova experiência, assegurando que sua equipe sempre esteja alinhada com as diretrizes da sua marca.

Mudar facilmente sua marca

Sua equipe acabou de renovar os materiais de marketing, e agora você está se perguntando como atualizar cada peça criativa que possui? É muito simples: depois de atualizar apenas os ativos necessários, o seu conteúdo interativo será automaticamente atualizado.

Mesmo que você opte por fazer uma mudança completa e fazer um rebranding total, basta um único clique em um botão para garantir que seus elementos criativos também sejam atualizados.

Focar em design baseado em conteúdo

Ao criar sua experiência no Ion, você pode aproveitar uma das muitas funcionalidades disponíveis para destacar as informações de forma mais eficaz, garantindo que seu conteúdo seja sempre apresentado da melhor maneira possível. Tudo isso é feito de forma simples, apenas arrastando e soltando os elementos na página.

Usar tags em todos os lugares

Se você é gerente de projetos ou alguém que lida com dados, é aqui que o Ion brilha.

Com apenas alguns cliques do mouse, você pode marcar diferentes elementos da sua experiência e obter informações precisas sobre o tempo que os usuários passaram em cada página, quais elementos e seções foram mais envolventes e de onde eles estão acessando a experiência.

Isso sem mencionar a visão completa do funil, onde você pode acompanhar quantos usuários únicos foram alcançados, quantos deles se engajaram e quantos se converteram.

Auxilia e otimiza o trabalho

Para equipes com poucos funcionários, o Ion pode ser um aliado valioso no trabalho. É possível criar experiências simples em cerca de duas horas, desde o início até o lançamento.

A plataforma disponibiliza templates predefinidos que podem ser utilizados. Com apenas alguns cliques, você pode incorporar materiais, textos e imagens da sua marca, e tudo estará pronto para começar.

Cria diferentes tipos de experiências

A maioria das pessoas acredita que as soluções no-code estão limitadas a ebooks ou landing pages. No entanto, as possibilidades vão muito além disso.

Com dez tipos diferentes de experiências, o Ion permite que você tire o máximo proveito do seu conteúdo em todas as etapas do funil.

Leia também: Como a Rock Content utiliza o conteúdo interativo na estratégia de marketing

Indo além da landing page interativa

Cada etapa na jornada do consumidor requer diferentes tipos de conteúdo, e o mesmo se aplica às experiências interativas.

Quando você está interagindo com alguém que acaba de descobrir sua marca, pode não ser eficaz discutir detalhadamente os méritos do seu produto. Então, não faz sentido fornecer a eles um microsite que destaque apenas suas soluções para seus desafios.

Por outro lado, quando o cliente já está interessado em fechar negócio com você, um simples infográfico pode não ser o fator decisivo.

É importante visualizar seu conteúdo considerando a perspectiva da sua persona. Quais são suas dores? Quais desafios ela enfrenta? E como você pode oferecer assistência?

Como regra geral, landing pages e infográficos interativos funcionam bem quando você busca o reconhecimento da marca, pois podem mostrar rapidamente diferentes porcentagens e cenários.

Ebooks, avaliações, quizzes e white papers são mais adequados para o meio do funil, quando o cliente já entende as opções disponíveis para resolver seus problemas.

Por último, mas não menos importante, as calculadoras são excelentes para o fundo do funil. Geralmente, a maioria delas exige uma quantidade significativa de informações ou dados confidenciais para funcionar. Seus clientes são mais propensos a inserir esses dados se já confiarem em sua marca.

Uma solicitação comum que recebo de meus clientes é renovar uma página de seu site para torná-la mais interativa. Isso pode envolver a criação de uma página “Sobre nós” mais atrativa para clientes e funcionários ou a incorporação de um “Buscador de soluções” para ajudar os clientes a encontrar os melhores produtos ou serviços para suas necessidades.

Em casos como esses, há uma pequena quantidade de programação envolvida. Sua equipe precisará incorporar a página interativa usando um iframe. Simples assim, não há mais código com que se preocupar.

Um dos meus exemplos favoritos de experiências para o meio e fundo do funil está relacionado ao VSP Vision Care. Seus clientes não sabiam quais planos atenderiam melhor às suas necessidades ou ofereceriam o melhor custo-benefício.

O Ion não apenas resolveu esse problema com uma calculadora de economia, que permitiu aos usuários avaliar o valor do plano com base em suas necessidades específicas e cenários financeiros, mas também auxiliou a equipe da VSP no desenvolvimento de um sofisticado assistente de produto. Ele gera recomendações personalizadas para cada cliente e, o mais impressionante, 98% deles o consideram altamente útil.

Melhor desempenho em qualquer formato

Já falei que o desempenho do seu conteúdo pode melhorar se você passar de um formato estático para uma experiência interativa. Um exemplo disso é o relatório Social Media Trends 2022 da Hootsuite.

Com o Ion, eles conseguiram aproveitar ao máximo seu conteúdo e dados, transformando um relatório que costumava ser chato e difícil de ler em uma experiência bonita, informativa e fácil de digerir.

Isso tornou o conteúdo muito mais fácil de entender e lembrar, e também transmitiu a mensagem da marca de forma mais eficaz do que um PDF.

Naquele ano, o tráfego para o relatório aumentou 34%, o tempo gasto na página aumentou 119% e o número de downloads aumentou mais de 30%.

Incrível, né?

Leia também: Como a Hootsuite transformou sua maior campanha anual

A propósito, você sabia que 75% dos profissionais de marketing usam interatividade para melhorar o conteúdo informativo? Ao interagir com diferentes elementos da tela e até mesmo responder a perguntas de quiz, os usuários retêm o conteúdo muito mais facilmente.

Conclusão

O conteúdo interativo não é apenas o futuro da criação de conteúdo; já é o presente.

Ele pode tornar sua estratégia mais versátil, educar seus clientes, aumentar o conhecimento de seus produtos e soluções, e ajudar sua equipe a comunicar o valor de sua marca de forma eficaz.

Não deixe que suas preocupações com a codificação o impeçam de adicionar essa ferramenta ao seu arsenal.

Não deixe que as preocupações com código impeçam você de adicionar essa ferramenta ao seu arsenal. Mesmo que você tenha algum conhecimento em programação, pode personalizá-lo ainda mais usando CSS. Mas, se não sabe programar, pode simplesmente esquecer que isso existe e focar no que faz de melhor: criar conteúdo e pensar nos seus clientes.

Não é necessário conhecer HTML.

Quer começar a trabalhar com interatividade na sua estratégia de marketing? Então, aproveite para solicitar uma demonstração gratuita com um de nossos especialistas.

3 exemplos de conteúdo interativo para campanhas sazonais criativas

Criar campanhas envolventes é um dos maiores desafios enfrentados pelos profissionais de marketing. Com diversos objetivos a serem atingidos e limitações como tempo, recursos e orçamento, a criatividade muitas vezes parece ser o menor desafio.

Entretanto, as campanhas sazonais nos proporcionam uma motivação extra para explorar a criatividade e abordar narrativas de maneiras diversas e envolventes. A equipe de marketing da Rock Content também segue essa abordagem, mas com um toque a mais: incorporamos experiências de conteúdo interativo para ir além de simplesmente criar imagens atraentes e textos divertidos.

Neste artigo, vou trazer 3 exemplos de como utilizamos a interatividade em campanhas sazonais.

Antes de começar, algo importante sobre conteúdo interativo

Antes de entrarmos nos exemplos, vamos dar uma rápida olhada nos principais elementos do conteúdo interativo.

Para criar páginas interativas, você geralmente precisa de um desenvolvedor habilidoso ou de uma plataforma dedicada à criação de conteúdo interativo.

Na Rock Content, optamos por usar nossa própria ferramenta: o Ion.

A melhor parte é que não é necessário ter conhecimentos de programação para criar esse tipo de conteúdo. O Ion vem com uma ampla variedade de templates prontos, o que facilita muito o trabalho da nossa equipe de profissionais de marketing e designers.

Outro aspecto interessante é que ao criar essas páginas no Ion, elas podem ser otimizadas para SEO e projetadas de forma a incentivar o engajamento dos visitantes e coletar dados relevantes. Isso significa que, enquanto o usuário interage com um ebook, calculadora ou infográfico, podemos proporcionar uma experiência personalizada e capturar as informações que você precisa.

Agora que você tem uma ideia mais clara sobre conteúdo interativo, já podemos trazer os nossos 3 exemplos de conteúdo interativo para campanhas sazonais criativas.

1. Black Friday

Em 2022, realizamos uma campanha global que se resume a um hub contendo três sessões com materiais ricos.

Após preencher um formulário na landing page, os visitantes obtêm acesso gratuito para auxiliar os profissionais de marketing a planejarem estratégias para uma campanha de Black Friday mais bem-sucedida.

Dentro do Hub, um dos recursos disponíveis é o Guia Interativo “Estratégias de conteúdo para Black Friday”, que se assemelha a um quiz simples.

Depois de fornecer algumas informações básicas sobre o seu negócio, o visitante recebe sugestões personalizadas para potencializar uma campanha bem-sucedida na Black Friday.

Nas duas experiências, os visitantes têm a oportunidade de explorar algumas ofertas relacionadas aos nossos produtos e serviços.

Se desejarem prosseguir com uma demonstração de produto, por exemplo, já estão no meio do processo de envio do formulário, pois já forneceram suas informações na experiência anterior.

Um aspecto interessante é que construímos as páginas mantendo a identidade da nossa marca. Isso significa que não apenas ficam visualmente atraentes com elementos animados, mas também se mantêm alinhados com a sua identidade de marca. Além disso, é possível adicionar elementos sazonais para tornar a experiência ainda mais cativante.

Ao final, podemos analisar o desempenho da página por meio do dashboard criativo, o que nos proporciona insights sobre os resultados. Se necessário, podemos aprofundar nossa análise para entender onde as interações foram mais ou menos frequentes, o que nos permite adaptar a próxima etapa de acordo com essas informações.

Você pode conferir a versão atualizada do Hub aqui!

2. Kit de Planejamento de Marketing

O Kit de Planejamento de Marketing tem sido um dos nossos materiais de maior sucesso, com mais de 8 mil downloads apenas na nossa base de língua inglesa desde o seu lançamento em 2020.

Atualizamos e relançamos o pacote anualmente, com o propósito de auxiliar os profissionais de marketing na elaboração, organização e execução de suas estratégias para o ano ou trimestre que está prestes a iniciar.

Esse kit está repleto de planilhas, guias, templates e outras ferramentas que proporcionam instrumentos gratuitos para os profissionais simplificarem seu trabalho.

Em 2022, lançamos uma versão interativa, na qual as pessoas preenchem um formulário e ganham acesso a um hub semelhante ao da Black Friday, onde encontram todos os materiais necessários.

Para apoiar os profissionais nas tarefas do segundo semestre de 2023, especialmente durante o verão no Hemisfério Norte, quando muitos tiram férias e as coisas podem ficar um pouco mais complicadas, relançamos o kit com uma abordagem temática de verão.

Campanha do Kit de Planejamento de Marketing lançada nos Estados Unidos & Canadá durante o verão no Hemisfério Norte

Como mencionado no exemplo da Black Friday, o uso de experiências interativas nos permite obter feedbacks valiosos do nosso público.

Ao analisar o Kit de Planejamento de Marketing, notamos que as pessoas se envolveram significativamente mais na primeira etapa da experiência, principalmente com o ebook interativo “Como Criar um Plano de Marketing”, que se destacou como o recurso mais acessado no hub.

É importante destacar que um ebook interativo, assim como outras peças interativas criadas no Ion, oferece uma experiência de leitura mais enriquecedora, conduzindo o leitor de forma envolvente enquanto coleta informações pertinentes sobre suas preferências.

No caso do “Como Criar um Plano de Marketing”, dividimos os capítulos em blocos que incluem outros elementos interativos.

Essa abordagem também permite que os profissionais de marketing direcionem o conteúdo de acordo com as informações fornecidas pelos leitores, garantindo que entreguem valor no momento certo.

As informações que coletamos nos auxiliam a tomar decisões mais embasadas em dados para a hora de reutilizar e relançar a experiência.

Ao mesmo tempo, esses dados nos fornecem insights sobre as reais necessidades do nosso público e abrem novas possibilidades.

Um bom exemplo disso é que, para a próxima fase da campanha, podemos otimizar os ativos mais procurados do hub e criar novas peças para gerar ainda mais resultados.

Além disso, essa análise nos oferece uma visão das áreas que podem ser aprimoradas, incluindo os materiais que talvez não tenham despertado tanto interesse ao longo da experiência.

Leia também: Como consegui 431% mais conversões com a plataforma Ion em dois meses

3. Copa do Mundo 2022

Essa foi mais uma de nossas campanhas globais, e aproveitamos a empolgação gerada pela Copa do Mundo.

Não preciso dizer a importância da Copa do Mundo sobre tudo no Brasil. Trata-se de um evento de alcance global que atrai a atenção de profissionais de marketing e consumidores ao redor do mundo. Por isso, optamos por usar essa narrativa para aumentar a visibilidade de nossas soluções.

Nossa equipe de designers fez um excelente trabalho ao criar ilustrações que realmente se alinham com a temática do futebol, utilizando cores que remetem à paleta da última Copa do Mundo. Além disso, incorporamos diversos elementos interativos à experiência.

Você pode conferir a experiência completa aqui.

Em todos os conteúdos interativos, incluindo este, trabalhamos para garantir que os textos, ícones, fundos e todos os elementos narrativos estejam alinhados não apenas com a nossa marca, mas também com o universo do futebol na comunicação. Isso torna a experiência mais atraente e envolvente.

Desenvolvemos um Gerador de Ideias para auxiliar os profissionais de marketing a se inspirarem para o lançamento de novos conteúdos e outras ofertas, alinhando-as com sua estratégia atual.

O usuário só precisa escolher entre os 11 “jogadores” aqueles que se aplicam à sua estratégia.

Após escolher os principais canais em que atua, de forma semelhante aos técnicos de futebol, os visitantes recebem conselhos e sugestões personalizadas para criar campanhas de sucesso, com base nas informações fornecidas na página anterior.

Essa é uma excelente oportunidade para oferecer recomendações e recursos valiosos aos visitantes enquanto coletamos dados relevantes. Ao mesmo tempo, introduzimos as pessoas à nossa marca, produtos e serviços.

Um exemplo disso é o teste de 14 dias do WriterAccess, nosso marketplace freelance para ajudar profissionais a escalonar sua produção de marketing de conteúdo. Aliás, você deveria experimentar agora para ver como a combinação de recursos de IA com a criatividade humana pode elevar sua estratégia de conteúdo a um patamar superior!

Esses são apenas alguns exemplos que ilustram como o conteúdo interativo pode ser uma ferramenta valiosa para os profissionais de marketing na criação de campanhas criativas que atraiam a atenção do público, com inúmeras possibilidades narrativas.

Temos aproveitado o conteúdo interativo para criar webinars, calculadoras, infográficos, quizzes e uma variedade de outros materiais que despertam o interesse dos consumidores em nosso conteúdo.

Se você deseja descobrir como adicionar interatividade às suas estratégias de marketing, aproveite para solicitar uma demonstração gratuita com um de nossos especialistas!

Como a Rock Content utiliza o conteúdo interativo na estratégia de marketing

No cenário digital atual, capturar e reter a atenção do público-alvo é algo bastante desafiador.

Uma abordagem altamente eficaz é o uso do conteúdo interativo. De acordo com o Content Marketing Institute (CMI), 79% dos profissionais de marketing entrevistados afirmaram que a interatividade melhora a retenção do material.

Ao incorporar elementos interativos em estratégias de marketing, as marcas criam experiências imersivas que envolvem o público de forma inovadora — resultados que já vimos em nossa equipe de marketing na Rock Content.

Nós utilizamos quizzes, enquetes, calculadoras e muito mais para nos conectar com nosso mercado-alvo.

Neste artigo, vou me aprofundar em como a interatividade é capaz de aumentar o engajamento e gerar resultados.

E aqui vai um alerta: se você quer criar experiências interativas de forma rápida, recomendo o uso do Ion como ferramenta de conteúdo interativo — não precisa saber de programação!

Vamos nos aprofundar descobrir o potencial transformador do conteúdo interativo no marketing moderno?

The Beat, a primeira e única newsletter interativa de marketing

Conheça a The Beat, a nossa newsletter interativa de marketing construída no Ion.

A primeira edição foi lançada em janeiro de 2022 em inglês, seguida por versões em português e espanhol alguns meses depois.

Ter uma newsletter semanal que traz atualizações concisas sobre conteúdo, marketing e vendas é uma parte vital da nossa estratégia para diversificar o conteúdo que promovemos ao público.

E, claro, torná-la interativa significa oferecer aos leitores uma experiência única e envolvente, diferente de qualquer outra newsletter de marketing que já existe.

Desde o início, priorizamos a incorporação de momentos claros de interação ao longo da página. O Ion, nossa plataforma escolhida, tem sido fundamental para a inclusão sem esforços de recursos como quizzes, reações, gráficos animados e muito mais.

Queremos que os leitores não apenas apreciem o conteúdo, mas também participem ativamente dele. Isso aumenta o engajamento e nos fornece dados valiosos sobre o público.

Cada interação contribui para uma riqueza de dados que nos ajuda a entender melhor nosso público e a tomar decisões mais informadas.

Se você quer saber mais sobre como a The Beat foi construída e funciona na prática, então leia este artigo que leva você aos bastidores da nossa newsletter interativa.

Webinars: Jam Sessions e Bastidores do Marketing

O Jam Sessions é a nossa série de entrevistas, onde trazemos os mais destacados profissionais de marketing do mundo para compartilhar seus conhecimentos. Cada entrevista aborda uma variedade de temas relevantes do universo do marketing, desde as últimas tendências em mídia social até o papel transformador da IA no marketing de conteúdo.

Além disso, temos o Bastidores do Marketing, uma série exclusiva de webinars que revela os bastidores da equipe de marketing da Rock Content. Com esse projeto, buscamos inspirar profissionais de marketing em todo o mundo, compartilhando processos e técnicas que impulsionam nossos sucessos.

Para garantir uma experiência perfeita e interativa aos nossos espectadores, todos os nossos webinars são hospedados em páginas especialmente desenvolvidas no Ion.

Essa abordagem nos permite alcançar dois objetivos fundamentais: proporcionar interatividade e coletar dados valiosos.

Em nossas páginas interativas personalizadas, combinamos vídeo e chat do YouTube, ao mesmo tempo em que criamos CTAs exclusivos para incentivar os participantes a explorar ainda mais nosso conteúdo. Essa estratégia tem sido fundamental para impulsionar nossos resultados de crescimento de forma significativa.

Cada elemento desta tela é interativo, respondendo com movimentos, pop-ups ou destaques conforme os usuários movem o mouse.

Esta página é interativa e registra todas as ações dos usuários, oferecendo dados valiosos para analisar nosso público.

Desde o piloto do Jam Sessions, conquistamos quase 11 mil espectadores para nossos eventos. Nossos webinars do Bastidores do Marketing já atraíram mais de 2.000 espectadores este ano.

Materiais ricos interativos

Conteúdo estático não basta para se destacar e criar experiências memoráveis.

De acordo com o Demand Gen Report, 91% dos consumidores preferem conteúdo interativo e visual em vez de um material estático simples.

Todos sabemos que materiais ricos são essenciais para estratégias de marketing de conteúdo, mas a interatividade eleva tudo a um novo nível.

Os números falam por si: conseguimos aumentar a taxa de conversão de um ebook em 20,7% com otimizações e dados gerados dentro do Ion. Além disso, a interatividade também impulsionou a conversão do nosso Gerador de Persona em incríveis 431%.

Então, sim, acho seguro dizer que funciona.E também podemos trazer a interatividade em diversos tipos de conteúdo, como e-books interativos, calculadoras, infográficos, avaliações, entre outros.

A seguir, trouxe alguns exemplos:

E-books interativos

Quizes

Calculadoras

Ferramentas

Podemos criar experiências personalizadas para cada visitante por meio da interatividade em todos esses conteúdos.

Em ebooks e infográficos, os usuários podem para visualizar mais informações nos subtópicos que acham mais interessantes, por exemplo.

E com calculadoras e avaliações, todos obtêm resultados diferentes dependendo das respostas dadas.

Mais uma vez, isso não apenas proporciona uma ótima experiência, sendo também muito é bom para a coleta de dados. Com cada clique registrado, obtemos toneladas de informações relevantes para nos ajudar a criar experiências ainda melhores.

Hubs de conteúdo

Outra grande vantagem da interatividade é possibilitar a criação de hubs de conteúdo, onde os visitantes têm acesso a uma variedade de conteúdos relacionados a um mesmo projeto ou assunto.

No nosso caso, criamos um kit de modelos de e-mail marketing para campanhas digitais, oferecendo acesso fácil a templates para diferentes objetivos em um único hub.

Como você pôde ver, a interatividade desempenha um papel decisivo para a estratégia de marketing da Rock Content, sendo uma ferramenta poderosa para diferenciar nosso conteúdo e gerar um engajamento significativo com nosso público.

Se você deseja alcançar resultados semelhantes, sugerimos considerar a incorporação da interatividade em suas próprias estratégias de marketing.

Solicite uma demonstração gratuita do Ion e descubra como o conteúdo interativo pode transformar sua estratégia e cativar seu público de maneiras eficazes e inovadoras!

10 ferramentas de inteligência artificial para ajudar na criação de conteúdo

Como qualquer inovação, o surgimento de ferramentas de inteligência artificial para a criação de conteúdos está causando grande euforia no mercado. Para alguns, elas representam uma ótima forma de ganhar eficiência no trabalho, enquanto para outros, o medo de ser substituído aumenta com o desenvolvimento desse tipo de tecnologia.

Com a intenção de esclarecer um pouco mais sobre esse assunto e trazer algumas ferramentas úteis na sua estratégia de marketing de conteúdo, organizamos um post completo sobre o uso de IA na produção para a web.

Se você está pensando em explorar os benefícios dessa tecnologia, continue a leitura e acompanhe nosso post!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Por que a Inteligência Artificial virou tendência?

O uso de ferramentas tecnológicas na realização de atividades humanas estão se tornando cada vez mais comum. Desde o surgimento de assistentes virtuais como a Alexa, Siri e Google Assistente, as pessoas começaram a incorporar esses elementos em seu cotidiano.

Com o avanço do processo de transformação digital, muitas outras tarefas puderam ser automatizadas e incorporadas em programas e sistemas desenvolvidos para esse fim.

Entre tantas novidades, a IA (Inteligência Artificial) está ganhando destaque por sua capacidade de interagir com os usuários de maneira semelhante a uma pessoa, ou seja, utilizando uma linguagem cada vez mais natural.

Tais ferramentas se tornam cada vez mais potentes, especialmente pela grande disponibilidade de dados que são utilizados para que elas passem por um processo de aprendizado.

Entretanto, vale destacar que, por enquanto, elas não são capazes de criar nenhuma informação, apenas compilam os registros que foram utilizados em seu processo de aprendizado.

Quais são as 10 ferramentas que podem ajudar na criação de conteúdos?

Recentemente, o uso da inteligência artificial no marketing se tornou assunto no mundo todo. Com a crescente fama do ChatGPT, veio à tona as possibilidades de aplicações para aumentar a produtividade e auxiliar no desenvolvimento de conteúdos importantes para criar uma boa imagem da marca.

Apesar de ser um excelente recurso, vale lembrar que com o objetivo de se diferenciar dos concorrentes é preciso usar a criatividade, algo que somente nós, humanos, conseguimos trazer.

Porém, o uso de boas ferramentas é sempre relevante a fim de melhorar o seu alcance e gerar vendas. Por isso, listamos vários recursos que podem lhe ajudar. Entenda mais sobre eles, a seguir!

1. ChatGPT

O ChatGPT é a ferramenta mais famosa que vamos trazer ao longo de nossa lista. Ele pode ser utilizado de diversas formas na hora de criar os conteúdos da empresa. Por exemplo, por meio dele você consegue gerar ideias de conteúdos no intuito de distribuir para a sua audiência.

Porém, vale ter atenção a sua persona para que eles sejam realmente interessantes e ajudem a aumentar o número de visitas no seu canal.

Ele também pode ajudar na hora de editar os conteúdos e fazer otimizações nas estratégias de SEO, melhorando a qualidade textual e reduzindo o número de erros e em outras atividades, como:

  • busca de palavras-chave relevantes;
  • criação de legendas para vídeos;
  • gera e otimiza títulos atrativos;
  • encontra fontes de referências e ideias;
  • cria resumos que podem auxiliar no entendimento de um assunto.

Essas são algumas das possibilidades de utilizar o ChatGPT na hora de criar os conteúdos da sua marca. Como você pode ver, ele é um ótimo recurso para auxiliar a encontrar as melhores estratégias a fim de alcançar a sua persona e otimizar os resultados da empresa.

Que tal aprender mais sobre o ChatGPT? Separamos vários artigos que vão aprofundar o seu conhecimento sobre a ferramenta. Vale a pena conferir!

2. TheGPTTimes

O TheGPTTimes utiliza o GTP-3 na hora de realizar suas tarefas e ajudar os usuários com as suas solicitações. Nesse sentido, a ferramenta tem como base entradas de tweets postados e, a partir dele, desenvolver artigos e imagens que podem ser usadas no marketing de conteúdo de uma empresa.

Nesse sentido, ele pode ser uma opção para você abordar assuntos do momento que estão bombando no Twitter. Por exemplo, é possível pegar um post sobre algo relacionado a sua persona no Twitter, incluir no TheGPTTimes e compartilhar com os seus seguidores em outras redes, como o Instagram.

Aqui, vale incorporar um pouco da comunicação da sua marca para conseguir engajar com a audiência e garantir melhores resultados. Verifique ainda se o que foi desenvolvido pela IA faz sentido para a sua estratégia com o intuito de evitar problemas com a sua audiência.

3. CodeWP

Uma das etapas importantes no marketing são relacionadas com os códigos para suas páginas. Por exemplo, por meio deles, é possível melhorar a experiência dos clientes gerando maior usabilidade no site. É com esse intuito que o CodeWP pode ser útil para a criação de conteúdos.

Por meio dessa ferramenta, você consegue gerar códigos de snippets para o WordPress, evitar sites quebrados, criar fluxo de trabalhos e diminuir o tempo de consulta aos fóruns a fim de encontrar soluções para problemas na construção de suas páginas de vendas. Portanto, caso esteja buscando meios de aumentar a produtividade, essa ferramenta pode ser uma ótima opção.

4. Midjourney

Essa é outra ferramenta que pode ser útil na hora de criar conteúdos e melhorar a sua estratégia de marketing. O MidJourney conta com recursos de escrita rápida e criação de imagens que podem ser incluídos em seus posts nos diversos canais de marketing do seu negócio.

Além disso, a ferramenta conta com uma promessa forte de ajudar a expandir os poderes imaginativos da mente humana. Somente utilizando para saber se o recurso é capaz de cumprir tal promessa, não é mesmo? Vale o teste!

5. Sitekick

Outro recurso muito utilizado na hora de melhorar os resultados das estratégias de conteúdo da empresa são as landing pages. É nesse ponto que o Sitekick pode ser muito interessante. Por exemplo, caso você esteja buscando por mais assinantes para a sua newsletter, pode utilizar o Sitekick com a intenção de desenvolver as páginas de destino com mais facilidade.

Para isso, basta incluir uma descrição do seu negócio e esperar o desenvolvimento da sua landing page. Além disso, é possível contar com recursos na hora de redigir os textos persuasivos que aparecem para o leitor, contando com um mecanismo de IA treinado a partir de outras páginas de alta conversão.

6. Perplexity

A Perplexity também é um recurso de perguntas e respostas, parecido com o ChatGPT. O objetivo dessa ferramenta é ajudar as pessoas a descobrir informações e compartilhar com os seus conhecidos.

Porém, você pode utilizar esse recurso com a intenção de ter ideias para conteúdos, entender quais são as possíveis estratégias para o negócio, verificar o que está sendo mais buscado na ferramenta e desenvolver tópicos a fim de postar nas redes sociais ou em outros canais da sua marca.

7. Synthesia

A Synthesia é uma plataforma para a elaboração de vídeos por meio da IA. Em seu sistema, é possível desenvolver vídeos em até 120 idiomas, economizando tempo e recursos valiosos para a elaboração desse material.

Ele oferece uma alternativa acessível para a elaboração de vídeos tradicionais, além de dispor de um aplicativo baseado na web e que pode ser facilmente acessado pelo navegador. A interface também é bastante intuitiva, simplificando a vida de quem está iniciando nesse meio.

Os avatares Synthesia que fazem os vídeos podem ser escolhidos entre mais de 100 tipos disponíveis, além da possibilidade de desenvolver um avatar exclusivo para a sua corporação.

8. Voicely

O Voicely é responsável por transformar textos para arquivos de áudio por meio da tecnologia de IA. Ao utilizá-lo, você consegue criar vozes realistas para qualquer texto em poucos segundos. 

Esse sistema conta com mais de 745 vozes registradas em seu banco de dados, incorporando 128 idiomas e dialetos diferentes. Portanto, você consegue realizar vários testes até encontrar a melhor opção para o seu conteúdo.

9. Speech Text

O Speech Text é um recurso que pode ser utilizado com o objetivo de converter voz em texto em poucos segundos. Além disso, essa ferramenta conta com recurso de leitura em voz alta, permitindo que pessoas com deficiência visual tenham acesso a conteúdos escritos. 

Ele suporta mais de 30 idiomas diferentes e apresenta um sistema bastante preciso, com uma taxa de erro de palavra de apenas 3,8% no conjunto de dados utilizados. Tal ferramenta pode ser utilizada para a transcrição de entrevistas, dados médicos, análise de chamadas de conferências, transcrições de podcasts, transformação de conteúdos MP3 para texto, criação de legenda e muitas outras atividades.

10. VEED

Para quem utiliza o conteúdo em vídeo em suas estratégias de comunicação, vale a pena conhecer o VEED. Esse é um software bastante versátil e que permite a transcrição de diversos arquivos de áudio ou vídeo para textos. Esse tipo de transcrição é uma ótima forma de adaptar seus conteúdos para diversos tipos de público e plataformas diferentes. 

Além disso, ele conta com diversas ferramentas a fim de simplificar a edição de vídeos, trazendo diversos elementos profissionais para uma plataforma simples e intuitiva. Ele também permite incluir legendas nos vídeos, tornando-os ainda mais acessíveis para o público. 

Qual a importância de não terceirizar o marketing de conteúdo para a IA?

Para muitos profissionais da área de marketing, criação e comunicação, esse processo de comoditização da produção de conteúdo pode causar medo. Entretanto, ele também torna o conteúdo autoral, criativo e único, ainda mais valioso para a construção de uma boa estratégia.

Esse processo ambíguo está sendo chamado de “grande paradoxo da IA”. Siga a leitura e descubra qual a importância de não terceirizar sua produção de ideias para as máquinas.

Uniformização do conteúdo

O uso indiscriminado dessa ferramenta pode tornar seus conteúdos rasos, genéricos, pouco informativos e cada vez mais parecidos com os de outras empresas que são concorrentes. Desse modo, ele não contribui para a construção de uma imagem da marca com características próprias.

Outro ponto importante é que o conteúdo deve conectar as soluções da empresa com as dores do seu público na hora de elaborar textos, vídeos, conteúdos para as redes sociais e demais tópicos. Isso, certamente, não pode ser feito por meio de nenhuma ferramenta de IA.

Falta de informações de valor

Como essas ferramentas utilizam dados do que já foi postado na internet, certamente, não é possível criar nada novo por meio dela. Apesar de a construção textual ser diferente, o conteúdo em si não é.

Por isso, fica ainda mais difícil gerar valor para os leitores, leads e demais pessoas que entraram em contato com esse tipo de informação. Portanto, vale destacar que a criatividade humana não pode ser substituída por tais recursos.

Encadeamento de ideias

Um bom conteúdo deve apresentar um conjunto de ideias de maneira clara, coerente e hierarquizada para produzir valor para o leitor. Por isso, ao utilizar ferramentas que tratam de apenas um tema por vez, não é possível criar essa conexão entre as ideias que são tão importantes para a geração de valor.

Isso significa que alguns tópicos demandam várias pesquisas, análises de fontes confiáveis e um pouco da experiência de quem está redigindo. Logo, não pode ser substituído, por tópicos pontuais e sem nenhuma conexão entre eles. 

Entendeu como as ferramentas de inteligência artificial podem ser utilizadas no seu dia a dia de maneira inteligente? Assim, você consegue explorar suas vantagens sem perder a qualidade e originalidade de um conteúdo desenvolvido por uma pessoa. Portanto, não deixe de explorar sua capacidade para gerar conteúdos cada vez mais perspicazes e com capacidade de impactar seu leitor.

Quer saber quais estratégias estão por trás da inteligência artificial? Confira os exemplos de suas aplicações nas empresas!

8 tipos de conteúdos interativos: torne o engajamento com a sua marca cada vez melhor!

Existem muitos tipos de conteúdos interativos, e o motivo é bastante simples: essa é uma inovação que ganha cada vez mais a atenção do público. O conteúdo interativo nas estratégias de marketing usa o potencial dos ambientes virtuais, que é permitir ao usuário ser ativo com o material.

Boas experiências precisam ser impactantes, mas isso não significa que quanto maior o estímulo, melhor será o resultado. Se fosse assim, a corrida seria apenas pela criação de ambientes e estratégias no metaverso. A solução ideal para uma boa interação com sua audiência pode ser um quiz ou uma calculadora.

Por isso, reunimos os 8 principais tipos de conteúdos interativos. Além disso, neste artigo, vamos falar sobre o que considerar na hora de construir seus conteúdos e quais ferramentas usar. Prepare-se para atualizar seus conceitos de engajamento da audiência!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

O que é conteúdo interativo?

A transformação digital mudou a lógica de relacionamento com o público. Se antes as pessoas eram chamadas de espectadores e apenas recebiam informação, agora, podem — e querem — ter maior atividade ao consumir conteúdos. Foi assim que cresceu a popularidade dos conteúdos interativos.

Esse formato é dinâmico e incentiva a participação do usuário. Alguns exemplos são óbvios, como é o caso de uma landing page ou um quiz, mas outros materiais, às vezes, não chamam tanta atenção para o formato, como o vídeo interativo.

Quais são as vantagens do conteúdo interativo?

Todos os tipos de conteúdos interativos têm o potencial de aumentar o engajamento do usuário com a sua marca. Afinal, é um modelo que cria mais conexões. Outra grande vantagem desse formato é oferecer experiências de qualidade para o público.

Por serem dinâmicos, eles também podem explorar o lado mais descontraído da marca, oferecendo uma forma de entretenimento para as pessoas. Ao mesmo tempo, você também consegue personalizar a jornada do material, atendendo a vários perfis de clientes e necessidades diferentes.

Imagine um e-book interativo para ajudar no sucesso do cliente com um produto da sua empresa. Esse pode ser um material completo, que apresenta desde instruções de uso até dados técnicos, curiosidades e dicas para melhorar o aproveitamento do consumidor.

Cada cliente terá a oportunidade de encontrar o que deseja de forma rápida e proveitosa.

Qual é o objetivo de um conteúdo interativo?

Pesquisas mostram que 88% dos usuários diferenciam a marca depois de uma experiência com conteúdo interativo. Além disso, mais de 96% das pessoas que começam a responder um quiz no Buzzfeed vão até o fim.

Isso mostra um pouco do quanto uma marca pode se destacar, criar valor e aumentar o engajamento com esse tipo de material. Veja quais são os objetivos de marketing para construir um conteúdo interativo.

Proporcionar uma experiência mais instigante

O usuário quer se sentir ativo ao consumir conteúdos. Os botões de curtir e reações não foram introduzidos nas redes sociais à toa. Isso tudo está relacionado à experiência que você pode promover para o público.

Os conteúdos interativos aproximam as pessoas da sua marca por meio de uma experiência surpreendente, que desperta o interesse, entretém e informa.

Aumentar o engajamento

Talvez um dos principais objetivos, quando o assunto é conteúdo interativo, seja o engajamento do público com a empresa. As marcas, cada vez mais, precisam desenvolver a personalidade e se relacionar com o público, fortalecendo a conexão com a audiência.

Isso é importante para o posicionamento do negócio no mercado, e o conteúdo interativo contribui, pois muda a estrutura unilateral da comunicação. Isso porque promove interações de acordo com os desejos e necessidades do usuário.

Oferecer uma experiência mais divertida

Independentemente do seu segmento de mercado, usar o humor e um ar mais descontraído pode ser uma excelente estratégia para se aproximar do público. Afinal, o relacionamento com o cliente vai muito além de falar sobre o mix da empresa.

Conteúdos interativos podem apresentar uma face mais divertida da marca. Isso não significa que você não possa informar e, até mesmo, focar a conversão nesses materiais. É apenas uma experiência mais interessante do que o padrão.

Um vídeo interativo, por exemplo, pode funcionar muito bem como uma espécie de boas práticas para algum processo que a empresa deseja implementar.

Está gostando do conteúdo? Veja, também, outros materiais interessantes sobre o assunto:

Quais são os principais tópicos a serem considerados para criar um conteúdo interativo?

Fazer um conteúdo interativo é realmente uma excelente oportunidade para o seu negócio. Entretanto, pode surgir a dúvida: com quais recursos contar na hora de produzir o material? Veja, a seguir, alguns pontos que você pode levar em conta para introduzir mais ação nos seus conteúdos.

Crie pesquisas de forma mais fácil e dinâmica

Nem sempre é fácil conseguir fazer com que o cliente responda a uma pesquisa de opinião. Uma solução muito interessante é a criação de pesquisas interativas, que podem pedir a avaliação de determinado produto, da compra ou, até mesmo, sobre a experiência que o usuário teve no site.

Monte gráficos mais atraentes

O storytelling, ou a arte de contar histórias, já é um recurso usado há muito tempo no marketing digital. As histórias envolvem mais, geram emoção, educam e podem aumentar o reconhecimento da marca.

O storytelling interativo é uma solução interessante, que usa as narrativas de maneira mais dinâmica, baseadas na interação do usuário. Um grande problema de apresentar números é que nem sempre é possível gerar esse mesmo envolvimento e conexão para mostrá-los.

Um dos formatos de conteúdo interativo são os gráficos interativos, que podem ser responsivos para os mais diferentes formatos de tela, e usam as informações para contar histórias com eles.

Apresente conteúdos imersivos

Retomando o tópico do storytelling interativo, essa é uma excelente oportunidade de criar conteúdos imersivos para o público. Existem várias ferramentas que podem ajudar a construir:

  • linhas do tempo;
  • conteúdos visuais 360º navegáveis;
  • apresentação de soluções antes e depois.

Desenvolva mapas interativos

Com a popularização dos ambientes virtuais, o trabalho integrado com espaços físicos ficou ainda mais interessante. Mapas inteligentes permitem que você explore um local — real ou fictício — incluindo vários recursos, como links, fotos, vídeos, arquivos PDFs e áudios.

Quais ferramentas podem auxiliar na criação de conteúdos interativos?

Conheça algumas ferramentas que podem ajudar no desenvolvimento de conteúdo interativo e aproveite essa oportunidade de aumentar o engajamento com sua marca.

FlipHTML5

O FlipHTML5 é uma excelente oportunidade de melhorar suas páginas com vários conteúdos interativos. Isso porque a ferramenta ajuda a editar materiais e incorporar no seu site ou blog, sem a necessidade de baixar um software.

Transforme materiais estáticos, como e-books, infográficos e outros PDFs, em conteúdos interativos com um processo simples de arrastar e soltar. Além disso, é possível inserir áudios, imagens e outros recursos nos documentos, deixando a experiência ainda mais interessante.

Interacty

O Interacty oferece recursos muito importantes se sua estratégia com o conteúdo interativo envolve gamificação. Com a plataforma, você consegue desenvolver desde apresentações de slides dinâmicas até questionários e jogos.

Uma excelente oportunidade de se conectar com o público de forma diferente e criar recursos para trabalhar com o público interno em treinamentos e capacitações.

Genially

A Genially é uma plataforma muito completa, que oferece as mais diferentes soluções de conteúdos interativos. De maneira rápida, fácil e intuitiva, você consegue desenvolver materiais interativos, como:

  • apresentações em slides;
  • jogos;
  • questionários;
  • vídeos interativos;
  • infográficos;
  • e-books interativos.

Quais são os 8 tipos de conteúdos interativos mais usados?

Impulsionar resultados com conteúdo interativo é uma estratégia bastante simples. Você precisa pensar no perfil do seu público e desenvolver soluções que encantem, agreguem valor, entretenham e eduquem o público.

Separamos os principais formatos de conteúdo para você trabalhar com maior interação. Confira!

1. Quiz

Os quizzes são uma excelente oportunidade de iniciar no universo do conteúdo interativo. Tanto é que o BuzzFeed continua firme no seu propósito de criação de questionários por usuários, até hoje. Nosso quiz sobre Quem é você na fila de Marketing, por exemplo, conseguiu resultados fantásticos.

Use esse modelo de conteúdo para aumentar os compartilhamentos, descobrir dados relevantes sobre sua persona e interagir com a audiência de maneira mais informal e extrovertida. Claro que também é possível criar um quiz com um perfil mais formal, de acordo com a ocasião. 

2. Infográfico

Materiais rápidos, leves e de rápido consumo, os infográficos já têm seu lugar cativo nas estratégias de marketing. Dessa forma, podemos dizer que os infográficos interativos são apenas uma resposta inteligente para essa demanda, que chegou para melhorar a experiência com o público.

Dinâmicos e vivos, eles podem ajudar o usuário a se aprofundar em assuntos que chamam mais a atenção, além de oferecer outros conteúdos interativos dentro do material, como vídeos ou um quiz.

3. Vídeo

Os vídeos interativos talvez sejam o modelo de conteúdo interativo a que o público está mais habituado. Na década de 90, a Rede Globo exibia um programa chamado Você Decide, no qual as pessoas escolhiam qual seria o final da história, votando por telefone.

Com esse formato, você pode explorar situações nas quais existem múltiplas opções, ou pode criar histórias para educar o público para ter determinada escolha diante de um cenário.

4. Calculadora

As calculadoras são fantásticas e, mesmo que sejam simples, ganham a simpatia do público por um motivo bastante óbvio: elas ajudam a resolver algum problema. Pode ser para descobrir quanto tempo falta para se aposentar, ou quanto cobrar no job com uma Calculadora de Precificação para serviços de marketing e publicidade, como a que criamos na Rock.

A ideia é ajudar o público. Para isso, pense em algo no processo do seu cliente que sua empresa poderia oferecer com uma calculadora. Além de agregar valor, isso também fortalece a autoridade da marca, melhorando a credibilidade do seu negócio.

5. Landing page

Fundamentais para coletar informações relevantes sobre o público, as landing pages já são valiosas por oferecer algo em troca para o usuário (como um infográfico ou um e-book). Com uma landing page interativa, é possível transformar essa página em algo ainda mais interessante.

Introduza questionários inteligentes, depoimentos e outros recursos que chamem ainda mais a atenção das pessoas.

6. Palavra-cruzada

Teste o conhecimento da sua audiência, ofereça um material altamente compartilhável e destaque temas que você pretende abordar com esse tipo de conteúdo interativo. A palavra-cruzada já é um formato conhecido pelas pessoas, e sua construção pode contribuir para atrair novos clientes para seu funil de vendas.

7. Planilha

As planilhas são conteúdos interativos que, de um jeito simples, agregam valor para a sua marca. Com isso, aumentam a autoridade e mostram como seu negócio é sinônimo de solução e facilidade para os problemas da persona.

Nosso conteúdo planilhas para Profissionais de Marketing, por exemplo, é um conjunto que oferece várias soluções sobre as quais a Rock tem expertise em entregar para seus clientes, como relatórios de marketing, funil de vendas, ROI e dashboard de métricas.

8. Mapa interativo

Os mapas interativos funcionam de uma forma bem semelhante ao Google Maps. Você pode inserir notas, informações relevantes e outros materiais para melhorar a experiência do público.

O interessante desse material é que ele pode tanto ser usado para fortalecer a experiência de um local físico quanto ser desenvolvido com base em um ambiente fictício, como a Terra Média, do Senhor dos Anéis. Essa pode ser uma resposta para aumentar o entretenimento e a conexão com o público.

Gostou de conhecer os melhores tipos de conteúdos interativos para turbinar suas estratégias de marketing e aumentar o engajamento com o público? Você deve ter notado que essa é uma tendência que chegou para se transformar em nova demanda, criando relações cada vez mais dinâmicas com os usuários.

Para saber mais sobre o assunto e sair na frente com essa inovação, leia nosso Guia do Conteúdo Interativo e leve vida para sua estratégia de marketing de conteúdo.

O que a Rock Content pensa? Por Vanessa Dias, Content Specialist.

Porque as empresas devem se preocupar em entregar conteúdos interativos?

O conteúdo interativo é uma excelente ferramenta para diferenciar a sua marca, tornar o seu conteúdo mais dinâmico e personalizável, o que aproxima o usuário, dá a ele autonomia e senso de estar “construindo” aquele conteúdo junto com sua marca.

Temos alguns dados que comprovam isso. Em uma pesquisa recente da Media Fly, 88% dos profissionais de Marketing respondentes afirmam que o conteúdo interativo tem papel fundamental na diferenciação de suas marcas. Outro estudo, conduzido pela Content Marketing Institute (CMI) revelou que 79% dos profissionais afirmam que o conteúdo interativo melhora a retenção de mensagens, além de gerar 52,6% mais engajamento que conteúdos comuns. 

Muitas marcas já estão de olho nisso. Ano passado, a Apple lançou o seu novo iPhone 14 através de uma página interativa. Recentemente, o Google Maps lançou diversos recursos novos focando em aumentar a interatividade. 

É algo extremamente poderoso e, quando se trata de conteúdo, eu diria que até uma tendência. Trazer um conteúdo extenso de forma estática, em PDF, por exemplo, pode ser menos interessante do que este mesmo conteúdo ser construído de maneira interativa. 

Ou, um exemplo interno da Rock Content: trazer uma newsletter tradicional, estática, por e-mail, pode ser menos interessante do que construir uma newsletter completamente interativa como a The Beat. 

Quais são as principais vantagens que os conteúdos interativos em redes sociais podem trazer às marcas?

É impossível não pensar em interatividade quando estamos falando do local onde a interação e a troca entre os usuários impera, como é o caso das redes sociais.

Se a sua marca quer fazer um bom trabalho nas redes sociais, não basta que ela só esteja lá. Ela precisa, em palavras simples, “sentar na mesa de amigos e participar da conversa”. E participar da conversa de seus usuários significa, entre muitas vertentes, trazer a interatividade — no caso, permitir que eles participem do que a sua marca está dizendo, também. 

É uma maneira de se destacar em um ambiente extremamente disputado, fazer a sua marca ser lembrada entre as inúmeras postagens que um usuário é capaz de ver por minuto rolando o feed. 

E, como sabemos, maiores taxas de engajamento nas redes sociais quase sempre significa, também, maior entrega, uma vez que o algortimo entende seu conteúdo como relevante.

Logo, trazer interatividade para seu conteúdo nas redes sociais ajuda não apenas a reter sua audiência atual, como a consquistar novas, como bem coloca Rafael Kiso, fundador e CMO da mLabs em entrevista exclusiva para a Rock Content: “se eu criar um conteúdo que ajuda a reter mais usuários nessas plataformas, provavelmente, é o conteúdo que essas plataformas vão gostar de distribuir mais.”

Por onde começar quando uma marca quer iniciar estratégias de conteúdos interativos?

É claro que você não precisa ser a Apple ou o Google para se beneficiar de conteúdos interativos. Ajustes simples, em um conteúdo que talvez até mesmo já exista em sua forma estática, pode trazer muito mais resultados. 

Temos, a exemplo, o Social Media Trends Report da Hootsuite, que tradicionalmente é distribuido anualmente em PDF, e ano passado foi distribuído através de uma experiência interativa com a ajuda da Rock Content.

O resultado desta mudança? O tráfego único das páginas do relatório aumentou 34%, o tempo de permanência saltou incríveis 119%, e, por fim, um aumento em número de downloads de mais de 30%.

O mesmo conteúdo, apresentado de maneiras diferentes. E resultados exponencialmente melhores. 

É possível, também, trazer a interatividade não apenas no conteúdo em si, mas nas páginas de promoção. Foi o que fizemos em um estudo interno aqui na Rock Content ano passado, e aumentamos a conversão de um e-book em mais de 20% por meio da interatividade.

Algumas dicas podem te ajudar a começar:

  • Faça testes em conteúdos existentes: escolha uma página ou conteúdo que já está publicado de forma estática, para trazer uma nova experiência por meio da interatividade. Defina qual será o fator a ser analisado (tráfego, engajamento, conversão, etc…), e teste diferentes formatos.
  • Comece micro: você não precisa começar, de cara, com um e-book interativo. Uma simples mudança em um pop-up do seu site, trazendo interatividade para o elemento, pode ser o suficiente para ver os primeiros resultados.
  • Escolha plataformas que te auxiliem no processo: dependendo da experiência, nem sempre será simples criar conteúdos interativos. Você pode precisar da ajuda de profissionais de TI, caso não tenha as plataformas certas. Pesquise diferentes ferramentas de interatividade que possam te ajudar neste processo. 

11 Exemplos de conteúdos altamente compartilháveis para sua estratégia de Marketing de Conteúdo

O conteúdo compartilhável é fundamental para quem trabalha com estratégias digitais. Afinal, com ele, seu planejamento de marketing de conteúdo ganha um auxílio para impulsionar os resultados.

Se falamos que hoje em dia o consumidor está online, talvez deveríamos criar um recorte e afirmar que ele está presente nas redes sociais, ambiente adequado para trabalhar com conteúdos compartilháveis.

Neste artigo, explicamos melhor o que é um conteúdo compartilhável e mostramos para você como essa estratégia é fundamental para ampliar o impacto das suas mensagens.

Conheça os 11 principais exemplos desse tipo de conteúdo e entenda como otimizar sua estratégia.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

O que é conteúdo compartilhável?

Sabe aquela notícia bombástica que você ficou sabendo por um retweet de um amigo ou aquele meme da Nazaré confusa que você compartilha sem nem saber de qual novela surgiu essa imagem?

Meme: Nazaré confusa
Meme: Nazaré confusa

Esses são alguns exemplos de conteúdos compartilháveis. Mesmo que seja possível compartilhar praticamente tudo pela internet, os conteúdos compartilháveis são aqueles que têm maior eficiência quando o assunto é o compartilhamento por usuários nas redes sociais.

Quais são as vantagens de investir nesse tipo de conteúdo?

Conteúdos compartilháveis tendem a ter uma vida útil mais curta que os famosos conteúdos evergreen. Ainda assim, o impacto positivo que eles oferecem justifica a produção de conteúdo neste formato. Entenda os benefícios de apostar nessa estratégia:

  • visibilidade — amplie o impacto da sua marca para novos usuários com o perfil do seu público;
  • engajamento do público — motive seus leads e clientes a se sentirem conectados com a marca a ponto de apresentar materiais feitos pela empresa para outras pessoas;
  • posicionamento da marca — aproveite o movimento para reforçar princípios e valores da empresa;
  • tráfego de qualidade — garanta o retorno de um público que se identificará com o conteúdo produzido;
  • fortalecimento da estratégia de conteúdo — um bom conteúdo compartilhável ancora sua estratégia, dando visibilidade para outros conteúdos e etapas do funil de vendas. 

O que motiva os usuários a compartilhar conteúdo?

O primeiro ponto para garantir que os usuários compartilhem seu conteúdo é que ele seja relevante. Um dos principais fatores de decisão antes de compartilhar é realmente se a mensagem que a pessoa compartilha é favorável para a sua imagem e se faz sentido.

Também é importante que o conteúdo seja de fácil entendimento. Além disso, uma pessoa se sentirá mais motivada se o conteúdo resolver alguma dor da persona ou ainda se apresentar um humor compatível com a realidade do público.

Em outras palavras, as pessoas esperam conteúdos relevantes, alinhados com seus ideais e compatíveis com a realidade na qual estão inseridas.

Está gostando deste artigo? Confira estes materiais que também podem ajudar você:

Quais são os 11 tipos de conteúdos mais compartilháveis?

Apesar de ser possível compartilhar muitos tipos de conteúdos pela internet, alguns formatos apresentam maior valor para o usuário. Descubra quais são esses formatos e tenha insights sobre como inseri-los na sua estratégia de marketing digital.

1. Infográficos

Os infográficos são os queridinhos quando o assunto é compartilhamento e o principal motivo para isso é que eles fornecem informação de qualidade para um rápido consumo. Isso é possível por meio da principal característica do formato de oferecer informações relevantes para o público em uma excelente diagramação visual. 

Com um infográfico você cria uma linha do tempo, conta uma história ou apresenta seu conteúdo em fluxogramas, estatísticas ou mapas.

O fator estético pesa bastante na tomada de decisão do usuário ao compartilhar, mas certamente uma boa pauta é o ponto fundamental.

2. Guias

Materiais valiosos também podem se tornar conteúdos compartilháveis e os guias são um excelente exemplo para isso. Quando você reúne informações para solucionar uma dor específica da sua persona — e realmente consegue fazer isso — as chances de compartilhamento são grandes.

Por exemplo, se uma agência de comunicação decidir compartilhar um guia para que seu público desenvolva um bom plano de marketing, eles terão maior disposição em compartilhar para outros clientes potenciais.

Os guias em geral respondem o “como” de algum problema. Descubra as maiores questões do seu público e crie guias épicos.

3. Listas

Materiais no formato de lista se destacam aos olhos do leitor. O motivo é bem simples: é mais fácil gerenciar a expectativa e a informação fica mais objetiva.

Este artigo, por exemplo, fala de 11 exemplos de conteúdos altamente compartilháveis. Isso é mais claro do que falarmos apenas que apresentaremos alguns exemplos desses conteúdos.

Se você consegue apresentar x passos ou dicas para resolver um problema, as chances são que isso atraia o usuário. Quando ele descobre que essa informação realmente ajuda em uma determinada situação, ele provavelmente compartilhará o conteúdo para outras pessoas na mesma situação.

4. Vídeos

Os vídeos são um dos formatos de conteúdos mais consumidos atualmente. Eles são dinâmicos, mais rápidos (se comparados ao tempo de leitura) e ainda oferecem a informação de forma muito mais digerível.

O conteúdo em vídeo tende a ser mais compartilhado nas redes sociais justamente pelo seu caráter que relembra o universo do entretenimento.

[embedded content]
Vídeo da Rock Content sobre Conteúdo Interativo – Uma maneira de envolver e transmitir a mensagem de forma mais lúdica.

 Por ser um formato que envolve o público, esse tipo de conteúdo tem mais chance de ser compartilhável. O mais interessante neste sentido, é que o conteúdo em vídeo pode transmitir uma infinidade de mensagens.

Você pode oferecer informações, imagens bonitas ou simplesmente uma demonstração das suas soluções. Se interessa o usuário, ele provavelmente compartilhará com outras pessoas que também se identificarem com o assunto.

5. Memes

Uma das fórmulas mais acertadas de se conectar com o público, o meme é uma excelente oportunidade de gerar emoções, normalmente apostando em uma boa dose de humor. Apesar de ser um formato de conteúdo muitas vezes produzido pelos próprios usuários, é possível criar memes que representam situações cotidianas da persona.

Um exemplo muito interessante foi o meme usando a capa do disco do Chico Buarque.

Capa álbum Chico Buarque de Hollanda – Créditos: Dicionário Popular

Depois de se tornar viral, vários usuários usaram o meme para diversas situações:

 Meme Chico Buarque Gasolina
Créditos: Dicionário Popular

O próprio Chico Buarque decidiu fazer um meme, aproveitando o momento, mas também apresentou uma questão importante para empresas que querem apostar neste formato de conteúdo: o cuidado com direitos autorais. O cantor processou a empresa que usava o meme com a capa de seu álbum.

6. Promoções limitadas

Esse talvez seja o formato de conteúdo compartilhável mais queridinho para aqueles que estão apostando nas estratégias de vendas. As promoções que são limitadas por um período de tempo ou de estoque são uma excelente oportunidade de gerar engajamento do público.

Isso porque a limitação da promoção cria um senso de urgência. Então, a tendência é que as pessoas aproveitem o quanto antes essa oportunidade.

Nesse sentido, entra também a urgência de compartilhamento, pois o usuário sente a necessidade de compartilhar a chance para seus conhecidos que também buscam o produto ou serviço oferecido.

7. Fatos atuais

Diferentemente dos conteúdos evergreen, as notícias apresentam uma relação com a temporalidade. Pode ser algo relacionado a alguma data sazonal como Natal, Black Friday, Carnaval e Dia das Mães. Além disso, as notícias podem estar ligadas a algum acontecimento ou evento, como a Copa do Mundo.

Não é positivo criar uma estratégia baseada apenas em fatos atuais por estes terem curto período de utilização. Por outro lado, são tópicos de alto impacto, aumentando a capacidade de viralização.

A LGPD — Lei Geral de Proteção de Dados— por exemplo, foi uma notícia impactante para quem trabalha com marketing digital. Apesar de ainda ser um fato importante hoje em dia, já não gera tanto engajamento para profissionais da área.

8. Conteúdos interativos

A experiência do usuário é muito importante, principalmente quando o assunto é conteúdos compartilháveis. Isso porque quanto melhor a experiência que a pessoa tiver com determinado material, maiores são as chances de que essa pessoa encaminhe para seus contatos.

O conteúdo interativo permite que o usuário alcance uma experiência ativa com o material. Isso pode ser em um formato mais descontraído como são os famosos quizzes, mas também pode estar focado em alguma solução oferecida pela sua marca, como é o caso da construção de calculadoras e até mesmo dos vídeos interativos.

Um case de sucesso da Rock Content foi O Fantástico Gerador de Personas que permitia ao usuário criar as personas do seu negócio usando a ferramenta.

9. Histórias

O storytelling mostra o quanto a humanidade se conecta e envolve por meio das histórias. Compartilhar cases e outras histórias verdadeiras são uma excelente oportunidade de criar conteúdos compartilháveis.

Além disso, você tem a chance de mostrar como uma solução que você oferece pode realmente promover o sucesso para seus clientes.

10. Opiniões polêmicas

Um dos conteúdos compartilháveis que mais pode gerar engajamento com o público são os assuntos polêmicos. Para apostar nesse formato de conteúdo, o primeiro ponto é ter muito claro qual é a personalidade da marca e os valores do público.

Afinal, expressar a opinião sobre um assunto que já tem aquecido as redes sociais pode trazer um impacto negativo para a marca.

Se você tiver certeza do posicionamento, não tenha medo nem fuja das discussões. Este processo de mexer com o público e às vezes dividir opiniões pode ser um bom início para gerar um relacionamento com o público.

Na dúvida, tome um posicionamento neutro a respeito da situação, perguntando o que as pessoas acham ou preferem. Por exemplo: Qual é o melhor: Nescau ou Toddy? 

11. Imagens

Além dos estímulos visuais ganharem espaço com os ambientes digitais, as redes sociais com foco exclusivo nas imagens, como é o caso do Instagram, são o sucesso do momento.

Então, nada melhor que a criação de conteúdos visuais bem chamativos e compartilháveis. Citações, dicas e imagens que reforçam um estilo de vida são excelentes para que os usuários compartilhem.

Quais otimizações podem ser feitas no conteúdo compartilhável?

Agora que você já sabe quais são os melhores formatos de conteúdo para incentivar o compartilhamento. Confira algumas dicas que podem impulsionar os resultados das suas ações.

Preze pelo formato estético

Seja vídeo, texto ou imagem, os conteúdos compartilháveis precisam agregar valor ao público.

Você não precisa contratar um design toda vez que criar um conteúdo compartilhável. Ainda assim, é fundamental usar o bom senso e oferecer peças que sejam igualmente valiosas em conteúdo e forma.

Garanta informações relevantes

Antes de criar a próxima campanha que vai simplesmente viralizar na internet, defina qual será seu objetivo e o que você entrega de valioso. Afinal, de que adianta ter visibilidade para algo com o qual seu público não se identifica?

Essa busca primeiro pela fama e depois pelo público talvez até funcione para um influenciador digital, mas para um negócio que já tem seu mix de marketing definido, pode ser um caminho bastante improdutivo.

Transforme conteúdos existentes em novos formatos

Um hack muito potente para criar conteúdos compartilháveis é usar aqueles que você já tem. Primeiro selecione os materiais que têm maior visibilidade do seu público e em seguida trabalhe na transformação para formatos compartilháveis.

Uma palestra em vídeo, por exemplo, pode gerar várias pílulas (vídeos de 1 a 2 minutos) para o TikTok e Reels, além de várias citações.

O conteúdo compartilhável é uma excelente oportunidade de fazer a gestão da marca, além de ampliar o impacto da sua mensagem para novos públicos. Lembre-se de que mesmo sendo eficaz, essa estratégia deve se mesclar com outros conteúdos para garantir uma boa experiência do usuário por todo o funil de vendas.

Por isso, sugerimos a leitura do nosso artigo sobre diferentes formatos de conteúdo. Conheça 38 possibilidades de alavancar sua estratégia!