Interaction to Next Paint (INP): Google define prazo para marcas otimizarem seus sites

Um Presente Pra Você

Lá vem o Google causar frio na barriga do profissional de SEO mais uma vez! Agora a novidade é o Interaction to Next Paint (INP) que irá substituir o First Input Delay (FID) no relatório de Core Web Vitals do Search Console.

Mas calma que dessa vez não teremos correria, pois o Google deu um bom prazo para você executar as otimizações no seu site: março de 2024.

A empresa já vinha experimentando essa métrica de experiência do usuário desde dezembro de 2022. E em maio deste ano confirmou-se que a métrica deixará de ser um teste para finalmente incorporar o relatório de Core Web Vitals em março de 2024.

Bom, quero dar um passo atrás para todo mundo ficar no mesmo nível, ok? Então primeiro vou trazer uma breve descrição do que são essas métricas, o conceito do INP e depois eu mostro como profissionais de SEO e marcas podem otimizar os seus sites para essa mudança.

O que é Interaction to Next Paint?

Interaction to Next Paint (INP) é uma métrica que compõe o relatório de Core Web Vitals do Google Search Console para avaliação da experiência do usuário em uma página. O INP mede o tempo entre uma interação e outra que o usuário fez na página e indicará a interação mais longa.

Nas palavras do Google, “o INP observa a latência de todas as interações que um usuário fez com a página e relata um único valor que todas (ou quase todas) as interações estavam abaixo. Um INP baixo significa que a página foi consistentemente capaz de responder rapidamente a todas – ou à grande maioria – das interações do usuário.

E quais são os valores de INP que o Google considera bom ou ruim?

  • Bom: abaixo de 200 milissegundos
  • Precisa melhoria: entre 200 e 500 milisegundos
  • Ruim: acima de 500 milissegundos

Segundo o Google, “para garantir que você atinja essa meta para a maioria de seus usuários, um bom limite para medir é o 75º percentil de carregamentos de página, segmentado em dispositivos móveis e computadores.

Respeitando essa baliza de milissegundos, o Google considera que você está entregando uma boa experiência ao usuário. Logo, a sua página ganha pontos também no ranqueamento das buscas, viu?

E nesse ponto você já deve ter entendido o que é o Core Web Vitals, certo? Esse é um relatório do Google que profissionais de SEO e desenvolvedores web conseguem acompanhar através do Google Search Console.

É uma ótima ferramenta para você entregar uma boa experiência ao usuário do seu site ou blog. Que por sua vez favorece o bom ranqueamento nas buscas do Google.

Existem mais, mas são três as principais métricas vitais:

  • Largest Contentful Paint (LCP) que mede o desempenho do carregamento ao analisar o carregamento da página.
  • First Input Delay (FID) que mede a interatividade através do atraso da primeira entrada.
  • Cumulative Layout Shift (CLS) que mede a estabilidade visual da página através da maior explosão de ocorrências de mudança de layout.

Os valores que o Google considera ideais para cada uma dessas métricas estão ilustrados na imagem abaixo.

Um Presente Pra Você

Só antes de partir para a próxima seção, achei interessante explicar aqui o “paint” dessas métricas todas.

Fun fact! “Paint” não se refere a uma pintura literal, mas sim ao processo de renderização de elementos visuais na página. Uma tradução mais adequada para “paint” no contexto do LCP ou do INP seria “renderização” ou “desenho” dos elementos visuais na página.

Assim sendo, temos que o INP em português seria melhor traduzido para “Interação para a Próxima Renderização”.

Substituição: entra INP, sai FID

Para explicar o motivo da mudança, nada mais justo que dar voz ao time do Google Chrome. 

“Embora tenha melhorado a maneira como medimos a capacidade de resposta, o FID tinha limitações. O próprio nome revela duas dessas limitações: “primeira entrada” e “atraso”. O FID relata apenas a capacidade de resposta da primeira vez que um usuário interage com a página. Embora as primeiras impressões sejam importantes, a primeira interação não é necessariamente representativa de todas as interações ao longo da vida de uma página. Além disso, o FID mede apenas a parte do atraso de entrada da primeira interação, que é a quantidade de tempo que o navegador teve que esperar (devido à ocupação do thread principal) antes mesmo de começar a lidar com a interação.”

Rick Viscomi, Engenheiro DevRel do Google

Entendeu o avanço aqui? Se hoje é possível dizer que o seu site é ótimo em termos de UX através do FID, amanhã será ainda mais preciso com o INP. Afinal, estamos expandindo a mensuração para todas as interações. Justo, não é?

Agora o Google vai nos forçar a garantir interações boas em todos os momentos e isso é ótimo! Então tira o bico da cara e vem comigo entender como otimizar o seu site até março de 2024.

Otimize para o INP!

Segundo o Google, essas são as boas práticas para você otimizar o seu site para INP:

  • Encontrar interações lentas em ambiente de teste
  • Diagnosticar interações lentas em ambiente de teste
  • Identificar e reduzir o atraso de entrada
  • Otimizar retornos de chamada de eventos
  • Minimizar o atraso da apresentação

Para cada uma dessas otimizações, o Google já produziu artigos para ajudar você a otimizar o seu site. Você encontra esse compilado no blog para desenvolvedores do Google Chrome.

E se você não possui conhecimento sobre o assunto ou não possui expertise dentro da sua empresa, aconselho investir em SEO técnico, porque a sua concorrência vai. Afinal, a questão aqui é manter ou aumentar o tráfego para o seu site e entregar uma boa experiência para o seu usuário.

Os profissionais que você vai precisar para colocar essas boas práticas em ação são desenvolvedores web, analistas de SEO técnico e gestor de projetos. Indico que você monte um plano de ação para aplicar as melhorias ao seu site e coloque fevereiro de 2024 como prazo de entrega.

Nós sabemos que em um mundo ideal, oito meses é tempo suficiente para reunir o orçamento e conhecimento e colocar mãos à obra. Mas não se deixe enganar! Se o seu planejamento não começar desde já, você pode pagar caro lá em março (e com tráfego orgânico).

Espero que eu tenha conseguido esclarecer as principais dúvidas sobre Core Web Vitals, Interaction to Next Paint e a mudança que vêm por aí.

Quer continuar atualizado com as melhores práticas de Marketing? Então se inscreva na The Beat, a newsletter interativa da Rock Content. Nós cobrimos todas as tendências que importam no cenário do Marketing Digital. Vejo você lá!

Please follow and like us:
Um Presente Pra Você