CEO do Instagram comenta sobre como funciona o algoritmo de Feed, Reels e Stories

Um Presente Pra Você

O CEO do Instagram, Adam Mosseri, publicou no blog da rede social e em um vídeo na sua conta pessoal, atualizações e uma visão geral de como funcionam os algoritmos no Instagram, o que pode nos ajudar a entender melhor como otimizar os resultados e alcance de conteúdos no feed do aplicativo e também nos Stories e Reels.

Mosseri compartilhou mais informações, semelhantes a 2021, como uma forma de ser mais transparente e próximo ao público, explicando sobre tópicos populares, como: shadowbanning, revisão do status de conta, práticas recomendadas para aumentar o público do Instagram e o funcionamento da classificação algorítmica do aplicativo.

Adam já começa o pronunciamento com uma observação bem importante, que por vezes, confunde a cabeça dos milhões e milhões de usuários que usam o Instagram: 

“O Instagram não possui um algoritmo único que supervisiona o que as pessoas fazem e o que não veem no aplicativo. Usamos uma variedade de algoritmos, classificadores e processos, cada um com sua própria finalidade. Queremos aproveitar ao máximo o tempo das pessoas e acreditamos que usar a tecnologia para personalizar a experiência de todos é a melhor maneira de fazer isso.

Cada parte do aplicativo – Feed, Stories, Explore, Reels, Search e muito mais – usa seu próprio algoritmo adaptado para como as pessoas o usam. Classificamos as coisas de maneira diferente nessas diferentes partes do aplicativo e adicionamos recursos e controles como amigos próximos, favoritos e seguidores para que você possa personalizar ainda mais sua experiência.

Sobre o Feed do Instagram

O CEO continua explicando e nos detalha melhor como os algoritmos do Instagram funcionam, a começar pelo feed principal.

“ Começamos definindo o conjunto de coisas que planejamos classificar em primeiro lugar. Com o Feed, consideramos postagens recentes compartilhadas pelas pessoas que você segue, bem como postagens de contas que você ainda não segue e que acreditamos ser do seu interesse. Determinamos no que você pode se interessar com base em vários fatores, incluindo o que e quem você seguiu, curtiu ou com quem se envolveu recentemente. Personalizamos a experiência para que você tente encontrar um equilíbrio entre o conteúdo das contas que você segue com o conteúdo das contas que você não segue, mas nas quais possa se interessar. ”

Com essa declaração, fica bem claro que o Instagram vem utilizando cada vez mais Inteligência Artificial para personalizar os conteúdos exibidos nos feeds de cada conta. Muito do que é mostrado é com base no que o Instagram acredita que você pode gostar, juntamente com as atualizações de feed de pessoas e perfis que você escolheu seguir. 

Um Presente Pra Você

Mosseri complementa dizendo que existem 4 fatores que determinam a classificação do feed principal do Instagram, que são: 

  • Sua atividade.  As postagens que você gostou, compartilhou, salvou ou comentou nos ajudam a entender no que você pode estar interessado.
  • Informações sobre a postagem.  Esses são sinais sobre a popularidade de uma postagem – pense em quantas pessoas gostaram dela e com que rapidez as pessoas estão curtindo, comentando, compartilhando e salvando uma postagem – e informações mais mundanas sobre o conteúdo em si, como quando foi postado e o que local, se houver, foi anexado a ele.
  • Informações sobre a pessoa que postou.  Isso nos ajuda a ter uma noção de quão interessante a pessoa pode ser para você e inclui sinais como quantas vezes as pessoas interagiram com essa pessoa nas últimas semanas.
  • Seu histórico de interação com alguém.  Isso nos dá uma noção de como você geralmente está interessado em ver as postagens de uma pessoa em particular. Um exemplo é se vocês comentam ou não nas postagens uns dos outros.

Sendo assim, o Instagram se preocupa em exibir mais o tipo e o formato de conteúdo que você mais interage, com base no seu histórico, com o objetivo de deixar o feed mais personalizado para o seu gosto pessoal e fazer com que haja mais interação, como compartilhamentos, curtidas e comentários. Ou seja, quanto maior a probabilidade de você realizar uma dessas ações, mais alto no Feed você verá a postagem. 

Sobre os Stories

Já os Stories, ainda não utiliza recomendações baseadas em IA para a classificação do conteúdo dos seus amigos e seguidores, mas a lógica é um pouco parecida com a do feed do aplicativo.

Os principais fatores que o Instagram leva em consideração ao classificar os Stories, são:

  • Visualização do histórico.  Isso analisa a frequência com que você visualiza as histórias de uma conta para que possamos priorizar as histórias de contas que achamos que você não quer perder.
  • Histórico de engajamento.  Isso analisa a frequência com que você se envolve com as histórias dessa conta, como enviar um like ou um DM.
  • Proximidade.  Isso analisa seu relacionamento com o autor em geral e a probabilidade de você estar conectado com amigos ou familiares.

Com base nesses fatores, o Instagram tenta prever a probabilidade de você acessar um Storie, e assim, o classifica em ordem de exibição.

O queridinho Reels

Por fim, segundo Mosseri, os Reels são feitos para ajudar o usuário a descobrir coisas novas. Então, assim como na aba Explorar, a maior parte do que vemos no Reels é de conta que não seguimos. Por isso, o comportamento do Instagram é fornecer Reels que acha que você pode gostar e que podem ser interessantes para você.

Para o Reels, os principais fatores de classificação, são: 

  • Sua atividade.  Analisamos coisas como quais rolos você gostou, salvou, compartilhou novamente, comentou e se envolveu recentemente. Esses sinais nos ajudam a entender qual conteúdo pode ser relevante para você.
  • Seu histórico de interação com a pessoa que postou.  Assim como no Explorar, é provável que o vídeo tenha sido feito por alguém de quem você nunca ouviu falar, mas se você interagiu com essa pessoa, isso nos dá uma ideia de como você pode estar interessado no que ela compartilhou.
  • Informações sobre a bobina.  Esses são sinais sobre o conteúdo do vídeo, como a faixa de áudio ou os recursos visuais do vídeo, bem como a popularidade.
  • Informações sobre a pessoa que postou.  Consideramos os sinais de popularidade, como o número de seguidores ou o nível de engajamento, para ajudar a encontrar conteúdo atraente de uma ampla gama de pessoas e dar a todos a chance de encontrar seu público.

É importante se atentar para não produzir Reels com marca d’água, em baixa resolução e com muito texto, pois estes terão um alcance bem menor. 

Por fim, Adam finaliza dando algumas dicas de como você pode influenciar o que ver no seu feed, como: adicionar contas à sua lista de Favoritos; Responder à pesquisas do Instagram, para que o aplicativo possa melhorar as recomendações feitas ao seu perfil; Indicar postagens que você não tem interesse e ocultar proativamente postagens sugeridas.

Quer continuar atualizado com as melhores práticas de Marketing? Então se inscreva na The Beat, a newsletter interativa da Rock Content. Nós cobrimos todas as tendências que importam no cenário do Marketing Digital. Vejo você lá!

Please follow and like us:
Um Presente Pra Você