Boilerplate: entenda seu significado e sua importância

Um Presente Pra Você

Você já ouviu falar no termo boilerplate? O termo, que vem lá do século XVII, é muito popular hoje em dia principalmente nas áreas de comunicação, jurídica e no desenvolvimento de programas.

Se você quer entender como utilizar o conceito para otimizar a comunicação e a produção de soluções digitais, veja tudo sobre ele a seguir. Acompanhe!

O que é boilerplate code HTML?

É um código padrão que serve como ponto de partida para o desenvolvimento de páginas web. Ele inclui elementos essenciais como a estrutura básica do documento, metadados, links para folhas de estilo CSS e scripts JavaScript, facilitando a criação rápida e consistente de websites.

Mas, para entender melhor o que é um boilerplate, vale iniciar pela origem do termo, que existe bem antes de sequer existirem computadores ou internet.

Um pouco de história…

O termo em inglês data ainda do século XVII, denominando as placas metálicas que eram gravadas com o nome da empresa e afixados a objetos que identificassem quem os produziu.

Mas a forma como utilizamos o termo hoje vem de mais tarde, do fim do século XIX. Era usado para definir as chapas criadas com textos e ilustrações que seriam utilizadas na impressão de múltiplas cópias ou edições de jornais da época — sem precisar refazer a matriz todas as vezes.

Marketing entrando na jogada

Anos depois, o nome boilerplate foi apropriado pelo Marketing para determinar textos padrões sobre empresas que possam ser replicados em diversos canais sem alteração para identificação do negócio e o que oferece.

E o campo jurídico também!

Também existe da mesma forma no contexto jurídico, sendo aplicado como blocos textuais padrões que funcionam para todo tipo de contrato de uma mesma natureza.

Assim, no campo jurídico, boilerplate refere-se a cláusulas padrão ou termos genéricos que são frequentemente usados em contratos, acordos e documentos legais. 

Essas cláusulas são tipicamente utilizadas para economizar tempo e garantir consistência em diversos documentos, abordando aspectos comuns como limitações de responsabilidade, jurisdição, direitos autorais e confidencialidade. Embora sejam padronizadas, é importante revisá-las cuidadosamente para garantir que atendam às necessidades específicas de cada caso.

E foi essa característica de reprodução que levou o conceito até a rotina dos desenvolvedores. Na programação, o boilerplate code HTML é um trecho de código que pode ser repetido em vários pontos sem que seja necessário alterações significativas.

Portanto, é uma forma de otimizar o trabalho de programadores, permitindo que eles repliquem seções que exigem muitas linhas de código sem ter que reescrever tudo novamente.

Quais são os benefícios do código boilerplate?

Para entender por que desenvolvedores utilizam código boilerplate, basta analisar as vantagens que o hábito traz para quem o inclui em seu fluxo de trabalho. Veja os principais.

Redução do tempo de trabalho

Com seções replicáveis de código, o uso de boilerplate reduz bastante o tempo de trabalho, já que programadores não precisam reescrever trechos inteiros, alterando apenas mudanças pontuais necessárias em cada instância.

Redução de falhas

A repetição de trabalho é um dos pontos mais críticos de falha em fluxos produtivos. Quando você tem boilerplates prontos e revisados, evita que haja inconsistência entre trechos replicados e reduz a possibilidade de falhas por erro humano.

Compartilhamento

Seja para acelerar o trabalho de colaboradores ou fazer onboarding dos iniciantes, os boilerplates servem como compartilhamento de conhecimento entre desenvolvedores.

Além de inserir rapidamente seções de código no trabalho, esses trechos pré-produzidos podem ser estudados para entendimento mais rápido sobre as práticas adequadas àquela solução digital.

Polimento do código

A introdução de sites, lojas virtuais e aplicativos no fluxo de atração de clientes hoje é fundamental para o sucesso de empresas. Quanto maior a qualidade da experiência, maior o sucesso comercial.

Quando você reduz o tempo de trabalho e as falhas, pode utilizar o tempo disponível para polir ainda mais o código e a interação do público com seu produto. Até mesmo os boilerplates podem ser trabalhados para um código mais simples e eficiente.

Modulação de soluções digitais

Com o tempo, empresas que utilizam boilerplate code HTML em suas soluções tendem a formar um repositório de funções básicas que podem ser facilmente inseridas, retiradas e reorganizadas.

Assim, você pode ajustar sua interação com o público com a velocidade que o mercado de hoje exige. Desde mudanças de layout até novas funcionalidades que destaquem sua solução da concorrência.

Como estruturar seu site de forma eficiente com boilerplate code HTML

Para tirar o melhor proveito de boilerplates, sua utilização deve ser pensada desde a concepção de um site ou aplicação digital.

Portanto, o primeiro passo para estruturar esse código é definir as funcionalidades e a experiência do usuário (UX) de forma modular, replicável e escalável.

Essa definição não é feita apenas pelos desenvolvedores, mas um alinhamento com o setor de Marketing e relacionamento com o cliente. É o momento de definir elementos de interação que vão fazer parte do branding da empresa e devem ser consistentes em qualquer situação de engajamento.

Alguns exemplos são: formatos de conteúdos, tipos de interação do usuário, identidade visual, posição de elementos como botões e menus etc.

Quanto maior a eficiência de uma UX modular, mais replicável e intercambiável ela é. A partir da consolidação desses elementos, devs podem focar nos boilerplates que mais agilizam processos e garantem a qualidade da experiência em qualquer situação.

Depois disso, é hora de executar. A seguir, você verá mais dicas sobre como fazer isso.

Um Presente Pra Você

Dicas e melhores práticas para usar boilerplate code HTML de maneira eficaz

Ao estruturar um projeto de desenvolvimento pensando na utilização de boilerplates, gestores podem incluir etapas de execução do plano com mais facilidade e diminuir o tempo entre ideação e entrega no médio e longo prazo.

O ideal é que cada nova implementação se torne uma economia de tempo lá na frente. Veja as práticas indicadas para facilitar ainda mais o processo.

Mapeie as possibilidades de replicação e escalabilidade

Esta primeira etapa se conecta diretamente com o tópico anterior. Após o alinhamento de metas comerciais e a definição das funcionalidades nucleares de um site ou app, é hora de mapear oportunidades de construir esses módulos como boilerplate.

Priorize ações e funções que sejam mais presentes na UX desejada e que se conectam diretamente ao objetivo da marca, ou seja, aquelas interações que estarão presentes no futuro mesmo com mudanças de estratégia e cenários de mercado.

Crie padrões de formatação e comentários

A ideia do boilerplate code HTML é facilitar e agilizar a programação. Para que isso aconteça, é preciso que o próprio formato do código tenha padrões predeterminados.

Assim, quando for preciso adicionar um deles ao desenvolvimento, ele precisará de quase nenhum ou nenhum ajuste por parte dos programadores, mitigando a chance de erros.

Organize os boilerplates para facilitar o acesso e o uso

Ainda dentro da mesma ideia, como garantir que todos os desenvolvedores, internos e parceiros, consigam acessar e utilizar boilerplates com facilidade?

Isso depende muito da forma como você os estrutura. A organização de repositórios de código passa por uma indexação adequada, desde a nomeação dos arquivos até indicações claras de uso.

O uso de plataformas como o GitHub facilita essa estruturação, ou você mesmo pode criar seu sistema interno de referência e acesso.

Crie uma documentação completa para seus boilerplates

Boilerplates costumam ser utilizados por vários perfis de desenvolvedores dentro da empresa: veteranos que já estão acostumados com o fluxo de trabalho, novatos em período de adaptação, colaboradores externos, até mesmo que não tem muito contato com desenvolvimento, mas precisa fazer ajustes pontuais — como o Marketing para sites e aplicativos.

Nesses casos, elaborar uma documentação adequada não só agiliza processos como diminui o peso em programadores que precisam estar o tempo todo orientando o uso dos trechos de código.

Essa documentação deve contar com cenários de uso para cada boilerplate, instruções de implementação, falhas comuns no processo e troubleshooting (processo de diagnosticar e resolver problemas em sistemas ou equipamentos, identificando a causa raiz e implementando soluções). 

Exemplos de uso de código boilerplate

Existem várias abordagens para boilerplates que aumentem a eficiência do desenvolvimento. Alguns exemplos são:

  • funções para elementos que se repetem na experiência do usuário, como botões e formulários;
  • blocos de texto e imagens que serão replicados em vários canais digitais — o uso padrão do termo na comunicação;
  • criação de ferramentas e conteúdos modulares para fácil rearranjo em interfaces digitais;
  • scaffolding, como é chamado o conjunto de boilerplates para que desenvolvedores júnior e novos colaboradores possam se inserir mais rapidamente no fluxo de desenvolvimento.

Estas são apenas algumas das maneiras de incluir o uso de boilerplate em seu código. Toda oportunidade de otimizar o trabalho é uma chance de aumentar o sucesso de empresas na era digital.

Quando o boilerplate deve ser usado?

Se há qualquer oportunidade de construir módulos de texto para serem usados em escala, há uma oportunidade de uso para boilerplate.

Abrindo ainda mais a discussão para todo tipo de negócio, existem 3 usos principais para a técnica. Veja quais são.

Marketing e comunicação

O boilerplate no Marketing surge como uma prática de produção de conteúdos replicáveis em escala, que gerem visibilidade a partir da consistência em mensagem e linguagem entre vários canais.

O termo boilerplate no Marketing é visto mais como definição daqueles textos “Sobre Nós” que encontramos em sites institucionais, lojas, press releases etc. Mas pode ser qualquer conteúdo em que alguns elementos textuais possam ser repetidos.

Jurídico

Um dos usos mais comuns dos boilerplates é em contratos jurídicos. Quando empresas trabalham com serviços, não precisam reescrever cláusulas fundamentais para cada novo contratante.

Isso facilita, inclusive, a adição de cláusulas para serviços com tiers de adesão que apresentam ofertas e procedimentos diferenciados.

Desenvolvimento

Como você viu neste artigo, um dos grandes usos do boilerplate é na programação, com a construção de trechos de código que podem ser repetidos e implementados sem grandes ajustes.

Mas lembre-se: boilerplate não é o mesmo que template ou modelo. Seu objetivo não é criar uma peça monolítica, mas componentes para desenvolvimento mais modular.

Sabendo onde aplicar a técnica e estruturando seu repositório, o boilerplate code HTML vai agilizar o seu trabalho, integrar mais a equipe e permitir canais digitais ainda mais encantadores para o público.

Quer mais dicas como essa? Assine a The Beat, nossa newsletter interativa, para ficar por dentro das novidades do universo de marketing e tecnologia!

Please follow and like us:
Um Presente Pra Você