Tecnologias assistivas: a tecnologia a favor da acessibilidade e inclusão

Todos os cidadãos têm algo a contribuir na sociedade, por isso a exclusão de indivíduos traz perdas para a coletividade. Algumas pessoas com determinado tipo de dificuldade física ou intelectual podem necessitar de um suporte para sua autonomia, desenvolvimento e inclusão.

Esse suporte é chamado de tecnologia assistiva, e várias pessoas podem precisar dela durante toda a vida ou apenas por um período. Portanto, toda a sociedade deve estar atenta e conhecer as formas de acessibilidade.

Saiba que essa tecnologia não se limita a dispositivos, pois vai muito além. Conheça mais neste texto.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

O que são tecnologias assistivas?

O termo foi criado em 1998 nos Estados Unidos, e no Brasil foi oficializado em 2016 pelo CAT, Comitê de Ajudas Técnicas da Secretaria dos Direitos Humanos. Esse comitê criou a Lei da Inclusão e tornou obrigatório o uso de tecnologias de apoio no ambiente escolar e nas empresas.

As tecnologias assistivas visam a inclusão de pessoas com necessidades especiais no contexto da educação, do transporte e do trabalho. Elas não se resumem ao uso de dispositivos eletrônicos. Fazem parte de uma área de conhecimento multidisciplinar, que inclui estratégias, metodologias, recursos, produtos, práticas e serviços.

Quais os tipos de tecnologias assistivas?

Um estudo de nível mundial dividiu as tecnologias assistivas em doze categorias, segundo sua natureza e funcionalidade.

Essa segmentação tem o objetivo de facilitar o entendimento sobre a acessibilidade e o desenvolvimento de novas tecnologias. Vamos conhecer cada uma delas.

Tecnologias de auxílio para a vida diária e prática

São produtos e serviços que auxiliam as pessoas no cotidiano para tarefas básicas de sobrevivência. Por exemplo, comer, tomar banho, se locomover, se vestir, cuidar da casa, etc.

Comunicação aumentativa e alternativa

Direcionada para pessoas com dificuldade de comunicação. Engloba a limitação ou ausência de fala, de compreensão do contexto de mensagens e também dificuldade de escrita. São os métodos usados para complementar ou substituir as interações. Pode ser apenas gestual ou necessitar de materiais.

Recursos de acessibilidade ao computador

Como o computador ganhou grande destaque no cotidiano, vemos a importância da acessibilidade digital e como é uma categoria de grande dimensão. Utilizam dispositivos específicos para finalidades diferentes de acordo com necessidades particulares.

Podem ser utilizados softwares ou hardwares especiais. Os hardwares são os equipamentos físicos, como teclados ou impressoras especiais. Os softwares são programas para serem instalados no computador.

Sistema de controle de ambiente

É a ativação por voz utilizada por pessoas com mobilidade reduzida para tarefas corriqueiras, como acender luz ou abrir e fechar janelas e portas.

Projetos arquitetônicos para acessibilidade

Englobam arquitetura urbana e construções de edifícios públicos ou privados. Aqui entram rampas para pessoas com mobilidade reduzida, sinais sonoros no semáforo, pisos táteis para cegos, banheiros ou mobiliários adaptados para cadeirantes, etc.

Órteses e próteses

As órteses podem auxiliar no movimento corporal, quando incorporadas a algum órgão com funcionalidade reduzida — por exemplo, as pernas robóticas e stand tables. Já as próteses são utilizadas para substituir órgãos inexistentes.

Adequação postural

São recursos que auxiliam no repouso corporal com objetivo de manter a postura adequada para não causar danos e dores. Pode ser na posição deitada, sentada ou de pé, como encostos anatômicos e posicionadores para estabilidade.

Auxílios de mobilidade

Nesta categoria estão os equipamentos para a mobilidade, como andadores, bengalas simples ou eletrônicas (que emitem sinais sonoros), cadeira de rodas ou scooter.

Auxílio para pessoas cegas ou com deficiência visual

Engloba todo equipamento que auxilia na visão para quem não enxerga completamente. Inclui recursos ópticos, como lentes, lupa, ampliadores de tela, software para leitura de texto ou tela, hardware para impressão em braile. Entra, também, assistência de animais treinados para acompanhamento.

Auxílio para pessoas surdas ou com deficiência auditiva

Todos os dispositivos que auxiliam a audição de quem não ouve completamente. Pode ser aparelho para surdez, sistemas com alerta táctil visual, telefone com teclado tele-tipo (TTY), tradutoras para língua de sinais (Libras), etc.

Adaptações em veículos

Recursos e equipamentos que auxiliam pessoas com mobilidade reduzida a dirigir um veículo, como assentos e cintos adaptados, facilitadores de embarque e desembarque, adaptadores nos pedais, etc.

Esporte e lazer

Auxílio para acessibilidade ao esporte e recreação, como bola com dispositivo sonoro para cegos.

Como usar tecnologias assistivas em empresas?

As empresas precisam se adaptar às leis e oferecer aos seus funcionários e clientes com necessidades especiais a capacidade de circular e realizar seu propósito no ambiente. Vamos ver algumas dicas.

  • Sinalização por luzes: substitui qualquer tipo de notificação sonora, usado como suporte para surdos. Por exemplo, o toque do telefone deve incluir luzes piscantes.
  • Rampas de acesso: sempre onde houver escada é necessário ter alternativa de rampa para pessoas com mobilidade reduzida.
  • Espaços adaptados: todos os ambientes devem ser adaptados, como escadas com corrimões e corredores com espaço para a passagem de cadeira de rodas, visualização luminosa e pisos táteis para pessoas com baixa visão ou cegos, banheiros com espaço para cadeirante e apoios nas paredes.
  • Mobílias ergonomicamente adaptadas: alturas de mesas, cadeiras e armários devem ser adaptadas quando houver cadeirante.
  • Sinalização em Braille: todas as sinalizações de localização devem conter a informação em Braille, como portas de banheiro, número de salas, etc.
  • Intérprete de Libras e tradução em língua de sinais: contratar um tradutor de Libras para eventos sempre que possível. Quando não for viável, ou no dia a dia, utilizar plataformas que transcrevem os conteúdos para Libras.
  • Telefones adaptados: dígitos maiores, chamadas com sinalização por luz, dígitos em Braille ajudam a pessoa com deficiência visual e baixa visão.
  • Computadores adaptados: os hardwares como mouse e teclado devem ser adaptados conforme as necessidades, bem como possuir softwares de leitura para documentos e outros de acordo com a necessidade.

Como usar tecnologia assistiva nas escolas?

As escolas devem oferecer os mesmos itens das empresas, proporcionando inclusão aos funcionários e estudantes. A diferença é que também precisam incorporar esses cuidados na aprendizagem, nas atividades em sala de aula, no material pedagógico e no preparo dos professores para atuar com alunos especiais.

A escola é o local onde as crianças e os jovens com necessidades especiais vão iniciar a socialização e a utilização das tecnologias assistivas, e é onde devem ser preparados para isso. Da mesma forma, estudantes que não necessitam dessas tecnologias devem ter os primeiros contatos com ela, de maneira a naturalizar o seu uso para quem necessita.

Quais são as tecnologias assistivas para web?

Não existe inclusão social sem acessibilidade digital, e novas tecnologias estão sempre surgindo. Vamos ver alguns exemplos e novidades utilizados atualmente.

Ampliadores de imagem

Ampliadores de imagem utilizam ferramentas de zoom in e zoom out para pessoas com baixa visão. Alguns oferecem alto contraste e opções de ponteiro de mouse.

Algumas opções de programas ampliadores de imagem:

  • Lupa do Windows: é o mais conhecido e fácil de acessar, basta ativá-lo no menu iniciar, e é gratuito;
  • MAGic: é considerado o melhor por muitos usuários, porém tem que pagar;
  • ZoomText: é considerado por muitos o mais completo, mas é caro.

Leitores de tela

Além de ler os textos da tela, os leitores leem imagens, mas para isso é necessário que o produtor de conteúdo tenha feito um texto as descrevendo. Os mais conhecidos são:

  • NVDA: é gratuito e não precisa ser instalado no sistema;
  • JAWS: é considerado por muitos usuários o melhor e mais completo, mas é caro;
  • Virtual Vision: é o único totalmente brasileiro e é considerado bom, mas é pago.

Tradutores de Libras para sites e uso de plataformas de tradução

Os conteúdos de comunicação em vídeos devem ter intérpretes de Libras. As plataformas de tradução em Libras também auxiliam nessa questão. Algumas existentes são o ICOM e o Hand Talk.

Navegação via teclado

Serve para quem está sem mouse ou tem dificuldade de utilizar. São teclas oferecidas pelo browser ou produzidas pelo desenvolvedor do site. Tem o intuito de tornar a experiência de navegação pela página mais fácil e confortável. Para isso o conteúdo deve ser estruturado de forma lógica.

Display Braille

É um hardware que exibe a informação de tela em Braille. Tem diversos botões para controlar a navegação e executa comandos de leitor de tela. Pode ser usado em computador de mesa, portátil ou celular. Infelizmente tem um alto custo e por isso é pouco conhecido no Brasil.

Monitor com sistema de cores para daltônicos

O sistema é direcionado para pessoas com diversos tipos de dificuldades em enxergar cores corretamente, facilitando o entendimento de gráficos e informações.

Headmouse e teclado virtual

O headmouse permite que pessoas com dificuldade de manipular o mouse possam acessar informações por movimentos da cabeça, gestos faciais e piscar de olhos. Pode ser instalado em qualquer computador com uma webcam simples. O teclado virtual complementa o headmouse por meio de um aplicativo.

Teclado e mouse pela boca

É um sistema revolucionário intensamente pesquisado por anos. Em 2008 se tornou uma realidade, mediante um projeto russo.

Agora você já entende melhor o que são e quais são as tecnologias assistivas. Sabia que profissionais da comunicação precisam estar atentos às questões de acessibilidade se quiserem produzir conteúdos que atinjam a todos? Algumas tecnologias assistivas necessitam de complementos nos materiais produzidos, sobretudo no ambiente online.

Os freelancers da WA estão preparados para produzir materiais inclusivos com qualidade. Faça um teste gratuito da plataforma!

Dominando a arte de se destacar como freelancer em um mercado competitivo

Se destacar como freelancer se tornou algo essencial. Depois da pandemia Covid-19, muitas pessoas adotaram esse formato de trabalho. Além disso, com o desenvolvimento de soluções de inteligência artificial generativa, como o Chat GPT, o mercado, sobretudo o de produção de conteúdo, ficou ainda mais competitivo.

Neste artigo, apresentamos alguns conceitos importantes para quem quer ter um trabalho liberal consistente. Afinal, já se sabe como ser freelancer pode ser uma excelente oportunidade de trabalho, não é mesmo?

Descubra como superar os principais desafios da profissão e se destacar nesse cenário. Boa leitura!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Identificando sua proposta de venda exclusiva como freelancer

Um bom freelancer é orientado para soluções e consegue se adaptar facilmente. Enquanto alguns podem reclamar do surgimento de soluções com inteligência artificial, outros profissionais entendem como se destacar a partir dessa situação: se diferenciando.

Isso mesmo, se você quer usar a inteligência artificial para produzir conteúdo ou não, é uma escolha sua. Entretanto, esse não será o ponto de destaque de todo profissional. Saber se vender é que faz com que determinados produtos sejam destaques em seus mercados, sejam eles soluções tecnológicas ou artesanais.

Entenda que, quando o cliente busca um freelancer, esta é uma relação comercial, e ele certamente está buscando o melhor custo-benefício para sua empresa. Então, aqui já surge a primeira regra de quem vai se vender: não é possível agradar a todos.

Pense em quais são os principais diferenciais do seu trabalho. Para isso, você deve:

  • definir quais são suas linhas de trabalho — você produz conteúdos, edita vídeos, cria designs ou é um programador? Estabeleça qual é seu mix;
  • entender como seu trabalho se destaca — qualidade, preço, velocidade na entrega dos projetos, desenvolvimento de textos técnicos ou conteúdos avançados são alguns exemplos de diferenciais. Saiba qual é o seu e use-o a favor do seu trabalho;
  • criar chamadas atrativas — use técnicas como o copywriting para vendas e atraia ainda mais novos clientes;
  • considerar uma proposta única de venda — USP (unique selling proposition) é uma solução na qual você oferece um método ou tecnologia exclusiva, com uma solução diferenciada para seus clientes potenciais.

Criando uma marca pessoal forte para o freelancer em um mercado competitivo

Para se diferenciar como freelancer, é fundamental atentar às tendências e demandas do mercado, além de descobrir onde suas competências se enquadram para o tipo de serviço que você oferece. Tudo isso está relacionado ao personal branding, ou gestão da marca pessoal.

Se você já identificou quais são seus diferenciais, então é hora de desenvolver estratégias de marketing pessoal, atraindo o público certo. Para isso, crie histórias, peça feedbacks e colete depoimentos dos seus clientes atuais. O importante é mostrar como seu trabalho se destaca.

Um freelancer que deseja sobressair precisa pensar no desenvolvimento de um portfólio e em como mantê-lo atualizado. Além disso, é importante marcar presença em pelo menos uma rede social na qual seu público se encontra.

Tenha consciência de que seu trabalho precisa ser visto por essas pessoas e crie estratégias para que isso aconteça.

Aproveitando networking e parcerias para impulsionar seu perfil de freelancer

Outro ponto fundamental para se destacar como freelancer são as redes de contatos e parcerias estratégicas. Estabeleça uma rede forte de parceiros e busque comunidades e eventos para manter essa área crescente e ativa.

Vale lembrar que o networking não serve apenas para conseguir mais trabalhos — apesar de ser comum para o freelancer ter novos jobs por indicação dessas redes. As parcerias também podem ajudar você a aumentar a reputação na sua área, aumentando a autoridade.

Plataformas que reúnem freelancers, como a Rock Content faz, são excelentes opções para iniciar sua base de contatos. Além de oferecerem um ambiente com esse papel de conectar você a novos trabalhos e clientes, é comum existirem comunidades dos freelancers, como acontece na Rock.

Nesse ambiente, você encontra ofertas de novos trabalhos e pode compartilhar hacks e dicas para impulsionar ainda mais sua carreira como freelancer.

Mantendo-se à frente das tendências e habilidades do setor para o freelancer de sucesso

As empresas buscam os melhores profissionais quando precisam de um serviço. Por isso, o freelancer não pode ficar parado, é necessário se atualizar com frequência e identificar quais são as tendências do mercado para atendê-las.

Em outras palavras, você precisa observar dois pontos diferentes para se destacar no cenário: entender como está o mercado e o que as empresas esperam de um profissional do seu nicho e se certificar para o trabalho, com cursos e capacitações mostrando que você é um profissional atualizado, que está de olho no mercado.

Nem sempre na profissão do freelancer existem cursos próprios para a área, mas normalmente há treinamentos e capacitações específicas para o trabalho. A Rock Content, por exemplo, oferece vários cursos com certificações para os freelancers, são as formações da PbyP School, antiga Rock University.

Viu como se destacar como freelancer e conseguir os melhores jobs pode ser simples se você tiver planejamento e as estratégias certas? Para garantir o melhor trabalho freelancer, é fundamental entender que você precisa se atualizar, identificar seus diferenciais e saber posicionar seu serviço como se faz com uma marca.

Se você quiser impulsionar seu trabalho freelancer, entrar para uma comunidade diferenciada e ter acesso aos melhores jobs da sua área, uma grande oportunidade é conhecer a plataforma WriterAccess, novo ambiente da Rock Content para que os gênios da criação encontrem as melhores ofertas do mercado!

Como aplicar o Design Thinking ao CRO? Descubra agora e otimize os seus testes!

Para se aproximar e conquistar o público na internet, uma empresa precisa de mais do que uma oferta interessante. Os consumidores modernos buscam conexão emocional, identificação e senso de exclusividade com as marcas que escolhem.

É por isso que gestores de Marketing modernos recorrem a uma área que tem tudo a ver com instigar emoções e captar rapidamente a atenção do público: o que fazem é aplicar Design Thinking ao CRO.

Se você quer entender melhor os dois conceitos e como eles se conectam, este artigo responde todas as suas principais dúvidas. Não deixe de ler!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Compreendendo o Design Thinking e o CRO

Capturar e reter a atenção de consumidores online é o maior desafio de qualquer negócio moderno: um ambiente com muita competição e pulverização do alcance em inúmeros nichos.

Soma-se a isso uma nova expectativa de consumo. O público atual consome mais do que o produto. Busca ideias, comunidades e exclusividade.

Tem sucesso no mercado quem consegue passar todas essas características por meio de conteúdo de qualidade e engajamento social.

Mas como criar uma estratégia objetiva e aplicável que gere identificação com a sua marca? Os dois conceitos que vamos trabalhar aqui se tornaram muito populares nos últimos anos por apresentarem resultados consistentes e replicáveis em qualquer setor de mercado.

Para começar nossa conversa, veja a definição dos dois termos e como eles se conectam.

O que é CRO?

Conversion Rate Optimization, ou CRO, pode ser traduzido como Otimização da Taxa de Conversão. É o conjunto de técnicas e estratégias que visa aprimorar a conversão em sites e outros canais digitais para reduzir a jornada entre o descobrimento da marca e a compra.

As práticas de CRO podem ser aplicadas em todos os pontos de interação com o consumidor:

  • no desenvolvimento de conteúdo que atraia o interesse para a sua marca;
  • no relacionamento em redes sociais;
  • no atendimento digital ao cliente;
  • no fluxo de navegação em loja virtual;
  • nos fluxos de compra;
  • nas estratégias de recompra e fidelização.

A ideia é tornar o caminho até a conversão mais atrativo e com menos obstáculos, pendendo a decisão de compra a seu favor.

Assim, a empresa não só converte mais como tem um melhor aproveitamento de vendas entre os leads, diminuindo seu Custo de Aquisição do Cliente.

O que é Design Thinking?

O Design Thinking é uma estratégia criada para que negócios pudessem aproveitar o poder criativo do Design como uma ferramenta de resolução de problemas em qualquer aspecto corporativo.

O pensamento de Design é um processo de resolução de problemas pela conexão de ideias em campos diferentes que se unem para criar uma terceira, inovadora e focada no resultado.

Essa estratégia surge da diversidade. O gestor de Marketing reúne outros times, como Vendas e CRM para investigar problemas e idealizar soluções.

A interação dessas ideias por meio de analogia ou contraste leva a novos caminhos práticos que podem ser aplicados em todos os departamentos.

É uma forma de gerar aprimoramento constante, mas também de unir diferentes equipes, criar uma cultura própria do negócio e abordar problemas com resultados significativos.

Por que a integração dessas abordagens é benéfica?

O Design Thinking é uma abordagem viável em qualquer cenário ou escopo empresarial: melhorar a produtividade, eliminar gargalos, aumentar a segurança e muito mais.

Porém, o Design sempre esteve ligado a pessoas, à capacidade de capturar a atenção e gerar emoções. É assim na criação de marcas memoráveis, produtos lembrados por décadas e campanhas de Marketing que apaixonam consumidores.

A própria natureza desse pensamento — de encontrar a raiz do problema e buscar soluções criativas de resolução — pode ser aplicada com bastante sucesso no Marketing Digital.

Afinal, quem conquista consumidores com uma conexão mais próxima e profunda sempre vai se destacar, não importa o cenário de mercado.

Se encurtar a jornada do cliente aumenta as conversões, esse resultado é potencializado quando o consumidor tem mais prazer e identificação no caminho.

O Papel do Design Thinking no CRO

Agora que discutimos o núcleo de ambos os conceitos, é hora de uni-los para resultados incríveis de Marketing Digital.

Primeiro, vamos focar em como as duas abordagens trabalham juntas. Entenda a inserção do Design Thinking em uma estratégia de CRO.

Identificando pontos de dor e oportunidades no CRO

Quando existe uma dificuldade de converter leads em canais digitais, a primeira pergunta que você deve se fazer são:

  • Por que eu compraria dessa empresa?
  • Qual momento desse processo eu teria mais dificuldade?
  • O que essa marca representa para mim?

Sim, uma das chaves para o Design Thinking, como explicarei mais em breve, é a empatia. Empatia é a capacidade de se colocar no lugar de outra pessoa e imaginar como ela se sente e age em relação a seu ponto de vista.

Assim, o pensamento de Design é uma ferramenta incrível para investigar e identificar os pontos mais relevantes de atuação na sua estratégia de CRO. São eles:

  • os obstáculos que se tornam pontos de dor na jornada do cliente, fazendo com que ele desista ou perca o interesse;
  • as oportunidades de aprimorar esses pontos, tornando a jornada mais curta e instigante.

É dessa posição de empatia, em que sua equipe entende necessidades e expectativas do público, que surgirão as melhores ideias para sua Otimização da Taxa de Conversão.

Elementos-chave do Design Thinking aplicados ao CRO

Se você quer ter um fluxo saudável de engajamento e conversão online, precisa se aproximar do seu perfil de cliente ideal e entregar o tipo de experiência que ele espera, mas que ainda assim o surpreenda.

O Design Thinking facilita esse processo com elementos que aumentam seus horizontes em relação a como o Marketing pode entregar esse tipo de interação. São pontos como:

  • criação de uma identidade de marca;
  • impressão dessa identidade em conteúdos diversos (blog posts, vídeos, posts sociais, etc.);
  • definição de experiências interativas que movem seu público;
  • geração de engajamento e criação de comunidades;
  • entrega de valor além do produto;
  • desenvolvimento de um senso de exclusividade na relação cliente-marca;
  • personalização e valorização do cliente;
  • retroalimentação estratégica, em que os resultados de ideias aplicadas se tornem fonte para novas ideias criativas.

Ou seja, o Design Thinking pode ser aplicado em todas as etapas de contato digital com o público. É uma maneira não só de aperfeiçoar sua mensagem como criar uma que seja única e reconhecível no mercado.

Quem desenvolve a própria personalidade se identifica melhor com o público. E essa identificação é um dos maiores motivadores de decisão de compra para as gerações atuais.

A Abordagem do Design Thinking no Planejamento de Testes de CRO

Com os conceitos bem definidos, é hora de passarmos à aplicação prática do Design Thinking no CRO. A melhor abordagem nesse sentido é utilizar o pensamento criativo e focado no usuário para testar hipóteses que melhorem a experiência de conversão para o seu cliente.

Mas como isso é feito? O Pensamento de Design não é uma fórmula pronta, mas um framework que guia o planejamento e execução de novas ideias que atraiam mais clientes. Veja como suas fases se dão.

Fase de Definição: Identificando objetivos e métricas de sucesso

O primeiro passo do Design Thinking é marcar a sua linha de chegada: objetivo que você quer alcançar com sua próxima estratégia de CRO.

Claro, a meta nesse caso é sempre aumentar sua taxa de conversão, mas como isso pode ser feito? Quais métricas de engajamento, visibilidade e retenção podem determinar o seu sucesso?

O importante do Design é sempre ter foco no cliente. É na fase de definição que você entende a dor do cliente e aplica a empatia que citei anteriormente. Um mapeamento de obstáculos e oportunidades que ideias inovadoras podem solucionar.

Fase de Ideação: Gerando ideias criativas para testes de CRO

Com as dores dos clientes mapeadas e objetivos definidos, é hora de levantar todas as ideias entre sua equipe e departamentos adjacentes.

Assim como prega o Design, você não deve limitar a fase de ideação. Não importa se é absurda ou inviável, tudo vale.

Muitas vezes, uma proposta não faz sentido até que seja inserida em outro contexto ou combinada com outra. Incentive a participação de todos e crie grupos de discussão para solidificar aquelas ideias mais promissoras para melhorar seu CRO.

Fase de Prototipagem: Desenvolvendo soluções práticas para testes

Mesmo que as soluções encontradas na ideação pareçam a perfeitas para seu problema de conversão, isso não significa que funcionarão na prática.

O Design sempre trabalha com prototipagem: a consolidação de ideias em versões funcionais e simplificadas, que contenham apenas o suficiente para testar suas hipóteses e ver quais estão prontas para ir a público.

Lembre-se sempre do foco no cliente. Seus protótipos têm que apresentar os elementos necessários para simular a experiência final naquilo que importa para ele.

Fase de Teste: Execução de testes de CRO baseados em protótipos

Com protótipos desenvolvidos, é hora de colocar suas ideias à prova. A fase de teste é crucial para entender o que move seu cliente e alinhar a sua experiência para melhores resultados de CRO.

Existem várias abordagens de testes que você pode realizar: versões beta para público já fidelizado, entrevistas e monitoramento direto de usuários e até alterações temporárias em interações populares com sua marca para medir a resposta do público.

Uma estratégia simples e eficiente para testar alternativas criativas de Design Thinking é o Teste A/B. Nele, você distribui aleatoriamente duas versões de uma mesma peça digital e mensura o engajamento em cada uma delas.

Pode ser utilizado para medir o desempenho de conteúdos, layout de páginas, linguagem em redes sociais, entre muitos outros pontos de interação com a audiência.

Coleta de Feedback e Melhoria Contínua

Os passos que acabei de dar são voltados para a aplicação do Design Thinking, mas como garantir que a estratégia teve sucesso e aprimorar em cima desses resultados?

Usar o feedback do usuário para melhora contínua é o caminho ideal à relevância de marca. Veja dicas de como fazer.

Coleta e analise de feedback dos testes de CRO

O Design Thinking é uma ferramenta que se retroalimenta: as ideias se tornam ações, que se tornam resultado, que se tornam novas ideias.

Portanto, a medição da performance de CRO é fundamental para continuar melhorando. Esse feedback deve ser uma combinação de dados de volume (número de engajamento, visitas, taxa de conversão) e qualitativos (pesquisas diretas, avaliações, comentários).

Refinamento dos dados com base nas descobertas

Com esses dados brutos em mãos, a equipe de Marketing pode comparar as projeções com o resultado real e criar conexões entre elementos individuais e seus impactos no engajamento.

Esse refinamento de dados, inclusive, aumenta o seu conhecimento de buyer persona. A resposta a novas ideias diz muito sobre a expectativa do seu público e o que você pode fazer no futuro para aproximá-lo ainda mais.

Incorporação de feedback do usuário no processo de CRO

De nada adianta coletar dados se eles não são utilizados em novas estratégias de Marketing. A melhora contínua vem desse ciclo de hipótese, validação e iteração nas ideias inovadoras.

Você pode fazer isso criando um sistema que leve em conta indicadores e opiniões sobre experiências de marca desde a primeira fase do Design Thinking. O último ciclo é sempre um degrau que leva ao próximo.

Ferramentas e técnicas para auxiliar na aplicação do Design Thinking ao CRO

Aplicar Design Thinking ao CRO é um processo prioritariamente criativo, em que equipes desenvolvem e aplicam ideias inovadoras para encurtar a jornada do cliente.

Porém, existem ferramentas práticas e operacionais que facilitam muito o seu caminho. Veja algumas dicas de soluções digitais que aceleram a inovação do seu Marketing.

Optimizely

O Optimizely é uma plataforma completa de prototipagem e criação de experiências digitais de conteúdo. Ele permite não só desenvolver interações engajantes com o cliente como usar a experimentação para encontrar as melhores soluções para lojas virtuais, blogs, apps e outros canais.

Adobe Target

O Adobe Target é uma ferramenta de prototipagem e Testes A/B para conteúdo digital. Foi construído para simplificar a criação de novas experiências e coletar resultados sobre as ideias que mais impactam no seu CRO.

Mapa Conceitual

Um mapa conceitual não é uma solução em si, mas um tipo de abordagem para ideação e cruzamento de conceitos em insights inovadores.

Criar mapas conceituais ajuda a visualizar diferentes propostas e como elas se conectam, abraçando a variedade de pensamentos e gerando experiências que aumentam a conversão.

Formulários Google para pesquisas

Se coletar dados sobre práticas de CRO é fundamental para o ciclo de aprimoramento do Design Thinking, o criador de formulários online do Google é a solução ideal para coletar feedbacks de qualidade.

A ferramenta permite a criação simplificada de pesquisas e compila os resultados em dados práticos para uso no Marketing — aprofundando seu conhecimento de público.

Google Analytics 4

O novo Google Analytics traz ferramentas ainda mais poderosas no GA4 para acompanhar os resultados de sua estratégia de CRO.

Com monitoramento de indicadores mais complexos e capacidade de acompanhar o engajamento multiplataforma, você tem uma visão ainda melhor sobre como seu público interage com a marca. Números que servem de base para o próximo ciclo de melhoria contínua.

Se você quer aplicar Design Thinking ao CRO, agora sabe tudo o que precisa para começar: a definição dos conceitos, como se relacionam e ferramentas que podem ajudar. Boa sorte em seu próximo projeto!

E que tal ter mais ajuda ainda? No WriterAccess, você tem acesso a profissionais especializados em conteúdo que engaja e converte. Faça um teste grátis de 14 dias!

O poder das experiências de marca na era digital

A comunicação online, alimentada diariamente pelas redes sociais, permitiu a criação de um sentimento de proximidade nunca experimentado pelas pessoas. Esse novo contexto fomentou o desenvolvimento de estratégias ligadas à experiência de marca, responsáveis por alavancar diversos negócios no meio digital.

Uma boa interação do público com sua empresa não é apenas importante para aumentar as vendas, mas também para fidelizar a audiência, conquistar promotores da sua marca e tomar frente do mercado.

Se você deseja aproveitar o poder do digital para criar uma experiência memorável e alavancar seus resultados, continue a leitura e confira nossas recomendações!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

A evolução da experiência do consumidor na era digital

Enquanto no passado a comunicação da empresa com o público era unidirecional — ou seja, a marca criava anúncios que apareciam na televisão ou no rádio, mas não havia mecanismos para ouvir o consumidor —, agora existe um formato bidirecional que permite uma verdadeira troca entre a corporação e sua audiência.

Essa mudança se deve principalmente ao processo de digitalização, responsável por criar um ambiente online no qual as pessoas podem compartilhar ideias, conteúdos e informações.

Além das mudanças na maneira como a empresa interage, houve transformação no foco publicitário. Antes das mudanças trazidas pela transformação digital, o objetivo era apresentar o produto em si, destacando suas vantagens e diferenciais. Já a comunicação moderna destaca a importância da experiência que um determinado produto ou serviço possa oferecer.

Essa alteração ocorreu especialmente por conta de mudanças nas preferências dos consumidores e da capacidade de adaptação da publicidade. Afinal, em vez de comprar um curso online, por exemplo, você pode comprar um atalho para chegar mais cedo em seu objetivo de carreira.

O papel das experiências de marca na construção de relacionamentos duradouros

Saber oferecer uma boa experiência aos consumidores é um ponto crucial para se destacar no mercado e ter sucesso. Investir em aspectos que melhorem o relacionamento com o cliente permite criar um diferencial competitivo e traz benefícios como aumento da confiança e maior satisfação.

Consequentemente, as chances de as pessoas indicarem a sua marca para conhecidos, potencializando a lucratividade, são bem elevadas. Mas não para por aí. Também é possível melhorar a reputação no mercado a partir dos defensores da marca. Com eles, você acaba simplificando o processo de captação de clientes e reduzindo o CAC.

Por fim, com um relacionamento sólido construído a partir de uma boa experiência, é possível coletar dados que vão ajudar a encantar ainda mais os clientes. Com essas informações, você pode fazer personalizações e adotar estratégias que tendem a gerar ótimos resultados.

Como criar uma experiência única de marca

Ao entender o papel das experiências de marca, sua empresa já sai na frente da concorrência. Porém, é preciso saber como criá-la para encantar o seu público e garantir todas as vantagens que ela pode gerar. Por isso, elencamos várias práticas que podem ser adotadas. Continue lendo e confira!

Use personalização na criação de experiências de marca

A personalização é um ponto importante que deve ser considerado na hora de construir o brand experience da empresa. Esse passo consiste em fazer ofertas e ações que considerem a individualidade de cada consumidor.

Para isso, uma boa dica é manter um histórico de compra e entender o comportamento dos seus clientes. Porém, é preciso ter atenção com a LGPD a fim de evitar problemas com eles.

Além disso, você pode usar conteúdos nas redes sociais para criar relacionamento e demonstrar que sua empresa quer não apenas vender, mas também ajudar os consumidores a resolver os problemas ao longo da jornada de compra.

Adote uma estratégia omnichannel

Para ter uma estratégia omnichannel na empresa, o primeiro passo é compreender quais são os canais mais utilizados pelo seu público-alvo. Nesse sentido, conhecer ele mais a fundo pode ajudar a estabelecer os principais canais em que sua empresa deve marcar presença.

Fazer a integração deles também é um passo importante, pois ajuda a padronizar a comunicação e passar mais confiança ao cliente. Assim, ele se sente seguro para solicitar suporte ou para realizar as aquisições que deseja.

Por fim, lembre-se da dica anterior e, sempre que possível, faça personalizações nas abordagens. Atualmente, existem diversos chatbots que oferecem essa possibilidade mesmo diante da automatização da comunicação da marca.

Torne seus clientes defensores da sua marca

Ter clientes que defendem a sua marca é mais um ponto que deve estar na sua estratégia para conseguir construir um branding forte. Por exemplo, você pode adotar uma estratégia de customer centric para priorizar a jornada do cliente e garantir plena satisfação.

Pense nos fatores que fazem os indivíduos que compram de você ficarem satisfeitos e invista nesse tipo de ação. Para saber mais sobre o que aumenta o nível de fidelização, você pode adotar pesquisas de Net Promoter Score (NPS) e solicitar feedbacks aos clientes.

A partir disso, basta incorporar uma estratégia de melhoria contínua para implementar as sugestões e maximizar o nível de satisfação. Essa prática tende a tornar os clientes defensores da marca, potencializando os resultados.

Crie conexões emocionais

Uma das expressões mais populares do Marketing Digital é de que as pessoas compram de quem elas gostam. Isso significa que construir conexões emocionais é fundamental para trazer o sentimento de envolvimento e reciprocidade com a marca.

Isso pode ser feito por meio da humanização da comunicação, ou seja, trazendo pessoas de verdade para conversar com a audiência, e não apenas um logotipo inanimado. A contratação de influenciadores, por exemplo, é uma abordagem possível para quem deseja criar um relacionamento ainda mais próximo do público.

Já para quem deseja ter mais controle sobre a própria comunicação, é possível trazer membros da própria equipe para as redes sociais, apresentando os produtos, fornecendo dicas e respondendo a perguntas da audiência. Isso contribui para criar conexões reais com os seguidores da marca.

Conforme as empresas reconhecem a importância da experiência de marca em sua estratégia, mais elas tendem a estreitar seus laços com a audiência. Portanto, existe cada vez menos espaço para marcas que ignoram ou desconhecem o papel determinante que a comunicação digital exerce.

Quer saber como desenvolver ótimos designs e conteúdos exclusivos para criar experiência de marca memorável? Então faça um teste gratuito da WriterAccess e venha fazer parte dos nossos 40.000+ clientes satisfeitos!

Saiba tudo sobre Inteligência Artificial Generativa: conheça os cursos do Google

Investir em capacitação na hora de desempenhar suas funções e conseguir encantar os clientes é um passo muito importante para ter sucesso no mercado. Com o avanço das soluções de IA, fazer os cursos de Inteligência Artificial e se desenvolver nessa área se tornou uma demanda urgente e necessária.

Para isso, aproveitar os cursos do Google pode ser uma ótima alternativa para se aprofundar e saber como aplicar essas ferramentas a fim de ter maior produtividade, fazendo entregas cada vez melhores para os seus clientes.

Quer conhecer os principais cursos do Google sobre IA Generativa e ficar por dentro dessa parte da transformação digital? Então, continue a leitura e confira este conteúdo que preparamos especialmente para você!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

A Inteligência Artificial Generativa: o que já mudou na web?

A Inteligência Artificial Generativa vem ganhando espaço e causando vários impactos no mercado. Exemplo disso é uma das ferramentas mais famosas que utiliza essa inovação, o ChatGPT. Segundo relatório do Banco Suíço UBS, esse recurso atingiu 100 milhões de usuários ativos em cerca de 2 meses de existência.

Além dele, surgiram várias ferramentas que ajudam na produtividade e na melhora do desempenho das empresas, como:

  • o Fireflies, que elimina a necessidade de fazer anotações durante as reuniões;
  • o DALL-E 2, que pode ajudar a gerar imagens para as suas estratégias de marketing;
  • o WriterAccess, que ajuda na estruturação, organização e aceleração de conteúdo digital, entre outras tantas.

Aprender como utilizar a Inteligência Artificial na empresa é muito importante para se destacar e conseguir fechar novas parcerias. Para isso, é válido buscar por cursos e conhecimentos a fim de saber como aplicar nas tarefas diárias e aumentar a produtividade.

Como o mercado de trabalho está em relação à Inteligência Artificial?

Conforme a Inteligência Artificial avança e se torna mais presente nos diferentes nichos de mercado, as demandas em seus negócios e a necessidade de se adaptar para manter o seu destaque no mercado de trabalho também surgem.

Por exemplo, é natural que se comece a busca por profissionais que tenham habilidades relacionadas à IA e saibam usá-la de forma criativa para melhorar a produtividade e os resultados entregues.

Segundo dados da Universidade de Stanford e do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), o uso da Inteligência Artificial Generativa pode aumentar em até 14% a produtividade dos trabalhadores.

Porém, saber como usar as ferramentas para isso e com o intuito de fazer entregas adequadas às demandas de mercado é fundamental. Por isso, estudar por meio de cursos gratuitos pode ser útil.

Quais os cursos gratuitos do Google sobre IA?

Saber como usar as soluções de IA Generativa nas suas atividades é um passo importante para aumentar a eficiência. Nesse sentido, contar com os cursos do Google sobre IA é um passo interessante. Apresentamos alguns deles, a seguir. Confira!

Introdução à geração de imagens

Com o curso de introdução à geração de imagens, você vai aprender mais sobre os modelos de difusão, baseados em aprendizado de máquina, para gerar imagens e atender as demandas dos seus clientes.

A partir dele, torna-se possível entender toda a teoria por trás desses modelos e, com isso, saber como treiná-los e implementá-los para desenvolver suas atividades e conquistar mais eficiência. Além disso, ao final do curso, é possível ter uma certificação no seu perfil, o que permite se diferenciar no mercado.

Criação de modelos de legenda de imagens

Outra atividade comum que pode ser automatizada a fim de aumentar o rendimento no trabalho é criar legendas para as imagens. Por meio do curso de criação de modelos de legenda de imagens, você conseguirá desenvolver um modelo de legenda usando aprendizado profundo.

Além disso, vai aprofundar os conhecimentos sobre os mais variados componentes desse modelo, além de aprender a treinar e analisar o que você desenvolveu. Ao concluir o curso, você terá facilidade na hora de legendar as suas imagens.

Mecanismo de atenção

O curso de mecanismo de atenção é relativamente rápido e, com foco, você pode concluí-lo em menos de 1 hora. Nele, você vai aprender técnicas usadas por redes neurais para se concentrar em partes específicas de uma sequência.

Ainda, vai entender melhor como a atenção funciona e de que forma ela pode ser utilizada na intenção de melhorar a produtividade de várias atividades de aprendizado de máquina. Assim, torna-se possível fazer traduções automáticas, resumos e muitas outras tarefas em um tempo bem reduzido.

Introdução ao Generative AI Studio

O Generative AI Studio pode ser utilizado para uma série de tarefas importantes, como geração e personalização de imagens, preenchimento de códigos, tradução de textos e assistência por voz.

Com o curso de introdução ao Generative AI Studio, você vai aprender a usar esse produto na hora de prototipar modelos de IA em seus aplicativos. Além disso, há demonstrações do produto durante o curso, o que proporciona mais didática ao treinamento. Ao final, você ainda pode fazer um quiz para verificar se absorveu o conteúdo visto.

Modelos de transformadores e modelo BERT

Assim como o curso de mecanismo de atenção, o treinamento “modelos de transformadores e modelo BERT” tem duração estimada de menos de 1 hora. O seu foco está em apresentar a arquitetura desses dois modelos, bem como a forma de usá-los em suas tarefas diárias.

Por exemplo, durante o curso você verá aplicações práticas do BERT para aplicar em sua rotina. Assim, pode usá-lo na hora de fazer a classificação de textos, aplicação de inferência de linguagem natural e muito mais.

Esses cursos vão ajudar a aumentar os seus conhecimentos sobre o uso de IA Generativa e elevar a produtividade do seu dia a dia no trabalho. Além disso, geram novas ideias de como usar as principais ferramentas de Inteligência Artificial para trilhar um caminho de sucesso.

Entendeu a importância de realizar os cursos de Inteligência Artificial Generativa do Google? A partir deles, você conseguirá fazer entregas cada vez melhores aos seus parceiros de negócio. Portanto, vale a pena investir um tempo para fazer cada um deles.

Gostou deste artigo e quer continuar aprendendo sobre IA? Então, conheça as principais ferramentas de Inteligência Artificial para o seu dia a dia no trabalho agora mesmo!

Como o AI Content Wizard pode empoderar empresas de educação na produção de conteúdo para blog?

O marketing de conteúdo é essencial para o posicionamento online de qualquer empresa, independentemente do seu segmento de atuação. É ele que vai garantir que sua marca apareça nos resultados de busca quando o usuário fizer alguma pergunta relacionada ao seu negócio.

Sem esse trabalho, sua marca pode ficar completamente dependente da mídia paga, como os anúncios Pay per Click (PPC), o que não costuma ser a melhor estratégia no longo prazo — e é claro que as empresas de educação não fogem dessa regra.

Sua instituição precisa mostrar que é autoridade no assunto e uma melhor opção que a concorrência. Produzir conteúdo de qualidade é essencial para atrair e converter leads, bem como construir relacionamentos com clientes e parceiros.

Por outro lado, essa é uma tarefa complexa e demorada. Você precisa dedicar tempo e esforço para pesquisar tópicos relevantes, escrever artigos atraentes e otimizar conteúdo para mecanismos de pesquisa.

A boa notícia é que, embora acreditemos que um toque humano seja imprescindível, a Inteligência Artificial (IA) pode ser sua grande aliada nesse processo.

A seguir, explicarei como você pode usar a IA para potencializar a produção de conteúdo da sua empresa de educação.

Conheça o AI Content Wizard, ferramenta baseada em IA do WriterAccess

Primeiro, é bom reforçar que existem diversas ferramentas de IA que podem ajudar as empresas de educação na produção de conteúdo. No entanto, para você ter certeza de trabalhar com dados reais e confiáveis, sugiro pesquisar ferramentas de IA projetadas especificamente para auxiliar no SEO e na criação de conteúdo.

Sem dúvidas, minha recomendação é o AI Content Wizard, um recurso de Inteligência Artificial lançado recentemente pela WriterAccess, a plataforma de marketing de conteúdo da Rock Content.

A promessa é simples: ajudar você a encontrar oportunidades de conteúdo e impulsionar a sua produção sem comprometer a qualidade, independentemente do seu nicho ou segmento.

Mas como isso é possível? A resposta também é simples: unindo forças! A ferramenta permite combinar os mais modernos recursos da IA com todo o potencial da criatividade humana.

Com apenas alguns inputs, como o domínio do seu site e a localização do público, o AI Content Wizard realiza uma varredura inicial na web e encontra informações sobre o seu negócio, incluindo:

  • seu setor ou segmento de atuação;
  • seus principais concorrentes nos mecanismos de pesquisa, como o Google;
  • as palavras-chave relevantes, com seus respectivos volume de pesquisa e indicador de dificuldade.

Você também pode fornecer outros detalhes sobre o seu público para receber sugestões de temas que ajudarão a definir o foco da sua estratégia.

Leia também: “Como usar o AI Content Wizard para criar pautas de conteúdo eficientes?”

Depois, separe as sugestões que você concorda, valide-as e, se desejar, solicite sua produção diretamente na plataforma. A ordem de produção é gerada instantaneamente para os redatores humanos da plataforma, e você consegue acompanhar todo o processo até a entrega, recebendo os conteúdos um por um, prontos para validação e publicação no seu blog.

Como o AI Content Wizard pode auxiliar as empresas de educação na produção de conteúdo?

O AI Content Wizard é um grande aliado do marketing educacional, uma vez que a ferramenta é capaz de encontrar lacunas na sua estratégia e entender temas que ainda não foram explorados no seu blog.

Com isso, você agiliza o seu processo de produção de conteúdo, gerando benefícios como:

  • potencialização da produtividade — a ferramenta consegue gerar conteúdo de forma rápida e fácil, economizando tempo e recursos que podem ser direcionados para tarefas mais estratégicas;
  • aumento da qualidade do conteúdo — o AI Content Wizard é baseado em um algoritmo de aprendizado de máquina que foi treinado em um vasto conjunto de dados, incluindo textos e códigos. Ao especificar detalhes do público-alvo — por exemplo, “potenciais alunos de curso de idiomas” e “pais de alunos que estão se preparando para o vestibular” —, é possível obter pautas extremamente relevantes e alinhadas ao foco da sua estratégia;
  • combinação da IA e da criatividade humana — ao inserir apenas algumas informações, você obtém diretrizes precisas e concisas geradas pela Inteligência Artificial. Mas é importante lembrar que a IA está aqui para aprimorar o processo de produção; não para robotizar o conteúdo e comprometer a experiência do usuário (e, consequentemente, os resultados da sua empresa).

É por isso que, na Rock Content, também contamos com um incrível time de redatores humanos, especialistas em educação e outras áreas, que vão elevar a qualidade do seu conteúdo.

Agora que você entendeu como funciona o AI Content Wizard, vamos ver como a IA pode auxiliar empresas de educação na produção de conteúdo? Acompanhe!

Gerando pautas para empresas de educação com o AI Content Wizard

Como o AI Content Wizard funciona na prática? Para explicar isso, usarei o exemplo real de uma escola de idiomas (o nome da instituição não foi divulgado por motivos de confidencialidade). Veja o passo a passo!

1. Primeiro, você precisa inserir o seu domínio e o país em que seu público se encontra:

2. Depois, você vai visualizar alguns concorrentes relevantes para seu negócio:

Como é possível ver no exemplo, a IA identifica o meu setor (Idiomas e Educação) com base no meu domínio e mostra uma lista de potenciais concorrentes:

  • wiseup.com;
  • openenglish.com;
  • englishlive.ef.com;
  • cna.com.br;
  • wizard.com..br.

Aqui você pode selecionar as opções que fazem mais sentido ou adicionar novas. Depois, é só passar para a próxima etapa.

3. Selecione as palavras-chave que façam mais sentido ou adicione novas:

O AI Content Wizard vai gerar uma lista de palavras-chave com base em seus dados e nos seus concorrentes, mostrando também informações sobre o volume de pesquisa e dificuldade de indexação de cada termo.

No exemplo, selecionei as seguintes palavras-chave:

  • abreviatura de thank you;
  • abreviações em inglês;
  • siglas em inglês famosas.

Também incluí a palavra-chave “inglês para negócios” e “inglês para reuniões” porque está alinhada com a estratégia da minha empresa.

4. Forneça mais detalhes sobre seu público:

Para que a IA consiga criar pautas de conteúdo relevantes e atrativas para você, é importante descrever brevemente o seu público-alvo. Vale a pena se perguntar: quem eu desejo alcançar com o conteúdo?

Se você ainda não desenvolveu uma buyer persona ou tem dúvidas sobre seu público-alvo, o WriterAccess oferece outra ferramenta muito útil: o AI Persona Builder.

Você pode usar o AI Persona Builder para obter insights sobre seu público antes de voltar ao AI Content Wizard para concluir suas pautas de conteúdo.

Agora, se você já tem um entendimento claro da sua persona, basta fornecer as informações ao AI Content Wizard e prosseguir para a etapa 5 para visualizar os resultados.

5. Aguarde alguns minutos e veja as ideias prontas para sua estratégia de conteúdo.

O AI Content Wizard sugeriu três temas:

  • Aprenda inglês para negócios e destaque-se no mercado de trabalho;
  • Aprenda inglês com atividades lúdicas e interativas para crianças;
  • Desenvolva habilidades sociais e de comunicação em inglês para adolescentes.

Para cada tópico, a IA me forneceu uma pauta de conteúdo pronta para uso. Você pode marcar as sugestões com as quais concorda ou descartá-las, e inclusive solicitar novas ideias. Em seguida, basta clicar em “próximo” para seguir com a produção. Você tem a opção de salvar a pauta para escrever o conteúdo internamente ou fazer um pedido para um dos 15.000 redatores do base de talentos do WriterAccess.

Fácil e prático, não é mesmo? Então, chegou a hora de explorar outros exemplos de como as empresas de diversos segmentos da educação podem aproveitar o AI Content Wizard para criar boas pautas!

Para faculdade e universidades:

  • atração — criação de artigos variados sobre tendências de carreira, dicas de estudo e informações sobre carreira;
  • consideração e decisão — informações sobre os cursos oferecidos e seus diferenciais.

Para escolas de idiomas:

  • atração — geração de conteúdo sobre como aprender um novo idioma e dicas de pronúncia;
  • consideração e decisão — informações sobre metodologias de ensino, destacando os principais diferenciais da sua escola de idiomas.

Plataformas de educação online:

  • atração — criar conteúdo sobre diversos temas educacionais, a exemplo de como escolher uma faculdade ou como se preparar para uma entrevista de emprego;
  • consideração e decisão — conteúdos sobre as vantagens da educação a distância e dos cursos oferecidos.

Para instituições de Ensino Fundamental e Médio:

  • atração — escolher a melhor universidade para seu filho ou como ajudar seu filho com dificuldades em matérias específicas;
  • consideração e decisão — conteúdos sobre os valores e diferenciais da sua instituição.

Conclusão

Como vimos, o AI Content Wizard é uma poderosa ferramenta deixar sua produção de conteúdo mais eficiente. Oferecemos diversos recursos personalizáveis, de modo a atender às necessidades específicas de diferentes segmentos da área educacional, considerando a jornada do consumidor.

Além de aumentar significativamente a produtividade da sua equipe de marketing, você melhora a autoridade da sua marca, posicionando-a como uma empresa educacional de referência, que domina os assuntos relacionados ao seu segmento.

Deseja aprimorar ainda mais a sua estratégia de conteúdo? Confira outros recursos de IA do WriterAccess, como o Gerador de Persona, Gerador de Ideais, Sentiment Score e Edição Humana para Conteúdo criado por IA.

Uma última dica: o WriterAccess oferece um teste gratuito de 14 dias para você conhecer a plataforma. Clique aqui para saber mais!

Google Core Update de outubro: O que sabemos até agora e como estamos encarando

Já não bastava a atualização principal de março, de agosto e o Helpful Content de setembro, o Google anunciou oficialmente mais uma atualização do algoritmo principal, dois meses apenas após sua atualização: o Google Core Update de outubro.

Sim! Nem todas as atualizações principais vão ganhar nome, afinal o algoritmo está sendo atualizado com mais constância do que antes.

E se essa notícia pegou você de surpresa (e você não assina a The Beat), provavelmente o tráfego do seu site já deve estar sofrendo. Profissionais de marketing e empreendedores preparados e conectados com o que há de novo no marketing de conteúdo, não ficam ansiosos a cada boletim do Google, pois já entregam conteúdo de qualidade para a sua buyer persona.

Você queria um resumo do que eu vou abordar nesse artigo? É simples: produção de conteúdo de qualidade para a sua buyer persona!

Neste artigo, mergulhamos no que sabemos até agora sobre essa atualização de outubro e como a Rock Content encara core updates do algoritmo do Google. Se você deseja estar um passo à frente nas estratégias de SEO e compreender os possíveis impactos dessa mudança, continue lendo.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

O que é o Google Core Update de outubro?

Em 05/10 o Google anunciou oficialmente mais uma atualização principal do algoritmo. Isso significa que o Google fez uma nova revisão significativa em seu algoritmo de classificação de resultados de pesquisa, com o objetivo de aprimorar a qualidade das informações disponíveis na web.

Tweet do Google Search Central do Google falando sobre a atualização do algoritmo principal em outubro.

Fonte: Twitter

O anúncio aconteceu no X, divulgando que o prazo de término da distribuição dessa atualização é de duas semanas, segundo a empresa.

Quais os possíveis impactos desta nova atualização principal?

É difícil prever qual é o foco dessa atualização, quando o Google não divulga mais detalhes. No caso do Helpful Content, o artigo dando detalhes sobre a atualização foi publicado junto com o anúncio na página de incidentes.

Google Search Status: status das atualizações do buscador.
Fonte: Google

No anúncio desta nova atualização principal, a página anexada leva para a página que explica o que são as atualizações principais.

Para piorar a situação, outra atualização está acontecendo ao mesmo tempo: Atualização sobre spam de outubro de 2023. Esse fato dificulta a análise de especialistas, pois o impacto no tráfego poderá ser em decorrência de qualquer uma das atualizações.

O que podemos tentar fazer é conjecturar o foco da atualização principal de outubro, observando as comunicações prévias. Por exemplo, dá só uma olhada a seguir na linha do tempo de comunicados do Helpful Content Update:

2022Como criar conteúdo útil, confiável e que prioriza as pessoas: criou-se a página sobre conteúdo útil e não é dessa época que o Google fala sobre a priorização do leitor na criação de conteúdo.

18/08/2022 – artigo sobre “O que os criadores de conteúdo precisam saber sobre a atualização de conteúdo útil de agosto de 2022 do Google”.

19/04/2023O papel da experiência na página na criação de conteúdo útil: o assunto sobre conteúdo útil voltou neste artigo, mesmo quando o assunto focava em experiência na página.

14/09/2023Sistema de conteúdo útil da Pesquisa Google e seu site: e finalmente veio o comunicado da atualização.

Agora, se observarmos os comunicados do Google em paralelo aos comunicados sobre conteúdo útil e spam, temos:

15/12/2022Nossa última atualização das diretrizes para avaliadores de qualidade: o E-A-T recebe um E adicional de Experiência.

19/04/2023 – já falei sobre o artigo “O papel da experiência na página na criação de conteúdo útil” trazendo para os relatórios do Google Search Console novidades sobre experiência do usuário.

10/05/2023Apresentação da INP para as Core Web Vitals: anúncio da empresa sobre uma grande mudança nos Core Web Vitals, trocando FID por INP.

05/10/2023 – October 2023 core update: anúncio desta atualização principal, com os mesmos cinco meses entre um artigo e a atualização do Helpful Content.

Será que veremos uma atenção maior para a experiência do usuário nos próximos anos? Essa é apenas uma conjectura, mas a verdade é que a experiência já tem impactado o SEO e não estão olhando para isso como deveriam.

Como a Rock Content encara atualizações do algoritmo do Google?

Conteúdo de qualidade para a buyer persona

A primeira coisa que eu preciso te falar é que os Rockers não tremem frente aos anúncios de atualizações do Google. Isso porque, mesmo a Rock produzindo conteúdo em grande escala, nós estamos concentrados em qualidade.

E as atualizações de buscadores nada mais são que um incentivo para todos nós organizarmos a informação. Para isso, a informação precisa ser: confiável, acessível e agradável para o usuário absorver.

Exemplo disso na nossa operação são o sistema de avaliação dos nossos talentos que traz o feedback de empreendedores e especialistas para aprimorarmos os conteúdos. E a capacitação do nosso time que não para de formar os melhores profissionais do mercado.

Observando tendências no marketing de conteúdo

Apesar de focarmos na qualidade do texto, outros elementos técnicos que surgem com as atualizações do Google, vão nos capacitando para elevarmos o desempenho dos blogs que gerenciamos.

Por exemplo, há alguns anos atrás não se olhava tanto para atualizações de conteúdo antigo quanto hoje. Blogs maduros tendem a possuir artigos fundamentais para o tráfego, mas que passam dos dois anos de existência. Com o tempo, se não forem atualizados, eles perderão relevância, pois o Google entende que aquela informação está defasada.

Hoje em dia, atualizações são uma prática comum na nossa estratégia de conteúdo.

Os Rockers produzem conteúdos, criam treinamentos e webinars, testam novas estratégias e para isso, consumir novidades e estar atento a tendências faz parte da nossa rotina. E olhar para as atualizações do Google, nada mais é que um sinal para onde devemos prestar atenção.

A dica de ouro aqui é você antecipar essas atualizações principais, monitorando a volatilidade do tráfego da web.

Apostar em experiência

Eu sou o “chato da experiência do usuário” e me incomoda profundamente os blogs que demoram para carregar, enchem a minha tela de pop-up ou possuem defeitos de usabilidade. Certa feita estava lendo um conteúdo de blog e percebi o texto subindo sozinho. Como é que essa empresa quer que eu continue no seu blog?

E com certa frequência, os consultores da Rock observam melhorias em experiência e em SEO técnico que precisam de atenção, caso contrário não há conteúdo milagroso que salve.

Uma das formas que a Rock encontrou para inovar em experiência, é mudar a forma como o conteúdo é consumido. Com conteúdos interativos nós entregamos engajamento e conexão com o público.

Então o que podemos dizer que aprendemos depois dessa leitura? Que o Core Update do Google não é um bicho de sete cabeças.

Lembre-se de monitorar tendências, antecipar atualizações e acompanhar a volatilidade do tráfego. O resumo deste texto destaca a importância de permanecer ágil e centrado na qualidade em um ambiente de SEO em constante evolução. Nos vemos na próxima atualização!

Quer continuar atualizado com as melhores práticas de Marketing? Então se inscreva na The Beat, a newsletter interativa da Rock Content. Lá, você encontrará todas as tendências que importam no cenário do Marketing Digital. Vejo você lá!

Gerenciamento de agências com base em dados: como implementar na prática?

Confesso que nunca fui a maior fã dos números. Quando comecei meu curso superior, um dos motivos que me levaram a escolher comunicação foi a crença de que esse seria um ótimo caminho para alguém que não se sentia confortável com cálculos – um equívoco típico de uma jovem universitária.

No entanto, à medida que continuei estudando e me aprofundando na área, fui entendendo que os números são verdadeiros aliados em qualquer planejamento. Afinal de contas, como saber se estou no caminho certo sem conseguir mensurar os resultados? 

Gerenciamento de agências com base em dados

Bem, entender a importância dos números e dados é uma coisa. Se sentir confiante trabalhando com eles é outra bem diferente.

Foi ao longo dos últimos oito anos trabalhando em agências e assessorias de comunicação, que percebi que não estou sozinha nessa jornada. De acordo com uma pesquisa da Qlik, apenas 24% dos tomadores de decisão se sentem confiantes em sua capacidade de usar dados.

Mas não precisa ser assim. 

Neste artigo, quero compartilhar um pouco sobre o que fiz para superar minhas limitações com números e me tornar uma profissional totalmente data-driven, e aplicar isso no gerenciamento de agências.

Também vou te mostrar como você pode fazer o mesmo e, se quiser, como ter uma ajuda extra com softwares de gerenciamento exclusivos para agências.

Vamos lá?

Por que e como utilizar os dados no gerenciamento da minha agência?

Entre os erros mais comuns observados em agências, destacam-se a falta de assertividade na definição de preços pelos serviços oferecidos e os desafios em dividir os custos operacionais, o que acaba prejudicando a estabilidade da projeção financeira.

Além disso, a dificuldade em medir determinados dados e a falta de compartilhamento de informações entre as equipes também contribuem para situações desafiadoras. 

Em meio a esse mar de informações, estabelecer métricas e, consequentemente, mensurá-las e usá-las na tomada de decisão, não é uma tarefa tão simples. 

São diversas demandas simultâneas, vários colaboradores em um único projeto e, frequentemente, prazos apertadíssimos. 

Gerenciamento de agências com base em dados

Organizar o fluxo de trabalho e tornar os dados gerenciáveis oferece a oportunidade de tomar decisões mais assertivas, investir tempo e recursos na otimização de processos e no crescimento da agência.

E os números falam por si: de acordo com o relatório Insights-Driven Businesses Set the Pace for Global Growth, empresas que adotam uma abordagem orientada por dados registram um crescimento anual superior a 30%.

E como driblar as dificuldades comuns na maioria das agências e fazer uma gestão de dados eficiente para tomada de decisões mais assertivas? É aí que a implementação de um software pode ser de grande auxílio.

A adoção de um sistema focado na gestão de agências pode contribuir para:

  • Automatização de processos.
  • Melhoria na tomada de decisões.
  • Controle financeiro.
  • Aprimoramento da gestão de equipe.
  • Melhoria na relação com o cliente.
  • Segurança no armazenamento de dados.
  • Escalabilidade.

Foram incontáveis os perrengues que passei tentando mensurar dados de forma eficaz e estabelecer metas claras em minha trajetória profissional. 

Quando entrei em contato pela primeira vez com o Studio, em 2019, a primeira coisa que pensei foi: “Como teria sido bom conhecer essa ferramenta mais cedo”.

Através dele, descobri uma maneira de enxergar novas oportunidades, deixando de lado minha insegurança e mergulhando de cabeça no universo da análise orientada por dados.

Gerenciamento de agências com base em dados

Tornando a gestão pautada em dados ainda mais simples

Bem, o Studio nada mais é do que um software específico para gestão de agências que engloba todos os setores em um mesmo lugar. 

Através do cruzamento de dados, com mais de 40 relatórios disponíveis, ele traz a possibilidade de visualizar de forma clara algumas situações que, normalmente, consideramos quase impossível de serem mensuradas.

Vou dar alguns exemplos:

Metrificação de tempo investido em cada demanda

Nem sempre o tempo investido em um projeto pode ser mensurado com precisão, o que torna o planejamento mais complexo e pode resultar em uma precificação abaixo do custo real.

É por isso que uma das funcionalidades que eu mais gosto dentro do Studio é o timesheet, que calcula de forma simples e precisa quanto tempo um colaborador dedica a cada etapa do projeto.

Gerenciamento de agências com base em dados

Quem nunca concluiu que uma peça de design pudesse ser feita “rapidinho”, só para descobrir que era muito mais complexa do que o esperado, com inúmeras solicitações de ajustes por parte do cliente?

Alias, a refação também pode ser contabilizada no sistema, o que possibilita um acordo entre a agência e o cliente, estabelecendo um limite para o número de refações ou cobrando por elas.

Dessa forma, você pode garantir a otimização do trabalho da sua equipe e, por meio de relatórios, como a duração das atividades e o número de refações mensais, automatizar ainda mais seus processos.

Cálculo de custo em um projeto, levando em conta o valor por hora dos colaboradores envolvidos

Outra dificuldade comum dentro de agências é, ao determinar tarefas, estipular o time envolvido.

Normalmente, avaliamos a senioridade e o número de demandas. Mas até que ponto o custo de cada profissional pode influenciar na precificação de um projeto?

Por exemplo, atribuir determinadas tarefas aos colaboradores juniores pode resultar em economia de custos, permitindo que os colaboradores seniores desempenhem funções mais estratégicas em outros projetos. 

Distribuindo de forma estratégica as tarefas para os colaboradores, é mais fácil aumentar a quantidade e/ou nível de qualidade das entregas, e tudo isso pode ser medido por meio de relatórios dentro do Studio, como o “Duração de Atividades X Custo”.

Gerenciamento de agências com base em dados

Análise de quais clientes e projetos demandam mais tempo da equipe

Quem trabalha com atendimento sabe que sempre haverá aqueles clientes que demandam um pouco mais. Pedem mais ajustes, demoram um pouco mais para aprovar e acabam consumindo um tempo maior do que o inicialmente planejado para a execução do projeto. 

Por isso, um dos meus relatórios favoritos é o Ranking de Clientes, que me permite analisar em quais clientes minha equipe investe mais tempo e se, de fato, esse cliente tem sido lucrativo.

Gerenciamento de agências com base em dados

Comunicação direta com o cliente dentro da própria plataforma

Tendo a otimização de tempo como um dos principais fatores na busca pelo gerenciamento pautado em dados, a integração entre departamentos é um diferencial ímpar. 

No entanto, essa estratégia não deve se limitar apenas aos departamentos, mas também à comunicação com os clientes.

Economizar horas esperando por uma resposta no WhatsApp, um simples “ok” por e-mail ou até mesmo uma reunião exclusiva para aprovação ajuda – e muito – a consolidar processos. 

O Módulo de Comunicação com o Cliente oferece a possibilidade de envolvê-los no fluxo de trabalho da sua equipe, permitindo que eles aprovem ou solicitem ajustes diretamente pela plataforma.

O gerenciamento de agências com base em dados é mais que uma opção

Em um cenário onde qualquer erro pode ter um impacto significativo no seu negócio, e os riscos precisam ser cada vez mais reduzidos, tomar decisões baseadas em dados, em vez de confiar apenas em achismos, não é mais uma opção. É uma necessidade!

Investir em um software que auxilie na gestão baseada em dados é escolher trilhar um caminho em direção ao crescimento, tendo segurança em suas ações.

Você deseja começar a usar dados consistentes em sua estratégia de forma simples e eficiente? Solicite uma demonstração gratuita com um de nossos especialistas.

Um dia na vida de um expert em SEO na Rock Content: O que uma especialista em SEO faz?

Imagine isto: alguém relaxando na praia, olhando casualmente para o computador e enviando alguns e-mails.

Bem, isso está longe de ser a rotina diária de um especialista de SEO na Rock Content, ou em qualquer outro lugar!

Eu adoraria contar tudo sobre meu trabalho, mas isso seria um e-book completo! Então, vamos nos concentrar nas tarefas principais.

Aqui está uma prévia do dia a dia de um especialista em SEO da Rock Content. Prepare-se para uma jornada divertida!

O que um especialista em SEO faz em geral?

Para começar, vamos nos aprofundar em algumas das tarefas que os especialistas em SEO normalmente realizam. Aqui está uma lista de 10 responsabilidades comuns:

  • Pesquisa de palavras-chave: identificação de palavras-chave relevantes para direcionar as atividades de conteúdo e otimização.
  • Otimização on page: otimização de páginas da web, incluindo meta tags, títulos e conteúdo, para mecanismos de pesquisa.
  • Criação de conteúdo: desenvolvimento de conteúdo de alta qualidade compatível com SEO para melhorar as classificações e envolver o público.
  • Link Building: adquirir backlinks de qualidade para aumentar a autoridade e visibilidade de um site.
  • SEO técnico: melhorar o desempenho do site por meio de tarefas como melhorar a velocidade do site, compatibilidade com dispositivos móveis e marcações de Schema.
  • Análise da concorrência: estudar as estratégias dos concorrentes e identificar oportunidades de melhoria.
  • Análises e relatórios: monitoramento do desempenho do site, tráfego e métricas de SEO para acompanhar o progresso.
  • Atualizações de algoritmo: manter-se informado sobre as mudanças no algoritmo do mecanismo de pesquisa e adaptar as estratégias de acordo.
  • Auditorias de SEO: realização de auditorias abrangentes para identificar e resolver problemas que afetam a classificação e o desempenho do site.
  • SEO local: otimização para pesquisa local para melhorar a visibilidade de consultas geográficas específicas e atrair clientes próximos

Mas e quanto a mim?

Como você pode ver, um especialista de SEO costuma fazer muita coisa. Então, neste blog, vou me aprofundar nas principais tarefas que ocupam meus dias como uma das responsáveis pelo blog em inglês da Rock Content.

Bem, elas são uma verdadeira montanha-russa.

Essas tarefas são espalhadas ao longo do mês. Executar tudo em um único dia? Missão Impossível!

Mas bem, o título deste artigo é “Um dia na vida de uma especialista em SEO da Rock Content” e não sou uma pessoa de quebrar promessas.

Então, que tal usamos um pouco de imaginação? Vamos imaginar um dia que magicamente se estende por 176 horas — essa é a média de horas que aloco no trabalho todos os meses.

Com imaginação ilimitada, posso compartilhar mais sobre minha rotina de SEO. Vamos lá!

Começando o dia com pesquisa de palavras-chave

Responsável pelo conteúdo perene do nosso blog, minha colega de equipe de SEO e eu temos um canal no Slack onde discutimos ideias de tópicos.

Nós nos inspiramos nos concorrentes, acompanhamos as discussões de vendas e pensamos sobre o que nossa buyer persona gostaria de ler.

Quando chega a hora de planejar nosso calendário editorial, entro nesse canal e começo a pensar em palavras-chave relacionadas aos tópicos que adicionamos.

Em seguida, recorro ao SEMrush para verificar, por exemplo, quão difícil é classificar essas palavras-chave (nível de dificuldade das palavras-chave), quantas pesquisas elas geram (seu volume de pesquisa) e por que as pessoas as procuram (sua intenção de pesquisa).

Também procuro outras palavras-chave e frases relacionadas que possamos usar em nosso conteúdo.

Outra ferramenta que considero útil é AnswerThePublic, que informa quais perguntas as pessoas estão fazendo sobre palavras-chave específicas.

Além disso, conto com pesquisas básicas do Google para obter insights. Presto muita atenção às sugestões de preenchimento automático que aparecem enquanto digito, e o recurso “As pessoas também perguntam” é ótimo.

Tudo isso me ajuda a compreender melhor as dúvidas que nosso público possa ter e como trabalhar para respondê-las.

Com todas essas informações, planejo nosso calendário editorial e decido qual conteúdo será criado.

Criação e gerenciamento de conteúdo para animar a manhã 

Posso decepcioná-lo um pouco ao dizer que, na verdade, não criamos a maior parte do nosso conteúdo. Embora nós criemos alguns, assim como o artigo que você está lendo agora.

Seria muito difícil gerar a quantidade atual de conteúdo se fizéssemos tudo internamente.

Em vez disso, elaboramos briefings de conteúdo e os enviamos aos nossos redatores de confiança no WriterAccess.

Leia também: Escalando a produção de conteúdo na Rock Content: nosso processo explicado passo a passo

Passado um tempo no WriterAccess

Não vou me aprofundar nos detalhes do processo de criação de nossos briefings de conteúdo, já que existem alguns artigos sobre isso (como este), mas encorajo você a aprender mais sobre isso.

Ultimamente, o jogo tem mudado com o lançamento do AI Content Wizard, mas o toque humano ainda é essencial.

Em nosso marketplace de conteúdo, WriterAccess, faço pedidos e gosto de entrar em contato com nossos talentosos redatores.

Eu forneço feedback em cada uma de suas peças e solicito revisões quando o conteúdo não atingir os padrões de qualidade da Rock Content.

Leia também: 5 maneiras de utilizar o AI Content Wizard para aprimorar suas campanhas

Hora do WordPress

Quando o conteúdo parece bom e precisa apenas de alguns ajustes, eu o copio para o WordPress e mergulho em mais técnicas de SEO on page, além da pesquisa de palavras-chave.

Isso inclui coisas como elaboração de metadados, incorporação/otimização de elementos multimídia, verificação da frequência das palavras-chave e revisão dos links no conteúdo.

Usamos WordPress e ele é útil porque podemos conectar ferramentas como o Yoast para obter dicas sobre como melhorar a legibilidade e tornar o conteúdo mais amigável para SEO.

No entanto, ferramentas como essas não cuidam de tudo sozinhas, e um bom conhecimento linguístico e de SEO são essenciais para qualquer profissional de marketing que lide com conteúdo.

Viagem no tempo de conteúdo

No mundo do SEO, simplesmente publicar novo conteúdo não é suficiente; temos que dar um pouco de atenção às coisas antigas também.

Atualizar nossos artigos mais antigos é uma forma de mostrar aos nossos leitores que estamos comprometidos em fornecer-lhes conteúdo de primeira linha.

E não se trata apenas de deixar nossos leitores felizes; trata-se também de permanecer relevante e atender à intenção de pesquisa do nosso público para obter uma classificação mais elevada no SERP. Honestamente, acho essa tarefa bastante agradável.

É como uma caça ao tesouro, onde identifico áreas que precisam ser melhoradas, adiciono novos insights, verifico os fatos e melhoro a gramática e a legibilidade.

Não vou mentir, fazer uma reforma completa em um artigo pode consumir muito tempo. Houve uma vez em que investi cinco horas inteiras renovando um artigo de 2016. Não pude deixar de me perguntar se começar do zero teria sido mais rápido.

Para economizar tempo, temos um truque na manga: as quick wins. São mini-reformas que não levam mais de uma hora.

Normalmente me concentro em melhorar os metadados, refinar a gramática, otimizar o uso de palavras-chave e imagens e adicionar novos CTAs que se alinhem com nossa estratégia atual.

Nossos esforços para atualizar o conteúdo têm valido a pena. Basta dar uma olhada abaixo. Quando comparamos as estatísticas de tráfego de um artigo antes e depois de uma atualização completa ou de uma quick win, os resultados são empolgantes.

Um aumento colossal de 529,59% no tráfego definitivamente vale os poucos minutos a algumas horas que investimos.

O que uma especialista em SEO faz? (Quick Wins)

O que uma especialista em SEO faz? (Quick Wins)

Quick wins e atualizações 

Algumas auditorias de SEO após o almoço

Resolver problemas é minha especialidade, como você já sabe. Não é gratificante ver coisas quebradas voltando à vida?

Além das questões de conteúdo mencionadas na seção anterior, como parte de nossa rotina, abordamos aspectos mais técnicos como:

  • Conteúdo duplicado: identificar e resolver problemas de conteúdo duplicado no site.
  • Erros de rastreamento: resolver erros de rastreamento, como links quebrados e páginas 404.
  • Otimização para dispositivos móveis: certificar-se de que o site seja responsivo e compatível com dispositivos móveis.
  • Marcações de Schema: implementar dados estruturados para aprimorar rich snippets nos resultados de pesquisa.
  • Estrutura de URL: verificar e otimizar a estrutura de URL para compatibilidade com SEO.
  • Arquivo Robots.txt: revisar e otimizar o arquivo robots.txt para indexação adequada.
  • Tags canônicas: implementar tags canônicas para resolver problemas de conteúdo duplicado.
  • Lacunas de conteúdo: identificar lacunas no conteúdo e desenvolver uma estratégia para preenchê-las.

Ultimamente, meus colegas de equipe e eu temos dedicado mais tempo para resolver problemas de indexação, principalmente erros 404.

O que uma especialista em SEO faz? (Google Search Console)

O que uma especialista em SEO faz? (Google Search Console)

Problemas de indexação do Google Search Console

Ele ocorre quando um usuário ou mecanismo de busca tenta acessar uma página da web que não existe ou foi removida, resultando em um erro de “página não encontrada”.

Se não for corrigido, pode impactar negativamente a rastreabilidade de um site e o desempenho geral de SEO. Para resolver isso, implementamos centenas de redirecionamentos.

O que uma especialista em SEO faz? (Erros 404)

O que uma especialista em SEO faz? (Erros 404)

Redirecionamentos para corrigir erros 404

E que tal algumas métricas na hora do lanche?

Como especialista em SEO, devo ter o Google Analytics e o Google Search Console como melhores amigos (no mínimo).

Não há espaço para jogos de adivinhação. Os profissionais de marketing em geral precisam contar com dados para planejar suas próximas etapas.

Alguns dos dados que fico de olho incluem:

  • Tráfego do nosso blog em relação às metas mensais e trimestrais.
  • O desempenho de novos artigos em termos de tráfego.
  • Desempenho do tráfego após atualizações e quick wins.
  • O número de sessões de usuários norte-americanos (o mercado que almejamos).
  • O número de conversões (usuários que clicaram no link de teste do WriterAccess) e as páginas de onde vieram.
  • Comportamento de palavras-chave (volume e qualidade de palavras-chave novas, perdidas, melhoradas e recusadas).
  • Nossas páginas de melhor desempenho.
  • Sessões e testes originados de backlinks.

Nós compartilhamos e discutimos essas métricas em reuniões mensais onde planejamos os próximos passos.

Respondendo aos parceiros enquanto o sol se põe

A divulgação de contatos é parte integrante da minha rotina na Rock Content.

Não vou mentir, na maioria das vezes, os parceiros vêm até nós em busca de colaborações, e eu dedico um bom tempo do meu dia pesquisando e respondendo esses e-mails.

Alguns já fizeram parceria com a Rock Content no passado e nos enviam um e-mail solicitando novas colaborações, como é o caso da HubSpot:

O que uma especialista em SEO faz? (Guest Post)

O que uma especialista em SEO faz? (Guest Post)

E-mail de um parceiro

Nestas circunstâncias, é super simples. Estamos cientes de sua reputação, estamos acostumados a vincular seu conteúdo e a colaboração flui sem problemas.

Por outro lado, muitos especialistas desconhecidos em SEO entram em nossos DMs, todos com um: “Ei, quer trocar links?” Bem, é aí que colocamos nossos chapéus de detetive e começamos a trabalhar!

Em primeiro lugar, precisamos ter certeza de que eles não estão envolvidos em nenhum esquema sorrateiro de link building. Em seguida, verificamos o domínio deles — será que ele tem alguma autoridade séria? O conteúdo deles está alinhado com o nosso? Temos alguns interesses comuns nas palavras-chave?

Há casos em que nos deparamos com sites que nos são totalmente desconhecidos. Por exemplo, recentemente tivemos uma proposta de criação de links para um blog sobre o qual não conseguimos coletar dados, e as pontuações de autoridade do site ficaram abaixo do limite (<40).

Nesse caso, respondo aos e-mails agradecendo o contato e explicando que o domínio deles não atende aos nossos critérios para troca de links. Não é pessoal, é apenas uma questão de manter nossos padrões e qualidade no processo de link building.

O processo de troca de guest post segue um padrão semelhante, mas tende a ser mais demorado.

Começa por identificar os melhores parceiros, utilizando critérios semelhantes aos do link building, mas com um pouco mais de rigor.

Em seguida, elaboramos conteúdo para outro blog de acordo com suas diretrizes específicas e aguardamos pacientemente sua revisão e publicação.

O que uma especialista em SEO faz? (Guest Post)

O que uma especialista em SEO faz? (Guest Post)

E-mail de guest post para parceiro 

No nosso caso, seguimos o mesmo processo. No entanto, não é incomum recebermos artigos de convidados que não estejam alinhados com nossas diretrizes. Como resultado, nosso processo de revisão tende a ser mais exigente.

Um cafézinho com meus colegas de equipe

Nossas rotinas diárias podem parecer muito parecidas, mas você sabe como é: cada um tem seu ponto de vista.

Então, me antecipei e perguntei aos meus colegas: “Como é um dia normal de trabalho para você como especialista de SEO na Rock Content?” Aqui está o que eles compartilharam:

“Normalmente, minhas manhãs como especialista em SEO começam conduzindo pesquisas de palavras-chave e criando conteúdo enquanto minha mente ainda está fresca. Depois que meus motores estão funcionando, dedico algum tempo para analisar nossos resultados semanais e descobrir o que está funcionando e o que precisa ser melhorado. Algumas tarefas técnicas também podem surgir aqui e ali, como resolver problemas sinalizados pelo Google Search Console. Embora SEO seja uma questão de consistência e rotina, nossos dias na Rock Content são muito dinâmicos. Estamos constantemente colaborando com equipes como Growth e Product, para entender melhor a intenção e a experiência de pesquisa do usuário e alinhá-las aos nossos objetivos de negócios.” Júlia Araújo.

“Minha rotina como especialista em SEO normalmente envolve verificar os números do Analytics pela manhã, avaliar as tarefas da semana e estabelecer prioridades. Apesar de termos uma rotina muito constante com nosso calendário editorial, às vezes surgem novidades de SEO — como atualizações do Google, por exemplo — e preciso dar uma olhada nesses pontos, discutir, analisar e compartilhar com a equipe. Então, resumindo, a rotina é feita de muitas tarefas, mas meus dias nunca são exatamente iguais.” Diana Martins.

Júlia trouxe algo muito importante: colaborar com outras equipes. Isso é realmente muito importante para nós e muitas vezes leva a ótimos resultados.

Por exemplo, deixe-me contar sobre este checklist que elaborei com a equipe de crescimento. Eles foram encarregados de criar a página de destino para download do material e usaram alguns truques inteligentes de marketing por e-mail para promovê-lo.

Adivinha o que aconteceu? Conseguimos impressionantes 740 downloads em apenas um mês e 8 MQLs. Quão legal é isso?

Diana também destacou a necessidade de ficarmos por dentro das últimas notícias que podem impactar nosso trabalho (e acredite, isso acontece de vez em quando). Ela até escreveu sobre a atualização principal mais recente do Google, lançada no mês passado.

Algumas observações antes de chegar minha hora 

O tempo está passando e está quase na hora de encerrar o dia. Espero que você tenha se divertido conhecendo um dia na vida de uma especialista em SEO da Rock Content.

Se você também faz parte dessa área emocionante, estou curioso para saber se nossas rotinas estão alinhadas.

E se você está pensando em mergulhar no mundo do SEO, espero que este artigo tenha lhe inspirado ou pelo menos esclarecido se essa é sua praia ou não.

Apenas um rápido lembrete: este não foi um tutorial passo a passo e peço desculpas se era isso que você esperava. Mas ei, sem ressentimentos, certo? Eu nunca prometi um tutorial para começo de conversa.

Uma coisa que quase esqueci de mencionar é que, além de nossas tarefas habituais, nós, profissionais de SEO da Rock Content, ocasionalmente temos a chance de brilhar em webinars ou criar vídeos para redes sociais.

É uma oportunidade fantástica de aparecer e colocarmos nosso conhecimento à prova.

O que uma especialista em SEO faz?

Antes de me despedir, quero enfatizar a importância do trabalho em equipe e da colaboração. É algo muito importante aqui na Rock Content e, como especialistas em SEO, não podemos fazer tudo sozinhos.

E não vamos esquecer o WriterAccess, o herói anônimo que simplifica nossas vidas. A propósito, se sua empresa precisa de um processo de produção de conteúdo mais tranquilo, convido você a experimentar com um teste gratuito de 14 dias.

Bem, é isso, pessoal! Sem horas extras por hoje.

As melhores práticas para trabalhar com freelancers pelo WriterAccess

Ninguém nunca disse que o trabalho em equipe é simples. Mesmo quando os colegas são descontraídos e amigáveis, em algum momento, é provável que você encontre diferenças de pensamento ou métodos de execução para uma determinada tarefa.

Quando se trata de equipes terceirizadas, como freelancers e consultores, a comunicação e o engajamento podem ser questões ainda mais complexas. Provavelmente, você não terá o mesmo contato direto que teria com uma equipe interna, e ambos os lados precisarão fazer um esforço adicional para fazer os processos funcionarem.

No entanto, são justamente as perspectivas diversas que tornam a colaboração em equipe tão valiosa e eficiente. Queremos todas as mãos e todos os pontos de vista diferentes que pudermos obter para entregar a melhor versão possível de um projeto. Profissionais terceirizados podem oferecer tudo isso e muito mais.

Felizmente, ao mantermos um marketplace com mais de 15.000 freelancers ao longo dos anos, aprendemos bastante sobre esse tipo de trabalho. A seguir, vamos aprofundar os detalhes da elaboração de briefings, orientação e gestão de freelancers para garantir entregas de alta qualidade toda vez, reduzindo a necessidade de revisões e retrabalhos. Confira!

Entendendo as metas e expectativas do projeto

Uma boa gestão de projetos, independentemente que seja metodologia Ágil, Cascata, Scrum, entre outras, requer a construção de uma base sólida, entendendo claramente seus objetivos e expectativas.

Quando se trata de terceirizar um projeto de conteúdo, esse princípio ainda se aplica. Definir o propósito principal do projeto e objetivos específicos serve como a base para uma comunicação eficaz com seu redator freelancer. Isso alinha as expectativas de ambas as partes, garantindo que as entregas atendam a elas (ou fiquem bem próximas).

Já aqueles detalhes mais minuciosos, como volumes desejados de tráfego ou ROI projetado a partir de um único conteúdo, podem não ser necessários para seu redator freelancer.

No entanto, como representante da marca ou gerente de conteúdo, ter essa visão é essencial. Isso permite que você estabeleça expectativas realistas e, mais importante ainda, evite frustrações futuras.

Neste estágio, você deve ter um escopo de projeto bem definido, prazos realistas e um orçamento estabelecido.

Esses elementos fundamentais servirão como um norte conforme você evolui na elaboração de briefings para redatores e na seleção cuidadosa dos profissionais freelancers ideais para atender às necessidades específicas do seu projeto.

Elaborando um briefing de conteúdo claro

Criar um briefing de conteúdo abrangente é uma habilidade que pode ter um impacto significativo no resultado do seu projeto de redação com freelancers. Um briefing bem elaborado não só assegura que suas expectativas sejam atendidas, mas também ajuda os redatores a produzirem conteúdo que esteja alinhado com a sua visão.

Embora tenhamos detalhado cada etapa do processo de briefing em nosso artigo sobre esse tema, em resumo, ele deve conter:

  • Informações básicas: tema principal, data de entrega e extensão;
  • Detalhes sobre a empresa e a marca;
  • Objetivos e expectativas principais;
  • Mensagem central e CTA;
  • Público-alvo;
  • Palavras-chave, tom e voz;
  • Inspiração criativa;
  • Análise da concorrência;
  • Materiais existentes;
  • Detalhes de execução e gestão do projeto;
  • Detalhes de distribuição.

A maior parte dessas informações permanecerá a mesma em todos os projetos. Então, se você criar um modelo de briefing uma vez e economizar tempo ao solicitar conteúdo no WriterAccess. Você até pode solicitar um briefing criativo diretamente pela plataforma, e o freelancer selecionado terá uma compreensão completa com base no tema escolhido.

A plataforma também oferece quatro recursos para ajudar você nesse processo: o AI Content Wizard, o AI Content Idea Generator, o Criador de Briefings Criativos e os templates.

AI Content Wizard

[embedded content]

O AI Content Wizard é a ferramenta ideal se você precisar criar uma ideia e um briefing de conteúdo do zero.

Após analisar seu site e seus concorrentes, ela sugere as melhores oportunidades de palavras-chave e gera um esboço que você pode enviar a um de nossos freelancers.

Um exemplo de esboço seria:

Esta postagem no blog oferecerá informações valiosas e orientações sobre estratégias eficazes de segmentação por palavras-chave.

Ela explorará os fatores que tornam uma palavra-chave inadequada para uma estratégia e oferecerá dicas para otimizar a pesquisa de palavras-chave e a criação de conteúdo.

A postagem se concentrará em palavras-chave de baixa dificuldade e em palavras-chave de cauda longa com intenção de pesquisa informativa para aumentar o tráfego orgânico e melhorar o desempenho de SEO.

Estes são os tópicos do pedido:

H1 Desbloqueando o poder das estratégias eficazes de segmentação por palavras-chave
H2 Compreendendo a importância da segmentação por palavras-chave
H2 Identificando os fatores que tornam uma palavra-chave inadequada para sua estratégia
H2 Otimizando a pesquisa de palavras-chave para termos de baixa dificuldade
H2 Aproveitando palavras-chave de cauda longa com intenção de pesquisa informativa
H2 Implementação de estratégias eficazes de segmentação por palavras-chave

AI Content Idea Generator

O AI Content Idea Generator é tão simples quanto parece: ao inserir o seu site na ferramenta, ela vai sugerir ideias que você poderá posteriormente transformar em pedidos no WriterAccess.

Isso é ótimo para quando você precisa de um pouco mais de ajuda para encontrar um novo tema de conteúdo para produzir e já possui um modelo de briefing de conteúdo pronto que você pode preencher facilmente com a ideia.

Criador de Briefings Criativos

Se você já possui a maior parte das informações do seu briefing e só precisa de ajuda com a estrutura, você pode usar o Criador de Briefings Criativos. Após fazer login, você pode acessá-lo em Portal de Ferramentas > Diretrizes de Pedido > Briefing Criativo > Criar Novo Briefing.

Modelos

Quando você já tiver seu briefing pronto com as informações principais, também pode salvá-lo como um modelo de pedido para facilitar o processo ao fazer um novo pedido.

Após fazer login, vá para o Portal de Ferramentas > Diretrizes de Pedido > Modelo de Pedido > Criar Novo Modelo, ou salve um novo quando estiver criando um pedido.

Encontrando o freelancer certo

Encontrar o redator freelancer perfeito para o seu projeto pode fazer toda a diferença para alcançar seus objetivos de conteúdo. O WriterAccess oferece uma equipe de redatores ampla e talentosa, cada um com suas especialidades e pontos fortes únicos. A seguir, veja uma abordagem sistemática para encontrar essa combinação perfeita:

Explore os perfis de redatores

Aprofunde-se nos perfis dos potenciais redatores por meio da Pesquisa Avançada. Esses perfis servem como janelas para suas experiências, formações e estilos de escrita.

Fique de olho nas biografias, pois elas costumam trazer insights valiosos sobre as habilidades e perspectivas únicas do redator.

Analise os portfólios

Examine os portfólios dos freelancers de perto. O portfólio de um redator é como uma vitrine de seus melhores trabalhos. É onde eles exibem suas melhores criações. Ao analisar o portfólio, você pode ver como eles lidam com diferentes tipos de projetos de escrita.

Pode ser que você precise de uma postagem de blog que tenha um tom informal e amigável, ou talvez esteja buscando um conteúdo mais formal. O portfólio oferece uma visão em primeira mão de como o redator é versátil e habilidoso.

Confira as avaliações e comentários

O WriterAccess oferece um robusto sistema de avaliações e comentários. Então, dedique um tempo para ler os feedbacks de outros clientes, que servem como vislumbres valiosos sobre a confiabilidade e o desempenho de um redator.

Os feedbacks que você encontrará são de clientes reais que trabalharam com o redator. A leitura das avaliações lhe dará uma ideia de como é trabalhar com o profissional, o que pode ser inestimável para tomar sua decisão.

Inicie uma conversa

Antes de se decidir, comece uma conversa com o freelancer. Apresente sua empresa e projeto e avalie se ele é a escolha certa. Uma breve interação muitas vezes pode revelar muito sobre sua capacidade de resposta e adequação à sua tarefa.

Aproveite a pesquisa de redatores via IA

Se você ainda não tiver certeza após explorar as opções disponíveis, utilize nossa ferramenta de busca com IA. Basta inserir um exemplo de texto com o tom e estilo desejados, e nosso algoritmo fará uma análise rapidamente.

O sistema prevê o perfil psicodemográfico do autor e o combina com redatores que se destacaram em conteúdos semelhantes na WriterAccess. Tudo o que resta é você escolher o seu favorito e iniciar a colaboração.

Traga seu próprio talento

Se você já tem um freelancer de confiança, pode integrá-lo perfeitamente ao fluxo de trabalho de gestão do WriterAccess. Convite-o para a plataforma, permitindo que você trabalhe exclusivamente juntos e garanta uma colaboração tranquila e eficiente.

Orientando o redator ao longo do projeto

Depois de encontrar o redator freelancer certo, estabelecer uma parceria sólida por meio de uma comunicação eficaz e colaboração é essencial para o sucesso do projeto.

Escolher a maneira certa de se comunicar pode fazer uma grande diferença. Quando você e o redator concordam com a melhor forma de se comunicar, estão estabelecendo expectativas claras. É importante que tanto você quanto o redator se sintam confortáveis com o método de comunicação.

Se o redator tiver alguma dúvida, ele provavelmente não corresponderá às expectativas do seu projeto.

Criar um ambiente aberto para perguntas e esclarecimentos é fundamental para evitar mal-entendidos durante o processo de produção. Lembre-se de informá-los de que podem entrar em contato com você a qualquer momento por meio das mensagens do WriterAccess.

Dando feedbacks

Após o escritor enviar o trabalho, é hora de avaliar como a parceria funcionou e enviar o seu feedback. Diga o que funcionou bem e ofereça sugestões específicas de melhoria. Orientações e reforço positivo podem levar a revisões melhores.

  • Aponte as coisas boas: comece destacando o que funciona bem no trabalho do redator. Elogiar um trabalho bem executado aumenta a confiança do redator.
  • Faça sugestões específicas para melhorias: Se houver áreas que poderiam ser melhoradas, ofereça sugestões específicas. É como dar um mapa a alguém que está perdido; isso lhes mostra o caminho a seguir.

Tenha abertura para requisitar revisões, já que elas são ilimitadas e gratuitas na plataforma WriterAccess! É comum os redatores aperfeiçoarem seu trabalho com base no feedback. Especifique claramente suas expectativas para as revisões, incluindo prazos e escopo.

Essa fase também é um ótimo momento para pedir feedback. Aprenda com o freelancer se seu briefing de conteúdo foi claro o suficiente, se você forneceu todas as informações necessárias ou se há espaço para melhorias.

Estabelecendo um relacionamento de longo prazo com o freelancer

Construir um relacionamento de longo prazo com um redator freelancer requer envolvimento e cuidado. Não se trata apenas de concluir um único projeto, mas de criar uma conexão duradoura que beneficie ambas as partes.

Reconhecendo um trabalho excepcional

Quando um redator entrega consistentemente um conteúdo excepcional que está alinhado com seus objetivos, não hesite em reconhecer seus esforços.

Um simples agradecimento ou elogio pode fazer muito pela motivação dele, solidificar sua parceria e garantir sua disponibilidade para seus projetos.

Oferecendo projetos recorrentes

Se você tem necessidades contínuas de conteúdo, considere oferecer ao redator projetos recorrentes. Isso proporciona a eles uma sensação de estabilidade e garante que seu conteúdo permaneça consistente ao longo do tempo.

Incentive o desenvolvimento profissional do redator dando a ele oportunidades de explorar novos temas ou formatos. Isso não apenas mantém seu trabalho atual, mas também aprimora suas habilidades.

Escalando sua produção de conteúdo de forma sustentável com o WriterAccess

O crescimento que vem da expansão da produção de conteúdo é inegável. Investir em tráfego orgânico trará mais pessoas ao seu site, impulsionará sua marca e melhorará suas conversões. Existem muitos benefícios em adotar essa estratégia.

No entanto, aumentar sua equipe interna pode ser caro e levar muito tempo para acontecer, enquanto contratar e gerenciar freelancers profissionais também requer algum esforço adicional. É por isso que o WriterAccess é um parceiro valioso, já que oferece a você um marketplace de freelancers e suporte bem estruturado.

Com a ajuda de nossas equipes de suporte e sucesso do cliente, garantimos criar uma experiência tranquila ao encontrar o freelancer certo, criar projetos de conteúdo e gerenciar seu relacionamento com os trabalhadores. Estamos aqui para ajudar você!

Comece agora mesmo com nosso teste gratuito e tenha uma ideia de como é impulsionar sua produção de conteúdo com facilidade.