Como otimizei minha escrita com 5 prompts do ChatGPT

O lançamento do ChatGPT em novembro de 2022 reacendeu o debate sobre Inteligência Artificial.

No marketing, uma das preocupações é o impacto das IAs na produção de conteúdo. Será que elas serão capazes de substituir profissionais com amplo repertório e anos de experiência para produzir conteúdos coerentes e criativos?

Aqui na Rock Content, já discutimos os riscos e benefícios das ferramentas de IA e o potencial de tornarem o dia a dia dos profissionais de marketing mais eficiente, sem deixar de lado a criatividade e adaptabilidade inerentes à mente humana. 

Profissionalmente, tenho usado o ChatGPT como mais uma das diversas ferramentas disponíveis para aprimorar minha escrita. Foco na palavra aprimorar, e não criar algo do zero.

Além de apostar em alguns recursos para refinar texto, também utilizo o ChatGPT para brainstorming de títulos, ter mais opções de ganchos interessantes e até para expandir o vocabulário durante um bloqueio criativo.

Aqui vou compartilhar 5 prompts do ChatGPT que utilizo com mais frequência e que me ajudam a otimizar a escrita persuasiva.

Antes, leve isto em consideração

Estou falando do ChatGPT neste texto por dois motivos:

  1. É uma das ferramentas de IA que mais se popularizou este ano;
  2. Eu realmente tenho utilizado ela e feito testes em meu dia a dia, que me permitem trazer algumas dicas práticas para você implementar também.

Isto não quer dizer que ela seja a única IA para otimizar a produção de conteúdo, muito menos a melhor. Se você está buscando uma ferramenta para este fim, leve algumas questões em consideração:

  • A segurança em relação aos dados que você disponibiliza para a IA (o ChatGPT realmente não é o melhor neste quesito);
  • Se possível, buscar por IAs que possam trazer o máximo de personalização possível em suas respostas para você;
  • Quando falamos especificamente em conteúdo, ajuda se a IA for desenvolvida especialmente para isso, com noções de Marketing e SEO.

Para estes casos, eu recomendo o AI Content Wizard, que otimiza muito a construção da sua estratégia de conteúdo (trazendo análises e sugestões), utilizando seus próprios dados de forma segura ou o AI Persona Generator para construção de personas. 

Ambos podem ser testados gratuitamente aqui

Boas práticas que aprendi usando ChatGPT

Se você já testou o ChatGPT em algum momento, deve ter percebido que algumas respostas são pouco (ou nada) satisfatórias, algumas vezes genéricas ou ambíguas. Isso acontece porque a ferramenta depende bastante de um imput bem estruturado para trazer outputs mais completos.

É como saber fazer pesquisas no buscador do Google: dependendo da palavra-chave, os resultados não estarão alinhados à intenção de busca do usuário.

Felizmente, existem algumas boas práticas no ChatGPT que ajudam a ter outputs melhores e que tenho aplicado no uso da ferramenta.

  • Saiba o que você precisa: tenha bem definido o que você precisa e comunique de maneira clara e objetiva ao escrever o prompt.
  • Forneça dados e contexto: com um prompt mais completo, a ferramenta terá mais informações para trabalhar e pode trazer respostas melhores.
  • Quanto mais específico, melhor: se o seu input for incompleto ou sem contexto, a resposta também seguirá nessa linha.
  • Peça mais exemplos ou explicações: se mesmo com inputs específicos e bem estruturados as respostas forem insatisfatórias, peça mais exemplos, explicações ou contextos à ferramenta.

Uma observação importante: evite inserir informações confidenciais ou sensíveis. A privacidade de dados do ChatGPT ainda é uma área nebulosa e existe pressão de governos ao redor do mundo para que a empresa criadora garanta a proteção de informações dos usuários dentro da ferramenta.

5 prompts do ChatGPT para aprimorar a escrita

Prompts” são sugestões ou comandos dados ao ChatGPT. São frases ou perguntas que servem como um “contexto” para que a ferramenta entenda o que você precisa e, assim, traga devolutivas de acordo com a expectativa.

Imagine como um diálogo: você faz uma pergunta (imput), a outra pessoa responde (output).

Listei 5 prompts que uso com mais frequência dentro do ChatGPT, mas existem muitas outras possibilidades para auxiliar a escrita com a ferramenta. Você pode adaptar estes prompts e encontrar maneiras de ter respostas melhores com o tempo.

1. Refinar o tom de voz da mensagem

Este é um dos prompts do ChatGPT básicos para copywriters. Você precisa já ter o texto que precisa aprimorar. Ao dar o comando para a ferramenta, ela retorna com algumas ideias para que seu texto atinja o tom de voz que você procura. 

Na caixa de texto do ChatGPT, você vai digitar solicitar que a ferramenta transforme um determinado um título ou assunto de email, por exemplo, em algo mais curto, longo, persuasivo, casual, profissional ou qualquer outro adjetivo que se encaixe no que você precisa.

Alguns exemplos:

Ao longo dos exemplos que listo aqui você vai notar que nem toda resposta está bem escrita ou pode ser aproveitada, mesmo que você faça modificações. 

Nesses casos, você pode gerar novas respostas para que a ferramenta forneça mais opções. As boas práticas que listei anteriormente também são muito recomendadas para otimizar seu trabalho na ferramenta.

2. Sinônimos ou antônimos para palavras

O ChatGPT também pode ser usado para pesquisar sinônimos e antônimos de algumas palavras ou expressões. No dia a dia, esse prompt é útil quando estou com algum bloqueio de escrita ou não encontro em outros canais de pesquisa opções interessantes para o que procuro. Alguns exemplos:

3. Mais opções para uma frase ou parágrafo

A ideia é buscar maneiras diferentes para escrever uma frase ou parágrafo a fim de torná-los mais objetivos e atrativos. É interessante para abrir o leque de possibilidades para transmitir uma ideia ou um contexto.

Por exemplo:

4. Brainstorming de ideias

Outro ótimo uso para o ChatGPT: fazer brainstorming de ideias sobre um tema. 

Você pode pedir ideias incomuns para um assunto e, se achar necessário, dê mais contexto para a ferramenta.

5. Sugestões de ganchos para emails e blogposts

Por fim, este prompt é útil para ter ideias de gancho para email marketing ou blogposts e cativar o público logo no início da leitura.

Estes são apenas alguns exemplos que podem te ajudar a usar o ChatGPT como um recurso para aprimorar seu copywriting. 

Experimente outras maneiras de fazer uma solicitação à ferramenta: isso vai expandir sua opções e você conseguirá respostas cada vez mais alinhadas ao que precisa.

E, lembrando, o ChatGPT é apenas uma do leque de ferramentas de IA que temos quando se fala em otimização de escrita e conteúdo.

Além de testar estas dicas, te recomendo passar na página do AI Content Wizard para testar a plataforma como uma facilitadora da sua estratégia de conteúdo. É extremamente eficaz.  

E, se quiser ir além, você também pode experimentar uma plataforma especializada em produzir conteúdo humano com a agilidade que as IAs proporcionam. Conheça a WriterAccess e faça um teste grátis de 14 dias!

Como a Rock Content utiliza o conteúdo interativo na estratégia de marketing

No cenário digital atual, capturar e reter a atenção do público-alvo é algo bastante desafiador.

Uma abordagem altamente eficaz é o uso do conteúdo interativo. De acordo com o Content Marketing Institute (CMI), 79% dos profissionais de marketing entrevistados afirmaram que a interatividade melhora a retenção do material.

Ao incorporar elementos interativos em estratégias de marketing, as marcas criam experiências imersivas que envolvem o público de forma inovadora — resultados que já vimos em nossa equipe de marketing na Rock Content.

Nós utilizamos quizzes, enquetes, calculadoras e muito mais para nos conectar com nosso mercado-alvo.

Neste artigo, vou me aprofundar em como a interatividade é capaz de aumentar o engajamento e gerar resultados.

E aqui vai um alerta: se você quer criar experiências interativas de forma rápida, recomendo o uso do Ion como ferramenta de conteúdo interativo — não precisa saber de programação!

Vamos nos aprofundar descobrir o potencial transformador do conteúdo interativo no marketing moderno?

The Beat, a primeira e única newsletter interativa de marketing

Conheça a The Beat, a nossa newsletter interativa de marketing construída no Ion.

A primeira edição foi lançada em janeiro de 2022 em inglês, seguida por versões em português e espanhol alguns meses depois.

Ter uma newsletter semanal que traz atualizações concisas sobre conteúdo, marketing e vendas é uma parte vital da nossa estratégia para diversificar o conteúdo que promovemos ao público.

E, claro, torná-la interativa significa oferecer aos leitores uma experiência única e envolvente, diferente de qualquer outra newsletter de marketing que já existe.

Desde o início, priorizamos a incorporação de momentos claros de interação ao longo da página. O Ion, nossa plataforma escolhida, tem sido fundamental para a inclusão sem esforços de recursos como quizzes, reações, gráficos animados e muito mais.

Queremos que os leitores não apenas apreciem o conteúdo, mas também participem ativamente dele. Isso aumenta o engajamento e nos fornece dados valiosos sobre o público.

Cada interação contribui para uma riqueza de dados que nos ajuda a entender melhor nosso público e a tomar decisões mais informadas.

Se você quer saber mais sobre como a The Beat foi construída e funciona na prática, então leia este artigo que leva você aos bastidores da nossa newsletter interativa.

Webinars: Jam Sessions e Bastidores do Marketing

O Jam Sessions é a nossa série de entrevistas, onde trazemos os mais destacados profissionais de marketing do mundo para compartilhar seus conhecimentos. Cada entrevista aborda uma variedade de temas relevantes do universo do marketing, desde as últimas tendências em mídia social até o papel transformador da IA no marketing de conteúdo.

Além disso, temos o Bastidores do Marketing, uma série exclusiva de webinars que revela os bastidores da equipe de marketing da Rock Content. Com esse projeto, buscamos inspirar profissionais de marketing em todo o mundo, compartilhando processos e técnicas que impulsionam nossos sucessos.

Para garantir uma experiência perfeita e interativa aos nossos espectadores, todos os nossos webinars são hospedados em páginas especialmente desenvolvidas no Ion.

Essa abordagem nos permite alcançar dois objetivos fundamentais: proporcionar interatividade e coletar dados valiosos.

Em nossas páginas interativas personalizadas, combinamos vídeo e chat do YouTube, ao mesmo tempo em que criamos CTAs exclusivos para incentivar os participantes a explorar ainda mais nosso conteúdo. Essa estratégia tem sido fundamental para impulsionar nossos resultados de crescimento de forma significativa.

Cada elemento desta tela é interativo, respondendo com movimentos, pop-ups ou destaques conforme os usuários movem o mouse.

Esta página é interativa e registra todas as ações dos usuários, oferecendo dados valiosos para analisar nosso público.

Desde o piloto do Jam Sessions, conquistamos quase 11 mil espectadores para nossos eventos. Nossos webinars do Bastidores do Marketing já atraíram mais de 2.000 espectadores este ano.

Materiais ricos interativos

Conteúdo estático não basta para se destacar e criar experiências memoráveis.

De acordo com o Demand Gen Report, 91% dos consumidores preferem conteúdo interativo e visual em vez de um material estático simples.

Todos sabemos que materiais ricos são essenciais para estratégias de marketing de conteúdo, mas a interatividade eleva tudo a um novo nível.

Os números falam por si: conseguimos aumentar a taxa de conversão de um ebook em 20,7% com otimizações e dados gerados dentro do Ion. Além disso, a interatividade também impulsionou a conversão do nosso Gerador de Persona em incríveis 431%.

Então, sim, acho seguro dizer que funciona.E também podemos trazer a interatividade em diversos tipos de conteúdo, como e-books interativos, calculadoras, infográficos, avaliações, entre outros.

A seguir, trouxe alguns exemplos:

E-books interativos

Quizes

Calculadoras

Ferramentas

Podemos criar experiências personalizadas para cada visitante por meio da interatividade em todos esses conteúdos.

Em ebooks e infográficos, os usuários podem para visualizar mais informações nos subtópicos que acham mais interessantes, por exemplo.

E com calculadoras e avaliações, todos obtêm resultados diferentes dependendo das respostas dadas.

Mais uma vez, isso não apenas proporciona uma ótima experiência, sendo também muito é bom para a coleta de dados. Com cada clique registrado, obtemos toneladas de informações relevantes para nos ajudar a criar experiências ainda melhores.

Hubs de conteúdo

Outra grande vantagem da interatividade é possibilitar a criação de hubs de conteúdo, onde os visitantes têm acesso a uma variedade de conteúdos relacionados a um mesmo projeto ou assunto.

No nosso caso, criamos um kit de modelos de e-mail marketing para campanhas digitais, oferecendo acesso fácil a templates para diferentes objetivos em um único hub.

Como você pôde ver, a interatividade desempenha um papel decisivo para a estratégia de marketing da Rock Content, sendo uma ferramenta poderosa para diferenciar nosso conteúdo e gerar um engajamento significativo com nosso público.

Se você deseja alcançar resultados semelhantes, sugerimos considerar a incorporação da interatividade em suas próprias estratégias de marketing.

Solicite uma demonstração gratuita do Ion e descubra como o conteúdo interativo pode transformar sua estratégia e cativar seu público de maneiras eficazes e inovadoras!

Bastidores do Marketing: como a Rock Content gerou 1.000 leads e autoridade com talentos internos

Profissionais de marketing de diversos setores enfrentam desafios como construção de marca, criação de autoridade, geração de leads e criação de conteúdo que realmente engaje e eduque o público.

Como parte do time de marketing da Rock Content, eu também enfrentei essas questões. Trabalhando em conjunto com outras equipes, desenvolvemos uma campanha consistente que superou esses desafios.

Uma das iniciativas que tenho conduzido é a série de webinars chamada Jam Sessions, onde convidamos especialistas do mundo do marketing para compartilharem seus conhecimentos com nosso público.

Depois, adaptamos a estratégia, optando por envolver nossos talentos internos em vez de especialistas externos. Essa mudança nos ajudou a gerar mais de 1.000 leads nos últimos meses.

Agora, quero compartilhar com você os bastidores e todos os passos que nos levaram a alcançar esse resultado.

A equipe da antiga Rock University teve a ideia de criar uma série de treinamentos de marketing digital para os alunos da nossa base, ministrados por especialistas da Rock Content.

Adaptamos um teste anterior chamado Bastidores do Marketing e, com a minha experiência em webinars, fui convidado a contribuir com o projeto, que logo ganhou destaque em nossa estratégia.

A Rock Content é uma referência em marketing de conteúdo e conta com muitos especialistas que trabalham diariamente para aprimorar o marketing. Então, por que não usar nossos próprios especialistas para compartilhar e demonstrar como fazemos as coisas?

No início, a iniciativa era voltada apenas para os alunos, mas percebemos uma ótima oportunidade de ampliar seu alcance, não apenas para educar o público, mas também para gerar resultados de marketing.

Depois disso, fiquei responsável por gerenciar e executar o Bastidores do Marketing, da qual vou falar mais a seguir.

Primeiro, analisamos se o projeto se encaixava no nosso calendário editorial. Avaliamos se tínhamos disponibilidade de tempo, recursos e equipe para executá-lo com sucesso. Como não havia impedimentos, decidimos seguir em frente, realizando uma transmissão por mês.

O próximo passo foi desenvolver a narrativa e a identidade do projeto, chamado de Bastidores do Marketing. Queríamos mostrar ao público como nossos especialistas trabalham, detalhando cada passo.

Em seguida, nossos designers criaram o modelo de apresentação, a página de transmissão e materiais promocionais alinhados com a identidade da marca.

Depois, chegou a hora de pensar em um tema e um palestrante.

Geralmente, alinhamos o tema com nosso calendário editorial para manter a consistência, mas também consideramos tendências ou estações do ano. Quanto ao palestrante, convidamos alguém que tenha experiência ativa no tema a ser discutido.

Alguns exemplos incluem uma conversa sobre planejamento de marketing com Vitor Peçanha, co-fundador da Rock Content, e outra sobre IA no Marketing de Conteúdo com Giuseppe Caltabiano, nosso VP de Marketing.

Com tudo definido, chegou a hora de iniciar a promoção do projeto!

Após definirmos o tema e o convidado, o próximo passo foi criar a landing page, escrever e configurar as comunicações de e-mail marketing, criar um evento no LinkedIn, dar instruções à agência de mídia social sobre o evento e agendar pop-ups e notificações.

Pode parecer simples, mas todas essas ações exigem atenção e muitas tarefas operacionais.

É importante ressaltar que, apesar da IA ser utilizada para coletar insights e ideias, todo o conteúdo passa por revisão humana. Esse processo garante a entrega de um material de alta qualidade e minimiza erros gramaticais e de digitação.

Leia também: Como a equipe da Rock Content utiliza a Inteligência Artificial

Aproveito para mencionar o WriterAccess, uma plataforma que oferece acesso a profissionais de marketing de conteúdo sob demanda, incluindo freelancers para criação e tradução. Você pode experimentar a plataforma gratuitamente por 14 dias, basta iniciar uma avaliação gratuita do WriterAccess.

Clique aqui para iniciar uma avaliação gratuita do WriterAccess

Entre o lançamento e o dia da transmissão, normalmente há um período de 3 a 4 semanas. Nesse intervalo, realizamos a comunicação em todos os canais, seguindo nosso calendário editorial. Essa é também uma oportunidade para diversificar a abordagem e aumentar o número de inscritos.

O Bastidores do Marketing tem sido uma ótima oportunidade para destacar nossos profissionais, ampliar a exposição da nossa marca e aumentar as chances de fechar novos negócios. Mostrar como fazemos as coisas, abordar temas relevantes e contar com nossos especialistas internos resulta em conteúdo valioso que aproveita os nossos próprios recursos.

Enquanto os inscritos se engajam com nossa marca, eles ficam expostos aos nossos produtos e serviços e têm a oportunidade de nos conhecer melhor durante a transmissão.

Até agora, geramos cerca de mil leads com essa iniciativa. Esses contatos podem ser nutridos com materiais ricos, ferramentas e soluções para aprimorar suas estratégias de marketing.

Além disso, os webinars são gravados e disponibilizados para serem assistidos sob demanda, permitindo continuar convertendo pessoas mesmo após a transmissão ao vivo.

Também compartilhamos as partes mais interessantes e as perguntas frequentes do público como vídeos nas redes sociais, mantendo a divulgação e conscientização sobre a campanha, além de incentivar mais pessoas a participarem das próximas edições.

Como usar o ChatGPT para entender melhor o Google Analytics 4?

A compreensão das métricas e dados de desempenho é essencial para o sucesso de qualquer negócio ou projeto digital. Uma das ferramentas mais poderosas para analisar e otimizar a performance de sites e aplicativos é o Google Analytics 4.

Com a introdução do GA4, o Google fornece insights valiosos sobre o comportamento dos usuários e o desempenho do conteúdo. Para simplificar sua avaliação, vale a pena usar ChatGPT para análises nessa ferramenta.

Nesse ponto a inteligência artificial, em especial o ChatGPT, pode se tornar uma ferramenta valiosa para auxiliar seu trabalho. Desse modo, você consegue explorar esse recurso para entender conceitos complexos de maneira mais acessível, aproveitando ao máximo a riqueza de dados que o GA4 fornece.

Quer saber como navegar pelas diversas métricas e relatórios do Google Analytics 4? Então siga a leitura e confira nossas dicas!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

O que mudou na análise de dados no Google Analytics 4?

Entender as mudanças que o Google Analytics 4 trouxe na hora de analisar os dados pode ajudar a ter informações mais precisas e aproveitar de uma melhor maneira tudo o que a ferramenta tem a oferecer. A seguir, destacamos algumas das principais alterações. Confira!

Abordagem orientada a eventos

Essa é uma das principais mudanças trazidas pelo GA4. Agora, ao invés de ter o seu foco em páginas vistas, a ferramenta possibilita rastrear eventos que ocorrem em todo o seu site ou aplicativo.

Com isso, a compreensão do comportamento do usuário fica mais completa, pois é possível rastrear cliques em botões, views em vídeo, downloads e muito mais. Consequentemente, sua empresa tem mais recursos para avaliar otimizações.

Uso de IA

Agora, é possível aplicar o aprimoramento de IA para analisar dados no Google Analytics 4. Essa possibilidade surge pela utilização de aprendizagem de máquina, que permite coletar ideias aprofundadas e fazer automações.

Essa inovação da ferramenta permite que você tenha mais facilidade para analisar os seus dados, avaliar o padrão de comportamento, fazer segmentações e previsões. Com isso, quem trabalha com Marketing consegue ter mais segurança nas tomadas de decisões.

Medidas de privacidade

Como você sabe, existem leis que servem para proteger a privacidade do usuário. Com isso, o Google Analytics 4 foi desenvolvido já incorporando as preocupações com a proteção dos dados dos usuários e com medidas anti-rastreamento.

Porém, a ferramenta recorre a uma tecnologia que não utiliza os cookies, a qual permite fazer o rastreamento de tráfego no site e engajamento das pessoas com a página, ainda que os cookies não foram habilitados pelos usuários.

Integrações entre dispositivos

Segundo estudo da FGV realizado em 2022, o Brasil tem mais de 240 milhões de smartphones, o que aumenta a necessidade de fazer o traqueamento de dados nos dispositivos móveis de forma eficiente.

Nesse sentido, o GA4 foi pensado para ajudar os profissionais a entenderem melhor o comportamento do consumidor nos mais diversos recursos usados. Com isso, você tem à disposição mais dados que simplificam as análises.

Nova interface e mudança nos relatórios

O GA4 conta com uma nova interface que foi desenvolvida para ser mais intuitiva, além de otimizar aspectos de usabilidade. Ademais, os relatórios também foram alterados para oferecer informações relevantes e com opções de personalização.

Isso simplifica a criação de funis de conversão, ajuda a explorar o desempenho de eventos específicos e ainda permite analisar o ciclo de vida do cliente no projeto. Isso permite entender um pouco mais sobre o comportamento dos usuários e ajuda na hora de tomar decisões mais embasadas sobre as estratégias de marketing que podem ser adotadas.

Como o plugin do ChatGPT pode ajudar a analisar dados no GA4?

Para quem está em busca de alternativas para a interface do GA4, há um novo plugin ChatGPT que permite conversar com os dados do Google Analytics para obter informações mais precisas e relevantes quanto aos conteúdos e públicos.

O plugin conhecido como Avian é capaz de se conectar aos dados do Google Analytics, do Google Ads, do Facebook Ads e demais plataformas de marketing. Isso permite recuperar e analisar diretamente os dados de publicidade por meio do ChatGPT.

Portanto, o Avian permite que profissionais do marketing obtenham informações sobre os relatórios do GA4 sem a necessidade de analistas de dados para configurar o painel e elaborar avaliações sobre os dados encontrados. Isso simplifica a necessidade de conhecimento técnico, além de trazer mais eficiência no uso do GA4, pois o ChatGPT faz todo trabalho pesado.

Como conectar o GA4 ao ChatGPT?

Para conectar essas duas ferramentas, é necessário ter acesso a uma conta ChatGPT Plus e uma conta Avian —grátis por 14 dias — para usar o plugin. Ao concluir a sua instalação, será solicitado sua conta do GA4 para que a conexão seja efetuada. 

Depois disso, é possível realizar várias perguntas, como questões ligadas aos dados demográficos dos visitantes, aquisição de tráfego, engajamento, conversões, vendas e demais dados que podem ser obtidos por meio dos relatórios do Google Analytics.

Quais são as limitações do plugin?

O desenvolvimento de plugins e recursos relacionados ao uso da IA regenerativa, como no ChatGPT, está apenas no começo. Com isso, acabam surgindo algumas limitações que podem prejudicar um pouco a experiência na hora de usar esse tipo de recurso.

Por exemplo, ao solicitar a combinação de métricas extraídas por meio do GA4, o plugin pode apresentar algumas dificuldades, o que acaba gerando algumas confusões. Além disso, pelo seu caráter inovador, é natural que haja trabalhos e a ferramenta ainda demande melhorias.

Porém, com o tempo e com as solicitações de ajustes realizadas pelos usuários, a tendência é que esses erros e limitações sejam corrigidas. Assim, você pode aproveitar as facilidades do ChatGPT e do GA4 para melhorar as suas análises de dados e conseguir ótimos resultados em suas campanhas.

Usar ChatGPT para análises e combiná-lo com o Google Analytics 4 é uma excelente estratégia para melhorar o desempenho do Marketing da sua empresa. Além disso, contar com profissionais qualificados para desenvolver os conteúdos de qualidade também é uma ótima alternativa para potencializar o alcance.

Experimente o WriterAccess e conte com freelancers especialistas em SEO que vão te ajudar a atrair mais tráfego para o seu site!

Looker Studio: Como utilizar a ferramenta para melhores análises no Google Analytics 4

O Google Analytics é uma ferramenta poderosa. Mas ela fica ainda mais poderosa quando você integra com outras plataformas que incrementam suas análises. Esse é o caso do Looker Studio, uma ferramenta que torna a análise de dados e a tomada de decisões mais eficientes.

Se você já está há mais tempo na área de métricas, deve lembrar do Google Data Studio. Se você não conheceu essa ferramenta, saiba que ela foi bastante útil para os profissionais de marketing na criação de dashboards e relatórios de dados mais atrativos e eficientes. Então, o Looker Studio nada mais é do que a atualização do Google Data Studio, com melhorias e novos recursos.

Neste artigo, vamos entender melhor o que é e como funciona essa ferramenta que pode se integrar ao Google Analytics 4 e potencializar suas análises. Acompanhe agora para saber como usar o Looker Studio.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

O que é o Looker Studio?

Looker Studio é uma ferramenta gratuita de business intelligence que oferece recursos para fazer análises de dados mais eficientes e criar dashboards atrativos, personalizáveis e interativos.

Nesta plataforma, é possível criar, analisar, explorar e compartilhar gráficos e relatórios, em colaboração com o seu time, com dados das mais diversas fontes e com atualizações em tempo real.

A ferramenta substituiu o antigo Google Data Studio, com atualizações e melhorias. Em 11 de outubro de 2022, o Google anunciou oficialmente: “Data Studio agora é Looker Studio”. A mudança ocorreu a partir da aquisição da ferramenta de análise de dados chamada Looker, concluída em 2020.

A partir daí, o Google trabalhou para unificar sua família de produtos de BI no guarda-chuva do Looker, entre eles o Data Studio, mas também tecnologias de inteligência artificial e aprendizado de máquina.

Dessa forma, o Google Looker Studio permite realizar análises de dados mais aprofundadas, principalmente com a possibilidade de integração com o GA4, que é a versão mais recente do Google Analytics.

Por que utilizar o Looker Studio no Google Analytics 4?

Na integração com o Google Analytics 4, o Looker Studio apresenta suas maiores potencialidades. Você vai perceber como as possibilidades de análises se potencializam com uma infinidade de recursos.

A seguir, vamos apresentar os principais benefícios de integrar o Looker Studio com o GA4:

Construir relatórios personalizados

O Looker Studio oferece diversos recursos para criar painéis personalizados, exatamente com os dados e a visualização que você desejar. Você pode adicionar dados, dimensões, filtros, funções, operadores e fórmulas personalizadas aos gráficos, além de tabelas dinâmicas, formas e controles para os visualizadores.

Dessa forma, você pode trabalhar livremente nos gráficos, de maneira menos engessada do que o Google Analytics apresenta. Além disso, os relatórios se tornam mais úteis e interessantes para quem interagir com eles, muito além dos gráficos do GA4.

Colaborar com pessoas do seu time no mesmo relatório

A ferramenta permite também a colaboração entre integrantes do time. Você pode convidar diferentes usuários para trabalhar junto nos dashboards e colaborar na criação e edição dos painéis.

As alterações feitas por qualquer usuário são salvas automaticamente, da mesma forma que ocorre no Google Docs, por exemplo. Dessa forma, as atualizações ocorrem em tempo real e ficam registradas no histórico de modificações. Além disso, toda a equipe tem acesso às informações em uma plataforma única e centralizada, que ajuda a evitar ruídos.

Integrar com outras ferramentas

O Looker Studio pode ser facilmente integrado com várias fontes de dados — são mais de 800 possibilidades de integração. Você pode integrar ferramentas de marketing digital que já utiliza e tornar os relatórios mais completos e úteis.

O Google Analytics 4 é uma dessas ferramentas que você pode integrar ao Looker Studio. Mas existem muitas outras plataformas para isso, não só da família do Google, mas também externas. Veja alguns exemplos:

  • Google Ads
  • YouTube
  • Planilhas do Google
  • BigQuery
  • Facebook Ads
  • Mailchimp
  • HubSpot
  • Semrush

Se a ferramenta que você utiliza não puder ser integrada ao Looker Studio, você ainda tem a opção de exportar os dados em um arquivo CSV e fazer o upload na plataforma. 

Obter uma visualização de dados mais atraente

Números e dados já podem deixar muita gente confusa… Se você apresentar relatórios estáticos, sem cor e sempre com os mesmos gráficos do Google Analytics, vai ser ainda mais difícil de entender e captar a atenção…

Então, o Looker Studio ajuda você a criar uma visualização de dados mais eficiente, atrativa e interessante. Você pode explorar diferentes tipos de gráficos, adicionar textos e imagens, customizar com a sua marca e dispor na tela como quiser.

Além disso, a ferramenta oferece uma visualização responsiva, que oferece uma boa leitura no celular ou qualquer outra tela, e permite que os visualizadores interajam com os dados, por meio de filtros e seleções personalizadas. Dessa maneira, os relatórios se tornam mais dinâmicos para visualização.

Como utilizar o Looker Studio?

Para começar a usar o Looker Studio, acesse o link da plataforma: lookerstudio.google.com. Você vai precisar de uma conta no Google, seja ela pessoal ou empresarial. Você vai perceber que a interface segue o padrão dos produtos do Google, portanto tende a ser bastante simples e intuitiva.

Vamos ver agora as principais ações que você pode realizar na ferramenta:

Criar relatórios

A principal ação do Looker Studio é criar relatórios. Não por acaso, está em destaque logo na visualização inicial da plataforma (imagem abaixo). Você pode criar um relatório em branco ou a partir de um modelo, ou ainda trabalhar nos painéis que foram compartilhados com a sua conta.

Interface do Looker Studio

Conectar fontes de dados

Para criar relatórios, você precisa coletar os dados de uma ou mais fontes. Então, outra ação importante no Looker Studio é conectar com fontes de dados que você utiliza. Ao clicar no botão “Criar” e, em seguida, “Fonte de dados”, você vai ver todas as opções de integração que a ferramenta oferece.

Transformar dados

Ao criar um relatório integrado a fontes de dados, você pode editá-lo de diversas maneiras. Apenas adicionar os dados não é suficiente — você deve trabalhar neles para transformá-los em informações interessantes para os visualizadores. Para isso, você pode aplicar funções, fórmulas, filtros e outros diversos recursos. 

Visualizar dados

Além de transformar os dados brutos em informações inteligíveis, você também pode explorar diferentes tipos de gráficos — tabelas dinâmicas, gráficos em barras, linhas, pizzas, mapas e outras diversas opções —, a fim de criar uma visualização mais interessante.

Compartilhar relatórios

Depois de criar o relatório, você pode compartilhar com outras pessoas do seu time, gestores, clientes e outros interessados. Assim como em outras ferramentas do Google, o convite pode ser apenas para leitor ou também editor do relatório. Além disso, você pode gerar um link de visualização, copiar o código de incorporação ou fazer download em PDF.

Interagir com relatórios

Com o link do relatório ou o código de incorporação, você pode publicar seu dashboard na internet ou compartilhar com quem quiser. Assim, as pessoas podem não apenas visualizar os dados, mas também interagir com eles e ter uma experiência mais interessante com o relatório.

Conecte o Looker ao GA4

Para integrar o Looker Studio ao Google Analytics 4, basta criar uma nova fonte de dados na ferramenta. Na página inicial da plataforma, clique no botão “Criar” e, depois, em “Fonte de dados”.

Nas opções de integração que aparecem, deve constar o GA4. Então, você deve autorizar o acesso do Looker à sua conta e propriedade no Google Analytics 4. Assim, os dados vão estar disponíveis para serem transformados em relatórios.

Você pode ver uma explicação mais completa neste vídeo do Métricas Boss, que traz mais detalhes sobre essa integração. Neste link do Suporte do Google, você também pode ver as orientações do Looker Studio para conectá-lo ao GA4.

[embedded content]

A extração e a análise de dados são atividades fundamentais no marketing atual. O Google Analytics sempre foi uma ferramenta aliada a quem trabalha com métricas. Mas você deve ter percebido que o poder das métricas e análises aumenta ao integrar a ferramenta com o Looker Studio.

Agora que você já sabe como usar o Looker Studio, é só integrar a plataforma às suas fontes de dados, incluindo o GA4, e começar a explorar os dados e relatórios.

Agora, conheça também o poder do WriterAccess, uma plataforma que reúne os melhores talentos freelancers — designers, redatores, copywriters, editores e tradutores — para a sua estratégia de marketing.

Como dados podem ajudar na personalização de marketing da sua marca

Entramos em uma era das relações de consumo online em que tudo é conteúdo: a forma como a marca se posiciona, atende seu público, participa de discussões e até mesmo como se apresenta.

Por isso, com a enxurrada de empresas brigando por atenção do público em redes sociais e páginas de busca, a melhor arma ainda é o uso de dados na personalização de marketing.

Enquanto as ferramentas de produção de conteúdo e interações ficam mais acessíveis, isso gera também uma generalização de textos e assuntos que não se conectam de verdade com o seu cliente. Ganham em volume, mas perdem bastante em engajamento.

Quer fugir dessa armadilha e criar um conteúdo que seja perfeito para atrair o público certo? Neste artigo especial, veja como utilizar a informação como fonte para estratégias de marketing mais personalizadas. Confira.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

O que é personalização de marketing?

Com o aumento do interesse de empresas no uso de Inteligência Artificial, principalmente ferramentas de texto como o ChatGPT, estamos acompanhando um crescimento exponencial de peças em várias mídias geradas para marketing.

Mas, se você já teve a chance de consumir esse tipo de conteúdo, deve ter percebido uma grande falha de produção que é inerente à forma como essas IAs funcionam: são softwares generativos, ou seja, produzem um texto a partir da compilação média das referências que têm à disposição.

A criação de conteúdo sem uma base estratégica, com planejamento de dados e conhecimento do público-alvo, vai na contramão do que os consumidores atuais buscam, que é conexão emocional e engajamento com as marcas que preferem.

É um tipo de relação mais próxima, permitida pela tecnologia, em contraste com o uso generalista da mídia na época do Rádio e TV. Se você tem a possibilidade de criar conteúdo pensado especificamente em seu cliente ideal, usando os canais ideais, por que investir em peças sem a cara e a voz que ele reconhece e com as quais ele se identifica?

Essa é a ideia por trás da personalização de marketing. Com um conhecimento mais profundo de seu público, é possível planejar e desenvolver conteúdo que fala diretamente com ele, incluindo customizações em nível individual de mensagem.

A personalização de marketing é uma abordagem multidisciplinar, trabalhando ciência de dados, SEO, redes sociais e redação especializada para que textos, vídeos e outras mídias toquem seu consumidor de modo mais significante, mantendo sua marca na mente dele por mais tempo.

Em um mundo no qual a produção de conteúdo está se tornando tão rápida quanto seu consumo, o verdadeiro tesouro comercial está naquelas raras peças que conseguem fazer o espectador parar e prestar atenção no que você está dizendo.

Por que utilizar dados é tão importante na estratégia de personalização de marketing?

Muitas empresas estão pulando no barco da automação de conteúdo sem saber exatamente no que estão investindo. Buscam principalmente volume de produção para tentar aumentar seu alcance online.

Porém, o Marketing Digital é muito mais do que escalabilidade. Em alguns setores e nichos, nem é a prioridade. Afinal, investir em volume é entrar em uma queda de braços injusta. Quem tem mais dinheiro sempre vai ganhar.

Então, fazemos esta pergunta: como startups que mal têm um capital inicial para começar conseguem competir e até derrubar gigantes do mercado?

A resposta está na personalização. Quando você sabe encantar seu cliente com conteúdo direcionado, útil e engajante, é como encontrar um atalho para a mente das pessoas que importam: seus clientes potenciais.

Nesses casos, a empresa maior pode jorrar recursos em sua campanha de marketing que mesmo assim não vai ter o impacto da startup que sabe se conectar de verdade com o público-alvo.

Para entender melhor essa importância e começar a usar dados na personalização do marketing, veja algumas vantagens da abordagem.

Criação de uma identidade

Empresas modernas precisam de uma identidade própria em ambientes virtuais para se destacarem. Mas, como muitos diretores pensam erroneamente, não basta falar de seus valores com palavras bonitas e esperar que o público compre a ideia.

Uma identidade é criada com esforço de interação. É definir uma voz para a sua marca, é praticar seus valores e colocar em seus conteúdos aquilo que realmente importa para o cliente ideal. Personalizar o marketing é criar essa ponte que aproxima sua marca do público.

Relacionamento com um nicho

Um dos maiores problemas da automação genérica de conteúdo hoje é que várias marcas começam a soar e se portar como a mesma, criando confusão e diluição de imagem na internet.

As empresas que se tornaram unicórnios nos últimos anos têm uma coisa em comum: investem muito mais em se identificar com nichos de mercado do que tentar abraçar o mundo.

A personalização de marketing cria laços mais profundos do que o puro consumo. Transforma clientes em advogados e divulgadores da marca. Cria uma sensação de pertencimento que não só atrai com mais qualidade como facilita a fidelização.

Previsibilidade estratégica

Investir em personalização de marketing com dados tem também uma função estratégica. A criação de modelos de engajamento facilita a projeção e previsibilidade para seu planejamento futuro.

Se você tem domínio sobre o perfil de seu público e o tipo de conteúdo que melhor conversa com ele, sua marca tem um caminho claro de aproximação e expansão em nichos e mercados.

Suas campanhas de marketing passam a ser mais bem estruturadas. É possível pensar no curto prazo, com conteúdos pontuais que aproveitem discussões atuais, mas também planejar aqueles pensados para ter cauda longa e darem retorno por anos. Em vez de reagir, sua empresa passa a tomar a iniciativa do engajamento.

Redução de custos de marketing

Esse ponto anterior é o gancho perfeito para nosso último item desta lista. Previsibilidade e planejamento são aliados imprescindíveis para a eficiência financeira do marketing.

Como dito lá no começo, a ideia de personalizar é criar uma conexão mais forte com seu cliente. É trocar volume por qualidade e customização. O resultado é a produção de conteúdos que podem ser até em menor quantidade, mas que têm um poder de persuasão muito maior — o que aumenta suas taxas de conversão.

Além disso, por falar diretamente com as dores do seu público, conteúdo personalizado dura por mais tempo. Em uma era de consumo rápido, em que o mais importante é sempre a próxima coisa, você garante que a sua comunicação seja relevante por meses, anos.

Assim, não só seus custos diminuem, como você gasta menos para atrair cada novo cliente. É a otimização do indicador chamado de Custo de Aquisição de Cliente, ou CAC — uma das métricas mais importantes para o marketing no mercado pós-transformação digital.

Como utilizar os dados para personalização?

Agora que já passamos pelo conceito e pelas razões de investir em dados no marketing, vamos para a prática. Veja a seguir uma lista de passos importantes para estruturar seu planejamento e criar um ambiente saudável de produção, distribuição e engajamento utilizando conteúdo digital.

Definindo quais dados utilizar

Quando se fala em tomar decisões baseadas em dados, muitos diretores de empresas e empreendedores apostam mais na quantidade do que na qualidade. Porém, você não precisa de todos os dados do mundo, apenas os que interessam para a sua estratégia.

A definição de quais dados utilizar na personalização de marketing é uma mistura de abrangência e profundidade. De um lado, você precisa de uma visão geral sobre o público-alvo, o mercado em que está inserido e hábitos médios desse perfil de consumidor.

É a partir daí que você busca a outra frente: informações mais individuais sobre dores, rotinas, aspirações. Cada pessoa é seu próprio universo, mas são poucas as características mais distinguíveis. Poucas e importantes. Dentro de um volume maior de dados, cave até encontrar o tesouro do marketing: os botões certos para ativar emoções nas pessoas e tornar interações memoráveis.

Identificando as fontes mais apropriadas

Não basta descobrir quais dados utilizar, mas também onde buscá-los. A informação ideal para sua estratégia de personalização deve ser confiável, consistente e constante.

A melhor abordagem é uma mistura de fontes em diferentes frentes de coleta. As principais são:

  • acompanhamento de indicadores gerais de mercado;
  • estudo das métricas da sua própria empresa e campanhas do passado;
  • pesquisas de satisfação com seus clientes;
  • relacionamento próximo em redes sociais e mapeamento de tendências emergentes.

Ou seja, suas fontes devem ser uma combinação de dados objetivos de marketing e impressões subjetivas de pessoas identificadas como clientes ideais. A sobreposição desses pontos de vista demonstram o caminho de personalização para seu conteúdo.

Garantindo a privacidade de dados

Precisamos parar um segundo as dicas práticas para falar sobre a segurança da informação na personalização de marketing. Afinal, você está trabalhando com dados de seus clientes e prospects, portanto há uma responsabilidade em relação à privacidade do seu público.

Isso se tornou muito importante com a implantação da Lei Geral de Proteção de Dados, a LGPD. Mas não é apenas uma questão legal. O descaso com as informações pode gerar relatórios pouco confiáveis e eventos de comprometimento que manchem a imagem da sua empresa.

Portanto, certifique-se de que todos os dados coletados sejam de conhecimento e anuência de quem importa: o seu público.

Entendendo o seu público para uma melhor personalização

Com uma base de coleta e análise de dados consolidada, é hora de processar as informações em busca de como o conteúdo pode ser mais bem personalizado dentro de suas campanhas de marketing.

A estratégia ideal nesse momento é a criação de uma ou mais buyer personas. As personas são perfis fictícios que transformam seu cliente ideal em um personagem distinto, com dados demográficos, mas também impressões subjetivas como o que buscam e como escolhem os produtos que consomem.

Esse perfil é fundamental na hora de personalizar o marketing. Como ainda é impossível criar conteúdo 100% exclusivo para cada pessoa, a utilização das personas permite que você elabore jornadas flexíveis de descobrimento e engajamento, com gatilhos comuns a esse tipo de público, levando à automação de abordagens customizadas.

A investigação de perfis de consumidores ajuda a definir canais de divulgação, linguagem apropriada, argumentos de venda e fomentar a fidelização em ambientes digitais.

Transformando dados em ações

Existe uma máxima no marketing de que uma ideia não tem valor enquanto não é colocada no papel. Sua estrutura de dados também não vale muito se ela não serve de ponto de partida para a personalização de marketing da sua marca.

Com conhecimento amplo e profundo do público que quer atingir, é hora de viabilizar o conteúdo certo e as estratégias de publicação para o máximo retorno em engajamento.

É dessa pesquisa que surgirão algumas definições importantes de ação:

  • o que pode ser customizado no conteúdo, como formatos, linguagem, estruturas;
  • como a divulgação pode ser customizada em email marketing e redes sociais;
  • qual a frequência de conteúdo que mais se encaixa nas expectativas e na rotina do público, entre outras.

Neste ponto, é interessante contar com ajuda especializada. Parceiros em Marketing Digital contribuem para a transformação de dados em plano de ação, incluindo a produção de textos, roteiros e material rico que se encaixam exatamente no que você precisa.

É a hora também de estruturar a personalização, ou seja, criar conteúdo diferenciado de acordo com seus objetivos. Eles podem variar em estágio de jornada do cliente, em perfis distintos dentro do mesmo público e até mesmo no microgerenciamento de distribuição para clientes especiais — como fidelizados, influenciadores e recorrentes.

Gerando novos dados a partir de campanhas

Depois de todos os passos mostrados até aqui, você tem tudo para entregar um conteúdo de mais valor ao público e receber mais engajamento em troca.

Para finalizar nossa conversa, gostaríamos apenas de deixar esse lembrete: campanhas de Marketing Digital não são ações pontuais. A construção de uma imagem online depende de consistência e insistência.

Portanto, transforme seus resultados anteriores em novas fontes de informação relevante. Continue sempre aprimorando. Quem consolida o uso de dados na personalização de marketing tem tudo para se destacar no mercado.

E que tal começar hoje mesmo esse esforço de visibilidade e engajamento? Com o WriterAccess, você tem uma plataforma completa para criação de conteúdo personalizado, com gestão fácil e uso de Inteligência Artificial para conectar você aos redatores perfeitos para sua estratégia. Teste por 14 dias de graça!

Melhore a Experiência do Usuário com Inteligência Artificial!

Sabemos que a inteligência artificial (IA) veio para ficar. Independente do mercado onde você atua, utilizar a inteligência artificial pode ser uma maneira eficiente de tornar seus dias mais produtivos. E isso não muda quando falamos de uma boa interação, usabilidade e navegação em um site, por exemplo.

Você já se perguntou como alguns aplicativos e sites parecem “adivinhar” exatamente o que você quer ou precisa? Ou mesmo a melhor forma de navegar por produtos, ou serviços? 

Bem, essa mágica acontece graças à inteligência artificial em meio a algoritmos que estão sempre avaliando a maneira como os usuários utilizam sites e apps. Além disso, ainda tem a pesquisa de usabilidade, onde usuários desses apps e sites respondem perguntas para otimizar esses processos.

Mas afinal, como a inteligência artificial pode ajudar na construção de uma boa estratégia de experiência do usuário? Vamos ver alguns exemplos que podem te ajudar.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Como utilizar inteligência artificial em UX?

1. Personalização para o Usuário

A IA pode coletar informações sobre suas preferências, interesses e comportamentos ao longo do tempo. Para isso, é necessário que o seu negócio conte com ferramentas que possuam inteligência artificial, captando os dados que serão utilizados para a personalização.

Com base nesses dados, ela pode personalizar a experiência do usuário, tornando-a mais relevante para suas necessidades individuais. 

Por exemplo, em um serviço de streaming de música, a inteligência artificial pode criar listas de reprodução com músicas que combinem perfeitamente com o gosto musical de alguém. Tudo isso é feito com machine learning, um dos pilares da IA.

2. Respostas Rápidas e Objetivas

Quem não gosta de respostas rápidas e objetivas quando tem uma dúvida? Chatbots alimentados por IA estão se tornando cada vez mais populares em sites e aplicativos.

Eles podem responder às suas perguntas instantaneamente, te guiar em processos complicados e fornecer informações úteis, agilizando suas interações com o sistema, site ou app, por exemplo.

3. Previsão de Comportamento

Com base em análises de dados, a IA pode antecipar as ações e necessidades futuras para melhor atender a demanda dos seus usuários. 

Por exemplo, em um aplicativo de compras online, a IA pode prever produtos que seus clientes provavelmente poderiam comprar, economizando tempo na busca e tornando as compras mais satisfatórias.

Além disso, o usuário vai entender que a sua empresa realmente se importa em oferecer um serviço, de fato, personalizado. Isso aumenta o engajamento e, por consequência, esse usuário indica sua loja para outras pessoas e assim por diante. Entender o seu cliente pode transformar-se em uma rede de outros clientes qualificados.

4. Acessibilidade Aprimorada

A inteligência artificial também pode ajudar a tornar a tecnologia mais acessível para pessoas com necessidades especiais. Ela pode oferecer suporte a leitores de tela, reconhecimento de fala e outras funcionalidades que facilitam o uso do seu site ou app por pessoas com deficiências de diversos tipos.

O Google tem seus critérios para avaliar apps e sites com mais acessibilidade, lhes dando mais credibilidade e priorizando na SERP, muitas vezes, esse tipo de site.

5. Detecção de Sentimentos

Conectando à previsão de comportamento, alguns sistemas de IA são capazes de detectar emoções por meio de dados como expressões faciais ou análise de texto. Com essa habilidade, a IA pode ajustar as respostas e interações para se adequar ao estado emocional do usuário, tornando a experiência mais empática e humana.

Nesse momento, é importante perceber que a pessoa que está ali do outro lado da tela, precisa de um acolhimento. Utilize as ferramentas em mão necessárias para que isso seja uma realidade.

6. Criação de Conteúdos

Para complementar uma boa experiência, é necessário ter conteúdos que irão agregar a vida dos usuários, sejam estes conteúdos, textos, vídeos, imagens, etc. Um exemplo é o WriterAccess, onde você pode utilizar o AI Content Wizard, criando conteúdos incríveis para seu público.

A ferramenta leva em consideração concorrentes, palavras-chave e a sua audiência, identificando as melhores oportunidades para o sucesso da marca. Você pode testar gratuitamente o WriterAccess por 14 dias

Conheça o AI Content Wizard e construa conteúdos com inteligência artificial para experiência do usuário cada vez melhor!

7. Identificação de Problemas e Melhoria Contínua

A IA pode aprender com suas interações e feedbacks. Quanto mais você a utiliza, mais ela se aprimora. Essa capacidade de aprendizado contínuo permite que as ferramentas de IA que você utiliza, ofereçam experiências cada vez melhores e mais personalizadas ao longo do tempo.

Além disso, é possível também perceber problemas com maior antecedência, o que certamente vai adiantar a solução deles.

Portanto, vemos como a inteligência artificial é uma aliada valiosa para melhorar os processos de experiência do usuário. Além de tornar a tecnologia mais amigável, personalizada e eficiente, se adaptando às necessidades e preferências individuais. 

Quer continuar atualizado com as melhores práticas de Marketing? Então se inscreva na The Beat, a newsletter interativa da Rock Content. Nós cobrimos todas as tendências que importam no cenário do Marketing Digital. Vejo você lá!

Novo Core Update do Google? Como rastrear atualizações de SERP e preparar sua estratégia de SEO

Nas últimas semanas, SEOs em toda a web relataram alta volatilidade no tráfego de seus sites e atividades SERP instáveis. Ou seja, ao que tudo indica, parece vir uma nova atualização principal do algoritmo do Google.

As perguntas aqui são: o Google anunciará oficialmente uma atualização em breve? Quais sinais mostram que as especulações sobre uma atualização podem ser verdadeiras ou não? Como rastrear possíveis atualizações?

Neste artigo, discutiremos os rumores de uma possível nova atualização principal do Google.

Analisaremos alguns sinais aos quais SEOs devem estar atentos para identificar potenciais atualizações e adaptar suas estratégias. Com essas informações, conseguiremos aliviar possíveis impactos negativos no tráfego e na classificação de palavras-chave.

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Vem mais Core Update por aí?

Mal nos recuperamos dos impactos da última atualização principal do Google e já estamos prevendo outra? Você deve se lembrar do core update de abril e de como essa atualização impactou o tráfego de diversos sites.

Na ocasião, Diana Martins (SEO planner da Rock) contou que os conteúdos impactados pela mais recente atualização sugeriam tendências e ferramentas obsoletas em 2023. Conteúdos tipo “caminhos do marketing em 2022” ou “tendências para redes sociais em 2022”, sabe?

A colega relatou um impacto próximo a 12% no tráfego do blog da Rock.

Atualizações de SEO realizadas e agora, três meses depois, tráfego de diversos sites parecem estar sofrendo uma alta volatilidade. Comportamento parecido com o que temos em época de Core Update do Google.

Segundo os relatórios do Google, a volatilidade da atualização de abril durou 13 dias e 2 horas. Já a de setembro de 2022 durou 14 dias.

No momento em que escrevo este artigo, o sensor de volatilidade do Semrush está mostrando um grau elevado desde 14 de julho. Se o período dessa volatilidade responder à média dos outros lançamentos, podemos esperar um pronunciamento do Google ainda nesta semana.

A publicação de Glen Gabe (presidente da G-Squared Interactive LLC) no LinkedIn vai ao encontro do relato do Rafael Simões:

“Ao pesquisar mais volatilidade esta semana, estou vendo um aumento de muitos sites que caíram durante as principais atualizações anteriores (mas não apenas um tipo de atualização). Por exemplo, quedas anteriores devido a atualizações principais, atualizações de revisões, HCUs e até atualizações de spam. O Google está trabalhando em algo grande.”

Pois bem, já que há uma chance de anteciparmos os core updates, que tal eu dar algumas dicas de como você pode fazer isso? E aí depois podemos dar uma olhada em quais ações você pode fazer para enfrentar as mudanças.

Como antecipar os Core Updates do Google?

Você deve ter pescado uma das dicas na seção anterior, quando eu falei sobre o sensor de volatilidade do Semrush.

O gráfico mostra trocas de posições nas SERPs e é uma fórmula construída pela própria empresa. Você também pode acompanhar essa volatilidade por categorias de palavras-chave, como por exemplo beleza e bem-estar.

“Verificamos os resultados de pesquisa para um conjunto fixo de palavras-chave diariamente e calculamos o nível de alterações no final do dia. O método exato é uma fórmula exclusiva, mas o valor reflete a volatilidade total da pesquisa no dia.”

Semrush Sensor

Também existem outras ferramentas que podem auxiliar nesse acompanhamento, como a da Advanced Web Ranking, a da SERPMetric e a da Moz.

Um gatilho para você lembrar de olhar o sensor do Semrush seria a volatilidade que o seu site está apresentando. Para isso você precisa monitorar mudanças de posições de palavras-chave nada usuais.

Um bom exemplo é quando você perde uma palavra-chave relevante ou percebe uma troca de posições relevante. Quando isso acontece sem nem mesmo ter atualizado qualquer conteúdo, pode ser a hora de consultar a volatilidade das SERPs do Google.

Você pode checar o próprio relatório do Google de tempos em tempos para entender o intervalo de meses entre uma atualização e outra. Assim, é possível calcular se estamos na eminência de uma nova atualização.

Por fim, não deixe de acompanhar o que os especialistas estão dizendo. Siga os experts em SEO e os porta-vozes do próprio Google nas redes sociais. Além de se inscrever na newsletter da Rock Content para acompanhar as mais recentes atualizações do algoritmo e novidades quentinhas em marketing digital.

Como se preparar para os Core Updates do Google?

Antes de mais nada, é importante pontuar: você deve se preocupar em atender a sua buyer persona e ponto. As atualizações do Google só nos dão um empurrãozinho para olhar detalhes que não estávamos acostumados.

Quero pegar de exemplo um dos últimos traumas dos profissionais de SEO: o Helpful Content Update. Apesar de ter causado muita alteração de tráfego, essa atualização promoveu a melhora na produção dos conteúdos.

De setembro de 2022 para cá, mais conteúdos autênticos, confiáveis e especializados passaram a ser produzidos.

Com isso em mente, as principais mudanças no algoritmo do Google não devem te abalar tanto ou ser motivo de pânico. De acordo com o próprio Google, “O objetivo geral delas (das atualizações) é continuar cumprindo nossa missão de mostrar resultados úteis e confiáveis para os usuários”.

E a empresa ainda recomenda:

“Faça uma auditoria sobre a queda de desempenho nas suas páginas, se for o caso. Quais foram as páginas mais afetadas e em que tipos de pesquisa? Analise isso com atenção para entender o desempenho dessas páginas em relação às perguntas de autoavaliação.”

Tudo isso pra dizer que não há fórmula mágica para você “vencer” os Core Updates. Mantenha-se conectado às tendências e haja o quanto antes para corrigir problemas de conteúdo que o próprio Core Update dedurou.

Como a equipe da Rock Content utiliza a Inteligência Artificial

Desde seu lançamento em novembro de 2022, o ChatGPT transformou a criação de conteúdo como a conhecíamos. Com o surgimento de cada vez mais tecnologias de Inteligência Artificial (IA), as fronteiras entre conteúdo gerado por humanos e por computador se tornaram menos definidas.

Aqui na Rock Content, estamos acompanhando de perto a tecnologia de IA e seu impacto na criação de conteúdo. Descobrimos que a IA pode ser uma ferramenta poderosa e eficiente para aumentar a produtividade, e queremos utilizá-la de maneiras cada vez mais inovadoras.

No entanto, é importante ressaltar que acredito que a IA nunca substituirá completamente o conteúdo criado por seres humanos, nem será tão criativa quanto nós. Esse ponto foi discutido em meu webinar, Marketing Backstage, e gostaria de reforçá-lo por aqui.

Neste artigo, irei compartilhar algumas das formas inovadoras em que estamos aproveitando essa tecnologia para melhorar a eficiência e otimizar o conteúdo. Se você perdeu o webinar ao vivo, não se preocupe, pois encontrará os principais insights aqui.

O que a IA pode (e não pode) fazer em termos de criação de conteúdo

Menos de um ano após o lançamento da primeira versão do ChatGPT, já presenciamos as incríveis capacidades da IA na criação de conteúdo.

Desde a geração de ideias de tópicos até metatítulos, títulos e calls-to-action, a IA se mostrou extremamente útil nesse sentido.

No entanto, há limitações que a IA não consegue superar e que sempre dependerão do toque humano.

Por exemplo, não podemos confiar plenamente nas ferramentas de IA para oferecer informações 100% factuais, como já foi comprovado por fact-checkers que encontraram grandes falhas e erros no conteúdo gerado por IA.

Outro aspecto em que a IA não pode competir é na criação de conteúdo de autoridade, pois não possui a capacidade de escrever de forma persuasiva. Além disso, ela não consegue acompanhar eventos atuais ou temas com informações em constante mudança, sem contar que tende a falhar em gerar conteúdo objetivo e imparcial sobre assuntos sociais, políticos e religiosos.

Conforme destacado no meu webinar, o Marketing Backstage, a IA não substituirá os humanos na geração de conteúdo, mas pode torná-los mais capazes.

Quando utilizadas para pesquisa e criação, as ferramentas de IA podem aumentar a eficiência e eficácia na produção de conteúdo. No entanto, para garantir um conteúdo excelente, sempre será necessário verificar fatos, editar e criar por meio da intervenção humana.

Como a Rock Content usa a IA para melhorar a eficácia do conteúdo

Na Rock Content, não substituímos nossa função como criadores de conteúdo com IA. Em vez disso, a usamos para ampliar e otimizar nossos processos..

Exemplos reais: como a Rock Content usa a IA

Então, de quais maneiras a nossa equipe já está usando a Inteligência Artificial?

  • Comparações: Utilizamos o ChatGPT para criar listas de comparação, como de prós e contras ou semelhanças e diferenças, o que economiza tempo de pesquisa e ajuda na organização de informações para o conteúdo. Porém, o fact-checking é sempre recomendado.
  • Análise de tom: Com ferramentas de IA, como o ChatGPT, podemos adaptar ou reescrever conteúdo em um tom e voz específicos.
  • Assuntos de e-mail: Nós estamos tendo sucesso ao gerar assuntos de e-mail atraentes e envolventes com o uso de ferramentas de IA. Isso ajuda a aumentar as taxas de abertura e engajamento em campanhas de e-mail marketing.
  • Lacunas de conteúdo: a IA nos ajuda a descobrir áreas em que falta conteúdo na concorrência sobre determinados assuntos. Isso nos permite explorar novas ideias de conteúdo e abordagens para alcançar nosso público.
  • CTAs: As ferramentas de IA são eficazes na redação de CTAs fortes, o que aumenta as conversões e facilita o alcance de novos clientes ou clientes em potencial.

Esses são apenas alguns exemplos das várias maneiras que nossa equipe usou a IA com sucesso para otimizar o processo de criação de conteúdo e melhorar o ROI do marketing. Como você pode fazer o mesmo para sua estratégia de conteúdo?

WriterAccess e Content Cloud

A Rock Content também se orgulha de ter adquirido o WriterAccess, que agora faz parte do que chamamos de Content Cloud.

Esse pacote inovador permite que você engaje seu público, aumente o seu ROI e expanda seus negócios com ferramentas baseadas em IA e produção de conteúdo humana.

Especificamente, o WriterAccess é um mercado de freelancers profissionais que criam conteúdo de alta qualidade para sua marca.

O WriterAccess é ideal se você busca conteúdo com um toque humano, oferecendo serviços não apenas de redatores, mas também de estrategistas de conteúdo, designers, ilustradores e até animadores.

Leia também: Como a RivalMind aumentou sua produção de conteúdo em 67% com WriterAccess

Além disso, temos o Stage by Rock Content, uma plataforma de hospedagem e gerenciamento de sites WordPress que aumenta seu tráfego orgânico e visibilidade em buscas. Já o Ion facilita a geração de mais conversões com conteúdo interativo, enquanto o Studio simplifica a gestão de projetos ao incentivar a colaboração da equipe.

Juntas, todas essas ferramentas e plataformas formam nossa Content Cloud. Ao combinar a eficiência das ferramentas de IA com o talento criativo humano, a Content Cloud está pronta para ajudar a impulsionar seu sucesso.

Ferramentas de conteúdo de IA do WriterAccess

Já estamos testemunhando as maneiras pelas quais as ferramentas de IA podem criar conteúdo com mais rapidez e eficiência do que nunca, mas sabemos que o toque humano é insubstituível para uma criação eficaz e envolvente.

É por isso que nossa comunidade de mais de 15 mil redatores freelancers no WriterAccess é um recurso valioso para empresas que desejam ampliar sua estratégia de conteúdo.

Além da nossa equipe de redatores humanos experientes, o WriterAccess também oferece várias ferramentas de conteúdo de IA para aumentar a eficiência e potencializar sua estratégia.

Assistente de Conteúdo de IA

Nosso Assistente de Conteúdo de IA oferece informações abrangentes e baseadas em IA para ajudar você a economizar tempo e recursos em sua estratégia de conteúdo. Com ela, você obtém uma avaliação rápida e detalhada do conteúdo necessário para maximizar o retorno do seu investimento. Ela é fácil de usar e altamente eficiente.

Gerador de Ideias de Conteúdo de IA

Está tendo dificuldades para encontrar temas envolventes para o seu público-alvo? Experimente nosso Gerador de Ideias de Conteúdo de IA. Com ele, é possível encontrar assuntos relevantes e atuais para criar conteúdo atraente de forma estratégica, sem precisar de brainstorming.

Busca de redatores baseada em IA

Com mais de 15 mil redatores freelancers em nossa plataforma, encontrar o profissional certo para o seu projeto pode parecer algo difícil. No entanto, nossa busca de redatores baseada em IA torna isso simples e rápido.

Em apenas alguns cliques, você pode encontrar o candidato perfeito que atende às suas necessidades de conteúdo. Dessa forma, é possível economizar tempo ao encontrar o redator que você precisa para o seu próximo projeto.

Construtor de Personas de IA

Entender seu público é vital para sua estratégia de marketing de conteúdo, mas criar personas pode ser um processo demorado.

Com o Construtor de Personas de IA do WriterAccess, você pode criar facilmente uma persona única e precisa, baseada em dados reais. Assim, você pode economizar tempo nesse processo e se concentrar em outras áreas importantes de sua estratégia de conteúdo.

Detector de Conteúdo IA

Ao investir em marketing de conteúdo escrito por humanos, a última coisa que você quer é receber conteúdo gerado por IA.

Com o WriterAccess, você não precisa se preocupar com isso. A nossa ferramenta de detecção de conteúdo IA é altamente precisa e verifica todo o conteúdo enviado por nossos redatores, sinalizando qualquer conteúdo criado por IA. Você pode ter certeza de que está recebendo conteúdo humano original em cada pedido que fizer.

Conclusão

Apenas o tempo dirá qual será o verdadeiro impacto da IA na forma como criamos conteúdo. No entanto, se considerarmos os últimos meses como uma amostra do que o futuro nos reserva, é provável que o processo de planejamento e criação de conteúdo esteja se transformando para sempre.

Na verdade, acredito que sempre será necessário esse toque humano na criação de conteúdo.

Mesmo as ferramentas de IA mais avançadas nunca conseguirão replicar o que os seres humanos são capazes de oferecer em termos de criatividade e precisão. Ainda assim, é inegável que as ferramentas de IA têm seu lugar no campo do marketing de conteúdo.

Desde o brainstorming e a geração de ideias até a elaboração de títulos e comparações, na Rock Content estamos comprometidos em unir o melhor dos dois mundos.

Fique de olho no nosso blog para acompanhar as novidades sobre a nossa integração de ferramentas de IA. Além disso, gostaria de convidar você a conferir o nosso webinar Marketing Backstage para saber mais sobre as últimas novidades aqui na Rock Content.

Como criar um mapa de jornada do usuário para sua estratégia de SEO

O caminho que seu cliente faz, desde quando entra em contato com a marca pela primeira vez, até a compra do produto ou serviço, também conhecido como jornada do cliente, é muito importante. O mapa de jornada do usuário está próximo a este conceito, porém, focado na experiência digital.

Neste artigo, falaremos sobre o que é o mapa de jornada do usuário, para que serve, além de mostrar como você desenvolve o da sua empresa.

Veja como usar esse recurso para ajudar na sua estratégia de SEO e confira como acompanhar os resultados dessa ação!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

O que é o mapa de jornada do usuário?

Se você já trabalha com marketing, provavelmente sabe quanto é importante entender o comportamento do consumidor durante todo o processo de vendas para melhorar a experiência do público com a marca e aumentar as conversões.

Para isso, é comum desenvolver a jornada do cliente, que é toda estruturada conforme o processo de compras. O mapa de jornada do usuário é semelhante à jornada do cliente, no sentido em que ele levanta todos os pontos de contato que o consumidor faz desde que conhece a empresa até o fechamento da compra (muitas vezes chegando no pós-venda).

A principal diferença é que no caso do mapa de jornada do usuário, o objetivo é um recorte da experiência do seu público em ambientes virtuais. Isso é extremamente importante por dois motivos:

  1. Em ambientes digitais as possibilidades de rastreamento e monitoramento do comportamento do consumidor são ainda maiores.
  2. Dessa forma você consegue olhar para suas estratégias digitais e fazer um trabalho direcionado e consistente para esses tipos de mídias e estratégias, como é o caso do SEO.

Como construir um mapa de jornada do usuário?

O design thinking é uma abordagem que combina com a criação de um mapa de jornada do usuário. Confira os principais passos para desenvolver seu mapa de jornada do usuário.

Saiba quem é a persona

A persona continua sendo fundamental para a criação dessa estratégia. Afinal, ela representa seu público e traz informações reais e relevantes para auxiliar no mapeamento. O primeiro passo é descobrir quem é a persona que será mapeada.

Mapeie os pontos de contato

A partir do comportamento da persona você pode identificar vários marcos que sua persona de usuário faz durante a navegação. Vale destacar que isso não significa que todos os usuários fazem o mesmo caminho, nem que as etapas acontecem linearmente.

O importante aqui é criar uma lógica de caminho e marcá-lo para identificar em quais pontos de contato sua empresa pode fazer abordagens, enriquecer a experiência do usuário ou simplesmente melhorar a usabilidade e outras atribuições, facilitando a chegada do usuário no final deste caminho.

Crie um mapa de jornada do usuário

Agora é hora de desenhar o mapa de jornada do usuário, com todas as etapas identificadas e quais marcos podem ser usados para criar uma conexão com o público.

Esta tarefa pode exigir bastante, pois é um esquema bem completo, que orientará a busca por palavras-chave relevantes.

Liste as principais palavras-chave para cada etapa

O passo seguinte é reunir um grupo de palavras-chave para cada marco desenhado no mapa de jornada do usuário. A ideia aqui é identificar os termos de pesquisa do usuário e incluí-los para entender quais estratégias desenvolver.

Diferentemente da criação de uma estratégia de marketing de conteúdo, neste caso até mesmo palavras-chave com grande volume de busca e, normalmente, alto nível de concorrência, também devem entrar. Isso porque a ideia é entender como o usuário age durante sua jornada. O objetivo ainda não é empregar estes termos e, sim, mapear a sua persona.

Agrupe as palavras-chave

O último passo é categorizar suas palavras-chave de acordo com tópicos, estágios e também com a intenção de pesquisa do usuário. Pronto!

Agora você já consegue visualizar uma história na qual seu usuário chega com determinadas pesquisas — e um determinado nível de consciência — e vai caminhando ao longo da jornada, encontrando problemas, e superando obstáculos.

Com este mapa será possível se inspirar para a produção de conteúdo e a otimização do SEO. O mapa de jornada do usuário funciona como o enredo de uma história ou de um jogo de tabuleiro, que indica em que estágio o personagem está e o que precisa ser feito para que ele chegue no local desejado.

Como utilizar um mapa de jornada do usuário para SEO?

O mapa de jornada do usuário pode servir de insight para o desenvolvimento das estratégias de SEO. Além disso, este é um recurso que ajuda a olhar para as páginas do site e entender como criar uma lógica com maior sentido e que contribuam para uma melhor experiência do usuário.

Como você deve ter notado, o usuário visita o site em vários estágios, por este motivo, é fundamental criar soluções e relevância para os diferentes estágios que a persona do seu usuário entra em contato com a empresa.

Qual a melhor forma de acompanhar os resultados?

Métricas e relatórios de SEO são excelentes fontes de dados para entender se o mapa de jornada do usuário foi bem desenvolvido e também para descobrir se ele está conforme a realidade. Ferramentas como o Google Analytics são fundamentais para entender sua performance.

Em vez de se concentrar no ranqueamento de cada palavra-chave, é preciso observar os agrupamentos de palavras-chave por estágio da jornada. Assim, você consegue saber se suas ações para cada uma das etapas estão funcionando e em qual parte é preciso melhorar. Vale destacar que o mapa não é estático e ele cresce conforme o aumento de conteúdos no seu site.

Gostou de conhecer mais sobre o mapa de jornada do usuário? Como você deve ter percebido, este é um recurso que ajuda na sua estratégia de SEO e otimiza o relacionamento da marca com a audiência.

Para desenvolver estratégias que considerem o mapa de jornada do usuário, é importante contar com profissionais especializados na área. Conheça a plataforma WriterAccess e aproveite uma equipe de freelancers especialistas em SEO que podem auxiliar na criação de conteúdos na jornada do usuário da sua empresa.